sábado, 17 de novembro de 2012

40 anos do Undefeated Team - Os primeiros anos


Don Shula, na época em que chegou ao Dolphins...


Don Shula celebrando a vitória por 21x0 na AFC Championship de 1971 e vaga no Super Bowl VI, diante do Cowboys. Bateríamos na trave, mas no ano seguinte...


Com Bob Griese e George Mira ( QB reserva ), buscando alternativas para o overtime ( seriam duas nesta partida ) diante do Kansas City Chiefs, no Divisional Game de 1971, jogado no dia de Natal. Este é até hoje, o mais longo jogo na história da Liga, e vencemos por 27x24.

Quando Don Shula chegou em Miami na off-season de 1970, o Miami era uma equipe fraca, sem ida a post-season e que até ali ainda vivia sob a desconfiança dos donos de equipes, pois Joe Robbie era tudo menos um milionário. Nas quatro temporada de sua curta existência, sob o comando de George Wilson o time tinha 15-39-2,  o que nem de longe era algo decente. Joe Robbie queria um Coach jovem e vitorioso. Com esse perfil só um nome existia na NFL: Donaldo Francis "Don" Shula. E em 18 de janeiro de 1970 ele assinou contrato com o Dolphins. Tentando trazer para os dias atuais, seria como se Bill Belichik resolvesse trocar o Patriots pelo Cleveland Browns. Loucura total, disseram todos. O tempo mostraria que não. Aliás em pouco tempo, convém ressaltar.

Shula chegou dizendo que "não fazia milagres ( imagina se fizesse!! ) e nem tinha fórmulas mágicas, e que sua filosofia era trabalho, trabalho e mais trabalho". Como parte do acordo que o trouxe, ele recebeu o cargo ( que até hoje ocupa ) de Vice-Presidente, exigiu controle total na aquisição de jogadores e apenas o maior salário da liga. No Draft daquele ano fomos punidos por termos violado a regra da NFL que proíbe assédio a Head Coachs sob contrato e perdemos a pick de primeiro round. Mas no seu primeiro draft vieram nomes que todos conhecem, tais como Jim Mandich, Tom Foley e Jake Scott ( este MVP do Super Bowl VII ).

Em sua primeira temporada o Miami fez 10-4, o que era simplesmente estantoso diante do 3-10-1 de 1969!!! E pela primeira vez o Miami apareceu na post-season. Perdemos no Divional Game para o Raiders, mas isso era o que menos importava. O Mago Shula mostrava que era sim, milagreiro. O Miami iria mais longe ainda em 1971, mas isso fica pra amanhã...


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Week 11 - Dolphins 14 x 19 Bills - E não é que ficou pior...

Entre as coisas que eu achei que não teríamos problemas na temporada era com os lenhadores acima... ledo engano, nem eles estão jogando nada. Imagina os rookies...
 
Não sei nem por onde começar: se pela Secundária inexistente ( exceção justa feita a Reshad Jones que, praticamente sozinho, evitou um blow-out ontem, ao impedir 2 Tds ), falta de pressão no QB adversário ( apesar dos 3 sacks, a pressão nem se compara ao que fora no começo da temporada ), inexistência de jogo corrido ( seja por falta de ação dos RBs ou de falta de buracos abertos pela OL ), falta de proteção ou ainda a "ineficácia" do jogo de Ryan Tannehill.
 
Só sei que dura é a realidade, com a qual eu ( e creio que todos ) pensei tivesse ficado pra trás de joker team da NFL. Pois não ficou e parece que agora ficou pior. Afinal desde 2008 tinhamos varrido o Bills em 2 anos e já não conseguiremos isso este ano. E pior ainda, teremos Pats duas vezes ainda e eu tenho calafrios só de pensar no que Tom Brady e Wes Welker irão fazer com a nossa secundária(??). Sem falar que nosso ataque conseguir 1 Td nas últimas 30 posses de bola, algo simplesmente medonho.
 
Culpar quem? A raiva manda-me culpar Ryan Tannehill, rookie cru demais para ser comandante de um ataque na NFL. Aliás, chamar nossa unidade ofensiva de ataque de NFL é uma ofensa a setores como o do Texans, por exemplo. Ele não auto draftou-se. Draftaram ele e neste ponto que eu quero chegar: citei isso quando começaram os primeiros rumores de que ele seria draftado. Não estou fazendo isso agora, que está claro que - ao menos em 2012 - não deu certo. Mas a culpa neste caso não é dele, mas sim de quem o bancou. Mas isso fica para outra hora.
 
A OL está jogando(??) muito ruim. Ontem, mais uma vez, deu pena de Jake Long. Ele não é nem sombra do melhor LT da NFL, algo que foi entre 2009 e 2011. Lento e apático, ele não tem conseguido proteger nosso QB da maneira necessária. Não podemos cobrar Jonathans Martin pois este é rookie e está comentendo os erros naturais da temporada de estreia ( Tannehill também, só que se espera mais de um QB do Top Ten do que de um tackle do segundo round, certo? ). Mas talvez nosso maior problema resida nos Guards, onde Incognito e John Jerry não conseguem abrir espaço algum pro jogo corrido. Miami passou de terceiro melhor ataque corrido até a 4ª semana, para um dos 3 piores na 11ª. Lindo não?
 
Perder é dolorido e infelizmente tem virado rotina. Vencemos 4 partidas e tivemos um momento em que parecia que tinhamos virado um time de verdade, capaz de sonhar com post-season. Passadas 3 doloridas derrotas, a realidade parece-me píor do que em 2011: pois ano passado pensamos que com o Draft poderiamos resolver, de uma vez só, grande parte dos problemas do time; Pois nem resolvemos os que já existiam e agora temos outros ainda 

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Week 11 - Dolphins at Bills

Nossa ( minha é a única ) esperança de vitória passa pela atuação no nosso Defensive End Cameron Wake. Não acredito em uma atuação boa/ótima do ataque e por isso dependeremos da defesa para conseguir estancar o parco ataque do Bills. Espero que hoje a noite consigamos vencer a partida. Pois se vencermos iremos recuperar parte de nossa dignidade perdida no domingo...

O Miami lidera, com folga, a série hisórica ( 55-36-1 ) e além disso venceu 6 das últimas 8 partidas. Varrer o Bills sempre esteve nas contas para que pudessemos ter alguma chance de post-season. Chance essa que poderia virar realidade hoje, caso não tivessemos perdido duas partidas.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Fala Philbin...

Joe Philbin falou após a partida. Quer saber o que ele disse? Leia o post...
  
Leia aqui ( em inglês ) transcrição da entrevista coletiva do nosso Head Coach Joe Philbin dada ontem, em Davie, Flórida, na Sede do Miami Dolphins.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Week 10 - Titans 37 x 03 Dolphins - Vergonhoso

Eu me senti assim ontem. E você?

Devo admitir que estava esperando uma atuação(??) dessas desde o começo da temporada. Quando começamos a vencer algumas partidas, achei que não teria que fazer um post sobre uma atropelho sofrido e sim sobre algum aplicado. E de fato fiz sobre um massacre aplicado, mas agora é hora de falar de um - terrível - que levamos ontem. Antes de mais nada: o que aconteceu?

Irão aparecer as mais diversas explicações pela Net, mas eu creio que algo de muito grave aconteceu entre o vestiário do Lucas Oil e o do Sun Life de antes da partida. Alguém brigou com alguém, discutiram, brigaram ou sei lá mais o que. Mas parece-me óbvio que algo azedou no elenco. Não sei se Philbin deu uma dura daquelas na OL e os jogadores resolveram responder da pior forma, ou se a defesa cobrou desempenho do ataque ou ainda se Tannehill ( e outros ) disseram que a Secundária estava podre. Mas que algo de muito grave aconteceu é quase certo.

Só sei que esse "algo grave" resultou naquilo que vimos no Sun Life Stadium ( a terceira maior surra sofrida em casa em nossa história ). Eleger um único culpado vai adiantar para quê? Mas vamos aqueles que merecem destaque de ruindade:
  • Ritchie Incognito e suas faltas - Quem acompanha aqui a muito tempo deve se lembrar do que disse quando ele fora contratado: forte, faz bem o seu trabalho, mas tudo é perdido pelas faltas - em excesso - que comete. Ele sempre as fez, acontece que agora, como o ataque não anda, isso fica mais evidenciado;
  • Secundária mãos de alface - Eu vi ao menos duas bolas que poderiam ter virado interceptações. Ao menos duas. Tivemos 5 lances que eu vi ( e só assisti de modo mais ou menos sério até a metade do terceiro quarto ) onde o DB cometeu errou de High Scholl e não de College, ou seja erro de adolescente, não de jogador profissional;
  • Linha Ofensiva de areia - Claro e evidente que tudo passa por Jake Long, mas ele não é o único culpado. Fez uma cirurgia complicada e não se recupera assim do dia pra noite. Mas o time sabia disso, não é mesmo? Em todo caso nem conseguimos correr e nem passar. Assim é o fim da picada;
  • Ryan Tannehill - Antes que leiam quero dizer algo importante: ele não poderia virar a partida, apenas e tão somente porque não é - e creio que nunca o será - um QB com capacidade para tanto. Após este importante esclarecimento quero pautar que ele foi simplesmente sofrível. Não esperava que ele virasse a partida como disse acima, mas era de se esperar que ele ao menos conseguisse atuar mais ou menos bem, conseguindo ao menos um TD e, vá lá, uma interceptação. Mas ele consegue não lançar TD - e dessa vez nem colocar o Carpenter pra chutar FGs - e ainda me é interceptado 3 vezes!!!;
  • Recebedores - Precisamos de alguém certo? Bom, alguém viu a partida do Bears mais tarde? Pois é, este WR estava no elenco.
A derrota de ontem foi lamentável sobre todos os aspectos. Quem jogou bem? Eu diria que ninguém, pois até Brandon Fields conseguiu mandar um Punt a apenas 36jds!!! E não custa nada lembrar que ainda teremos Pats ( e o temível Tom Brady ) duas vezes pela frente ainda...

domingo, 11 de novembro de 2012

Week 10 - Titans 24 x 3 Dolphins - Sem palavras...

Um primeiro tempo pra esquecer. Não irei falar nada sobre Tannehill. Mas o time todo - todo mesmo - está jogando ruim. E pro que o time não jogou neste primeiro tempo, já falei demais...