sexta-feira, 20 de julho de 2012

Training Camps: Posição por Posição - Wide Receiver

Eis o nossos recebedores: Davone Bess, Brian Hartline, Chad "Ochocinco"Johnson, Clyde Gates, Legedu Naannee, Marlon Moore, Robert Wallace, BJ Cunningham e Rishard Matthews. Quantidade temos, já qualidade...

Com a saída, quase de graça, de Brandon Marshall voltamos a estaca onde estavámos em 2009, antes de sua chegada, ou seja, sem uma esrela de fato. Digo sem estrela porque Ochocinco não deverá suprir a ausência de B19. A nossa melhor opção passa a ser D-Best, que vem de sua pior temporada. Não é animador nem um pouco e além disso a segunda melhor opção é B-Hart que também fez sua pior temporada em 2011. Mas também com um excelente QB como Matt Moore lançando fica mesmo praticamente impossível ir bem.

Acontece que o cenário para 2012 não é nem um pouco animador, pois além do péssimo Moore, temos como opção um Veterano decadente e um rookie contestado. Acho que Bess, Hartilne, Johnson e Nannee sejam indiscutiveis entre os 53 homens da temporada. Se ficarmos com 6 peças, restariam dois lugares para nada menos que  seis atletas. A briga será feia. Em todos os sentidos...

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Training Camps: Posição por posição - Linha Ofensiva

Os lenhadores: pouco lembrados, geralmente não são ídolos de seus torcedores, mas são fundamentais para que um ataque seja excelente. Como estamos para 2012? Eu diria que muito bem...

Desde 2008 que o Miami vem tentando ter a melhor OL da NFL. Fomos a segunda melhor em 2009, mas decaímos em 2010 e em 2011 não voltamos ao melhor patamar. Os motivos foram diversos, mas destaco dois: a contusão de Jake Long e a mudança na posição de RT, com o deslocamento de Vernon Carey pra RG.

Para 2012 de cinco posições, só existe dúvida em uma: Left Tackle, onde existe uma briga entre John Jerry - jogador escolhido no draft de 2010 - e Artis Hicks ( que veio pelo FA, do Browns ). Esta é a única briga existente nesta Training Camps na OL. Nas demais posições, sem surpresas: Jake Long é o Left Tackle, Mike Pouncey é o Center, Vernon Carey o Rigth Guard e o rookie Jonathan Martin será o novo Rigth Tackle. 

O sucesso dessa nova formação depende, basicamente, de como atuará Jake Long após a cirurgia. Não que a intervenção seja das mais complicadas e não é o caso de se temer decrescimo brusco em seu rendimento, mas em todo caso é um problema para o nosso all-pro. Claro que uma evolução de Pouncey também será bem vinda, mas é natural que ele ainda sofra e tenha alterações em seu jogo, pois esta será sua segunda temporada. Carey teve uma temporada boa e deve vir melhor, afinal mudara de posição após 7 anos sendo Tackle.

Eu tenho esperança que nossa OL possa atingir o seu potencial máximo e posicionar-se como uma das 5 melhores da Liga. Acontecendo isso, o QB Starter ( seja ele quem for ) e os RBs só terão a ganhar. E o time como um todo, é claro.    

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Training Camps Posição por posição: Tight Ends

Na ordem de qualidade: Anthony Fasano, Michael Egnew, Jeron Mastrud, Will Yeatman e Les Brown. Estes são os jogadores que tem que possuir qualidades de RB, WR e OL. Tarefa nada fácil, com certeza. Deste apenas 3 irão ficar e uma vaga é 100% certa: a de Anthony Fasano.

Entre os TEs não existe dúvidas no elenco: temos uma estrela ( Fasano ), um rookie com alguma perspectiva de crescimento ( Egnew ) e três zé ruelas ( Mastrud, Yeatman e Brown ). Não temos uma super estrela da NFL, mas tem um jogador sólido, que com certeza é Fasano. Conosco desde 2008 é um dos alvos mais confiáveis deste elenco, mesmo que eventualmente sofra com altos e baixos. Egnew chega para ser mais WR do que TE e não é upgrade algum em termos de bloqueio. Entre os outros 3 destaque para Yeatman que é melhor no bloqueio, e por isso mesmo deve acabar ficando com a vaga restante. Isso se o time ficar com 3 TEs. Ano passado foram só 2.




Training Camps: Posição por Posição - Runningbacks

Em ordem: Reggie Bush (23), Daniel Thomas (33), Steve Slaton (23), Lamar Miller (44), Marcus Thigpen (34) e Jerome Messam (35). Esses são os RBs que compõem um dos mais fortes backfields de toda a NFL. E pelo talento desses jogadores que dependerá o nosso sucesso, ou não, nesta temporada, porque se formos depender dos QBs...

No post anterior tratei da posição central de uma equipe de futebol americano, que é a de Quarterback, segundo a qual eu acho que estamos muito mal servidos. Ainda bem que com relação aos Runningbacks a opinião totalmente contrária: temos quantidade e qualidade em ótimas doses, com versatilidade e força, juventude e certa experiência. O sucesso de nossa temporada, acreditem, depende do desempenho destes homens.

Claro, e todos sabem disso, o desempenho de um RB ( ou de um grupo destes ) depende do trabalho da Linha Ofensiva, que se não for boa não há RB que consiga quebrar - sozinho - tackles atrás de tackles. Precisa que os lenhadores abram preciosos buracos na DL adversária para conseguirem levar o ataque a frente e facilitar, por fim, a vida do QB. Toda e qualquer equipe vencedora precisa de RBs fortes e que consigam aquelas jardas onde os QBs falhem ou não consigam dobrar a secundária rival.

Nosso setor tem como principal estrela Reggie Bush. Ele veio do Saints ano passado por uma inversão de pick no sexto round, uma verdadeira pechincha. Teve, diante de todos os prognósticos, a melhor temporada de sua carreira, conseguindo pela primeira vez quebrar a barreira das 1k jardas, o que é o objetivo básico de todos os RBs Starters da NFL. Além disso ele jogou a temporada quase toda e só não entrou em campo diante do Jets porque a partida - do ponto de vista de classificação - de nada valia, e os médicos optaram em poupá-lo.

A segunda força do setor é uma vaga em aberto. Na teoria existem 3 jogadores que podem conseguir tal posto: o sophomore Daniel Thomas, o rookie Lamar Miller e oriundo da CFL Jerome Messam. Daniel Thomas teve uma temporada cheia de problemas, não só pelo árduo aprendizado que é sair da NCAA ( e no caso dele sair de uma Universidade obscura - Oregon State ), como teve muitas contusões, ficando assim fora de algumas partidas. Agora ele espera ter uma temporada boa, ficando livre de contusões. Já o rookie Lamar Miller é, para mim, o melhor prospecto de RB que draftamos desde Ronnie Brown - e pra mim é melhor do que este - e ele tem tudo para conseguir ser um RB Starter já na temporada que vem. Explosivo, forte, ágil e inteligente é um jogador com espaço para crescimento dentro da NFL. Para mim inclusive tem tudo para ser o segundo no elenco. Por fim temos o MVP da CFL em 2011, Jerome Messam. Este é uma total incógnita, mas tem talento e se fizer bem a transição poderá contribuir bem demais a nossa equipe.

Fechando o setor temos dois nomes, que na verdade nem devem conseguir lugar entre os 53 que vão disputar a temporada: Steve Slaton e Marcus Tighpen. O primeiro veio de Wake Forest ( lembram de algums bust que tenhamos draftado da mesma universidade?? ) pro Texans e depois foi simplesmente cortado e não creio que tenha talento e condições de figurar na frente dos outros citados. Já o segundo é um UDFA que no máximo deve conseguir figurar na Pratice Squad.

Seis nomes e provavelmente 4 vagas. E os que forem escolhidos terão o papel fundamental de fazer o nosso ataque mover-se, pois como eu disse não poderemos depender dos QBs. Se estes RBs conseguirem - juntos - passar das 2,5k as chances de post-season serão excelentes. Marca impossível de se conseguir? Não, não é. Se ela vier, acho que teremos o que fazer em Janeiro...

domingo, 15 de julho de 2012

Trainning Camps: Posição por Posição - Quarterback

Pra quem sonhou com Peyton Manning, é pra lá de frustrante ter que se contentar com tamanha falta de qualidade...

Já está ficando distante a época em que o Dolphins sabia de antemão quem era o Quarterback que seria o Starter na temporada. Durante os últimos 13 anos, só tivemos este gosto em 2006 ( Daunte Cullpepper ), 2009 ( Chad Pennington ) e em 2010 ( Chad Henne ). Tirante a temporada 2009, em todas as outras o starter se fazia por total falta de coisa melhor.

Agora em 2012 mais uma vez iremos começar uma Trainning Camps na base da incerteza. E o trio que temos a disposição não me inspira a menor confiança: um veterano decadente e voltando de contusão na coluna ( David Garrard, ex-Jaguars ), um jogador com razoável experiência mas que nada mais é do que um back-up fraco ( Matt Moore, que fechou 2011 como starter ) e um rookie contestável e que precisará - segundo alguns - de 3 anos para poder atuar em alto nível ( Ryan Tannehill, ex-Texas A&M ). Como disse no sub-título do tópico, pra quem sonhou com Peyton Manning...

Pelo andar da carruagem, com base nos treinos realizados até aqui, o veterano será o starter com o jovem experiente como back-up e o rookie com terceiro no elenco. Ou se preferirem outra leitura: o Starter será o cara que custou nada ( veio no FA ) e isso será lucro fantástico; o back-up será o cara o que pode ser no máximo isso mesmo, ou seja, um back-up; e o terceiro será - QUE COISA - o cara que foi escolhido no TOP TEN do Draft. Realmente tudo o que se espera de um jogador que custou tanto.

Antes que desçam a porrada em mim ( pois não escondo de ninguém que detestei a escolha do Ryan ), a leitura acima é feita não pelas minhas convicções ( que incluem não gostar nada do Moore ), mas sim dos treinos realizados até aqui e com leitura dos comentários dos profissionais que cobrem o Dolphins e que por isso sabem do que estão falando\escrevendo. Isso pode mudar durante as TCs? Claro que pode, mas o que se tem bem encaminhado é que Tannehill não deverá ser o Starter. Mas como todos diziam que ele não era um QB pronto pra NFL e que precisaria de tempo e desenvolvimento adequado pra poder virar Starter um dia, isso estaria dentro do previsto. Mas ser o terceiro, atrás do Moore? Para conseguir alguém pra perder pro Moore não precisaria nem gastar pick no Draft...

Sobre o provável Starter uma coisa tem que ser dita: ele é um QB seguro, comete poucos erros e consegue ser frio na Red Zone. Mas terá 34 anos e sua durabilidade é questionável toda vida. Se algo acontecer com ele, eu preferia que o reserva fosse Tannehill para adquirir experiência para 2013. Insistir com Moore para conseguir 5 ou 6 vitórias e voltar mais uma temporada com o mesmo problema creio eu que não valha a pena. Mas também não é o caso de colocar o novato na frente do Moore se ele não mostrar a menor condição para isso.

Enfim é mais uma TC que se avizinha cheia de problemas e incertezas. Que dessa vez o desfecho seia diferente das anteriores.