quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Pensando na Pick 12 - Parte 1: Offensive Tackle

Nosso atual Left Tackle veio do Estado de Michigan. Que tal substitui-lo por outro atleta vindo do mesmo estado?

Temos muitas necessidades, imensas eu diria. De Wide Receivers com, ao menos, potencial para serem Tops, passando por Deffensive Backs de qualidade, indo a Tight Ends, Deffensive Linemen e indo até a melhores Linebackers. Qualquer atleta de grande qualidade nessas posições poderá aparecer em nossa pick do Draft. Mas estas posições também podem ser cobertas via Free Agency ou nos demais rounds. Hoje abro uma série, tentando prever o que vai acontecer no primeiro round, e a posição escolhida é - para muitos - uma das principais de toda a NFL: Left Tackle.

Tivemos a grata experiência de termos por 3 anos um dos três melhores LT da NFL ( em 2010 ele foi simplesmente o melhor ): Jake Long. A primeira escolha geral no draft de 2008 correspondeu a todas as expectativas nele depositadas, jogando o fino da bola, pena que não teve um QB para proteger. Ao fim da temporada de 2010 ( sua melhor ) ele sofreu uma contusão e começou a decair e em 2011 sofreu uma terrível contusão ( ACL ), fez duas cirurgias e não foi nem sombra do jogador que um dia fora. Claro e evidente que isso acontece, é claro e Long não foi o primeiro e nem será o único, infelizmente a ter sua carreira abreviada em termos de qualidade por uma contusão.

Agora temos uma realidade: renovar ou não com Jake Long? Tudo depende dessa decisão e eu particularmente só renovaria com Long caso ele aceitasse um Salário por Produtividade e mesmo assim não sei se compensaria. Por isso o jogador da foto está aqui: Eric Fischer de Central Michigan. Jake Long veio da Universidade Michigan, porque não draftar um outro OT do mesmo estado?

Claro e evidente que a Universidade de Fischer nem se compara a de Long ( e Henne também, é bom lembrar ), mas ele tem força, talento e qualidades suficientes para ser um jogador do mesmo patamar de Long. Se vai sê-lo na NFL é outra historia. Os dois melhores valores pro Draft já terão saído a essa altura ( Lucas Joeckle - Texas A&M - e Taylor Newman - Michigan - este considerado o novo Long ) e escolher Fischer faz sentido. Se iremos fazê-lo são outros 500...

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz Ano Novo!!??

Tá, eu disse que iria deixar o Blog parado, mas eu não consigo. Sempre falo que não sei quem precisa mais de quêm e às vezes chego a conclusão que sou eu...

A temporada de 2012 terminou. Para o nosso Miami Dolphins e outras 19 equipes terminou o ano e a temporada. E agora todos estarão pensando no Draft 2013. Mas antes do Draft tem a Free Agency. Mas antes disso ainda temos que decidir com quem iremos ( ou não ) renovar. E temos nada menos do que 22 jogadores que estão ficando sem contrato. Entre eles existem atletas irrelevantes, mas alguns são esteio do time atual ou podem voltar a sê-lo em 2013.

Dessas decisões depende o quão longe iremos, não só em 2013 mas, sobretudo, nos anos seguintes. É extremamente prioritário que na Free Agency o Miami contrate um Wide Receiver dos Tops que estarão disponíveis: Mike Wallace ( Steelers ), Dwayne Bowe ( Chiefs ) e Greg Jennings ( Packers ). E por que isso é tão essencial e não pode ser solucionado no Draft? Simples e fácil: nenhum WR do Draft vai chegar e resolver o problema de imediato, talvez apenas se for um novo Jerry Rice.

Contratar um dos WRs citados no outro parágrafo irá resolver o dilema de 2012: o de decifrar o quão bom ( ou ruim ) é/será Ryan Tannehill. E aqui não se trata de falar mal dele ( algo que faço desde antes dele ter sido draftado ) ou por ele em cheque após apenas uma temporada. É que a desculpa básica pra suas atuações ruins é que o nosso grupo de recebedores é um dos mais fracos da NFL. Trazer um ( ou dois ) Receivers de elite irá nos poupar tempo. Afinal, se ele for ruim, não irá render com os recebores e logo o descartaremos, trazendo outro QB seja via draft ou na Free Agency. Se ao contrário ele render mais, poderemos investir nas outras carências do time. Ou seja de todas as formas só temos a ganhar com a aquisição de um desses WRs.

Contudo se tal recebedor não chegar, a temporada poderá estar perdida antes mesmo do primeiro snap. Afinal não pode-se esperar que um WR recém saído do Draft resolva o problema e ai sempre que o time perder com uma má atuação de Tannehill, sempre ficaremos na dúvida: o problema é dele ou da falta de qualidade dos Wide Receivers? E isso não será nada saudável, pois se isso acontecer iremos postergar para 2014 a ideia real do talento de Ryan Tannehill. E se ele for, por acaso, ruim? Só em 2015 é que poderemos mudar o rumo. Entenderam o ponto central deste post? Claro que existe o outro lado: ele pode render mesmo sem os grandes alvos, mas acho que todos entederam onde quero chegar, não é mesmo?

E só pra complementar: a pick do Miami será a 12ª e é partir desta que todas as movimentações serão feitas. Temos tempo de sobra até o Draft ( final de Abril ) e pra Free Agency ( início de Março ), mas tenham uma certeza: a primeira define o destino da temporada.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Week 17: Dolphins 0!! x 28 Patriots - Não falta mais nada...

Melhor momento de nosso QB na partida de ontem...

Devo dizer que fui dormir para não postar algo extremamente ácido. Perder era o básico pra ontem, todos nós sabíamos. Que não temos time para enfrentar o Patriots, e posso assegurar que não teremos um nem em 2013 e talvez nem em 2014, mas alguns estavam esperançados pelas atuações seguras diante de Jags e Bills. Eu avisara que os adversários eram fracos, bisonhos até, mas alguns preferiram criticar-me a acreditar no óbvio: temos um time fraquíssimo, do QB a Secundária.

As atuações diante de Jags e Bills deveriam ser relativizadas, disse eu e levei porrada de quase todos os lados, tendo que ouvir coisas como: "não importa, é uma vitória" ou "Tom Brady lançou duas ints diante do Jags", passando por "você só torce contra". Acho que agora está claro que o time não é nada mais do que um amontoado de jogadores e que talvez nem esteja entre os 10 piores da temporada, mas também não está muita coisa acima.

Os problemas, é claro, não resumem-se apenas a Ryan Tannehill. Ele não é o único elemento ruim do elenco, mas é o que custou mais caro. Pra mim está claro desde o draft de que a sua escolha nos atrasará, ao menos, uns 3 anos. Nada de ruim caso o time tivesse vencido um Super Bowl na década passada, alguns times estão nesta situação. Mas a nossa última conquista tem quase 40 anos. Portanto tempo é algo que não temos, pelo contrário .

Sei que estou sendo chato. Mas eu tenho que me posicionar acerca do que aconteceu ontem. Foi patético de se ver. Ryan tem um problema sério: quando lança uma Interceptação ele não consegue se recuperar de imediato, demora muito tempo pra voltar ao ritmo. Isso é algo horrível, acreditem. Ele teve muitas jardas, mas TD que é bom... claro que tivemos Drops e um dos principais alvos não estava em campo ( D-Best ). A culpa é só de Ryan? Não é claro. A culpa é de quem deixou o time sem alvos decentes, de quem trocou Vontae Davis para deixar Rishard Marshall, quem escolheu um TE inoperante ao contrário de um tal de Alfred Morris que ontem teve uma atuação espetacular pelo Redskins...

Este Blog entra em recesso e salvo alguma notícia bombástica ( tipo demitirem o Mike Sherman ), o ritmo normal somente deverá ser retomado quando a Free Agency estiver mais próxima. Porque este time não merece.