terça-feira, 7 de abril de 2009

Talentos do Draft - Outside Linebacker

Na esquerda, Kaluka Maiava. Na direita, Marcus Freeman. Ambos são boas opções para o Pass-Rush do Dolphins...

E a caça continua. Hoje falarei de dois OLB, que nem é uma carência urgente ( tivemos o sétimo mais eficiente Front-Seven da Liga em 2008 ), mas é que pass-rush nunca é demais e talento em quantidade significa jogadores com menos snaps, e portanto, menos cansados e propensos a lesões. Vamos ao que esperar deles, caso um deles ( talvez até os dois, porque não?? ) venha a ser draftado:

Kaluka Maiava - Univ. South Carolina - A. 5-11,5 - P. 229 lbs - 40-Yards: 4.75s

  • Pontos fortes: Muito atlético, talvez a sua maior vantagem, rápido e ágil. Bons instintos, nada de anormal. É ativo e agressivo. É consideram bom nas coberturas e executa jogadas "duras" no Special Team.
  • Pontos Fracos: Não tem o tamanho ideal para a posição, tendo braços e mãos "pequenos" para os padrões ideiais da posição de OLB. Esteve cercado de grandes talentos na sua Universidde, e por isso é visto como um membro de grupo, não como o líder de uma defesa. Não consegue derrubar com frequência os Bloqueadores, ao contrário até. Não é visto com grandes possibilidades de desenvolvimento futuro, ou seja, está próximo do máximo de seu talento. Sua experiência e durabilidade são postas em dúvida pelos analistas. E não é muito apropriado para 3-4, caso do Miami, mas também não é visto como "perdido", pro sistema.
  • Notas: Foi MVP Defensivo do Rose Bowl em sua temporada como Sênior. Considerado ideal para jogar no Weak Side do time que o Draftar. Teve problemas no pescoço, pés, cintura, ombro e punho...
  • Projeção: O normal seria no terceiro round. Mas não seria absurdo algum na nossa pick 25 do segundo round.

Marcus Freeman - Ohio State - A: 6-0 5/8 - P: 239lbs - 40-Yards: 4.74s

  • Pontos Fortes: Excelente atleta, é rápido e ágil, bastante liso, finta bem os Bloqueadores. Faz ótima leitura do ataque e reage rapidamente às mudanças feitas pelo QB adversário. Também, assim como Maiava, joga no Special Team, sendo no entanto, muito melhor do que ele. Jogou contra os grandes OTs deste Draft e do próximo, e por isso teve seu talento exaustivamente testado. Destaca-se pela versatilidade e foi muito produtivo em seus anos no College.
  • Pontos Fracos: Sua altura é apenas "quase normal", o que no nível atual da Liga significa complicações na transição do College pra NFL. Analistas dizem que ele não consegue se desvencilhar do Bloqueadores, o que é um contraste, pois ele é elogiado por ter enfrentado os grandes OTs da NCAA. Não tem um bom trabalho de pés e se perde um pouco ao fazer blitz, precisa ganhar "massa muscular" e precisa melhorar o usa das mãos. Decaiu da temporada de Junior para a de Sênior, o que levantou questionamentos. Sua durabilidade também e posta em dúvida, embora não tenha perdido tantos jogos por contusões.
  • Fatos: É considerado um Fit para Weak Side de 4-3, embora alguns apontem que ele pode fazer o mesmo no 3-4, sendo assim, um substituto de Porter. Já fez duas cirurgias, uma em cada joelho e no seu ano de Freshman disputou só uma partida e após a de Junior fez uma pra reconstituir os ligamentos do menisco. Em 40 jogos: 264 tackles ( 21,5 for loss ) e apenas 6 sacks, número baixíssimo pra um OLB.
  • Projeção: Não deve sobrar pra nossa segunda pick no 2° round. Por isso, caso o desejemos em nosso time, teremos que usar a pick 44ª overall.

Ai está, dois prospectos de OLB pro segundo round. Amanhã, farei dos Punters. Afinal, mais uma temporada com Brandon Fields, ninguém merece...

Talentos do Draft - Free Safety

Um bom talento, que cairia como uma luva no Miami...
Outra necessidade do Miami Dolphins é suprir a ausência de um bom/seguro Free Safety. Outra vez incomodei o meu amigo Blogueiro, Rafael Nóbrega, sobre um que pudesse servir e que possa, talvez é claro, estar disponível no segundo round do Dolphins. Ele me indicou Rashad Johnson, de Alabama, os bons Crimson Tide. Vamos à análise, desta vez retirada do site www.draftcountdown.com, que eu recomendo:
  • Pontos Fortes: Boas mãos e habilidade na posição, ótimos instintos e lê bem ( e com velocidade ) o jogo parecendo até mesmo um HC dentro de campo. Também é bom na cobertura, sendo bom no um-contra-um e é razoavelmente versátil. Líder nato e com um QI acima da média. Também consegue realizar um digno trabalho nos Tackles que envolvem mais "fisíco";
  • Pontos Fracos: Não é um "atleta de elite", embora em termos de altura, peso e velocidade seja mediano em todos, isso é sim um defeito. Não consegue intimidar os adversários pela presença fisíca, o que de fato atrapalha-o, e por isso mesmo não é explosivo. É apenas esforçado contra às corridas ( ainda bem que não temos nenhum adversário de divisão com "super" RBs ). E por fim não deve "evoluir" muito na NFL, segundo o analista do site.

De um modo geral, um excelente adendo a nossa Secundária. No entanto, se o draftarmos, ele não é a solução sozinho. Precisará de desenvolvimento dos Treinadores de DBs e de ajuda. Mas que é melhor que o Jason Allen eu tenho certeza...

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Talentos do Draft - Wide Receiver

Será o Wide Receiver dos meus sonhos?? Bem melhor do que os que temos ele é... ou parece ser.

Todos os que frequentam este Blog, sabem que eu não nutro nenhum pouco de simpatia pelo "notável" Theodore Ginn Jr. Por isso, perguntei ao Rafael Nóbrega, qual viria a ser o melhor Wide Receiver Possession - o que precisamos e não de um Deep Treath ineficaz - que pudesse vir a sobrar pra nossas picks de segundo round. Segundo ele, o nome é Brian Robiskie, cujo texto abaixo foi retirado do Blog dele, o Heisman Brasil - http://heismanbrasil.wordpress.com

"Brian Robiskie Ohio State 1,90 m 95 Kg

Quem é: Brian Robiskie foi WR do Ohio State Buckeyes durante 4 anos sendo o destaque na universidade e conseguindo muitas jardas apesar do QB Freshman e do RB Chris Wells que era muito utilizado.

Pontos fortes: Robiskie tem mãos muito boas, um tipo físico muito bom. Ele é agressivo sempre lutando contra os DBs, ele tem controle do corpo e por isso consegue fazer catches difíceis, Robiskie tem um tipo físico adequado à NFL.

Pontos fracos: Robiskie não é muito veloz, mas surpreendeu no Combine tendo um 40-Yard Dash muito bom, ele também não é um bom bloqueador. Robiskie também não é brilhante em lançamentos longos.

No Combine: 40-Yard Dash: 4.51 seg.

Projeção: 2º/3º round

Comparável a: Anquan Boldin. Apesar de não muito veloz, Robiskie é inteligente, agressivo e equilibrado conseguindo boas jardas depois da recepção."

Tomara que ele sobre até a nossa pick do segundo round, a que foi conseguida com a troca do Jason Taylor. Por falar no Taylor, ele pode até assinar esta semana com o Dolphins. Tomara que isso aconteça...

UPDATE: Ele é da mesma Universidade do TGJ, a Ohio State, tendo eles jogado juntos em 2005 e em 2006, quando Robiskie era Junior e Sophomore respectivamente. Será uma dupla interessante? Se ele for draftado, saberemos.