sábado, 10 de setembro de 2011

Quem escolhe melhor em Drafts na AFC Leste?

 
Acreditem se quiser, mas este posto na AFC Beast ( trocadilho com o nome a dificuldade da divisão ), pertence a nós. Duvida? Leia a matéria.

Analisando os últimos 4 Drafts realizados pelos times da nossa divisão, chega-se a uma conclusão incrível: é o Dolphins quem tem mais Starters vindo do Drafts e também o que mais aproveitou suas escolhas. A matéria é baseada em uma que foi postada no Blog dos Dolphins nos EUA, o The Phinsider. Faço, como diversas vezes aqui, uma versão minha, mas que leva em conta os dados apontados/levantados pelo autor do Blog. É mais do que simplesmente traduzir, para deixar mais claro. Vamos ao que os números mostram ( e se quiser ler a matéria - em inglês, clique na foto do melhor jogador do Miami, no dia do seu draft em 2008 ). As legendas são: S para Starter, R para reserva e C para cortado. Para os cortados ainda irá aparecer o ano do corte.

  • New England Patriots - Picks: 40. Jogadores no elenco: 23. Starters: 8.
  • Buffalo Bills: Picks: 36 Jogadores no elenco: 22. Starters: 7.
  • New York Jets: Picks: 19 picks. Jogadores no elenco: 12. Starters: 5
  • Miami Dolphins: Picks: 32. Jogadores no elenco: 21. Starters: 10
Os dados acima precisam passar, primeiro, por uma análise criteriosa que é o modo como o Front Office de cada time trabalha. O Jets teve menos picks porque usou as que tinha para subir no Draft ( como em 2009 quando draftaram Mark Sanchez, subindo mais de 15 posições para isso ) ou adquirindo jogadores de talento ao custo, claro, de picks. Já o Patriots teve mais picks porque é costume de Bill Belichik descer no draft, acumulando picks em segundo e terceiro rounds. A termos de comparação pro ano que vem ele terá duas picks em cada um dos quatro primeiros rounds. E o Bills... bom o Bills é um time sem resultados recentes e que, mesmo tendo ficado sempre no Top Ten ( ou bem próximo ) fez escolhas questionáveis.
Feito este preâmbulo, vamos ao que de fato interessa:
  1. Na sequência analisada, o Patriots vinha da temporada 17-1, portanto era um time "pronto". Dolphins vinha do 1-15, portanto teve que mudar quase tudo. Jets não tinha QB e era time meio que perdido no limbo. E o Bills... bom o é o Bills, né?
  2. Os números incluem os jogadores que estejam na Pratice Squad. Afinal estes foram escolhidos em Draft e ainda estão no time, podendo vir a serem usados no futuro. Duvida? Lex Hilliard, que será nosso RB 2 amanhã, ficou por dois anos no PS.
  3. Como citado no item 1, tinhamos situações distintas entre os times. Mas é curioso ver que o Pats tenha mais jogadores mantidos no elenco do que todos os outros e que só perca em quantidade de Starters pro Miami. Isso mostra duas coisas sobre o New England: que tinha em 2007 um elenco envelhecido e que soube se renovar. Inclusive ganhando picks com isso, ao ceder via trade jogadores experientes. Já o caso do Jets é tenso: apenas 5 starter vindo do Draft?
  4. Proporcionalmente o Dolphins tem vantagem nos jogadores no elenco ( 65%, contra 63% do Jets, 61% do Bills e impressionantes 57,5% do Pats ) e também nos Starters com 31% ( contra 27,5% do Jets, 20% do Pats e 19% do Bills.
  5. Miami poderia ter mais, se não tivesse errado tão feio em 2009 com Pat White e tivesse trazido um Starter. Mas o Jets errou com Vernon Golsthon, o Pats Darius Butler e o Bills... com tantos nomes que não caberiam neste post, mas irei citar só um: Aaron Maybin.
Mas porquê de 2008 até 2011? Porque é justamtente o período da atual administração. Claro que se o período incluisse 2007 o Miami não teria estes números e todos sabem o porquê. E se formos fazer uma análise de um espaço de tempo maior, uma década então seria covardia. Mas o pior pra mim é ver que mesmo com tantos acertos, ainda não temos o melhor time da divisão. Que ainda estamos atrás do Jets, que tem uma atuação fortíssima na Free Agent Period e que conseguiu, assim, montar o ótimo time que eles atualmente possuem. E o Bills... bom o Bills é o Bills e isso basta, né?
Manter a mão nos próximos Drafts é o caminha natural. E manter os jogadores do Draft de 2008, que a partir do ano que vem vão começar a ficar sem contrato. Caso de Chad Henne e Kendall Langford.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

5 pontos para o sucesso em 2011

A Temporada 2011 começa logo mais com o confronto entre os dois últimos campeões do Super Bowl: Green Bay Packers e New Orleans Saints. E como será a nossa? Dependerá de 5 fatores que listo abaixo

Aproveitando gancho da matéria do Sun-Sentinel.com (  ) vou comentar sobre os 5 pontos relacionados por Dave Hyde, naquele estilo já conhecido aqui onde eu trago pro bom português o assunto, dando o crédito merecido por isso.
  1. A defesa ser Top Ten em forçar Turnovers - De nada vai adiantar a Defesa ter ótimos números ( jardas cedidas corridas e passadas, pontos cedidos ) se não forçarmos os erros dos rivais. Em 2010 fomos a 30ª defesa nesse quesito. Conseguir interceptações e recuperar os fumbles, pois até forçamos os fumbles, mas não conseguimos recuperá-los. Isso sem falar das interceptações perdidas que passaram no meio das mãos de nossos DBs. Se obtivermos sucesso nesse quesito, o ataque terá que conseguir menos jardas para marcar pontos. E como não temos um ataque eficiente;
  2. Chad Henne jogar bem no terceiro quarto - Todos sabem que Henne teve 19 interceptações em 2010, certo? Pois bem, 14 delas foram no terceiro quarto. Foi onde perdemos jogos e deixamos de ir para a post-season. Henne precisa jogar mais, isso todos sabemos. Temos um novo Coordenador de Ataque, novos corredores e mais alvos para ele. As opções estão lá, se ele vai jogar melhor é outra coisa e temos que esperar. Se ele jogar, será ótimo. E passamos a ter mais chances de vencer na temporada;
  3. Reggie Bush jogar as 16 partidas - Nosso novo Starter não joga uma temporada inteira desde 2006 e ano passado só participou de 8. Além de ter sido usado seletivamente em New Orleans. Em Miami ele terá que assumir um papel mais determinante, ocupando o posto que era de Ronnie Brown, e sem ter um Ricky Williams para lhe auxiliar. Um dado mostra que o próprio Bush sabe da responsabilidade: ontem todos já estavam nos vestiários após o treino e ele estava em campo realizando sprints. Que dê certo, pois dependeremos muito disso;
  4. Mark Colombo não poderá ceder mais do que 4 sacks - Aqui é um problema e tanto. Colombo cedeu 2 sacks em 14 jogadas de passe nesta pré-temporada. Ano passado ele cedeu 7 sacks na Linha do Dallas. Algo muito ruim, sem dúvida. Coach Sparano bota fé nele. Mas a linha - e justamente do lado dele - sofreu alterações pontuais: temos um novo Center, Carey que era o RT agora é o RG. Leva tempo para ganhar entrosamento, mas tempo é uma coisa que nós não temos agora. E segunda a noite tem só Vicent Wilfork e Albert Haynesworth. Problemão;
  5. Conseguir mais do que 6 Touchdowns para mais de 20 jardas. Ano passado só o Saint Louis Rams foi pior do que a gente. E este ano eles terão um OC que é expert em fazer os ataques voarem ( Josh McDaniels ). Esperamos que nossa defesa jogue bem, mas vencer 10 jogos sem sequer ter ajuda do ataque, é impossível, correto? Espero que Brian Daboll possa resolver estes problemas e nos fazer andar em campo. Tomara;
São esses os cinco pontos cruciais para uma temporada vitoriosa. Claro que existem outros, mas são menos importantes do que estes. Se Henne for bem, os WRs irão bem também. 

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Miami estaria interessado em David Garrard?

Pois é amigos. Caiu como uma bomba na Flórida o corte de David Garrard do Jacksonville Jaguars. E sabem que será o Starter por lá? Luke McCow. Isso mesmo que você leu. Fontes dos jornais de Miami dão conta de que o nosso Front Office estaria tentando a contratação e até agora isso não foi desmentido. Aguardemos por novas notícias. Se rolar, chega para ser Starter. Não no MNF pois chegaria muito em cima, mas na segunda partida não.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Dolphins assina com dois jogadores

Como tinha falado anteriormente, o Miami fez movimentações hoje em seu roster para a temporada regular. Chegaram dois e, claro, sairam dois. Vamos a quem chegou para as saídas de A.J Edds ( dispensado que pode aparecer no elenco de apoio ) e Joe Berger, que teve seu contrato encerrado:


Dante Rosario, Tight End. Escolhido em 2007 pelo Carolina Panthers, Rosario nunca chegou a empolgar em suas quatro temporadas com os panteras. Foi cortado ano passado e estava tentando nova vida no Colorado. Não conseguiu agradar ao seu ex-treinador ( Fox ) e acabou cortado de novo. É um adendo interessante e pode ser útil. Não esperem que ele coloque Anthony Fasano no banco, mas ele será melhor do que todos os outros TEs que tentaram isso nos últimos 3 anos.


Ryan Cook, OG/C. Jogador que fez parte da OL que levou Adrian Petterson a ser o que é hoje. Contusões o fizeram ser cortado. Chega para ser um upside com relação a Joe Berger. Se o for, já teremos saído no lucro. E grande.

Sobre quem sai, pouco a se dizer. Eu esperava mais de Edds, parecia promissor mas a contusão do ano passado parece ter sido determinante pro seu corte. Deverá, se escapar do Waiver, ir pro Pratice Squad. De Joe Berger, acho que ninguém sentirá falta mesmo...

domingo, 4 de setembro de 2011

Miami Dolphins anuncia os jogadores do Pratice Squad

Pat Devlin foi cortado ontem, mas acho já reapareceu no Pratice Squad. Assim como outros 6...
 
Miami anunciou hoje 7 dos 8 jogadores que farão parte do Pratice Squad. Fica portanto faltando uma vaga. Mas porque o Miami fez isso? Estão em negociação com outros jogadores cortados em outras equipes e irão descer algum jogador que atualemente está na lista dos 53. Apostas maiores para Frank Kearse e Nate Ness. Abaixo a lista completa dos jogadores listados ( e a posição ) no Pratice Squad:

QB Pat Devlin
RB Nic Grigsby
OT D.J. Jones
OG Garrett Chisolm
TE Brett Brackett
WR Julius Pruitt
CB Vincent Agnew

Salta-me aos olhos um detalhe: são 6 jogadores de ataque, um para cada posição exceto Center. Será um sinal de que não confiam tanto assim nos que ficaram como Backups?

53 Man Roster Season 2011

Temos nossos 53 eleitos. Alguma mudança ainda deve acontecer, mas não esperam por algo substancial.

Sábado era um dos dias mais importantes da temporada. Onde o Front Office teria que tomar decisões complicadas e escolher entre 80 jogadores ( alguns bem perebas é verdade, mas outros com cara de titulares ) quem seriam os 27 cortados. E chegamos a lista no post anterior a  este. Aqui irei falar apenas dos que foram selecionados. Em outro falarei mais a fundo dos cortados que merecem citação. Vamos aos 53 homens que esperamos ver na post-season, ao menos é claro:
  • Quarterbacks: Chad Henne e Matt Moore - Surpreende por serem apenas 2, pois nos últimos tempos o Miami o tem ficado com 3 QBs no elenco. Mas nem sempre foi assim, até 1999 o Dolphins só tinha 2. Alguém se arrisca dizer porquê ? Aqui já sabemos que é Henne starter e Moore de backup. Acho que já estou com saudades do Thigpen de backup;
  • Runningbacks: Reggie Bush, Daniel Thomas e Lex Hilliard - Dentro do previsto. Bush é ( arghhh!!! ) o Starter, Thomas deverá se soltar um pouco mais na temporada e Hilliard é o pau-pra-toda-obra. De fato não existia nada melhor do que ficou no elenco;
  • Fullback: Charles Clay. Não gostei do corte do Mister Quarta descida, Lousaka Polite. E sinceramente não acho que o Clay seja melhor opção a ele. Clay também pode ser usado como TE, embora não saiba bloquear. O que também é, que coisa, predicado báscio para FB. E Polite sabia bloquear;
  • Wide Receivers: Brandon Marshall, Davone Bess, Brian Hartline, Marlon Moore, Robert Wallace e Clyde Gates ( ex-Edmond ) - Quando passa uma temporada e apenas um jogador muda no setor, temos duas opções: solidez ou falta de qualidade nas escolhas de draft. No caso do Dolphins, graças a Deus, é a primeira opção. A única mudança trouxe justamente o que faltava no elenco: Velocidade. No mais é um grupo bem eclético e que dá a Henne opções necessárias para ele fazer um trabalho decente;
  • Tight Ends: Anthony Fasano e Jeron Mastrud - Aqui é Fasano ( pelo quarto ano ) e mais alguém. Sem mais;
  • Offensive Tackles: Jake Long, Mark Colombo e Nate Garner. Long é o melhor jogador do elenco do Miami ( um pouco acima de Wake e Marshall ), Colombo até agora é uma aquisição que não agrada e Garner é um reserva decente.
  • Offensive Guards: Ritchie Incognito, Veron Carey, Ray Feinga e John Jerry. Algumas fontes apontavam que Jerry poderia rodar neste sábado, mas isto - por enquanto - não aconteceu. Feinga é um reserva dentro do possível bom. Incognito e Carey são os Starters e serão os responsáveis por ( tentar ao menos ) abrir os espaços para os nossos corredores;
  • Centers: Mike Pouncey e Joe Berger. Pouncey e mais ninguém, porque o Berger é fraco pra burro.
  • Deffensive Ends: Randy Starks, Kendall Langford, Phillip Merling, Jared Odrick, Tony McDAniel e Ryan Baker. Passou-se mais uma temporada e os titulares serão, que coisa, Starks e Langford. Merling quase roda ( ainda pode ), Odrick vem para sua segunda temporara querendo mostrar a que veio. McDaniel e Baker são para fazer Depth.
  • Nose Tackles: Paul Soliai e Frank Kearse. Um dado: Soliai foi o primeiro "jogador da franquia" do Miami. Precisa mais? Kearse é melhor como Special Teammer do que como NT.
  • Outside Linebackers: Cameron Wake, Koa Misi, Jason Taylor, Ikaika Alama-Francis, Jason Trusnik e Marvin Mitchell. Wake é o melhor nome dessa defesa e para muitos candidato a DPOY. Misi vem de uma temporada melhor do que os números mostram e Jason Taylor dispensa apresentações. Alama-Francis é um bom reserva, mas os outros dois não, contribuindo apenas e tão somente no Special Team.
  • Inside Linebackers: Karlos Dansby, Kevin Burnett, E.J. Edds e Austin Spitler. É estranho não ver o nome de Channing Crowder, mas isso agora é passado. São novos tempos e são tempos de Karlos Dansby, que deu uma outra dimensão a esse setor. Os outros não são exatamente umas "brastemps" mas tem seu valor. Burnett é experiente e tem bons números, mas os outros dois são jovens e promissores. Qualidade, experiência e juventude na medida certa. Será?
  • Cornerbacks: Sean Smith, Vontae Davis, Nolan Carroll, Benny Sapp e Jimmy Wilson. A única dúvida aqui é se teriamos 5 ou 6 DBs. Optamos por ficar com 5 e estes erão, de fato, os melhores.
  • Safeties: Yeremiah Bell, Reshad Jones, Chris Clemons e Tyrone Culver. O mesmo que para os CBs, não existiam melhores do que estes.
  • Especialistas: Dan Carpenter ( K ), Brandon Fields ( P ) e John Denney ( LS ). Sem surpresa. Temos um grupo decente. Ótimo pra ser bem sincero.