domingo, 20 de abril de 2014

Draft vem ai... mas para quê mesmo?

Entra ano e sai ano, e nós esperando por um Draft redentor... que nunca chega!!!
Este espaço anda, digamos assim, parado. Até demais, diga-se. Criei um outro para comentar assuntos do dia-a-dia da minha cidade e o meu tempo que já era escasso... bom, ficou bem menor. Dada a eterna falta de ajuda, a cobertura de 2014 até aqui é inexistente. Claro que eu pretendo retomar os trabalhos, mas este Draft não me anima.

Primeiro porque não gostei da Free Agency. Na boa, daria para ter conseguido gente com mais, digamos assim, impacto. Foi Albert e só. Os outros são apostas. E só isso. Nada que possa mudar o ritmo das coisas.

Segundo porque a temporada de 2013 foi desanimadora ao extremo. Tudo o que poderia acontecer de ruim, aconteceu. E duvido que não aconteça novamente.

Por fim, tem o Draft. A última escolha de grande qualidade deste time foi a de Mike Pouncey, em 2011. Antes dele, a de Jake Long. E antes dele... deixe-me ver aqui... rapaz, deve ter sido Dan Marino.

Esperar pelo Draft não me anima mais. Tivemos chances de draftar grandes jogadores, mas... entre Tannehills e Davis da vida, o time tem poucos jogadores escolhidos nos 3 primeiros rounds que sejam jogadores impactantes. Do ano passado, ninguém é. De 2012, também não. No de 2011, fora Pouncey... ninguém. Do Draft de 2007 agora só tem Brandon Fields. Um dos únicos 2 jogadores all-stars do elenco escolhidos no Draft. O outro já foi citado neste parágrafo ( alguém pode pensar em Starks, Grimes e Wake, mas é que eles vieram na Free Agency ).

Pois é. Sem falar que em 2012 doamos BM19 para os Bears e o que conseguimos com as duas mariolas recebidas? Nada!!! E ainda draftamos uma AMEBA.

Portanto, esperar por um draft perfeito é UTOPIA. No máximo dois ou três jogadores esforçados no quarto e/ou quinto round... onde quase sempre acertamos a mão. Quase sempre...

Nenhum comentário: