domingo, 28 de dezembro de 2014

Week 17: Dolphins 24x37 Jets - Um fim de temporada à altura deste time(??)

Perder, perder, perder... esse é o nosso ideal...
Não sei exatamente o que pensar quando o time do Miami consegue perder em casa para time pior, como é o caso do NY Jets. Em 2011 o time negou ao rival a post-season, na despedida do Jason Taylor. Nas últimas 3 temporadas, nós vencemos em NY e eles em Miami. Patético. Aliás, antes de prosseguir, um dado: a dupla Philin/Tannmehil consegue a proeza de não levar vantagem sobre nenhum rival de divisão: 2-4 contra os Bills e Pats e 3-3 contra o Jets. E ainda tem defenda que melhoramos. Ao menos contra os Bills o time de Sparano conseguia vencer... Quando você não consegue impor-se sequer diante dos seus rivais de divisão, nada melhorou. Gostem ou não, essa é a realidade.

Sobre a partida, em si, tenho pouco a falar. Não porque não queira, apenas porque praticamente não o vi, uma vez que a Velox hoje resolveu frescar e passou o dia inteiro com altas instabilidades. Sendo assim consegui ver apenas partes do quarto final, e claramente não gostei nada do que vi... como se explicar que um time que se considere sério tome 23 pontos de um dos piores ataques da Liga sem qualquer resposta? Fácil demais culpar a defesa, que tem sim culpa nisto, não vou aqui defender que não fez por merecer... mas e o ataque? Entrou em campo no quarto final do time na temporada? Eu não vi... se algum viu, me avise e mande a prova.

Como disse durante a semana, a temporada que vem foi perdida domingo passado, quando Stephen Ross - sem qualquer motivo para tanto - bancou Joe Philbin para 2015. E agora eu acrescento: a temporada 2015 começou hoje. E quem viu, sabe que não será nada bom. E vou, digamos assim, listar algumas razões:
  • O que fazer com Kevin Coyle? Todos esperávamos que Joe Philbin fosse demitido. Pois é, ele não foi demitido. E vamos demitir Coyle? Baseados em quê? O que Philbin fez para merecer uma renovação que Coyle não tenha feito? Mas vai além disso: se demitirmos Coyle, como ele merece, conseguiremos alguém de destaque? Alguém pode perguntar: o que uma coisa tem a ver com a outra? Tudo, é claro. Todos os que forem ser entrevistados pensarão duas vezes em embarcar num projeto que claramente já passou do ponto. Acham isso um absurdo? Brian Daboll foi nomeado OC para a temporada 2011 ( aquele em Tony Sparano fora praticamente demitido ) depois de fazer um trabalho até que razoável no Browns, ao lado de Eric Mangini. Sabem o que ele é hoje? Treinador de TEs!!! Portanto, demitir Coyle pode trazer alguém pior. Tudo porque Philbin é quem deveria ser demitido e todos seus Coordenadores caírem com ele. Simples assim;
  • Calendário. Iremos encarar a AFC Sul, com Colts e Texans ( a quem nunca vencemos ) como forças que merecem respeito, contudo teremos Titans e, sobretudo, Jaguars. Mas não teremos Raiders pois o time da AFC West será o Chargers. E em San Diego. E teremos o Ravens, em casa. Dada como foi a partida deste ano, acho que fica claro que está longe de ser uma partida em que devemos ser considerados favoritos. Além disso, iremos encarar a NFC East, com Cowboys e Eagles obtiveram boas temporadas, mesmo que o último não tenha conseguido ir a post-season. O NY Giants não deverá estar tão fraco assim e o Redskins... bom, os Redskins devem ser o deste ano mesmo. Sem falar que o time não consegue mais vitórias do que derrotas dentro da divisão faz tempo. Tudo isso somado, fica claro que conseguir 10 vitórias deve continuar sendo algo bem distante;
  • Draft. Ano após ano o time segue cometendo erros graves no recrutamento. Por mais que alguns possam ver avanços nesta temporada, me digam um jogador fora os dois primeiros que chamou a atenção? Ninguém... Por isso, mesmo quando aparentemente acerta, o time acaba errando: poderia ter ficado com James ( o jogador que a franquia queria ) e ficar com escolhas. Mas, como nunca me canso de dizer: aqui é Miami...;
  • Tannehill. Sim, o QB é o problema deste ataque e o ataque é o problema do time. Eu não vou mudar de opinião e tenho fartos motivos para isso. O que mais me irrita nas pessoas que o defendem é que, quando as coisas não dão certo ele nunca tem culpa. Nunca!!! Sempre tem alguma coisa ou alguém que é o culpado: 2012 eram os WRs, 2013 foi a OL e o Coordenador e em 2014 foi a Defesa. Para 2015 já temos o culpado bem claro: Joe Philbin. Quando em 2015 nada der certo - como é facilmente prever - todos irão culpar o Treinador, dizendo que a demissão dele e a vinda de outro HC vai resolver o problema.
Tem mais, é claro. Mas eu prefiro ficar nestes. O fato é que o time não tem perspectiva de melhores para 2015. A menos que algo sobrenatural aconteça ( como Tom Brady perdendo a temporada em 2008 ), este time seguirá mais um ano sendo eliminado em Dezembro.

Claro que existe a chance de que eu esteja errado e que o time faça 11-5. Mas sinceramente, nem mesmo o mais fanático ( ou lunático ) pode acreditar nisto. E eu já passei da fase de acreditar em Papai Noel ou Coelhinho da Páscoa...

6 comentários:

joao disse...

eu queria saber se você acha que algum QB draftado nos ultimos 2 anos é melhor que Tanehill. Trocar por trocar não adianta nada

Flávio Vieira disse...

bom, a questão minha é que para fazer 8-8 não precisa de um super QB. Algumas pessoas acreditam que até que Tannehill já está perto de ser um QB de elite!!!

eu não faço parte destes é claro. Note que nas três temporadas anteriores a chegada dele, o time fez 7-9, 7-9 e 6-10. Portanto não éramos uma equipe de 2-14 ou 3-13 para que pudéssemos dizer: ele melhorou o time. Não, não melhorou. Matt Moore faria 7-9 também em 2012, porque fizera 6-10 no ano anterior...

se tem ou não QB melhor não vai tornar Tannehill melhor do que ele é... mas eu entendo pessoas que pensem assim, pois é aquela coisa: melhor um Tannehill do que um Henne... mas é um pensamento que, para mim, não leva a nada. Tanto que o time segue onde estava quando ele foi draftado.

este é o meu ponto.

Note-se que na sua segundo temporada EJ Manuel conseguiu fazer o Bills ter sua primeira temporada com mais vitórias em 10 anos!!! Algo que Tannehill foi incapaz de fazer...

Luiz Paulo disse...

EJ Manuel com 11 Tds e 9 interceptações foi responsavel por levar o time a uma temporada com mais vitorias do que derrotas...

Foi mesmo!!

Leandro Silva disse...

Prezado Flávio:

Não sou torcedor do Dolphins. Mas um dos primeiros jogos que vi na NFL foi um Dolphins x Bills entre 93 e 94. Um grande embate entre dois dos maiores que já vi jogar: Dan Marino e Jim Kelly. Sempre nutri um carisma pelo time dos Dolphins desde então.

Acompanho o blog há alguns meses e desde então tenho visto como vc bate no Tannehill cara. E sabe de uma coisa, concordo com vc. Passei a prestar atenção nos (poucos) jogos que passam dos Dolphins e não vejo no Tannehill nada demais do que em outros QB que ano após ano entram e saem da NFL.

Um argumento que sempre uso para expressar esse ponto de vista é: quantos times da NFL dispensariam seu QB para pegar o Tannehill como starter no caso de uma dispensa? Muito poucos. Neste caso ele não serve para um time tão tradicional quanto os golfinhos.

Mas uma coisa eu te falo. O que tem em comum: Steelers, Packers, Patriots e alguns outros poucos times que parecem sempre entra ano e sai ano, disputando os playoffs? Comando técnico e administrativo forte. O dono de vocês é tão maluco quanto o Jerry Jones. Aparece mais que o General Manager. E o técnico dos Dolphins é uma piada. Bem como suas recentes escolhas para coordenadores e no Draft então nem se fala.

Talvez não tenha tanto direito assim de criticar como vc que torce (e sofre) com os Dolphins, mas acredite sei como é. Meu time passou alguns anos definhando desde a glória do SB e só agora com a chegada de um QB de elite é que voltou a ser contender não só aos Playoffs mas ao SB. (Acho que entreguei meu time).

Enfim, já dizia o grande Don Schula:
"Claro, sorte significa muito no Football. Não ter um bom Quarterback é má sorte".

Essa frase resume tudo o que penso dos Dolphins e o que a maioria de seus torcedores também devem pensar.

Um abraço

Flávio Vieira disse...

com o só "só agora com a chegada de um QB de elite é que voltou a ser contender não só aos Playoffs mas ao SB" a minha cabeça só vem o Broncos.

Leandro Silva disse...

Pois é...

Acompanho o American Football a muitos anos, desde a época que passava na Band. Mas era muito novo e não tinha necessariamente um time.

Foi quando um amigo me chamou pra assistir o Super Bowl XXXII entre Broncos e Packers. O atual campeão contra o time de um QB que já estava vendo a luz no final do túnel na carreira, o grande John Elway.

Mas gostei mesmo foi do maluco que pegava a bola e saia correndo quebrando tackles e que ninguém conseguia parar, um tal Terrell Davis. meu amigo que torcia pro Packers ficou muito puto quando acabou o jogo e eu disse que iria torcer pros Broncos dali em diante.

Após a vitória no SB XXXIII contra os Falcons foram 13 temporadas antes da Chegada do tio Manning com apenas 4 idas aos Playoffs e apenas duas vitórias em Post season.

Convivemos com Quarterbacks como: Brian Griese, Jake Plummer, Jay Cutler, Kyle Orton e Tim Tebow. Aliás o Jay Cutler me lembra muito o Tannehill. Até não é mal QB. Mas nunca será Elite e dificilmente conduzirá seu time (os Bears que o digam) a mais que sei lá, uma ida aos playoffs a cada 3 ou 4 temporadas.

Pra mim esse tipo de QB não serve. Assim como acho que Tannehill não serve para os Dolphins.

Valeu Flávio, um abraço.