sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Qual a maior necessidade do time para 2013?

Esse foi o primeiro huddle antes do Snap inicial do Drive da vitória...

Eu, devo admitir, tenho uma predileção especial para temas polêmicos. Talvez seja coisa de ariano, talvez seja coisa de Santista ou por fim de quem é paulista de nascimento e pernambucano de coração. O que sei é que não fujo - jamais - de temas complicados por medo de levar porrada, pelo contrário até.

A ideia da discussão - que acontecerá também no Facebook - é: qual posição é a mais carente no elenco atual? Alguns poderão, com razão diga-se, crava seco que um novo Left Tackle é coisa urgentíssima. Outros dirão que um Cornerback, outros um Widereceiver que possa ser All-Star. Acreditem eu espero que alguns até citem Runningback ou Linebackers. Só não irei ver ninguém pedindo um QB ( além de mim é claro ).

Mas antes de aprofundar a discussão é preciso pontuar algumas coisas:
  • Draft não é uma ciência exata;
  • Nem sempre a posição mais carente será aquela que o jogador disponível compatível com o valor da pick ( vide este ano );
  • Escolher na base do BPA ( Best Player Avaliable ou melhor jogador disponível ) é algo mais seguro, mas tambem dá errado às vezes. Mas isso ocorre menos do que quando você vai cegamente naquele que seja a sua maior carência;
  • Existem 7 rounds. Um tal de Tom Brady saiu no sétimo sabia?
Ainda não sabemos a nossa pick, mas pelo andar da carruagem deveremos terminar entre a 12ª  e a 20ª escolhas. E quanto maior a distância do Top Ten, mas fica improvável prever a escolha e claro os times adversários catam os melhores jogadores. Eu creio que seja possível cobrir uma das duas maiores carências do time: Wide Receiver e Secundária. Uma das duas é possível cobrir. E teremos duas picks nos dois rounds seguintes para cobrir os outros buracos.
 
E ai, o que vocês acham? A caixa de comentário é toda de vocês. E comentem também no Facebook, clicando aqui.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Dolphins contrata Michael Coe - CB ex Giants

Michael Coe, novo reforço do Dolphins

Apesar da baixa relevância, não deixa de ser uma notícia. Após a demissão do Guard Ryan Durand (que só treinou por uma semana e não chegou nem a jogar), o time abriu espaço no Depth e contratou o jogador da foto acima. Não é nem de longe a solução para nossos problemas, mas creio que pior do que Carroll não é, aliás, nem eu com quase 100kg sou.

Michael Coe está na NFL desde 2007, quando draftado no 5º round pelos Colts. Foi para o Giants em 2009 porém não jogou nenhum jogo oficial, indo posteriormente no mesmo ano para o Jaguars onde ficou até 2010, e logo depois voltou ao Giants e estava lá até o começo dessa semana.

Estatísticas da carreira:

Tackles - 39
Bloqueios de passe - 4
Interceptações - 0

domingo, 25 de novembro de 2012

Week 12: Sehawks 21 x 24 Dolphins - Enfim uma virada nossa...

Em destaque o cara da vitória. Comigo é assim, jogou bem eu falo...

Antes de falar da partida em si, uma informação: não sou do tipo que muda de opinião por uma vitória como essa de hoje. Claro que o time venceu e estamos todos alegres com essa vitória, afinal quem não ficaria?

Mas vamos falar da partida que é o que mais interessa. E essa vitória veio tarde, é verdade, mas vencer é o objetivo e foi isso que conseguimos hoje. Além disse quebramos uma sequência de 3 derrotas e podemos almejar ainda terminar a temporada com mais vitórias do que em 2011. Isso porque ainda iremos enfrentar Jaguars e Bills e se vencermos estas partidas iríamos a 7. Durante a semana irei falar mais sobre se isso é bom ou não, mas o foco não é esse agora.

A partida de hoje começou muito estranha, com diversos 3 and out de ambos os lados, mas como o Miami - ao menos - conseguindo alguns, first downs. Ai veio aquele momento que quase todo jogo tem um: a intecerptação em Tannehill. E é justo dizer que a de hoje foi erro dele e só dele. Mas ele compensaria isso no final, ainda bem. Depois de diversos punts de lado a lado, eis que Tannehill consegue sair da marca das 8jds e acerta pases seguidos e vai chegando na Red Zone quando Reggie Bush engata a quinta marcha, quebra diversos tackles e marca o TD. Esperança no Sun Life. Só que no drive seguinte Russell Wilson comanda um drive com precisão cirurgíca e acha um recebedor livre na End Zone ( alguma novidade? ) e empata a partida. Assim terminou o primeiro tempo.

Começa o segundo e Wilson marca outro TD com outro alvo completamente livre ( quanta surpresa ). E o que parecia uma vitória acessível, vira uma tortura. Ai veio o quarto período, aquele em que - até hoje - vinha sendo o terror do time e de Ryan Tannehill. Pois hoje não foi. Primeiro ele comandou um drive longo e Daniel Thomas correu pra 3jds e conseguiu empatar a partida e tinha tempo pra virar, o que era melhor ainda. Mas na sequência, um balde de água fria: os especialistas do Seattle marcam um TD e ficam 21x14. Update: não vi o fim do terceiro quarto e nem o quarto período, mas agora vi que Ryan Tannehill lançou uma interceptaçlão tosca na End Zone antes do TD do Thomas, que foi - graças a Deus - anulada por uma falta mais tosca ainda de um defensor. Portanto, cuidado ao ficarem com o oba-oba com a atuação.

Mas hoje era o dia da primeira virada do Tannehill na carreira. Pois ele chamou a responsabilidade e achou Charles Clay livre prum TD de 29jds!! O jogo estava empatado de novo. A decisão dependeria da defesa e ela não roeu a corda, segurando Russell Wilson sem pontuar, deixando nas mãos do ataque. E o setor como um todo jogou bem: a OL protegeu, os RBs conseguiram as jardas complicadas, os recebedores não largaram as bolas e o QB jogou como se fosse um veterano. Após um passe incrível para Davone Bess ( lembram do que ele segurara diante do Bills? ), eis que aparece Dan Carpenter pra chutar o Field Goal da vitória. Um FG de 45 jardas, o que nunca é uma marca fácil de ser conseguida, ele foi lá e acertou. Pronto estava feito e uma tarde que em determinado momento descambou pra um blowout, terminara em uma epopéia. 

Por uma semana ninguém vai reclamar de Tannehill, da OL, dos WRs, dos RBs ou da secundária. Por uma semana, teremos paz. E isso é sensacional, não acham ?