terça-feira, 4 de dezembro de 2012

2012 já era. E para 2013, o que fazer?

Do ponto de vista matemático aidan temos chances de post-season, afinal se vencermos as 4 partidas restantes chegaríamos a 9-7, o que poderia resultar em Wild Card como Seed 6. Sabemos, contudo, que estamos fora do Super Bowl pela 9ª vez em 10 anos sem sequer ter a chance real de sonhar com ele ( chance real de sonhar foi super viagem, concordam? ). Mas o ponto é: estamos eliminados, e isso é uma dura ( e infelizmente rotineira ) realidade.

Mais uma reconstrução foi iniciada e ao contrário da anterior nem foi espetacular, mas esperamos que igualmente ao contrário da anterior esta consiga crescer ao invés de definhar. Por isso parto da principio de que o melhor da Era Joseph Philbin esteja por começar. Sendo assim temos a pergunta do post: o que fazer para que 2013 seja bem melhor do que 2012?

A resposta não é nada fácil, todos sabem. Mas existe um caminho básico que é detectar os maiores problemas e ter a consciência que é simplesmente impossível cobri-los em uma única off-season. O que isso quer dizer? Que o Draft deve procurar cobrir, de fato, um problema ( Secundária por exemplo ) e a Free Agency tentar diminuir o problema em outra área. Ficando duas outros problemas para 2014. Sendo assim e lendo diversas opniões, cheguei a 4 problemas do atual elenco:
    • Secundária: É o problema mais vísivel, com certeza. Mas será mesmo o maior? Um dado: é o mais visto, comentado e odiado porque a falta de qualidade resulta em grandes ganhos para equipes que possuam QBs de elite ( e isso são muitas equipes na NFL atual ), além de que até QBs meia boca conseguem fazer das suas diante no nosso setor atualmente. A vinda de um Corner Top é, portanto, crucial, pois consegueria neutralizar a principal ameaça rival. Ou ao menos, dificultar consideravelmente. E grandes QBs ficam desconfortáveis quando não podem contar com seu principal alvo;
    • Linha Ofensiva: É duro admitir mas Jake Long deve ter jogado pela última vez conosco domingo passado. Aquele que parecia ser o esteio da OL por, pelo menos, uma década, já não é mais uma unanimidade no time. Some-se a isso dois guards inoperantes e que faltam faltas idiotas uma atrás da outra e o quadro é terrível. Podemos discordar quanto a qualidade Tannehill, mas ele precisa de uma OL a protegê-lo. Da linha atual só Pouncey e Martin devem ficar para 2013. Portanto escolher um Left Tackle no primeiro round não seria absurdo algum no próximo draft;
    • Widereceivers: Não compartilho da opinião de que a simples adição de um Mike Wallace ou Dwane Bowe viriam a solucionar o problema, mas este tópico não irá tratar sobre Ryan Tannehill. Sendo assim, não estamos a apenas um WR Top para virarmos um ataque unidimensional, ou se preferirem, um ataque fodão. Primeiro porque qualquer um dos dois custaria muita grana e só viriam se acharem que o time possui condições reais de Super Bowl. Sendo assim, eu descarto a possibilidade de contratar qualquer um dos dois. Restaria então o draft, mas eu acho que devemos reforçar a OL e a Secundária, porque de nada vai adiantar Tannehill ter pra quem passar ( e eu acho que ele já tenha ) se fizer 14, 21 pontos e a defesa levar 28 ou se ele não tiver tempo para pensar ou um jogo corrido capaz de desafogar o ataque. Entenderam o ponto?;
    • Tight End: Li diversas pessoas dizendo que Fasano já era. Tem sentido e não ao mesmo tempo. Primeiro porque ele era um dos homens do antigo regime ( viera do Cowboys da mesma maneira que Parcells, Ireland e Sparano ). Mas ainda é um TE que pode ajudar bastante. Aliás Tight End é seguramente a posição mais complexa de todas na NFL porque mistura habilidades de três posições: Linha Ofensiva, Wide Receiver e FullBack. Portanto não é fácil achar um TE que bloqueie, corra e receba ao mesmo tempo. Some-se a isso o fato de que ele está passando pelo terceiro Coordenador Ofensivo e que cada um tem uma filosofia diferente e agora o esquema é totalmente diferente. Draftamos Michael Egnew este ano, mas ele ainda praticamente nem entrou em campo. Por isso achar um será extramamente complicado. Mas precisamos de um. E urgente.
Acho que está claro para todos que será impossível cobrir todos estes buracos em uma off-season apenas. Mas se chegasse um playmaker na secundária e dois bons valores pra OL, já terá valido a pena.

6 comentários:

Luiz Paulo disse...

Concordo com 98% do texto.

Unica coisa que pode e deve ser levado em conta é um WR na FA, até pq um WR com experiencia é diferente de um que é draftado e que PODE SER um talento.

e um OL tbm poderia vir na FA. um G talves

Dan Pereira disse...

WR prefiro pegar no FA tbm, agora o draft tem que ser voltado para OL e secundaria e tentar arrumar um TE ai entre o 3 e 4 round

RFIALHO disse...

FA é um negócio complicado, ainda mais pra quem ta atras de playmaker.Junte a isso que quase ninguem quer vim para o Dolphins e temos um cenario muito desfavoravel. Philbin tb já disse que prefere lapidar seus próprios talentos a pagar milhões em um veterano.

Acho que o Dolphins precisa de playmaker e ninguem fica liberando playmakers por aí. Por isso sou a favor do uso das 4 primeiras picks em WRs, CBs e TEs.

Derek Szabó disse...

Olha eu acho que pela filosofia do Philbin de lapidar seus próprios talentos, o Dolphins pode ter uma reconstrução parecida com a do Buccaneers. Muitos jogadores jovens em campo e inexperientes. E só agora que é a 3ª ou 4ª temporada do Josh Freeman que o time começou a melhorar

Flávio Vieira disse...

tudo muito bom, tudo muito bem, mas Ryan Tannehil resistirá tanto tempo no time? pq é aquela coisa, ele vai precisar evoluir, não é mesmo? se ficar em WR playmaker, ficará sempre escondido atrás disso?

E duvido que algum WR decente queira vir pro Miami. preferem receber menos em um Colts ( por causa do Luck ) do que vir pra cá...

Luiz Paulo disse...

Até concordo com vcs sobre lapidar os talentos, e se pegar WR no Draft.

A OL deveria ser reforçada no FA.

Não da pra ignorar a FA ou trazer caras meia boca.

Ou reforça a OL ou o corpo de WR na Free Agency