quarta-feira, 11 de abril de 2012

Cameron Wake fará Hold Out?

Cameron Wake não participou ontem dos primeiros contatos dos jogadores com os novos treinadores, quando estes podem mostrar os planos de jogo ( ataque, defesa e especialistas ). Times que mudaram de treinador, nosso caso, começam antes. Os que mantiveram Head Coach e ao menos um dos Coordenadores principais somente poderão começar no dia 16.

E o que acontece agora? Ele entra em greve com o intuito de forçar o time a renovar o contrato. Convém lembrar que Wake é um dos 10 melhores pass-rush da Liga ( pra mim, ao menos, o quinto ). E ele teria para receber míseros 675mil ( postei os salários aqui mês passado ). É grana de jogador que nem pode ser reserva, quanto mais pro nosso melhor homem do front-seven. Acontece que se não chegarem a um acordo, perdem os dois lados: Wake porque recebe só o contrato atual ( sem bônus ) e o Miami que fica sem o atleta. Segundo analistas o agente dele ( que é bem casca grossa ) quer algo entre 10 e 14mi. 

O que está fora de questão para este ano. Mas existe espaço para acerto futuros, porque o Miami tem apenas 61mi comprometidos do seu Cap para 2013. E em 2014 é bem provável que o Cap aumente consideravelmente, por que será negociado outro contrato com as TVs. Portanto, creio eu, não seja o caso para ficarmos preocupados em excesso.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Draft Prospects - WR: Nick Toon e Marvin McNutt

Fim da série sobre Wide Receivers. E os de hoje deverão sair no fim do terceiro ou início do quarto round. E tem seus valores e podem virar Steals no Draft: Nick Toon ( Wisconsin ) e Marvin McNutt ( Iowa )

Alto, forte, boas mãos e que não foge do contato. O que mais pode-se desejar de um WR de Quarto Round?

  • Ficha: Nick Toon - 04/11/1988 - Altura: 1,91m - Peso: 99kg - Universidade: Winconsin - Classe: Sênior
  • Pontos Fortes: Grande controle do corpo, o que lhe permite mudar a direção enquanto corre. Tem bom controle das mão e as usa para pegar passes altos e fora de sua direção, além de cometer poucos dropes. Ótimo trabalho no meio do campo, sendo um recebedor resistente e que não foge do contato. Teve sua melhor temporada como Sênior ( o que destoa de seus pares citados até aqui ) Alvo confiável na End Zone. Tem tudo para ser tornar em um WR sólido na NFL, sendo um típico candidato a WR2.
  • Pontos Fracos: Apesar de Stater a 3 anos, não conseguiu uma temporada para mais de 1000jds e nunca teve uma grande atuação contra DBs da Big Ten. Seus números derivam do fato de o ataque de Wisconsin ser focado nas corridas, o que o deixou por várias vezes no um-contra-um. Perdeu alguns jogos por contusão, sendo sua durabilidade algo questionável. Não consegue separação inicial, um problema que terá que ser resolvido na NFL, mas o problema é que ele está muito perto do seu máximo potencial de desenvolvimento.
  • Notas: Filho do Hall of Famme Al Toon, ex-NY Jets. Em 2011 explodiu seus números, batendo na marca das 1000jds ( 926 ) e marcando 10 TDs ( marca excelente para a NCCA, ainda mais em uma Universidade focada nas corridas ). Teve uma excelente atuação no Rose Bowl ( 104 jardas e 1 Td ). Terceiro na história do Texugos com 2.447 jardas e 5º em número totais de Tds ( 18 ).
  • Draft: Alguns analistas o listam como jogador de segundo round ( o que acho super forçado ), enquanto que outros o descem pro quarto round ( mais sensato ). Não será na NFL um Wide Receiver principal, ficando a ele o papel de coadjuvante. Como precisamos de um líder, não parece sensato draftá-lo, não é mesmo? Mas se o quisermos, só no Quarto Round. Antes disso é roubada.
Ele foi um dos mais produtivos WR do ano passado. Vale a pena?
  • Ficha: Marvin McNutt - 04/07/1989 - Altura: 1,93m - Peso: 98kg - Universidade: Iowa - Classe: Sênior
  • Pontos Fortes: Extramente produtivo em Iowa, foi impactante nas partidas mais importantes ( como por exemplo contra Michigan e Michigan State ), qualidade que poderá ser grande valia na NFL ( o que os americanos chamam qualidade intángivel, de fazer o diferente na hora do "pega pra capar" ). Ótima altura e capacidade atlética, parece até um WR da NFL ( ainda mais com a camisa quase idêntica a do Steelers, como na foto acima ). Tem boas mãos, boa impulsão e capacidade de receber passes na vertical, tendo ótimo senso de posicionamento. Ajusta-se bem aos passes "errados" e consegue transformá-los em recepções. Consegue efetuar cortes em corrida e também boa separação dos marcadores.
  • Pontos Fracos: Não prende a bola ao corpo após a recepção, o que na NFL poderá render fumbles forçados pelos DBs. Falta-lhe explosão inicial, não tem acelaração ideal e na NFL deve ter problemas com os marcadores. Não é um bom corredor de rotas. Fez uma cirurgia na primavera passada, o que pelo visto não o atrapalhou em 2011, mas é um ponto a ser observado.
  • Notas: É o líder de Iowa para recepções totais e em uma temporada e para TDs na carreira ( 28 ) e em uma temporada. Foi eleito pro primeiro time da Big Ten em 2011. Quando foi recrutado por Iowa era QB, mas logo mudou de posição. Não é, apesar disso, um Twenner. Simplesmente parou de atuar como QB no primeiro ano na NCAA.
  • Draft: Tem problemas e qualidades e boa quantidade, mas parece ter o necessário para ser um WR1, que é o que - em tese, queremos. Contudo sua baixa capacidade de correr rotas é um empecilho grande, pois iremos usar a WCO, e correr rotas é qualidade essencial pro esquema. Deverá ser escolhido no terceiro round, talvez caindo pro quarto. Não fosse a questão de sua durabilidade deveria sair no meio do segundo round. Acho uma boa apostar nele, caso esteja disponível no quarto round. No terceiro, só se os outros citados já tiverem saído.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Draft Prospects - WR: Juron Criner e Marvin Jones

Parte III da Série sobre Wide Receivers que podem pintar em nosso time no segundou ou terceiro rounds. Hoje Juron Criner ( Arizona ) e Marvin Jones ( Califórnia ), ambos jogadores que ficaram na Universidade para o ano de Sênior:


Recebedor forte e com ótima impulsão. Seu problema? Falta-lhe aceleração após o Snap. E outras coisinhas também...
  • Ficha: Juron Criner - 12/12/1989 - Altura: 1,93m - Peso: 98kg - Arizona - Classe: Sênior
  • Pontos Fortes: Capacidade atlética natural que lhe permite defender-se bem dos defensores e é duro derrubá-lo após a recepção, onde ele consegue preciosas jardas extras. Ótima impulsão que lhe permite pegar passes mais alto do que a maioria dos WRs da NCAA. Acrobático, consegue fazer recepções dos dois lados. Tem potencial para ser um alvo terrível na End Zone e é capaz de tudo para fazer a recepção, colocando-se em risco para tanto. Não é um velocista, mas sua velocidade está distante de ser um problema, ainda por ser extramente ágil. Ttem razoével espaço pra desenvolvimento e terminou sua carreira na NCAA em alta, conseguindo 4 jogos em 6 com mais de 100jds. Faz tudo muito bem, nada espetacular, mas é de razoável pra bom em todos os fundamentos básicos para um recebedor.
  • Pontos Fracos: Sua falta de aceleração poderá ser um problema quando marcado por DBs mais velozes. É um possession receiver, portanto não espere dele grandes jogadas ( as chamadas Big Plays ). Perder alguns passes fáceis e às vezes parece desligar-se do mundo. Não é um grande corredor de rotas e pode ser mais um fruto de sistema. Tem dificuldade em conseguir separação dos marcadores e confia, às vezes, em excesso na sua impulsão para compensar essa deficiência.
  • Notas: Seu melhor ano foi o de Junior, quando conseguiu 1233jds e foi eleito pro primeiro time da Divisão e pro segundo da NCAA. Conseguiu bom destaque na carreira e não se envolveu com problemas extra-campo.
  • Draft: Aqui é meio complexo. Está virando moda na NFL os WRs velocistas. E não é o caso de Criner. Mas eu gostei do que vi dele e achei ele parecido com o Chris Chambers dos bons tempos. É provável que ele sobre pra nós no terceiro round, mas isso não é garantido. Alguns rankings o colocam como o 10°, já outros o posicionam em 6°. Eu gastaria com bom grado uma das pick de terceiro round que temos nele.
 Números abaixo da média para um Wide Receiver Sênior, pode ser a nossa solução?

  • Ficha: Marvin Lewis Jones Jr. - 12/03/1990 - Altura: 1,91m - Peso: 90kg - Califórnia - Classe: Sênior.
  • Pontos Positivos: Usa bem a sua altura para se proteger dos marcadores e não foge do contato. Tem um boa visão de jogo, atleta natural e corre bem suas rotas. Consegue realizar cortes de direção, o que aliado com sua velocidade o tornam uma ameaça em campo aberto. Mãos fortes, raramente deixa um passe cair. Consegue fazer recepções acrobáticas e teve um ótimo Bowl, o que deixou os analistas impressionados.
  • Pontos Negativos: Nunca conseguiu dominar os defensores da PAC-12 ( onde tem as melhores defesas ) e só teve 3 Tds como Sênior, jamais conseguiu uma temporada para +1000jds ( na carreira ele tem 2.270jds e 13Tds. Não tem um jogo com 100jds ou mais contra adversários que estiveram em Bowls. Ele tem bom arranque, mas não consegue manter a aceleração e os bons DBs da NFL irão suplantá-lo.
  • Notas: Conseguiu ao menos uma recepção nos últimos 38 jogos, o que mostra uma certa reluridade. Está no Top de Berkeley em quase todas as categorias.
  • Draft: É um jogador pra terceiro round. Não seria um substituto para Marshall porque tem outro estilo. Não deverá ser na NFL além de um WR2, mas para a nossa atual situação seria um upgrade. Poderá, eventualmente, cair pro quarto round. É uma jogador pronto, ou seja, sem muito espaço para maiores avanços.

domingo, 8 de abril de 2012

Draft Prospects - WR: Rueben Randle e Mohamed Sanu

Parte 2 da saga em busca de um Wide Receiver de segundo/terceiro round. Hoje teremos dois WR nem tão altos quanto os anteriores, mas porém são mais ágeis: Rueben Randle ( LSU ) e Mohamed Sanu ( Rutgers ).

Combo entre velocidade e tamanho perto do ideal. Seria ele o nosso WR1?
  • Ficha: Rueben Jacob Randle - 07/05/1991 - Altura: 1,91m - Peso: 95kg - Universidade: Lousiania State University ( LSU ) - Classe: Júnior.
  • Pontos Fortes: Sólida combinação entre velocidade e tamanho, tem todas as ferramentas para ser um WR com destaque na NFL. Ele tem um estilo limpo e às vezes parece deslizar em campo, tem ótimos instintos naturais e consegue ajustar-se para as recepções. É um receiver confiável e não perde passes fáceis e ainda faz as "impossíveis". Como atua na melhor Divisão da NCAA ( SEC ) enfrentou a elite dos defensores, o que o ajudou a moldar seu estilo. Pode contribuir nos bloqueios, não apenas na linha de scrimmage, mas em campo aberto, facilitando a vida dos corredores ou outros WRs. Para quem olhar apenas para suas estatísticas poderá ficar decepcionado, mas convém citar que LSU não tem um QB eficiente e o plano de jogo básico é correr e correr. Sendo assim, seus números - dentro do contexto - são ótimos. Tem potencial de crescimento, mas pode ser Starter desde o primeiro snap.
  • Pontos Negativos: Precisa, como qualquer WR saindo da NCAA, melhor sua corrida de rotas, mas algo pequeno. Não é bom na bola longa, mas isso pode ser melhorado. Ele precisa melhorar também em distanciar-se dos marcadores. Costuma desaparecer em certas partidas e tem 7 partidas com 3 ou menos recepções. e nos dois confrontos versus Alabama ( que foi a melhor Universidade de 2011 vencendo na final a LSU ) ele teve 31 jardas e 5 passes recebidos.
  • Notas: É o terceiro na história da SEC em média de jardas por partida ( 69,5 ). Por causa do Plano de Jogo de LSU não conseguiu grande destaque e por isso não tem premiações. Mas foi eleito pro Top Ten da SEC, ficando em 5º.
  • Draft: Randle é um WR preparado para a NFL e com um QB acima da média faria estragos. Como não temos este tal QB - e nem ele será Tanehill ou um dos citados na Série de QBs - ele poderia render como um alvo seguro em substituição a Brandon Marshall. Ele é veloz, ágil e seguro, tudo o que se espera de um, WR. Se quisermos draftá-lo ele teremos que usar a pick de segundo round. Ou fazer trade-up monstruosa a partir do terceiro round.
 Um tanque como Wide Receiver? Pois é, essa seria a melhor palavra para definir Sanu.
  • Ficha: Mohamed Sanu - 22/08/1989 - Altura: 1,88m - Peso: 99kg - Universidade: Rutgers - Classe: Júnior.
  • Pontos Fortes: Força. Essa é a melhor palavra para definir Sanu. Com quase 100 kilos, ele é capaz de, na força bruta, quebrar diversos tackles e deslocar os DBs, usando suas mãos grandes e fortes para arrancar a bola no ar ou de seus marcadores. É uma ameaça real na Red Zone. Consegue bater bem a marcação após a linha de Scrimmage. Bastante cru para a posição ( era Safety no começo da carreira ), pode atuar como Retornador de Punts.
  • Pontos Negativos: Não é uma ameaça nas bolas longas ( não conseguiu uma partida sequer com +35 jds como passe mais longo ), não é um bom corredor de rotas, não consegue mudar de rota rapidamente, o que na NFL é um problema e tanto. Sua durabilidade é um ponto a ser observado com carinho, pois em seu segundo ano ele perdeu 6 jogos por contusões e teve que fazer uma cirurgia durante a off-season seguinte.
  • Notas: Como dito mais acima, foi recrutado como Safety - tem inclusive corpo ideal para ser Free Safety - mas mudou para Receiver logo na primeira temporada. Líder da Universidade para Jardas totais e jardas em uma temporada.
  • Draft: O mais correto é que ele saia no fim do segundo round ou no começo do terceiro. Nos dois casos, talvez precisemos fazer Trade Up. A menos que tenhamos feito uma Trade Down no primeiro e usemos a pick de segundo round obtida com ela.

Top 50 Dolphins Players All-Time: N.º 44 Mike Kolen LB e N.° 43 Roy Foster OL

Por falta de tempo, apenas citarei os nomes dos números 44 ( Mike Kolen ) e 43 ( Roy Fosrter ) da Lista do Top 50 Jogadores de nossa História.

O primeiro ( Kolen ) é um LB que foi draftado em 1970 e foi parte importante da "Defesa sem nome", base do time vencedor de dois Super Bowls e do time undefeated de 72.

Já o segundo é um OL que foi draftado em 1982 e ficou conosco até 1990, até ir pro Niners e jogar até 1993. Ele foi Starter em 95 dos 132 jogos do Miami no período e era o OL mais forte do time que foi aos dois Super Bowls nos anos 80.