domingo, 15 de setembro de 2013

Week 2: Dolphins 24 x 20 Colts - O doce saber de uma vitória...

Vencer é sempre bom, quando se consegue fazer 2-0 fora de casa então é quase uma epopeia. Tivemos problemas durante a partida? Sim, tivemos. Mas o time soube como segurar o rival, limitou o QB adversário em número de TDs, mesmo permitindo jardas. Um dado: Miami está apenas 23-10 desde 2008 quando limita o rival a 20 pontos ou menos.

Hoje o time começou em um ritmo alucinante, com os dois setores jogando demais e o primeiro quarto terminou 14x3 com cheiro de sapatada pra cima do Colts. Mas do jeito que entrou ligado, ambos os setores sofreram apagões no segundo quarto e o Colts devolveu o placar: 14x3 e o primeiro tempo terminou empatado em 17.

Veio o segundo tempo e logo de cara um fumble ( cometido por Tannehill, mas o mesmo não teve culpa ) e o Colts marcou um FG após ter um TD anulado ( Reggie Wayne estragou, pra nossa sorte, ao se mover antes da hora ). Ai Tannehill e o ataque acordaram e marcaram um TD corrido com Charles Clay, o primeiro de sua carreira. Depois disto ficaram trocando punts e 3 and outs. Até que veio a interceptação de Brent Grimes sobre Andrew Luck na End Zone. Parecia resolvida a partida. Que nada...

O ataque não conseguiu se mover e entregou a bola pro Colts com tempo suficiente para uma tentativa a mais. E em uma quarta para 10, Phillip Wheeler sackou Andrew Luck pra terminar o jogo. E assim, apenas pela segunda vez nos últimos 10 anos, o Miami fez 2-0 e fora de casa. Teremos, portanto, 8 partidas em casa para - se conseguirmos fazer 100%, garantir uma ida a post-season. Mas isso é papo pra outro post, por enquanto vamos celebrar... 

Brent Grimes fez a sua primeira interceptação com a camisa do Miami. E na hora certa, pois era no fim do quarto período, ou seja, em um momento crucial.
Mas foi queimado duas vezes por Luck e T Hilton. Temos sim o que consertar e, incrível dizer isso, mas Patterson fez falta hoje. Mas ao menos a secundária envergou, mas não quebrou...
Coby Fleener foi um terror pra secundária do Miami. Na foto Reshad Jones tentando parar o melhor alvo de Luck. 
Andrew Luck teve uma partida com muitas jardas, mas teve desempenho ruim na Red Zone, graças ao nosso front seven. Destaque pra o LB da foto, Phillip Wheeler, um dos melhores em campo...
Mike Wallace, seja bem vindo ao Dolphins. Uma partida com boas recepções e um TD com diversos bloqueios - um deles de Mike Pouncey quase na End Zone, 115 jardas e um jogo digno de um WR de 6o milhões. Tannehill também foi muito bem, com 319 jds, 1 TD sem interceptação, além do fumble, que sinceramente não dá pra culpá-lo. Outras atuações assim deixariam mais fácil a tarefa de ir pra post-season...
Philbin empata a série com Chuck Pagano, mas o time tem problemas, sobretudo nas chamadas das jogadas, muitas vezes conservadoras ao extremo. Mas é bom vê-lo sorrir e alcançar a sua 9 vitória em 18 jogos, com 0.500 de aproveitamento. 
Por fim, o setor mais criticado foram os corredores. E hoje foi bem diferente.. Teriam sido espetaculares? Não, não foram... mas comparado com o que não fizeram diante do Browns...
E, porque não, seja bem vindo a NFL Lamar Miller com seu primeiro TD. Daniel Thomas também conseguiu mover-se e foi bem. Juntos conseguiram 99 jardas. E o jogo corrido conseguiu mais de 100 pois Tannehill e Clay conseguiram cada um correr uma jarda. Semana foram, impressionantes, 26 jardas!!!
  

4 comentários:

murillo disse...

o que mata esse time é a linha ofensiva. tomar 5 sacks no msm jogo é algo complicado. Isso se vc considerar que a defesa dos Colts não é tão forte

Eliton disse...

Ahh se tivessemos um Jake Long em boa fase...
Mas n'ao adianta pensar no que poderiamos ter, quando vi o Reggie Bush jogando demais na primeira partida dos Lions, senti muita falta dele, mas j[a na segunda partida com a equipe de Detroit ja mostrou ser o velho Bush.
Estou muito feliz com os Dolphins, a nossa defesa esta otima e Ryan Tanneboy ta mostrando pra que veio.

Anônimo disse...

tem algumas coisas bem curiosas nesse blog. Primeiro era o único lugar onde conseguia-se ler criticas a Tannehill enquanto a NFL inteira estava dizendo q o garota tinha o q era preciso para ser um bom QB na NFL. E ta aí, a cada dia q passa ele mostra q realmente é capaz de fazer todos lançamentos e de ganhar jogos.

Agora começou com essa historia de conservadorismo nas chamadas das jogadas. Não acho q as chamadas tem sido conservadoras, o qua acontece é q não tem um playbook tão variado e criativo como o dos 49ers por exemplo. É um playbook com jogadas mais "tradicionais" sem muita invenção, o que as vezes é bom e as vezes é ruim.

Flávio Vieira disse...

ao anônimo:
a) as críticas permanecem enquanto elas são sustentáveis. E Tannehill ainda foi uma escolha RUIM na minha opinião. é FATO que se fosse Luck com a camisa do Miami ele teria lançado uns 3 TDs. Tannehill ficou com um, onde tudo o que fez foi dar a bola na mão do Wallace, com a OL e o próprio construindo o TD;
b) Eu sigo não me importando com o que a NFL pensa...;
c) O playbook é sim conservador. Tannehill estava em determinados momentos, mas ai tentava-se 3 jogadas de corridas. O Playbook é menos inteligente porque o Sherman é ruim ou é menos inteligente porque o Tannehill não dá conta?
d) Pra mim está claro que Tannehill não é a solução dos problemas. E eu não mudei de opinião acerca disto. Mas, diante de uma atuação boa, criticar fica meio fora da curva. Ele atuou bem. Só isso. Nada de espetacular, como muitos pintam...