sexta-feira, 7 de março de 2014

Um plano para recuperar o Miami Dolphins Versão 14.0

Ele é um dos pilares do plano. E o seria da OL também...

Entra ano e sai ano e praticamente nada muda. E quando muda infelizmente é para pior... E mesmo assim todo ano diversos analistas montam um plano para salvar o Miami. Acontece que o Front Office e seus Blue Caps sempre dão um jeito de autodestruir o time. Mas aqui é o Miami Dolphins e todos sabem que desistir não é bem conosco. Eis o plano da vez, postado originalmente no The Phinsider e adaptado por mim.

O time tem uma quantidade razoável de Agentes Livre. Até agora o time só renovou com Brent Grimes ( ainda bem ). Segundo o plano estes seis jogadores o time cortaria e/ou tentaria obter picks em sua negociações: 
  • Dimitri Patterson – Patterson era muito bom quando ele estava no campo, mas apenas quando estava em campo. O custo de US$ 5 milhões é alto, mas tem uma vantagem: seu corte não deixa Dead Money. Precisa de mais para cortá-lo? 
  • Matt Moore – Vamos ser bem sinceros: Moore tem um dos melhores empregos da NFL: recebe salário de Starter médio sem jogar. E sabendo que não vai jogar. Só se o Starter se machucar. Fora isso, ele é reserva mesmo. E ele sabe disso e, portanto, está desmotivado. Cortá-lo nos pouparia US$ 3,5mi em 2014, mas eu estaria pensando mesmo era em conseguir picks pro Draft. Sem falar que o time poderia investir em alguém vindo do Draft, com motivação para vencer. E custando bem menos ainda por cima.
  • Brandon Gibson – Polêmica esta saída. Os fãs devem acreditar que ele melhorou o nível de nossos recebedores. Eu não tenho certeza, mas cortá-lo apenas um ano depois de pagar overpaid nele seria atestado de burrice. Mas isso o Miami faz sempre, não é mesmo? Livra-se um pouco de Cap e o time pode usar o Draft para conseguir alguém para fazer o mesmo trabalho. Talvez até melhor, quem sabe... Quem sabe uma trade ou simplesmente um corte. Custará caro, pois o salário assinado foi de gente grande.
  • Daniel Thomas – Eu estava certo sobre ele. Critiquei sua escolha, mesmo errando ao dizer que ele seria o Pat White 2.0. Esteve longe disso, mas vamos combinar: nem precisa se esforça tanto assim para conseguir isso... É um erro de draft e que nos custou 2 picks adicionais. Ok picks em Miami não querem dizer grandes coisas, mas quando sobe-se pra escolher um bust fica pior ainda. Não concordam?
  • Philip Wheeler – Talvez o pior negócio em Free Agency da década. Talvez dos últimos 20 anos. Óbvio porque tentar negociá-lo, não? Contudo eu tentaria obter uma trade. Sempre tem algum General Manager pior que o nosso...
  • Jonathan Martin - É meio óbvio o porque, não é? Contudo eu tentaria obter uma trade. Sempre tem algum General Manager pior que o nosso...

Após os cortes, chega a hora com quais jogadores devemos renovar ( o plano previa a renovação com Grimes e como ela aconteceu, não tem porque aparecer nesta lista ): 
  • Paul Soliai – Ele quer ficar em Miami e o Miami quer que ele fique. Simples assim.
  • Randy Starks – Complicado que o time consiga renovar com ele e com Soliai, mas vemos diversos times fazendo malabarismos CAP. Quem sabe o Miam, q       eu nos últimos 10 anos nunca teve problema com o CAP, possa conseguir também?
  • Chris Clemons – Escolha complicada. Ele não é um jogador elétrico mas é seguro. E equipes vencedoras se destacam pela manutenção de um elenco, apenas corrigindo problemas pontuais. E ele jogou bem em 2013. E não custa lembrar o erro que foi trocar a dupla Dansby/Burnett por Ellerbe/Wheeler...
  • Nolan Carroll - Carroll é quase tão mal visto como Daniel Thomas entre os fãs, mas Carroll é muito melhor em seu trabalho do que Thomas no dele. Será difícil arruma um backup de qualidade como ele, alguém que fazer bem o seu papel. Com direito a um ou outro brilhareco dentro da temporada.
  • Outros Agentes Livres – Existem alguns RFAs e ERFAs, como Danny Watkins e Armon Binns. Nenhum deles vai conseguir resolver nossos problemas ou comprometerem o Cap caso fiquem. Portanto é, para o plano, irrelevante se o time renova com eles ou não.

Com os cortes feitos acima o time abriria espaço em seu Cap Room para sonhar em ter jogadores de grande qualidade no elenco. A linha ofensiva é a área de maior necessidade, especificamente nas posições de Tackles. Portanto, essa é a área que eu vou direcionar mais: 
  • Eugene Monroe – Seria a prioridade zero. Só poderemos descartar Tannehill ( ou confiar totalmente nele ) se o time tiver uma Linha Ofensiva decente. A escolha por Monroe em detrimento de Brando Albert se dá pela idade ( 27 x 30 ). O que emperra é que o Ravens trocou uma escolha de quinto round por ele ( e nós uma de sexto por um atleta quase aposentado do próprio Ravens!!! ) Até o dia 12, quando o abre o mercado, ficaremos esperando. Se o Ravens não renovar, o Miami tem que pegá-lo. Caso o Ravens consiga mantê-lo, ai seria o caso de contratar Albert.
  • Jon Asamoah – Miami precisa de 4 ou 5 novos OLs nesta temporada. Alguns postos podem ser ocupados por alguém dentro do elenco atual como Garner ou Thomas. Mas não podemos confiar 100% nisso. Asamoah é um bom Guard, que poderia começar imediatamente como RG e seria uma atualização sobre John Jerry.
  • Maurice Jones-Drew – Precisamos de um Powerback. Ele é um powerback. Precisa mais?

Uma vez que tenha sido resolvido o problema de LT na Free Agency, Miami é livre para escolher os melhores jogadores possíveis, sem se importar tanto em posições. No cenário sugerido o time teria trocado Wheeler, Moore e possivelmente Martin. É complicado prever o que conseguiríamos com estes negócios de Moore e Wheeler, mas o mais provável seriam picks de quinta rodada e com Martin uma de sexto round. Pode-se conseguir mais ou nem mesmo isso. Sendo assim, lá vamos nós: 
  • Round 1, Escolha 1: CJ Mosley – Mosley é um candidato azarão neste draft, simplesmente porque todo mundo acredita que a escolha será um OT ou um TE. Mas ele é um ótimo FIT para a defesa e é ainda melhor na cobertura - fraqueza atual grupo de linebackers. Seria como ter um novo Zach Thomas...
  • Round 2, Escolha 1: Donte Moncrief – Moncrief pode ser desconhecido agora, mas ele tem todas as ferramentas para ser um grande receptor. Ele tem boas mãos, corre bem as rotas e tem agilidade. A maior preocupação com ele seria a velocidade, mas ele respondeu a isso conseguindo 4,40s  no Combine.
  • Round 3, Pick 1: JuWuan James – Outro jogador de linha ofensiva de Tennessee? No entanto, eu não acho que isso é um grande problema. A maioria das pessoas considera Thomas um Guard, mas os técnicos insistiram em fazer dele um tackle. Neste sentido a escolha de Lazor irá corrigir isso e colocar Thomas na posição de Guarda em tempo integral, onde eu acredito que ele pode render mais. James é sem dúvida um Tackle, sendo mais indicado para atuar na direita, além de que pode contribuir abrindo preciosos espaços pro jogo corrido.
  • Round 4, Escolha 1: Brandon Thomas – Thomas teve um bom Combine e pode subir até mais no Draft, mas por enquanto, ele é um Fit de quarta rodada. Thomas tem bom tamanho e capacidade atlética para o esquema de bloqueios em zona e iria oferecer concorrência imediata para todos os outros guardas no elenco.
  • Round 5, Pick 1: Aaron Murray – Em condições normais ele sairia mais cedo, mas ele está saindo de uma lesão. Murray seria um verdadeiro competidor pela posição de titular com Tannehill. Não é que ele chegaria e viraria titular,  mas ele seria uma melhora com relação ao totalmente desmotivado Moore.
  • Round 5, Pick 2: James Hurst – Outro Guard? Sim, pois temos que refazer o setor inteiro. Hurst poderia ser um jogador de first round, mas sua contusão no Bowl o fará cair consideravelmente. Em minha opinião, o pior cenário para Hurst é ser um versátil jogador versátil, semelhante a Nate Garner .
  • Round 5, Pick 3: Jerick McKinnon – Mesmo que o Miami traga MJD, o time vai precisar de mais talento no backfield. Um jogador tamanho decente e excelente velocidade (4,41s no Combine ). McKinnon pode não sobrar até esta pick, mas se assim for, vale a pena dar draftá-lo.
  • Round 6, Escolha 1: Tevin Reese – Quando Wallace alinha, o outro time destaca seu mais rápido e/ou melhor CB para marca-lo. Sendo assim adicionar outro jogador veloz por ser uma boa. Reese pode se tornar este jogador. Ele pode, se bem desenvolvimento, uma outra ameaça em termos de velocidade.
  • Round 7, Escolha 1: Colt Lyerla – Philbin jamais o draftaria, pode argumentar o amigo leitor. Ele tem uma lista corrida de confusões que eu nem vou citar, mas é extensa demais. Mas imaginando que temos um novo General Manager e que ele traga uma nova filosofia, a escolha faria sentido. Talento Lyerla tem de sobra e o time precisa achar rapidamente um Tight End que possa ser dominante. E se ele aprontar? Cara estamos falando de uma pick de sétimo round e o salário dele nem contaria pro Cap ( onde só entram os 51 maiores salários ). Normalmente picks de sétimo round são cortados logo no meio da Training Camps, portanto seria uma prejuízo mínimo. Sem falar que estamos carecas de errar no primeiro round, portanto...

Este plano poderia dar certo? Sim, claro que poderia. Assim como poderia dar errado. Mas até ai, todos os anteriores também deram, não é mesmo?

segunda-feira, 3 de março de 2014

Grimes renova

Ele está feliz. E nós também estamos
Deu a pouco no Facebook do Phinstones de que Brent Grimes e Miami Dolphins chegaram a um acordo de longa duração. Serão 4 anos de contrato por 32 milhões de reais, com metade disso garantidos. Como tem sido padrão em Miami, a rigor, o contrato é de 2 anos por 8 milhões por temporada, com a possibilidade do Dolphins estender o contrato ao fim do segundo ano. É assim com Wallace.

Aliás, algumas fontes sugerem que o Dolphins estaria tentando trocar ele. Até ai tudo bem, pois de que adianta um velocista pago a peso de ouro se o QB que temos não consegue acertar um passe pra ele? O problema é que falam também em uma tentativa de trocar Cameron Wake!!! Ai é loucura. Mas em se tratando de Miami, isso surpreende alguém?

Oficial, ele renovou sim. Tem até foto: