terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Mudar por mudar realmente é a solução?

Esse texto foi retirado do blog americano do Dolphins, o The Phinsider, o Dan postou no facebook essa matéria e eu achei interessante traduzir alguns pontos e trazer pra cá, adicionando outros pontos que considero importante.

O Miami Dolphins está 5-7 na temporada, com um HC rookie e um QB rookie, e ainda assim, alguma minoria já pede mudanças no time, como de por exemplo, tirar Ryan Tannehill do time e colocar Matt Moore como starter de novo.



Mudar por mudar. Esse é o mantra do torcedor do Dolphins. Uma jogada ruim, um drive ruim, um jogo ruim e pronto: precisamos mudar. Ou, demitir alguém (a menos que o alguém seja Jeff Ireland, aí eu concordo).

A mudança mais confusa que querem: alguma minoria de torcedores querendo tirar Ryan Tanehill do time, e voltar Matt Moore para starter. Tirar o QB que todos cobraram que o time draftasse um QB no top 10. Tirar o QB rookie que está quebrando recordes de passe da temporada de rookie do nosso grande Dan Marino (não tem comparação, mas recorde é recorde). As mesmas pessoas que torciam para se livrarem de Chad Henne no ano passado (nessa lista eu me incluo). E no ano passado, e passado...

O incompreensível é: por que mudar Tannehill seria a solução para melhorar o Miami Dolphins?

Alguns comentários de torcedores, a esse respeito: "Dê ao Tannehill um conjunto de tacos de golfe, e um carrinho de golfe e devolvam a posição de starter ao Matt Moore, por favor. E também: "Phins é uma merda. Técnico é uma merda. QB é uma merda. Sem Brandon Marshall, sem jogo corrido. Sem esperanças. Apenas aproveitando o clima... O time é dirigido por um monte de perdedores, assim como o Marlins.

Esses não são os únicos comentários, apenas os mais recentes. Mas porque uma mudança repentina apenas por mudar? O que eles pensam se repentinamente Matt Moore fosse colocado como titular? No que isso iria ajudar na evolução de Tannehill no futuro? Ou o Miami já viu que ele é um bust e deve cortá-lo? Eu não entendo.

O problema é que mais interceptações do que passes para TD? Bom, não é o Peyton Manning o rookie em Miami.
O problema é seu 72.3 de rating?  Apenas 4 pontos atrás do "todo poderoso" Andrew Luck nisso.
É sua porcentagem de acerto de passes de 57.9%? Matt Moore teve exatamente a mesma porcentagem, e está acima de Luck.
São apenas as 2,559 jardas lançadas até agora? Esse é o MELHOR número de um rookie em Miami. De todos os tempos. E é o 20º na liga.
Ou talvez seriam os 7.05 de média de jardas por tentativa. É o 19º na liga, acima de Carson Palmer, Matthew Stafford e Philip Rivers. E isso em uma WCO, onde predominam os passes curtos.

Ryan Tannehill é com certeza o nosso "franchise" QB que todos esperam, e que vai nos levar novamente ao SB? Não sei. Ninguém sabe. Mas retardar o crescimento nele na liga agora, ou até mesmo o demitir com certeza vai aumentar ainda mais a distância que estamos do troféu Vince Lombardi.

Mesmo sabendo que é só uma pequena porcentagem de torcedores que querem isso, eu não vejo sentido algum em trocar Tannehill por Moore agora.

Ou talvez, só eu é que não goste de mudar por mudar.

Quem quiser ler o post original em inglês clique aqui.

Um comentário:

Luiz Paulo disse...

É visto que em Miami QB não é o unico problema, assim que o time tiver com seus reforços e mais com a cara do Philbin dai sim poderemos ver isso!!

Se quando Philbin fizer a reformulação do jeito dele, e o time ficar melhor, Tannehill não conseguir jogar bem, ai vai ser o caso de procurar um QB.