sábado, 1 de junho de 2013

10 melhores adições ao elenco em 2013

Contando com os UDFA, o Miami tem mais de 30 jogadores novos nesta temporada comparando com a mesma época de 2012. É muita gente, sem dúvida. Mas quem seriam os melhores dentre estes? Quem seriam aqueles que podem ser considerados os 10 mais? Esta é a ideia desta matéria, baseada em uma que vi no Sun Sentinel. Vamos ao Top 10?


10º Lugar: Dion Sims, TE - Rookie de Michigan State ( 4º Round )Salário 2013: US$ 872 mil, com US$ 467 mil garantidos.Porque está na lista: Sims chega para ser ( ou tentar ser ) o TE Starter pelos anos vindouros. Como objetivo mais imediato superar Egnew e ficar como backup de Keller, podendo claro superar este também. Excelente bloqueando tem tudo para desenvolver-se recebendo passes e tornar-se um sólido Starter. Se tais expectativas se cumprirem, teremos feito um Steal e tanto.


9º Lugar: Caleb Sturgis, K - Rookie de Florida ( 5º Round )Salário 2013: US$ 549 mil, com US$ 144 mil garantidosPorque está na lista: Dan Carpenter parecia ser um Starter inquestionável. Até a temporada 2012 começar e errar chutes cruciais. Foi ai que Jeff Ireland e Joe Philbin resolveram draftar um outro Kicker. Para alguns ( eu incluso ) a pick foi alta demais, pois seria possível drafta-lo até no sétimo round. Mas enfim, ele foi draftado e agora tem tudo para ser Starter. Ou alguém imagina este time com 2 Kickers?

8º Lugar: Dion Jordan, DE/OLB - Rookie de Oregon ( 1º Round - 3ª pick geral )Salário 2013: 4 anos de contrato com um total provável de US$ 22,1 milhõesPorque está na lista: Versatilidade é seu cartão de visitas, mas ele poderá vir a ser mais do que isso. Em todo caso, traz uma profundidade e velocidade que o elenco precisava. Se vier a atuar como DE, será o oposto da Cameron Wake. Já se atuar como OLB, deverá atuar no Strong Side. Aguardar para ver.



7º Lugar: Phillip Wheeler, OLB - 6 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$ 8 milhões, com 7 milhões garantidos.Porque está na lista: Wheeler é uma incógnita em muitos sentidos, mas uma coisa é certa: ele é mais jovem e mais barato do que Kevin Burnett. Alguns dizem que foi dada grana demais a um LB comum, mas ele tem um diferencial: sabe marcar TEs. E quando você enfrenta Tom Brady e cia duas vezes por ano ( e com vontade/sonho de enfrentar 3 ) isso é mais do que necesário, é essencial. 


6º Lugar: Brandon Gibson, WR - 5 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$3.7 milhões com US$3 milhões de bônus de assinaturaPorque está na lista: Eu sou um crítico da chegada dele, por ter significado a saída de Davone Bess, mas tenho que admitir que ele tem qualidades. Tem tudo para ser o Slot WR e ter papel fundamental na temporada. Só por isso, já vale a posição. Mas eu preferiria ter ficado com ele e com Bess. 

5º Lugar: Tyson Clabo, RT - 9 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$ 3.5 milhões com US$ 1 milhão de bônus de assinaturaPorque está na lista: Bom serei bem direto: o time tinha um cone como RT no fim de 2012. E com ele agora teremos um atleta de qualidade. Precisa mais? 
 
4º Lugar: Dustin Keller, TE - 6 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$ 4.25 milhões com US$ 1 milhão de bônus de assinaturaPorque está na lista: Rei morto, rei posto. É o que diz o ditado popular. E serve como uma luva com Keller, que chega para ser Starter em lugar de Anthony Fasano. Isso já é mais do que suficiente para ele ficar no quarto posto... 

3º Lugar: Dannell Ellerber, ILB - 5 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$ 8 milhões com US$ 7 milhões de bônus de assinaturaAntes de mais nada um aviso: ele pode ser apenas fruto de um sistema ótimo de defesa do Ravens. Em 2008 fomos também atrás de um ILB do campeão do SB a época ( Giants ). Seu nome: Reggie Torbor. Quem? Pois é... mas Ellerbe tem a seu favor ser jovem e ter segurado a peteca do setor sem o maior ídolo, Ray Lewis. Sendo assim e por ser mais jovem e mais barato do que o ex-starter ( Karlos Dansby ), já o faz merecedor do Top 3 deste ranking.


2º Lugar: Brent Grimes, CB - 7 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$ 5,5 milhões com US$ 2,25 milhões de bônus de assinaturaUm corneback de elite a preço de "banana"? Bem mais do que isso aparentemente. Grimes vinha de lesão mas já provou estar 100% recuperado. Agora é render em campo e criar sérios problemas para Tom Brady ( só pra ele, pois os outros CB da divisão... ). Pode ter sido o Steal de toda a off-season. Da Liga inteira, é prudente afirmar. Como assinou só por um ano, assim que possível seria o caso de estender o seu vínculo conosco.

1º Lugar: Mike Wallace, WR - 5 temporadas de experiência na LigaSalário 2013: US$ 12 milhões com US$ 11 milhões de bônus de assinaturaUma estrela da NFL em Miami. Assim podemos definir Wallace. Ele traz uma dimensão que este ataque não tinha. Se Tannehill vai saber usar isso ou não é outra coisa. Agora o ataque pode ser alongado e os CBs adversários tem um desafio de extrema qualidade. Agora é ver ser Mike Sherman vai conseguir fazer a dupla com Tannehill funcionar.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Qual jogador da NFL atual você contrataria?

Eu, sem pensar, contrataria o Manning mais velho, mesmo que o mais novo seja mais vencedor...
A brincadeira é simples: você é o GM do Dolphins. Sendo assim, quem você contrataria? Tem apenas uma chance. Quem seria o escolhido para deixar o time mais forte? A caixa está a disposição.

Preciso mesmo explicar minha escolha? Acho que não, né?

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Dolphins assina com Jamar Taylor

Jamar Taylor é o quinto dos nove rookies desta classe que assina contrato.
Mais um rookie assinou contrato: Jamar Taylor. Ele assinou por 4 temporadas com um valor total de US$ 3,6 milhões ( US$ 2 milhões garantidos ). Agora é esperar para saber quando ele estará liberado para os treinos, devido a cirurgia para corrigir uma hérnia de disco.

Relatório a OTAs desta quarta-feira

Choveu pouco, mas o suficiente para terem que colocar uma bolha gigante cobrindo o campo...


O Miami Dolphins entraram em campo ontem, desta vez sobre o olha atento da imprensa especializada, para o segundo momento, durante três dias das Atividades Organizadas das Equipes ( OTA ). Aqui está uma olhada nos principais acontecimentos do dia:

  • O Dolphins fez toda a prática em área coberta, o que fez muito sentido. O tempo não estava cooperando, e mesmo não sendo uma chuva forte, o campo estava molhado, então não havia razão alguma para a equipe treinar em campo aberto, arriscando uma lesão na superfície escorregadia.
  • O treinou teve uma participação ilustre:o ex-Dolphins quarterback Chad Pennington. CP10 disse que estava lá para "compartilhar um pouco das minhas experiências." Pennington poderia ser mais do que apenas um visitante? Philbin disse após a prática que ele não tem certeza, CP10 é um homem ocupado .
  • Jogadores notavelmente ausentes do treino:. Defensive tackle Randy Starks, que está ignorando todas as OTA´s, deixando claro seu descontentamento com a tag franquia, e o wide receiver Mike Wallace, que não explicou a ausência em um primeiro momento, mas que depois foi informado que foram problemas familiares, nada com ele.
  • Armon Binns se mudou para a posição #1 com Wallace para fora. Ele parece ser um alvo em potencial na redzone.
  • Ficaram fazendo trabalho de recuperação: Dallas Thomas (ombro), Jamar Taylor (hérnia de disco ) e Lance Louis (joelho).
  • Brent Grimes e Richard Marshall alinharam como starter durante o treino. Taylor é esperado para ficar com uma das duas posições de topo, uma vez que ele fique totalmente curado da cirurgia. E duvido que seja Grimes quem de fato corra algum risco.
  • O peso do lado direito da linha ofensiva é algo realmente impressionante.
  • Lamar Miller – como esperado – alinhou como RB1, com Daniel Thomas de backup. Michael Egnew continua a ser o segundo tight end starter, com Dustin Keller de backup e Charles Clay o  terceiro. Egnew parece estar desenvolto agora em 2013, algo que não aconteceu em momento algum no ano passado.
  • Miami focou, sobretudo, as situações na redzone, calo da equipe em 2012. O resultado não chegou a impressionar, mas também não foi desanimador.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Teria o Miami conseguido dois Steals nesta Free Agency com Grimes e Clabo?

O provável líder dessa nova secundária e...
o abridor de preciosos espaços pro jogo corrido.
A palavra Steal é usado comumente para designar jogadores que desceram muito no Draft e que são escolhidos por equipes onde seu talento era necessário mas não previsto ir para lá. Mas será existe Steal na Free Agency? É o que sugere Pat Kirwan, ao analisar a contratação dos dois ex-Falcons pelo Dolphins nesta off-season.

Passado o primeiro estouro natural de contratações, eis que alguns bons jogadores ficaram livres, entre eles Grimes e Clabo, mas convém citar Charles Woodson também. E a partir deste fato, que Kirwan afirma que o Dolphins possa ter feito dois legítimos Steals na FA, pois os dois poderiam perfeitamente terem assinado com outras equipes, mas sobraram e ai...

O fato é que Grimes vai ser o esteio desta secundária em 2013 enquanto que Clabo deve ser o RT Starter. Conseguir dois Starters após a primeira enxurrada de contratados realmente é um feito de Jeff Ireland. O contrato de ambos é por apenas uma temporada, é fato, mas isso é um problema para 2014 ( quando além deles teremos os dois DTs na lista de Free Agents: Randy Starks e Paul Soliai ). O fato é que para 2013 podemos ter resolvido duas carências gastando pouco e com qualidade. 

Resta ver como será a temporada do dois para podermos ratificar essa condição de Steal para ambos, mas que foram grandes adições ( sobretudo a de Grimes ), isso é inegável...

Mike Wallace: ambiente em Miami é ótimo!

Até agora podemos afirmar que Wallace está sendo um atleta exemplar...

Jogadores recém contratados costumam ser comedidos ao comentarem sobre o novo ambiente que encontram e só fazerem elogios aos novos companheiros de equipe. É o padrão na NFL, até porque este recém contratado chega - normalmente - com um salário bem maior do que os que já estão no elenco. E esse polimento é parte essencial para ser bem aceito pelos novos companheiros.

Mike Wallace se enquadra neste perfil, de ter que agradar e não causar grandes abalos, pois é agora o mais bem pago atleta do elenco. Mas ele tem, digamos assim, superado e muito o que dele se esperava nestes primeiros meses. Até porque ninguém é obrigado a elogiar sempre e tão pouco ficar falando sempre sobre isso. Mas Wallace tem feito e isso tem agradado a todos. Ele realmente parece querer ser mais um no elenco e tem refutado a pecha de estrela. O que é excelente.

Ao ser perguntando como foi treinar em Miami pela primeira com todos os companheiros nas OTAs, ele disse: "Todos aqui tem uma mentalidade como se ainda fossem da faculdade, e isso é muito diferente de onde eu vim. Todo mundo está com muita vontade, todos querem melhorar para chegarmos onde precisamos estar, que é conseguir uma temporada com mais vitórias "

Quando Wallace fala mentalidade de faculdade ele quer dizer que sente no ar um ambiente mais aberto do que o fechado que deve vivido em Pittsburgh. Também podemos entender que o time deve ser mais unido com todos conscientes de que precisam melhorar com relação a 2012. E sobretudo que ele foi bem recebido por todos, como um calouro no meio dos veteranos.

Este é Mike Wallace, a nossa esperança de dias melhores. Muito bem pago para isso ele já está sendo. Que retribua em campo.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Qual seria o maior buraco do elenco atual?

Sei que irei apanhar que só, por causa não só deste texto, mas sobretudo pela escolha da foto...

O Draft e a Free Agency já se passaram, com grandes ( algumas questionáveis ) adições ao sofrido elenco que terminou a temporada de 2012. Mas passados quase 3 meses desde a midiática chegada de Mike Wallace ( e também as de Ellerbe, Wheeler e Keller ), onde estamos mais mal servidos em termos de talento?

Para responder a esta pergunta é preciso, primeiramente, eleger onde estamos melhores, creio eu. Não se se vocês irão concordar, mas vamos dar uma olhada em quais setores temos quantidade, qualidade e talento em doses fartas:
  • Linha de Defesa: Poucos times em toda a liga podem dizer que possuem tanta qualidade e quantidade. Claro e evidente que existem times que tem mais do que nós, mas estes não chegam nem a 5 em toda a Liga. Wake, Soliai, Starks e Odrick formam uma DL de respeito, com 3 pro-bowlers!! E o que ainda não foi demonstra ter possibilidade lá estar um dia. Além deles, o time possui peças de reposição como Vernon e outros de menor destaque, além de que o recém draftado Dion Jordan possa atuar como DE no oposto a Wake. Sem dúvida alguma, aqui estamos muito bem servidos;
  • Secundária: Pois é, nada como aquisições certas, não é mesmo? A chegada de 2 rookies promissores e um atleta de elite deixaram nossa secundária acima da média. Exagero? Não, nem um pouco. Brent Grimmes parece estar saudável e embora seu contrato seja de apenas uma temporada, ele poderá deixar este setor muito melhor do que antes. Jamar Taylor e Will Davis permitem uma melhoria gradual, além de que o setor já tinha Marshall e Patterson. Não podemos esquecer de Reshad Jones, que deveria ter ido ao pro-bowl e o eficiente Chris Clemons. Até mesmo Don Jones pode contribuir bem neste ano.
  • Wide Receivers: Aqui eu falo mais por causa de Wallace. Temos um All-Star no setor. Mas o resto... Brandon Gibson não é melhor do que Brian Hartline creio eu e perdemos Davone Bess, que fazia o mesmo papel. Melhoria eu não vi nesta troca. Mas é inegável que, por causa de Wallace, estamos melhores do que em 2012. Mas nem tanto quanto parece, convém dizer...
Dito onde estamos melhores, chegamos aos buracos, certo? Pois é, aqui é onde a porca torce o rabo, como diz aquele velho ditado... Antes de prosseguir gostaria de dizer que os setores em si podem até irem melhor do que em 2012 e seus integrantes terem temporadas pro-bowler nível, mas não é o provável que aconteça. Dito isto vamos aos buracos:
  • Linebackers: Ih, lá vem polêmica... E vem mesmo. Nada, e quando digo nada é nada mesmo, aponta que estejamos melhores agora do que antes. Quanto muito no mesmo nível. Primeiro porque ao contrário dos recebedores, aqui não chegou nenhum all-star. E não fizemos adição ao que existia antes, apenas trocamos. Portanto esse é um - acreditem - um buraco, ou ao menos uma interrogação.
  • Tight Ends: O mesmo argumento que usei para o grupo de LBs uso para os TEs. O time tinha um Starter certo e - esperamos assim - trocou-o por outro. Alguém pode dizer: isso dá na mesma coisa. Sim e não. Pois não existe plug and play na NFL, mesmo que o esquema seja o mesmo, existem particularidades que tornam cada equipes única em si. Aos que discordarem peço que lembrem-se da decepção da ida de Nmandi Asomugha para o Eagles. Isso para ficar no exemplo mais recente. E não podemos jogar nas costas de Dion Sims a obrigação de virar um TE melhor do que Fasano era, caso Keller vire um Aso da vida, não é mesmo?
  • Linha Ofensiva: Lá vamos nós de novo... pois é, por mais que tenhamos trazido jogadores no FA ( Louis e Clabo ) e mais um jovem jogador no Draft ( Thomas ), ainda é pouco para que possamos dizer que estajamos melhores agora do que no ano passado. Primeiro porque os que trouxemos atuavam em OLs contestadas por suas torcidas e segundo que se eles fossem bons mesmo, seus times não os teriam deixado sair, não é mesmo? E a maior dúvida é: Jonathan Martin dará conta do recado atuando como LT? Será que os Guards irão abrir os espaços pro jogo corrido?
  • Jogo Corrido: Queiram ou não,. trocamos uma Starter sólido por um trio de jogadores. Antes tínhamos uma estrela, agora temos 3 jogadores promissores. E convenhamos que depender de um sophomore ( Miller ), um terceiro anista ( Thomas ) e um rookie ( Gillislee ) não é o melhor dos cenários. Isso torna nosso jogo corrido ruim? Não, talvez até consigamos mais jardas, vá saber isso agora. Mas é inegável que é um ponto de interrogação do tamanho da... Flórida!!! Os 3, sobretudo Miller, podem explodir? Claro que podem. Mas também podem ficar no meio do caminho... Sem falar que Bush vinha de duas temporadas espetaculares ( para os padrões dele, é verdade ). E correr mais de 1000 jardas não é nada fácil.
  • Quarterback: Ok, todos já esperavam por isso, é óbvio. Mas eu prometo ser bem realista: Tannehill pode lançar +30 TDs com apenas 15 Ints e para mais de 3500jds? Se sim, a posição não é um buraco. Se não, será apenas o buraco. Qualquer coisa abaixo de 20 Tds e a temporada dele será altamente decepcionante. Ou alguém acha que seria excelente?
Lembrando que o termo buraco é diferente de ruim/péssimo. A caixa de comentários é toda de vocês...