sábado, 16 de agosto de 2008

Pré-Temporada - Jogo 2: Dolphins x Jaguars

Ano passado vencemos a jaguatirica e levamos 1-15 na temporada. Será que perdendo, faremos 15-1?? Clique na imagem para ir direto para o Boxscore da NFL. Já que link para ver o jogo não tem...
PS: Amanhã estarei na cidade de Campina Grande-PB trabalhando do jogo do Salgueiro Atlético Clube na Série C do Brasileirão 2008. Por isso os comentários do jogo ficam a cargo do Pio. Até segunda à tarde pessoal...

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Trainning Camps - Dia XXI

Novidade no Blog: eu dando destaque para um CB ( Allen ) e um WR ( Kircus ), justamente os dois piores setores do time. Entenda o porquê lendo a matéria do Blog ou clicando na foto e indo para matéria em Inglês...

Começo falando que o Miami cortou hoje três jogadores: John Dunlap, Selwyn Lymon ( WR ) e Keith Saunders ( LB ). Nada que vá mudar o preço do dólar ou fazer com que alcancemos à Post-Season. Saunders até parecia que ia cavar um lugar ao menos na Pratice Squad, mas foi cortado.

Vamos aos destaques dos treinamentos de ontem e de hoje, bem leves já que o jogo contra o Jaguars é amanhã a noite:
  • Will Allen e David Kircus ( foto da matéria ) trocaram sopapos após um tackle mais forte por parte do CB. Ai chegou a turma do deixa pra lá, e ambos receberam duras repreensões de Tony Sparano que pediu calma e que não quer mais isso se repetindo. Pelo menos demonstra que todos estão dando o máximo dentro de campo. E olha que ontem e hoje os treinos foram mais leves. Mas ambos estão correndo contra o tempo para ficarem em melhores condições dentro do elenco;
  • Vonnie Holliday continua sem treinar. Isso é ruim, pois já fazem três dias que ele apenas "aparece". Ele não irá jogar amanhã. Esperar para ver se ele será a primeira baixa desta Training Camps;
  • Chad-P e Chad-H lançaram interceptações. O treino foi duro, no chamado "drill": o ataque está em uma terceira para 20 e em uma posição longe de FG. Mas é bom errar agora para acertar depois;
  • Hoje foi o último treinamento aberto. A partir de segunda os treinos serão fechados e não mais teremos informações como atualmente. Só o que foi informado pela Assessoria de Imprensa do Miami. Coisas tipo a briga de hoje não seriam relatadas...;
  • Amanhã contra o Jaguars Chad-P será o Starter e deverá jogar todo o primeiro tempo. Chad-H deve jogar o segundo quase todo. Se não for bem, ai entra Beck. McCown só se Chad-P jogar mal e Henne entrar ainda no primeiro tempo.

Jogo de Pré-Temporada é para errar mesmo e consertar tais erros. Vencer? Nem me importo, prefiro até perder. Flávio querendo ver o Miami perder? Sim, já que ano passado o Dolphins venceu o Jaguars e perdeu 15 jogos...

Quando a fé e esperança é o que sobrou...

Fé e Esperança são normalmente parceiras. Desilusão e Desconfiança idem. Quando as duas primeiras vem depois de experimentarmos as duas últimas é uma coisa boa, afinal temos a impressão de que o pior ficou para trás. E é como me sinto a respeito do meu Miami Dolphins.
Acompanho esta franquia desde 1983, quando a Bandeirantes estreou o seu, saudoso, "Show do Esporte". Luciano do Valle, pra mim o melhor Narrador Esportivo do Brasil, já tinha conhecimento da NFL, NBA, etc, e era - como o é até hoje - torcedor do Dolphins e Lakers respectivamente, e passei a torcer pelos mesmos times que ele. Isso faz tempo, e naquela época as informações eram raras, mas fiquei sabendo em 1984 que um certo Dan Marino fez "loucuras" na temporada, e ele passou a ser o meu ídolo. Sempre gostei do número 13 ( menos para votar ) e por isso a paixão foi arrebatadora. Os anos passaram e a Band passou a transmitir o Super Bowl e nada do Miami estar em um deles. Vi um do 49ers, vi o Giants, o Redskins, etc... Mas o Miami nada. Lá pelo fim dos anos 90, consegui comprar uma Tv por assinatura e pude ver os últimos momentos de Marino na NFL. Sofri duramente com a sua última aparição em campo como jogador profissional: Divisional Playoffs 1999 contra o Jaguars. O placar?? 63x7 se não me engano.
Ele parou e o time também. Ainda vi o time jogar mais duas Post-Season na sequência ( 2000 e 2001 ), mas o time apenas regrediu. Em 2002 ficamos de fora com uma campanha de 10-6!!!, porque o Broncos fez 9-7 mas venceu a Divisão. Isso voltaria acontecer mais uma vez um 9-7, e a vaga perdida para o mesmo Broncos, que só tinha que vencer a divisão. Culpa do Patriots, que passou a ganhar seguidamente a divisão AFC Leste.
Depois de 2005 as coisas começaram a dar para trás, e isso desembocou que nas últimas duas temporadas vencemos apenas 5 jogos em 32. Coisa absurda. Mas isso é a desilusão e a desconfiança.
Agora chegamos na época da Fé e da Esperança. Fé que o trabalho seja bem feito - até aqui tenho poucas coias para reclamar. Esperança que verei meu time em um Super Bowl novamente. Sinto que estamos mais perto hoje do que estivemos há 10 anos. Quanto tempo? Não tenho pressa. Pra quem até esperou quase 10 anos, esperar mais alguns não é nada. Quero é ver um time forte, que grite alto e mostre que somos da elite da NFL. Tenho Fé e Esperança. Nesta mesmo ordem. O futuro é glorioso, já que o passado é mais glorioso de toda a Liga. Porque haveria de o futuro não sê-lo??

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Hora de pensar como pode ser a temporada...

Como pode ser a temporada do Miami? No campo das previsões megalomaníacas é possível falar até em Super Bowl. Claro que só nos super sonhos. Se formos super otimistas, pode-se falar em Post-Season. Mas vamos ficar no campo do que é possível acontecer mesmo, e aplicar um pouco de sonho. Sendo assim, falarei de três situações melhores do que 2007 e do que será necessário para que cada uma aconteça. Claro que eu apenas estarei supondo, e portanto, no campo das suposições nada ( ou quase ) é impossível.
9-7 - Post-Season via Wild Cards
Sonho? Loucura? Bem provável que sim. Mas se conseguirmos tal feito, tais situações terão que acontecer:
  • Ronnie Brown ficar saudável pela temporada inteira e correr mais de 1800jds. A primeira parte é mais fácil de acontecer ( ou não, vide o seu histórico ), mas a segunda depende de que a OL renda acima do esperado já neste ano. Se isso acontecer, vencer 9 jogos não é sonho. Eu particularmente não acredito nisso, mas vai que Brown consegue. Claro e evidente que Ricky Williams, Jallen Parmelle, Patrick Cobbs e Lex Hilliard terão que ajudar bastante Ronnie Brown nessa tarefa. Se estes juntos correrem para 1000jds, Brown pode correr menos ( na casa das 1400jds ) e mesmo assim sonharmos com a Pós-Temporada.
  • Chad Pennington passar para 2500jds ao menos. Aqui é muito, mas muito díficil de acontecer. Afinal como fazer isso sem WRs TOPs? E os TEs não podem ser os únicos alvos, ou alguém ai já viu um TE com 1200jds??
  • A defesa limitar os adversários na casa do 15 pontos por partida. Esse é um patamar TOP e por isso é quase impossível de acontecer. Mas vai que acontece...

7-9 - Meio da tabela, mas sendo o segundo time da divisão.

Mais fácil de acontecer do que o primeiro cenário, mas ainda assim um trabalho duríssimo. Para acontecer, tire 300jds de Ronnie Brown, umas 500 de Pennington e aumentem em 6 os pontos cedidos por jogo pela defesa.

5-11 - Terceiro time da divisão, mas uma campanha decente.

Mais realista e alegre do que a de 2007. Neste caso sofreremos com o jogo aéreo - pelos vários problemas já citados - e o jogo corrido ficaria limitado a menos de 2000 no total. A defesa não consegueria parar os "grandes" ataques e apenas consegueria destaque contra os ataque médios e ruins. E Pennington sofrerá com a falta de alvos de qualidade. Mas vencer 5 jogos após vencer apenas isso em 32 jogos já será um avanço e tanto...

4-11 ou menos - Mais uma temporada de sofrimentos e humilhações

Não preciso dizer que neste cenário nada dará certo. A defesa será fraquíssima, o ataque inoperante e torceremos desde a 3 semana para que a temporada acabe. Mesmo neste cenário, acho que dê pra fazer 2-14. Outro 1-15 eu não aguento...

Prévia do Depth Chart - 53 Felizardos...

Prévia para os 53 Felizardos que irão jogar o Super Bowl XLIII, em Dallas no Texas =]]. Clique na foto e leia...

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Batalha dos Quarterbacks - A Saga continua...

Chad Henne e Chad Pennington, respectivamente Backup e Starter do Miami Dolphins. E eles tem toda cara de dupla Counrty, afinal nome...

Antes de mais, quero pedir desculpas pelos poucos posts, é que às aulas no Curso de História na FACHUSC recomeçaram e bicho tá pegando.

Falando sobre o Miami temos uma boa notícia, uma mais ou menos e uma que eu nem sei qualificar. Vamos a elas:

  • Como era de esperar, Chad Pennington é o Starter do Miami. E nem poderia ser diferente mesmo, e ele chega para ser a cara do time. Boa sorte para ele ( e tenham certeza, ele vai precisar de muita ). Esta é a boa notícia. No teino de hoje ele fez 7/21 com duas INT. Algo até aceitável já que ele já estava aclimatado á um Playbook e agora está apredendo outro;

  • A mais ou menos é que Chad Henne é o backup, praticamente garantido, de Chad-P. Isso é mais ou menos por quê, Flávio? Porque significa que Beck é o terceiro QB no elenco. Mas em todo caso mostra como é bom saber draftar: um rookie jogando mais que o "experiente" que tinha vindo para ser backup e do que o que seria "melhor que Brady Quinn". No treino hoje, ele fez 7/15, sem TDs, sem sacks e sem fumbles. Parece que vai longe esse "tosco" QB de Michigan...

  • E a que eu não sei como qualificar é: o Miami irá cortar um QB, talvez até dois. Se for só um, deve ser o McCown - baseado no Potencial do Beck. Se forem dois, Beck vai junto. Por isso não sei como dizer o que exatamente é essa notícia. Ao menos é preocupante... No treino Beck foi o melhor dos quatro QBs. Nada espetacular, mas foi o único a passar para TD ( 8/19 ). Já McCown fez 4/12 com um sack. Mas a dupla de "patinhos feios" não passou para interceptações...
Sei que tenho má vontade com o Beck, por vários motivos: pelo que ele simboliza, pela frase infeliz do Cameron, pelo fato de ele não ter mostrado nada ano passado... mas daí a ele ser cortado, é triste.
Triste porque o Miami terá feito tudo errado no draft de 2007: pegou um WR que não era necessário, deixou passar um bom prospecto que era a maior necessidade do time e me drafta um QB "velho" no segundo round pra cortá-lo antes da temporada seguinte. Mesmo que ele não seja cortado, só o fato de ficar atrás do Henne já ruim demais..
PS: Clique na Imagem dos "Chads" para ler a matéria sobre a situação dos QBs do Miami. Em inglês...

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Depth Chart - Versão 2.0

Foi divulgada hoje uma segunda versão do Depth Chart ( elenco ) do Miami para 2008. Isso não é oficial, é de um Blog de um repórter que cobre o dia-a-dia do Dolphins. Portanto, tem alguma credibilidade:

Ataque:

WR 1: Ted Ginn, Ernest Wilford, David Kircus, Jayson Foster, Anthony Armstrong
LT: Jake Long, Ikechuku Ndukwe
LG: Justin Smiley, Shawn Murphy
C: Samson Satele, Steve McKinney, Matt Spanos
RG: Donald Thomas, Trey Darilek, Mike Byrne
RT: Vernon Carey, Daren Heerspink
TE: Anthony Fasano, David Martin, Sean Ryan, Justin Peelle, Matthew Mulligan
WR 2: Derek Hagan, Greg Camarillo, Davone Bess, John Dunlap, Selwyn Lymon.
QB: Chad Pennington, Josh McCown, John Beck, Chad Henne
FB: Regan Mauia, Boomer Grigsby
RB: Ronnie Brown, Ricky Williams, Patrick Cobbs, Jalen Parmele, Lex Hilliard

Poucas surpresas com relação à versão anterior. E a que teve todos sabem: Pennington é Starter ( graças a DEUS ) e Thomas o RG Titular. No mais, tudo dentro da nomalidade.

Defesa:

LE: Matt Roth, Randy Starks, Kendall Langford, Rodrique Wright
NT: Jason Ferguson, Paul Soliai, Anthony Toribio
RE: Vonnie Holliday, Phillip Merling, Lionel Dotson
SLB: Joey Porter, Rob Ninkovich, Junior Glymph, Titus Brown
ILB 1: Channing Crowder, Kelvin Smith, Kelly Poppinga
ILB 2: Akin Ayodele, Reggie Torbor, Edmond Miles
WLB: Charlie Anderson, Quentin Moses, Keith Saunders
LCB: Will Allen, Joey Thomas, Chris Roberson
RCB: Andre Goodman, Travis Daniels, Nathan Jones, Will Billingsley
FS: Jason Allen, Chris Crocker, Renaldo Hill
SS: Yeremiah Bell, Keith Davis, Courtney Bryan

Aqui também poucas, e sutis, foram as mudanças. Uma importante foi que Travis Daniels aparece na frente de Nathan Jones. A outra é que Chris Crocker "tomou" a posição de FS 2 de Renaldo Hill. No entanto nada que vá fazer o Miami jogar mais ou menos...

Especialistas

P: Brandon Fields
K: Jay Feely, Dan Carpenter
KO: Jay Feely, Dan Carpenter
H: Brandon Fields
KOR: Ted Ginn, Jayson Foster, Davone Bess
PR: Ted Ginn, Jayson Foster, Davone Bess
LS: John Denney

Como ele divulgou a prévia ontem, Jay Feely dispensado hoje ainda aparece...

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Perfil: John Beck

O mais contestado QB rookie da história do Miami. Assim eu poderia resumir o QB John Beck. Mas não é o que eu farei. Ele não merece isso, quando alguém faz o perfil dele mesmo que seja o que eu penso sobre.


John Beck veio de uma Universidade considerada por muitos pequena ( BYU ) e que não enfrenta grandes adversários, mas que em contra-partida não tem grandes talentos. Daí ele ter chamado a atenção de vários Técnicos, entre ele o Cam Cameron, e analistas da NFL pelo seu excelente desempenho como Sênior em 2006: 3885 jardas, 32 TDs, 8 INT e rating de 169.06. E foi com essa "credencial" que ele foi para o Draft, sem que quase ninguém o desse como first round pick.

E foi o que aconteceu, ao final da primeira rodada, onde o "queridinho" Brad Quinn foi deixado de lado por mais da metade das franquias da Liga e sendo escolhido apenas na 22ª posição pelo Cleveland Browns. Mas o que exatementel, a história de Beck tem a ver com a de Quinn?? Tudo, já que 90% da torcida do Miami queria Brad Quinn no time, eu incluso. E na 9ª escolha Quinn estava disponível, só que Cam Cameron o esnobou para draftar o Ted Ginn Jr, e bom, deste vocês já sabem a história de cor e salteado. Ao frustar a "carente" torcida do Miami no First Round, Cameron criou um problema para qualquer QB que fosse draftado na sequência, e aqui começa o problema de Beck.

Ao ser escolhido na 9ª escolha do sgundo round, Beck já teria problemas, pois sempre ouviria: "esse não é o QB que queremos. Quem era pra estar aqui era o Quinn". Isso já bastaria para comprometer ou ao menos dificultar uma adaptação de um QB "jovem" - para quem não sabe Beck tinha 26 anos quando começou a temporada de 2007. Mas o pior ainda estava por vir. Ao apresentar e justificar a escolha de John Beck, Cam Cameron ( a besta mor do GDBAT ) disse a já folclórica frase: "ele é melhor do que Brad Quinn". Ai a vida de John Beck no Miami foi para o brejo. Some-se o fato de chegar em um time que quer voltar a vencer o quanto antes, e que não tem um ataque exatamente primoroso, e o palco está montado. Mas até isso poderia ser melhor, já que Cam Cameron era o Coordenador Ofensivo do Chargers, que tem em Ladanian Tomlison o seu ponto forte e que o QB Phillip Rivers é apenas mediano. Era o que todos esperavam, mas...

O time tinha Dante Cullpepper, mas o cortou antes das TCs. Para o seu lugar trouxeram o mais veterano ainda Trent Green, para que este pudesse comandar o time enquanto o "talentoso" Beck se preparasse. E um detalhe tem que ser dito: uma das maiores qualidades de Beck seria justamente o de ser o mais preparado para jogar na NFL. É muita pressão para um "jovem" de 26? Até aqui parecer ser...

Green começou a temporada, e o time só perdia. Mas eram derrotas apertadas, exceto para o Cowboys de Tony Romo, e o time parecia ter algo para mostrar. Eu mesmo disse na terceira partida que a temporada estava perdida. Só que Green se machuca tentando ganhar algumas jardas correndo e o bicho pega. O Rookie passa a ser o reserva e o "Limão" o Starter. E mais derrotas, e jogos perdidos por falta de QB. Até que Cam Cameron é resolve arriscar, afinal se Beck era o QB mais preparado para a NFL, ele poderia melhorar aquele time. Poderia.
Em cinco jogos como Starter o time perdeu o cinco. Aqui é preciso dizer em sua defesa que:
  • Ronnie Brown estava machucado. Antes da contusão ele era o 5° em jardas corridas na Liga;
  • Ao ver o barco afundar, o principal - e único - WR do time havia pedido para ser trocado. E o time atendeu, mandando-o para o Chargers por uma escolha de segundo round. A mesmo que nos trouxe Chad Henne;
  • A OL sofria com falta de valores e contusões.

E foi assim que Beck virou Starter. Depois voltou a perder a posição para o "Limão", que ainda salvou o time do vexame contra o Ravens ( mais por ruindade do Ravens em matar o jogo do que méritos nossos ). E ele acabou sendo considerado um dos bodes expiatórios da péssima temporada de 1-15. Ao final da temporada, o dono do time resolveu agir de verdade contratando Bill Parcells para ser o Vice-Presidente de Operações. E um processo de reconstrução teve início. Mas uma coisa parecia certa: Beck seria a aposta da nova Comissão, capitaneada por Tony Sparano. Parecia...

Durante a Off-Season o time contratou Josh McCown que nunca foi nada em lugar algum e não deixou saudades em nenhum dos times por onde passou. Mas parecia barbada que ele ficasse como titular nessa briga contra um veterano péssimo. Parecia...

Ai vieram as TCs 2008, e o desempenho de Beck era altamente irregular para alguém que seria o "mais preparado" QB para a NFL. Erros e mais erros e a vaga de Starter sendo perdida dia-a-dia para McCown. Quando tudo apontava que ele seria reserva de McCown um fato novo: o nosso maior rival, o NY Jets, faz uma trade com o Packers para ter em sua fileiras Brett Favre, e dispensam Chad Pennington. E o Front Office do Miami age rápido e o contrata. Pennington é o tipo de jogador que chega para ser Starter, afinal é melhor do que todos os QB no elenco. Ao menos tem experiência maior do que todos e já comandou uma franquia e deixou fãs, e alguém deverá sentir saudades dele.

Será que a pressão ainda é grande? Será que Beck sente-se mal em Miami? Será que ele é ruim? Será que ele é um talento que se perderá por ter caído no Dolphins? Será que ele teria mais sorte em outra franquia? Só o tempo poderá responder a essas questões. A verdade é que Beck adoraria ter ido parar no Colts e/ou Pats. Lá sem pressão alguma, poderia ir longe...

domingo, 10 de agosto de 2008

Começou. E pra variar...

Clique na imagem de nosso melhor Wide Recever para ver as Estatísticas do jogo...

Com derrota. Ok, eu mesmo havia que dito que em jogos de pré-temporada o importante é como time joga, ano passado por exemplo vencemos o Jaguars e a Temporada foi como foi. Mas não gosto de ver o meu Miami perder nem em cara ou coroa no Madden ( e agora na NFL ), mas isso é irelevante - embora como não vi o jogo, nem sei se perdemos o cara ou coroa. E como não assisti - que fase, nem link pra ver o jogo teve - a partida e ainda vou ver o highlights do jogo, a análise fica totalmente prejudicada. Isso porque nos melhores momentos não aparecem aqueles passes horríveis, rotas totalmente desastrosas, snaps mau feitos, etc. Mas vamos ao que pode ser feito sem ter visto um jogo:
  • O time só andou de verdade quando Chad Henne entrou em campo. E com dois belos passes para David Kircuso ele pôs o time me ponto para chutar um Field Goal.
  • A participação de Beck foi tão impactante que ele nem aparece no vídeo. E eu ainda tenho que acreditar nele? Detalhe: todos os QBs acertaram 5 passes. Só que apenas um conseguiu colocar o time posição de marcar, Henne. E apenas um cometeu um fumble. Quem?? Tentem adivinhar...
  • Rocky Williams mostrou estar recuperado da contusão. Brown idem.
  • o Undrafeted WR Darell Armstrong recebeu um ótimo passe de Henne, e o time chutou outro field goal, para diminuir para 6x7. O Bucs haviam marcado no estouro do tempo no fim do segundo quarto, onde a defesa, abriu o bico. Teve até conversão de 4 down.
  • No geral um jogo dentro das expectativas. Ha, e antes que eu me esqueça, os dois FG foram batidos por Dan Carpenter. E ambos bem batidos. Te cuisa Feely...

Perder é ruim, mas é o recomeço. E após a tragédia do ano passado o time até que foi bem. Só que o Beck...

No que será que Sparano estava pensando? Não sei, mas clique na foto e veja o vídeo do partida de ontem. E não veja o Beck, pois ele não aparece nele...