quinta-feira, 6 de junho de 2013

Dará certo colocarmos nossa esperanças em dois sophomores?

Dupla jovem e promissora, disso ninguém dúvida. A questão é: será vencedora?
Dei uma rápida busca pelos prováveis starters para QB e RB das outras 31 franquias e só achei uma que tenha jogadores sophomores ( segundo anistas ) igual a nós: o Washington Redskins de Robert Griffin III e Alfred Morris.

Compará-los aos nossos beira a crueldade. A dupla simplesmente correu quase 90% das jardas que o Redskins conseguiu em 2012. RGIII pode ser para a maioria o responsável direto pela ressurreição dos peles vermelha da capital do EUA ( mesmo que atuem em Maryland ), mas Morris foi o seu fiel escudeiro e conseguiu impressionantes 1613 jardas ( para se ter uma ideia do que isso representa, apenas Ricky Williams correu mais que isso com nossa camisa ). Portanto é uma dupla na qual os Redskins podem, com certeza, confiar. E nós, podemos?

Não escondo de ninguém ( não apenas por teimosia como alguns citam ) que tenho expectativas mínimas para Ryan Tannehill. É um QB que nem fez uma carreira espetacular na NCAA, longe disso, tendo sido WR em dois de seus anos em Texas A&M. Além disso teve um ano como rookie longe, mas bem longe, de bom. No máximo, e com muita boa vontade, regular. Leituras ruins de defesas e em alguns momentos até falta de liderança, sem contar que quando comete o primeiro erro... enfim, problemas sérios e que não devem ser esquecidos. Mas existe um lado bom: vai que tudo isso foi apenas o problema do primeiro ano? Vai que ele melhora exponencialmente agora em 2013, mesmo que isso raramente aconteça, ainda mais com QBs? Não custa nada torcer por isso. 

Sobre Lamar Miller, por mais incrível que parecer possa, eu tenho esperanças maiores. Primeiro porque ele não era um carregador de piano na Universidade de Miami, os Hurricanes. Embora tenha sido o primeiro a superar a marcas 1000jds desde Willis McGahee ( 2002 ), ele não levou tantas pancadas assim durante sua carreira pelos Canes. Isso é importante pois a carreira de um RB está diretamente relacionada com isso, ou seja, quanto mais pancadas levar na NCAA menos irá produzir na NFL.

Mas porque eu acredito mais em Miller do que em Tannehill? Acontece que Miller enfrentava em sua divisão, Universidades da elite da NCAA, algo que não era o caso da Texas A&M. Basta dizer que o time da A&M mudou de divisão justamente para buscar adversários melhores ( e claro, mais grana pro seu programa de football ). Por tabela, posso afirmar que Tannehill não enfrentou grandes defesas, daí a sua leitura de defesas da NFL ter sido um calo em seu ano de rookie. Miller, ao contrário, tem a experiência em enfrentar defesas mais fortes e principalmente como superá-las. Isso, por si só, quer dizer que Miller será melhor na NFL do que Tannehill? Não, claro que não. Apenas que o parâmetro de comparação é diferente. Claro que o fato de um ter sido escolhido no Top 8 do Draft e o outro no quarto round só aumenta essa situação.

Mas não é nem sobre as questões individuais o maior problema, mas sim o conjunto. E ai precisamos citar novamente a dupla RGIII/Morris: QB e RB precisam formar uma dupla de verdade. Precisam complementar-se e ajudar-se durante as partidas. Precisam superar em conjunto as dificuldades e sobretudo precisam vencer partidas juntos. RGIII e Morris conseguiram combinados 2500 jardas, uma das maiores marcas da história para uma dupla, onde o QB corra ao menos 500 jds.

Não quero com isso dizer que eles tem que fazer o mesmo que RGIII e Morris. Seria insano de minha parte querer isso, embora acredite que Miller possa até ser melhor do que Morris ( pouco provável, mas não impossível ), mas tenho certeza de que Tannehill não tenha como ser melhor do que RGIII. Por isso a nossa dupla parte em desvantagem. Mas isso não equivale dizer que eles não possam vir a ser melhores, enquanto dupla. 

Chegando ao fim, volto ao começo: Dará certo depositar em dois sophomores as nossas esperanças em uma ataque vencedor? A resposta, por enquanto, é cheia de dúvidas. Que só serão elucidadas ( ou não ) durante a temporada. Tudo o que sei é que não é - nem de longe - o cenário ideal. Mas é o que temos. Tomara que dê certo. porque se não der... bom, será o caso de pensar quem seriam os melhores RB/QB do Draft de 2014...

 

4 comentários:

Rodrigo Bacelli disse...

Na minha humilde opinião, essa temporada não será a temporada do ataque, e sim da defesa! Estamos com uma ótima defesa, que tem como segurar até mesmo o ataque de TB!
E não podemos colocar todas as esperanças nos dois... Não por falta de capacidade, mas Tanneboy não é um dos QBs de elite (pode vir a ser um dia).
Agora, quanto à comparação, pra mim, RGIII não tem muito futuro na NFL... Ele corre demais, tromba demais... Me lembra um certo QB do time da Filadélfia!

Vitor César Dutra disse...

Cara, todo o núcleo do time é MUITO jovem hoje. Acho que temos talento sobrando, a nao ser na OL, mas acho difícil jogarmos no nível mais alto esse ano. Acho que jogaremos bem e aprenderemos esse ano, e fico esperançoso pra dominar a divisão do ano que vem em diante.

Agora, algo que me dá muita esperança é que TODOS os nossos rivais de divisão também tem muito que provar e muitos pontos de interrogação no elenco. Nossa divisão e nosso record, ao meu ver, é DIFICÍLIMO de prever.
Belo artigo!

Dan Pereira disse...

tenho um pé atrás com os dois, principalmente com Miller se ele é tão bom assim porque não esteve mais em campo ano passado? isso eu me pergunto todo dia e até hoje não tive respostas.

Tannehill no meu ponto de vista tem muito mais chances de ser uma realidade do que Miller pelo simples fato de, ter apenas 19 jogos de QB nas costas, não ter jogo corrido e uma OL decente com ele ano passado, com a pressão de entrar e dar conta do recado o rookie entrou lá e mostrou que tem talento e tudo que um QB precisa ter para ser top na NFL e agora com mais experiencia e com reforços chegando tenho certeza que Tannehill vai ter uma temporada muito melhor que a primeira e sem duvida vai se destacar mais que Miller

Derek Szabó disse...

É um elenco todo renovado. Demora vir o introsamento. Acho que esse ano temos chances de playoffs sim. Cortar Burnett e Dansby contratando 2 jogadores mais jovens, deixar Long, Bush, Fasano e cia irem embora substituindo por peças experientes junto com jogadores mais jovens mostra claro o objetivo de não só montar um time para jogar 2 temporadas como fez o Eagles (e não deu certo), mostra o objetivo de um planejamento para muito tempo. Eu acho que o time está no caminho certo, mas vamos ter que ter paciencia. Talvez não seja ainda esse ano o ano da nossa redenção, mas creio que isso está bem perto de acontecer.

Minha aposta: 10-6 ou 9-7 e uma vaga no Wild card. Tannehill lançando para 21 TDs e umas 14 Int NO MÁXIMO...

Quanto ao Lamar Miller, não estou tão confiante que possa ser tããão bom assim não. Acho que o Tanne vai levar mais o ataque nas costas do que ele.