quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

E lá vamos nós mais uma vez...

Terá sido o melhor momento do ataque na temporada?
Este é o oitavo fim de temporada do Miami Dolphins que este Blog cobre. Em 7 deles os posts eram de desalento, de raiva, de fúria até... apenas em 2008 tivemos post alegres, cheios de verdadeira emoção. E sabem o que é mais engraçado? Eu tenho a nítida sensação de que em 2015 será do mesmo jeito. Não me dou mais o luxo de nutrir falsas esperanças. Como disse: só vou acreditar neste time no dia em que ele for a post-season. Cansei de me enganar. Não adianta, apenas aumentar a revolta quando o óbvio acontece: o time invariavelmente decepciona.

Como também disse, a perda da temporada não deu-se domingo em Foxborough. O time não tem qualidade para vencer o Pats duas vezes na temporada. Aliás, este time não tem capacidade para vencer grandes equipes. Tirante a vitória contra o Pats ( muito por causa do forte calor de Setembro em Miami ) e contra o Chargers, qual time com mais vitórias do que derrotas nós vencemos? Tem o Bills... mas sabem como é, jogamos duas vezes contra eles... no mais o time venceu Raiders, Jaguars, Bears e o Jets. Nenhuma dessas equipes tem mais vitórias do que derrotas. Contra os grandes times, Super Bowl Contenders só vencemos o Pats, caindo para Packers e Broncos, além de perder para Lions, Chiefs, Ravens... o time tem perdido para quem tem mais vitórias e vencido quem tem menos... isso é coisa de time medíocre. E não custa nada lembrar o Bills derrotou o Packers!!!

Este time um problema sério: o ataque. Falta qualidade. E falta, como sempre, um Quarterback capaz de conduzi-lo. Pouco me importo se sou voz solitária ao dizer isso aqui no Brasil. Ryan Tannehill não presta para ser QB. Simples assim. Eu sempre disse isso, aliás, eu dizia isso antes de Joe Philbin ser contratado. Sempre deixei claro que seria um erro draftá-lo. O tempo mostrou que eu estava certo.

Mas ele não é o único problema é apenas o maior deles. Duvidam? Imaginem este ataque comandado por Aaron Rodgers. Ou por um Andre Luck. Quem sabe até por um Russell Wilson. Este time estaria, com 100% de certeza, com 10-4. Mas não temos estes QBs e nem sei se um dia teremos alguém deste calibre. Portanto, precisamos pensar em como melhorar o que temos. Mas como?

O primeiro passo é abrir concorrência. O time não vai ter pick para draftar os melhores QBs novatos. Portanto, precisaremos buscar alguém no meio do draft. Se Patriots e Seahawks conseguem, nós temos que tentar acertar. O que de pior pode acontecer? Perder uma ou duas picks? Ora, que novidade... perdemos 3 ou 4 por Draft. Uma a mais uma a menos não vai fazer falta... Mas eu iria além de trazer alguém no Draft, eu buscaria alguém no mercado. Quem? Eu nem faço ideia, mas existirão nomes. Ir atrás do que melhor possa existir. Vez por outra os times cortam jogadores. Com 3 Quarterbacks concorrendo pelo posto de Starter, a tendência é que algo de bom possa acontecer. Pior do que está acho que não dá para ficar...

Como disse dois parágrafos antes, ele não é o único problema, é apenas o maior. E ai temos o lance do jogo corrido. Moreno deve voltar para mais um ano, pois ele é bom jogador. Lamar Miller ainda estará sob contrato de rookie e tem sua utilidade. Porém, precisaremos de mais jogadores. Outra vez, contratar alguém na Free Agency e outro no Draft. Temos que possuir um grupo de corredores, não apenas uma estrela e um backup. Talvez conseguir jogadores que se completem, com um trombador, um mais veloz, outro que receba passes... e assim por diante. Não gastaria uma pick de primeiro ou segundo round, mas um de terceiro em diante vale a pena tentar.

Com mais QBs e RBs, chegamos na Linha Ofensiva. Sim, a OL precisará ainda de reforços. Primeiro eu pensaria seriamente em draftar um Guard no primeiro ou segundo round. Mas não um Guard qualquer, teria que um bem versátil, que pudesse atuar no meio da linha e na ponta. Mas que seja mais Guard do que Tackle, que fique claro. Ou alguém ai quer ver mais de Dallas Thomas em campo? Acredito que não... Por fim, eu buscaria algum Tackle na Free Agency. Não um Top como foi esse ano com o Albert, mas um backup que tenha comprovada eficiência, alguém não passe vergonha. Dá para encontrar. Se teremos competência para isso, é outra coisa.

Fica faltando os recebedores, certo? Pois é... temos Jarvis Landry, que de tão bom jogador nem parece ter sido escolhido por nós no Draft. Ele deverá ser a futura estrela deste time se seguir neste ritmo, até aqui avassalador. Mike Wallace é um velocista e é útil, desde que tenha alguém que possa lançar a bola para ele, é claro. Do modo atual é como ter um Ferrari para andar na Marginal do Tietê em dia de super engarrafamento: não serve para nada. Brandon Gibson e Brian Hartline estão sob contratos longos ( e caros, por sinal ) e não possuem mercado para troca e cortá-los custaria muito dinheiro morto do Salary Cap. Mas eu traria no Draft ( ou Free Agency ) um alvo alto, para ser usado como bola de segurança na End Zone. Quase todos os times possuem um, ao menos os grandes times. Não digo que seria o caso de gastar pick de primeiro round ou de segundo, mas existindo alguém assim no middle rounds, eu draftaria.

Sobre os Tight Ends, bom... Clay é um alvo razoável, mas é bem mais ou menos. E ele é o nosso melhor TE. Isso dá uma ideia de como precisamos melhorar enquanto equipe. Dion Sins tem mostrado alguma evolução, mas nunca será um Martellus Bennett, um Rob Gronkowski e por ai vai... a NFL atual precisa de TEs altos, fortes e que sejam uma ameaça quase que mortal, como um Jimmy Graham. Sonhar demais? Pode até ser, mas como este time o máximo podemos fazer é... sonhar. Nada além disso.

Basicamente é isso o que podemos esperar... Ao menos é o que eu acho deveria acontecer.

5 comentários:

Juba Rivas disse...

Nossa maior necessidade é: reforçar o corpo de LB. Ellerbe e Wheeler vão embora, se Deus quiser. Misi até que se comportou bem quando trocou de posição, mas os tackles que ele perde (Mr. MISIng TACKLE) são duros de aceitar. É bem verdade que temos Jenkins (sempre gostei dele. Desde aquela porrada escrota que ele deu no QB dos Bills ano passado, senão me engano). Porém, ficaremos sem opções para titular e reservas imediatos. Se os Ravens não tivessem draftado CJ Mosley na nossa frente, talvez a gente teria draftado ele. Mas... creio que de primeiro round temos que ir de LB. Depois OL, DL e CB. Achar um QB ali pelo 3º round, quem sabe.

Abdul Jaba disse...

Boa tarde.
Você falou de QB's, no momento que vivemos Tim Tebow seria uma opção aceitável? Mark Sanches, razoável?
Torço para os Dolphins desde que me entendo por gente, nunca sofri tanto por este time.
Ainda existe esperança de classificação com duas vitórias?

Abraços,

Abdul Jaba - Brasília/DF

Flávio Vieira disse...

Parece não ter ficado claro, mas eu me refiro ao ataque. Sendo assim, citei o que fazer com o ataque. farei outro post falando da defesa.

E Abdul Jabar: o time, em tese, pode ir a post-season. Para isso tem que vencer as duas partidas que restam e todos os times a frente perderem as duas.

Fácil não? Por isso eu não considero isso uma possibilidade...

Juba Rivas disse...

É. Ficou meio confuso, principalmente depois que começou falando: "Este time um problema sério: o ataque." Eu não acho que nosso único problema sério é o ataque. Antes dele vem o treinador e depois a defesa. Precisamos melhorar em todos os níveis. Tudo bem que Tannehill não vai ser um QB de verdade na NFL, mas, desde que Marino saiu, ele foi o QB que mais lançou para TD. Então, até encontrar um bom, aquele que pelo menos seja acima da média, ficaremos com ele, criando, claro, concorrência. Não dá pra descartá-lo. Se é melhor que Moore, se conseguíssemos um QB, ter Tannehill de back-up seria muito bom.

Flávio Vieira disse...

o ataque é o principal problema. goste vc ou não, perdemos 4 jogos por culpa exclusiva do ataque. tivessemos vencido a metade, duas, o time estaria com 9-5. E na briga.

simples assim.

ai vc pode citar que duas derrotas foram culpa de defesa. E eu vou concordar com vc. Ai seriam 10 vitórias. Mas isso não a defesa o maior problema.