sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Draft Prospects: Quarterbacks

Como todos sabem, não temos escolha de segundo round ( em função da vinda de B19 ) e, até segunda ordem, não iremos escolher jogador algum neste round ( para isso seria necessário rolar uma trade, no Draft talvez, assim como em 2010 ). Por isso, irei citar aqui QBs draftáveis a partir do terceiro round e suas melhores qualidades e defeitos.

Christian Ponder - Flórida State - Sênior - 102kg e 1,90m - Provável 3° Round.
Números em 2010: 12 jogos, 184/299 passes ( 61,5% ), 20 TDs e 8 Ints

Ponder é um QB seguro e que joga em uma tradicional Universidade da NCAA ( mesma onde o seu pai Davi jogou ), além de ter sido Starter por três anos, o que lhe confere uma grande experiência.
  • Pontos Fortes: Altura ideal para a posição, capacidade atlética excelente, boa mecânica de passe, passe rápido e tem bom uso do pocket, tem boa leitura da defesa, ágil e por vezes corre bem com a bola, evitando o sack;
  • Pontos Fracos: Não tem um braço forte sendo melhor em passes curtos e médios ( em outras palavras, adequado a West Coast Offense ), por vezes suas decisões são ruins ( menos do que Henne, ressalte-se ), tem que ser mais paciente e precisa melhorar sob pressão. Sua durabilidade é questionável, ele já passou por 3 cirurgias, duas delas no mesmo ano, o de Júnior.

Nathan Enderle - Idaho - Sênior - 106kg e 1,96m - Provável 4° Round.
Números em 2010: 13 jogos, 271/478 ( 56,7% ), 22 TDs e 16 Ints.

Quarterback de uma Universidade que não faz parte da elite da NCAA, mas que obteve um bom destaque em sua carreira. Não teve um 2010 tão bom quanto o anterior ( uma péssima relação TD/Int ).
  • Pontos Fortes: consegue achar bem os WRs, tem uma leitura razoável das defesas, tem um razoável senso dentro do pocket, passa correndo tanto para a esquerda ou direita.
  • Pontos Fracos: lança muitas bolas baixas, não tem uma precisão alta, força do braço é apenas média,


Colin Kaepernick - Nevada - Sênior - 102Kg e 2,00m - Provável 4° ou 5° Round.
Números em 2010: 13 jogos, 213/326 passes ( 65,3% ), 20TDs e 7 Ints.

Um Cam Newton menos famoso? Talvez seja essa a melhor definição para Kaepernick. Quebrou diversos recordes na NCAA ( como o de jardas passadas e corridas totais e por temporadas consecutivas ), mas não parece ter o estilo pra dar certo na NFL. Até isso, acreditem, pode ser um diferencial quanto a Newton: seu custo seria bem menor.

  • Pontos Fortes: Excelente altura ( parece o Big Ben, na altura ao menos ) e massa muscular, excelente capacidade atlética, agilidade e velocidade altas também e possui um fortíssimo braço podendo fazer qualquer lance na NFL o que aliado a sua facilidade de correr, uma arma ( que se bem desenvolvida, tornar-se interessante.
  • Pontos Fracos: Seu jogo de pernas é frágil pra NFL, tem leituras erradas de rotas, descarta facilmente o passe e sai correndo ( e sabemos que na NFL as defesas são bem "barra-pesada" ), sua precisão é apenas na média e ( parece alguém que conhecemos ) toma decisões erradas comumente.

Greg McElroy - Alabama - Sênior - 102kg e 1,90m - Provável 6° ou 7° Round.
Números em 2010: 13 jogos, 222/313 passes ( 70,9% ), 20 Tds e 5 Ints


Greg é um QB muito cru, mesmo que tenha sido Starter por dois anos em Alabama, e teve certo sucesso, mas o ataque de sua Universidade é muito diferente do que é usado na NFL, e muitos QBs se perdem nesta transição. Pode ser bem o caso dele, sendo portanto, necessário tempo e um ótimo apoio para que dê certo na NFL.
  • Pontos Fortes: Alto, inteligente, atua bem contra a pressão da defesa, resistência é um ponto alto e é um vencedor ( perdeu apenas 3 jogos como titular desde a oitava série!! ), tendo levado Alabama a final da NCAA em 2009, feito histórico.
  • Pontos Fracos: Falta-lhe força no braço ( o que deixa o ataque previsível e sem profundidade - um Chad Pennington da vida ), não é muito atlético e sua mobilidade é um problema sério ( e não é uma ameaça correndo ), sua mecânica passe ao sair do pocket ( em movimento ) é débil,

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Dois Toques: Podemos sonhar em ter Nmandi Asomugha?

Seria espetacular poder contar com um dos 3 melhores CBs da NFL em Miami. Mas quanto disto é apenas sonho e quanto pode ser dito como realidade? Leia a coluna...

Primeiramente, quero parabenizar os cabeça-de-queijo do Green Bay Packers pela conquista do Super Bowl 45, em cima do Steelers, que assim não abrem mais distância no lugar que de direito é nosso.

Falando sobre o tema da Coluna, a questão é a seguinte: Loucura ou uma realidade mais próxima do que parece? Bom, é um tanto complexo falar na chegada de qualquer jogador neste momento, pois nem temos um CBA ( acordo entre Donos de Times e a Associação de Jogadores ). E se não tivermos um, nem sequer a Free Agency Period será aberta e por tabela, nenhum time poderá contratar qualquer jogador ( e nem re-assinar os seus, caso de Paul Soliai )

Feito este preâmbulo, vamos ao que pode ser considerado sonho ou realidade:
  • Onde está atualmente: Oakland Raiders. O primeiro time da Baia de São Francisco a vencer um Super Bowl ( é, não foram os Niners não ), vem há anos patinando na NFL. Desde que foi ao Super Bowl diante do Tampa Bay Buccanners, o time virou meio que a piada da NFL. Acreditem, os Raiders conseguem ser piores do que nós. Não cito times como Browns, Texans e Bills porque estes nunca venceram um Super Bowl. Sendo assim, o que Aso ( como é mais conhecido ) ficaria fazendo no time de Al Davis ( por mim carinhosamente chamado de All-Crazys)? Em um mundo ideal, nada. Mas grana é o que importa muitas vezes e com D-Mac parecendo que vai produzir bem na carreira e com reforços, quem sabe ele resolve ficar por lá. Chances disso acontecer? Eu diria que na casa dos 20% e olhe lá.
  • Porque viria para o Miami? Pergunta meio complexa de se responder. Sair do Raiders e ir pro Miami poderia soar como sair do City e ir pra Lazio, ou sair do Leverkusen e ir pra Sampdoria. Então porque trocar 6 por meia dúzia? Primeiro nossa defesa é melhor do que a do Raiders, mas por outro lado, nosso ataque é pior, mas nem tanto. Segundo porquê nosso dono, Stephen Ross já admitiu que ter uma postura agressiva na contratação de jogadores. Terceiro porque dizem que ele se encontrou com Aso na viagem que fez a San Francisco quando esteve atrás de um Coach, que acabou fechando com o Niners, Harbaugh. Quarto porque nosso time precisa apenas e tão somente corrigir dois problemas no ataque: QB e Jogo corrido. Se isso for corrigido, o time ficaria melhor que o Raiders. E é o que todos queremos. E além disso tudo, nosso Coordenador de Defesa, Mike Nolan é um chamariz e tanto.
  • Temos Cap para isso? Primeiro saibam que a NFL atualmente não dispõe de Salary Cap ou Teto Salarial, como queiram chamar. Mas é pouco provável que fiquemos sem teto. E quanto seria o Cap atual? Estimativas apontam na direção de 133 ou 135 milhões de dólares. E o Miami tem atualmente 103,1 milhões comprometidos com seus jogadores atuais. Sobrariam portanto mais de 30milhões para gastar. Mas não temos apenas Aso na lista: precisaremos de um QB ou um RB no FA ( ou até os dois ). Mas os 30 milhões, pra quem não sabe, não são pagos em um ano. Se o contrato de Aso for de 60mi por 4 anos, equivale dizer que iremos comprometer 15mi em cada ano de contrato. E sobraria para assinar com outros FAs e com os Rookies.
  • A que nível iria nossa defesa? Com o front-seven formidável que temos ( em vias de se tornar um dos 5 melhores da NFL ) e Aso a anular o melhor WR adversário, teremos o bom Vontae Davis, que melhora a cada ano, sendo responsável por marcar o segundo e terceiro WR rival. E ele já está fazendo um trabalho pra lá de decente até aqui. Nossa defesa mudaria de nível substancialmente e os QBs/OCs adversários teriam bem mais problemas para marcar pontos. E a defesa já foi o ponto alto ( talvez único ) da temporada 2010. Eu arriscaria dizer que só com a presença de Aso em Miami, o time venceria, este ano, mais umas 3 partidas. E portanto, teria ido a post-season. Preciso dizer algo mais? A saber, as partidas seriam contra Jets, Steelers e uma das três terríves que tivemos ( Lions, Browns e Bills )
  • De 1 a 10, qual a chance de termos ele em Miami? Eu diria que, por enquanto, 4.