terça-feira, 11 de junho de 2013

Pode Ryan Tannehill ser o melhor Quarterback de sua classe?



a primeira impressão dele foi péssima, isso nem os admiradores negam...

Texto de um leitor do The Phinsider.

Não há razão para acreditar que Ryan Tannehill será um ponto fraco dos Dolphins este ano. E não há nenhuma razão para que ele não possa vir a ser o melhor Quarterback de sua turma.

Deixe-me esclarecer, eu não afirmando com certeza que ele vai ser. Não estou nem dizendo que ele tenha as melhores chances. Mas com nossas aquisições na Free Agency e no Draft, os quais irão/poderão preencher buracos em ambos os lados do campo ( notadamente no corpo da secundária e dos recebores ), todos os olhos se voltam para Tannehill como o único ponto de interrogação. Na minha opinião, ele é a coisa mais distante de um ponto de interrogação.

Como meus colegas fãs de golfinhos devem saber, a história recente nos tornou excessivamente cautelosos com relação ao otimismo, e por boas razões. Mas não há nenhuma razão para acreditar que ele não pode dar passos sérios este ano com nossas adições ofensivas. Hartline nada mais era do que uma "sólido" WR#2 e Davone nunca foi e nunca deve ser um WR principal. Ele não tem a velocidade ou tamanho para tanto, mesmo que tenha conseguido uma temporada para 750+ jds. Long estava jogando bem abaixo do que pode, mesmo antes que ele se machucou, e com a exceção de Pouncey e Incognito (até certo ponto) nós não conseguimos uma linha consistente em toda a temporada. Nosso TE foi um recebedor decente, mas só depois da quarta semana e a outra opção ( Charles Clay  ) foi tão inconsistente quanto possível fosse. Nosso jogo a corrido teve uma média de 4,0 ypc, e ficou na 19ª no geral.

Todo analista que fala sobre Ryan Tannehill menciona a falta de apoio e poucas coisas a mais. Com apenas 13 interceptações (apenas 7 em 14 jogos excluindo seu primeiro jogo contra o Houston e  o  jogo estranho diante de Tennessee), apesar de ter jogado em uma boa parte da temporada de forma consistente, a sua tomada de decisão é um problema. Ele consegue chegar na segunda e terceira leituras, algo que RG3 lutou para conseguir e terminou o ano sem ser tão eficiente nisso, isso é algo que se traduz em um ataque aéreo confiável e eficaz, que não é dependente de ação de jogo ( read/pistol option  ) ou um ataque corrido consistente (algo que tanto RG3 e Russell Wilson tiveram). Ele teve passes de 19+ jds em quatro de seus últimos seis jogos, após se recuperar de sua lesão. Ele teve dois grandes jogos: contra o Cardinals ( 431 jds ) e contra o Seahawks, virando o jogo no último drive diante da melhor defesa da Liga, onde ele parecia um veterano que poderia conduzir e motivar seus companheiros.

Embora as estatísticas possam dizer o contrário e um recorde de 7-9 não ajudam em nada é verdade, após uma análise mais profunda de seu jogo é realmente difícil encontrar falhas no jogo do Tannehill. Ele tem mobilidade. A capacidade de lançar a bola no downfield (foi um dos mais precisos na NFL no ano passado), o atletismo para jogar na corrida, e mais importante, é bem versado no ataque e sempre atinge sua segunda e terceira leituras. Essa capacidade mental é o mais forte indicador de sucesso futuro na NFL. RG3 mostrou que uma vez que sua mobilidade é prejudicada, ele realmente tem pouca ou nenhuma capacidade de suplantar uma defesa pelo ar. Russell Wilson teve o benefício de ter a melhor defesa da NFL e um top 5  jogos running game (eles correram a bola mais de 100 vezes do que passaram, inédito na NFL de hoje). Sabe-se lá quanto do seu sucesso pode ser atribuída a isso. Quem sabe se depois de um ano algumas equipes irão explorar a sua baixa estatura?. 18 interceptações de Luck com os Colts me faz lembrar de um jovem Peyton, então eu sou cauteloso para ficar com um pé atrás com relação a ele. Mas ele tem a mentalidade de "lançador" de Peyton, e com uma percentagem incrivelmente baixa de conclusão em seu primeiro ano, ele definitivamente vai ter que tomar decisões mais inteligentes ao mover, de forma consistente, a bola em first downs. Com Reggie Wayne ficando mais velho, e Bruce Arians indo para o Arizona, o seu futuro tem mais alguns pontos de interrogação do que a maioria acredita, eu diria.

Dito isto, todos os outros 3 QBs tiveram temporadas de rookies fantásticas. Mas não é realista olhar Tannehill muito diferente. Ele não teve ajuda, ele não teve nem ajuda adequada, ele teve foi ajuda alguma. Fora Pouncey, você poderia realmente apontar para algum outro jogador sendo digno para começar em uma equipe playoff? Talvez Hartline, cuja explosão nas estatísticas coincidiu com a chegada de Tannehill? Reggie Bush quando ele esteve focado? Não pode ser subestimado o quão terrível o seu elenco de apoio era, e apesar de tudo isso ele ainda conseguiu números interessantes. 

Com a chegada de Wallace (um talento Pro Bowl e alguém que não só preenche uma necessidade de WR, mas é exatamente o tipo de WR que nosso ataque desejava), Keller (um talento de primeira rodada que ainda produz muito bem) e Gibson (um versátil recebedor que pegou mais TDs do que todos os WRs do Dolphins em 2012 combinados no ano passado, apesar de também ter a possibilidade de jogar no slot), nós adicionamos três peças que, sem dúvida, cobre QUALQUER um que tivemos no ano passado.

Finalmente, o fato de que Tannehill foi ignorado, passou por uma temporada de estreia difícil, ter experimentado um ataque novo e ter que fazer as coisas acontecerem do nada é tudo uma experiência inestimável. RG3 tem a mídia babando em cima dele. Ryan não tem isso, não teve nada entregue a ele. Como todos nós sabemos em esportes não se pode subestimar o quanto um jogador se esforça e trabalha com dedicação extrema podem melhorar um atleta (citemos LeBron James, Aaron Rodgers , Drew Brees.) O foco continuará nos outros três QBs, mas eu não tenho nenhum problema com isso. Não vamos cair em estatísticas, pois Tannehill será o melhor QB da classe.

2 comentários:

Derek Szabo disse...

Ja venho batendo na tecla de que o garoto tem futuro a tempos. Ótimo texto Flávio, nao adiciono nem subtraio uma virgula do texto

Thiago Torres disse...

Como eu disse no grupo do facebook, achar que Andrew Luck não vai para frente é doideira pq o cara é muito bom, só falta algumas peças como outro WR de peso para ele. Já o Tannehill talvez possa ser oq mais tenha evoluido da classe dele.