sábado, 3 de janeiro de 2015

Só lembrando: Miami Dolphins vai modernizar o Sun Life Stadium

A pergunta é óbvia: para quê, sem time?
O Miami Dolphins planeja jogar a temporada 2016 num estádio com esta configuração desta foto. Motivo? Bom, o estádio realmente estava ficando para trás na questão conforto, mas o time na verdade está buscando é voltar a sediar Super Bowls, que tem procurado novas casas, tanto que depois de mais de 20 anos vai voltar para a Costa Oeste. Stephen Ross tentou obter financiamento do Condado de Dave, onde fica o estádio, mas não conseguiu. Assim, ele resolveu bancar toda a reforma. Só que isso é contra as regras da NFL, que prevê que a cidade se envolva na questão dos estádios ( para evitar que times ricos possam ser tornar ainda mais ricos ). Assim ficou acertado que quando o Sun Life receber o Super Bowl, o Miami receberá uma compensação em dinheiro, referente aos impostos que a cidade receber. Assim a regra da liga é cumprida e o time reforma a sua casa.

Mas a pergunta que fica é: e o time? Eu quero é vencer Super Bowl, não sediá-los.

Antes de mais nada, qual é o maior problema do Miami?

O trio que vai preparar mais uma temporada. Porque pensar que será diferente das outras 6 anteriores?
Identificar o problema é o primeiro passo para alcançar o sucesso. Só que se isso fosse fácil, a NFL teria quase todos os times com temporadas de 8-8 ou perto disso e pouquíssimas equipes com mais do que 10 vitórias por ano. Simples assim. Diversas idas a post-season seriam decididas no sorteio, tamanho seria a equilíbrio. Mas na realidade não é assim.

Partindo do pressuposto acima, qual é o maior problema do Miami Dolphins?

a) Comando;
b) Gerenciamento;
c) Coaching;
d) Liderança dentro de campo
e) Má qualidade do elenco;
f) Todas as alternativas.

Todos que leem este espaço sabem muito bem que eu acho que a resposta é a letra F. Por mais que eu não goste e Ryan Tannehill ( e eu não gosto ) a culpa, em último caso, é de quem o draftou ou quem permitiu que alguém o draftasse. O time perdeu diversas oportunidades em Drafts, mas tantas, que eu li nos Sites dos EUA que se Hickey repetir a mão o time poderia chegar até no Super Bowl!!! Pois é, quando seu GM é Jeff Ireland, quem fizer alguma coisa parece mágico. Não, eu não achei que Hickey tenha feito um grande trabalho. O time segue sem LBs e ele perdeu uma excelente chance de ganhar picks para seguir com o jogador que ele escolhera. Por mais que James tenha sido ótimo como Rookie, a sua escolha segue sendo errada. A escolha, não ele. Que isso fique bem claro.

Hickey terá que mostrar seu trabalho, mas não caiamos em uma armadilha bastante comum: reconstruções levam tempo. Casos como o do Broncos, que era uma piada antes e hoje é uma potência apenas com a chegada de um jogador acontecem uma vez por década e olhe lá. Ele precisará de mais dois Drafts para, quem sabe, tornar este time forte o bastante para que possamos voltar a dizer: somos grandes. Duvidam? O que este time faria hoje diante de Steelers ou Colts além de realizar outras partidas frustrantes? Eu mesmo não vejo este time atual vencendo uma partida na post-season. Se fosse capaz disso, teria vencido Packers, Lions e Ravens na temporada regular. E não perderia para Bills e Jets.

Aliás, isso me trouxe outro pensamento: O Patriots só vai perder o comando da divisão quando um dos seus 3 rivais conseguirem um QB melhor do que Tom Brady. Simples assim. E nenhum dos 3 sequer chegou perto de conseguir um bom, quanto mais alguém que possa encarar Brady de frente e derrotá-lo. Por isso, se quiser, ele joga fácil até os 40 anos com chances de ir ao Super Bowl, porque sempre vai vencer a divisão.

Qual é então o problema central? Para mim vem de cima, ou seja, do proprietário Stephen Ross. Ele que perdeu a chance de contratar um Coach de verdade ( Jim Harbaugh ), que demorou além da conta de demitir um General Manager horrível ( Jeff Ireland ), que poderia ter limpado tudo ao fim de 2013 ( por causa do Bullying Gate ) e que agora resolveu manter no comando time alguém que nada fez para merecer isso ( Joe Philbin ).

Dentro de campo os melhores jogadores continuam sendo atletas que vieram do FA ( Wake e Grimes os melhores ) e um elenco sem líderes, sem aquele jogador que possa resolver uma partida apenas no seu talento.  Assim fica bem complicado, ainda mais numa liga em que equipes que eram ruins conseguem melhoras e as que eram boas se mantém no topo ser apenas mediano é o mesmo que nada. O time precisa arrumar um líder. 

Será que o trio acima tem capacidade para isso?

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Quer saber em que posição entre os QBs da NFL Ryan Tannehill está?

Posicione nosso QB entre todos na NFL...
Soube a pouco, via Phinsider de uma votação bem interessante: os leitores posicionam os QBs dentre todos os Starters da NFL. Eu já votei e aviso aos amigos: não votem com o coração e sim com a razão. Não entrem para colocar Tannehill como o primeiro e Andrew Luck com o 10º. Entrem e o posicionem fora do Top Ten, porque dentro com 100% de certeza ele não está. Escolham uma posição e votem. A coisa é séria...

Onde eu o posicionei? Bom, eu parto do princípio de que ele teria sérios problemas para arrumar o posto de Starter entre uma das 15 melhores franquias...

Ano novo com novos desafios

Hudle Brasil: o novo desafio deste blogueiro
Durante o ano de 2014, diversos fãs de NFL reuniram-se no entorno de um objetivo: montar um site para outros fãs. Algo natural, uma vez que o esporte se tornando a cada dia mais popular no Brasil e existe uma carência enorme de conteúdo de qualidade em português.

Fiz parte desde o começo, quando a ideia era apenas - digamos assim - visionária. Agora, perto do lançamento do site ( sem data ainda definida ), estamos em ritmo mais forte e hoje repassei meu primeiro texto. Obviamente que não serei dois, um aqui e outro lá, contudo por lá a abordagem será diferente, já que farei parte de uma grande equipe e com objetivos e visões diferentes das que um Blog demanda. Não serei menos duro nas opiniões, apenas o modo como farei críticas e elogios será, digamos assim, mais comedido. Mas não esperem por elogios a Ryan Tannehill por lá. Apenas, e quando, ele merecer.

Por enquanto quem quiser pode entrar e conferir matérias no Grupo Huddle Brasil, mas muito em breve estaremos com o site no Ar. Espero contar com o apoio que tenho tido e, claro, com as críticas que recebo, pois acreditem elas me ajudam muito mais do que as pessoas pensam.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Hora de assistir Football e sonhar

Dia de muito footballl e conhecer melhor quem pode aparecer no Dolphins em Maio

2015 começa com muito FA na ESPN, com direito ao primeiro dia de playoffs no College Fotball. Neste momento em que escrevo está rolando Oregon Ducks contra Florida State Seminoles ( vitória dos Ducks por 18 x 13 ) em uma grande partida até agora.

Se você já está recuperado da virada do ano, se ligue no canal e veja duas partidas que entram para a história.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz 2015

Tá quase acabando...
Em pouco menos de 12 horas, estaremos vivenciando um ano novo cheio de oportunidades, 365 para ser mais preciso. O que faremos de cada um desses dias é o que definirá se o ano será bom ou não.

Desejo a todos uma virada de ano tranquila e um 2015 cheio de paz, saúde e muita energia. Ao nosso querido e imensamente sofrido time, ao menos uma vitória a mais do que neste ano. Seria pedir demais? 

Daqui a um ano saberemos...

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Finda mais uma temporada frustrante, voltemos a pensar em Draft

Quem sabe ano que vem...
A foto e a frase abaixo dela não foram escolhidas ao acaso: pela sexta vez seguida ( e pela 11ª em 12 anos ) é o que determina o fim de temporada do Miami. Goste-se do QB que temos ou não, o ano que vem sempre será melhor até que... a temporada comece!!! Quando os playoffs chegam, o Miami sempre volta-se para tentar entender o que deu errado e como resolver os ( inúmeros ) problemas. Para a maioria não precisamos nos preocupar com QB e todos sabem que eu nem em sonhos ( ou seria melhor dizer pesadelos?? ) concordo com isso. Mas uma coisa é certa: não iremos draftar QB algum no próximo Draft... no máximo trazer um ou dois UDFA. Tudo porque o posto de QB do Miami é de Tannehill. Goste-se disso ou não. Portanto este texto não vai falar mais dele, ao menos não como problema. Garanto isso.

O Miami Dolphins vai escolher na 14º posição. Não é uma ótima posição, é verdade, mas ao menos estaremos mais próximos do Top Ten. E isso me dá algumas ideias, sendo a primeira delas subir no draft para draftar um estrela, um jogador que possa mudar o nível da posiçao e do setor em que vá atuar. O Miami Dolphins tem sido conservador ao extremo Draft, exceção feita a 2013 quando queimamos uma pick de segundo round para irmos até a escolha de número 3 e escolher Dion Jordan. Que até aqui, em duas temporada inteiras, não fez grandes coisas, diga-se de passagem. 

Subir não é, portanto, o usual em Miami. Descer tem acontecido mais, mas normalmente o time escolhe ( errado ) na posição em que esteja localizado. Que eu me lembre descemos em 2011, quando escolhemos Jared Odrick e conseguimos uma escolha de segundo round na trade com o Chargers ( recuperando assim a pick cedida ao Broncos por Brandon Marshall, um raro caso de ousadia do front office ). No mais, onde o time foi posicionado é onde escolhemos. Vide este ano quando o time poderia ter angariado ótimas picks e mesmo assim ficar com Ja'Wuan James, a quem critiquei não como jogador ( ele acabou sendo para lá de útil na temporada ), mas por não terem trocado para descer. Mas enfim... aliás, este ano foi contrário à tudo o que vinhamos fazendo em drafts: acertando no Midle e Late rounds e errando frondosamente nos primeiros. Ou alguém ai consegue ver alguém que foi destaque após Jarvis Landry? Terence Fede apareceu em alguns momentos, mas só. Os outros ( que seriam jogadores de grupo ), nem deram as caras. Ficaram, todos, devendo.

Mas quem seria o jogador a ser escolhido? Em que posição, caso não escolhamos o BPA ( Best Player Avaliable )? Bom, ainda é cedo, mas eu penso que devemos escolher um LB, o melhor que sobrar. Em segundo lugar um Safety, depois Cornerback ou ainda um Guard. Teoricamente, de recebedores não precisamos. Se sobrar um powerback eu até draftaria um. Acho que DL não será necessário, a menos que um monstro da posição esteja disponível. Teremos muito tempo para pensar em quem o time vai draftar. Em tempo, deixo para os leitores o cronograma de datas de toda a off-season:



Pensar em Draft é pensar no futuro. Mas o histórico recente não nos permite imaginar que um salvador da pátria vá aparecer em Miami. O mais correto neste caso é esperar alguém que possa, no máximo não decepcionar. Não nutro mais falsas esperanças. Não mais acreditarei que na temporada que vem será melhor. Porque pouco provavelmente será...

domingo, 28 de dezembro de 2014

Week 17: Dolphins 24x37 Jets - Um fim de temporada à altura deste time(??)

Perder, perder, perder... esse é o nosso ideal...
Não sei exatamente o que pensar quando o time do Miami consegue perder em casa para time pior, como é o caso do NY Jets. Em 2011 o time negou ao rival a post-season, na despedida do Jason Taylor. Nas últimas 3 temporadas, nós vencemos em NY e eles em Miami. Patético. Aliás, antes de prosseguir, um dado: a dupla Philin/Tannmehil consegue a proeza de não levar vantagem sobre nenhum rival de divisão: 2-4 contra os Bills e Pats e 3-3 contra o Jets. E ainda tem defenda que melhoramos. Ao menos contra os Bills o time de Sparano conseguia vencer... Quando você não consegue impor-se sequer diante dos seus rivais de divisão, nada melhorou. Gostem ou não, essa é a realidade.

Sobre a partida, em si, tenho pouco a falar. Não porque não queira, apenas porque praticamente não o vi, uma vez que a Velox hoje resolveu frescar e passou o dia inteiro com altas instabilidades. Sendo assim consegui ver apenas partes do quarto final, e claramente não gostei nada do que vi... como se explicar que um time que se considere sério tome 23 pontos de um dos piores ataques da Liga sem qualquer resposta? Fácil demais culpar a defesa, que tem sim culpa nisto, não vou aqui defender que não fez por merecer... mas e o ataque? Entrou em campo no quarto final do time na temporada? Eu não vi... se algum viu, me avise e mande a prova.

Como disse durante a semana, a temporada que vem foi perdida domingo passado, quando Stephen Ross - sem qualquer motivo para tanto - bancou Joe Philbin para 2015. E agora eu acrescento: a temporada 2015 começou hoje. E quem viu, sabe que não será nada bom. E vou, digamos assim, listar algumas razões:
  • O que fazer com Kevin Coyle? Todos esperávamos que Joe Philbin fosse demitido. Pois é, ele não foi demitido. E vamos demitir Coyle? Baseados em quê? O que Philbin fez para merecer uma renovação que Coyle não tenha feito? Mas vai além disso: se demitirmos Coyle, como ele merece, conseguiremos alguém de destaque? Alguém pode perguntar: o que uma coisa tem a ver com a outra? Tudo, é claro. Todos os que forem ser entrevistados pensarão duas vezes em embarcar num projeto que claramente já passou do ponto. Acham isso um absurdo? Brian Daboll foi nomeado OC para a temporada 2011 ( aquele em Tony Sparano fora praticamente demitido ) depois de fazer um trabalho até que razoável no Browns, ao lado de Eric Mangini. Sabem o que ele é hoje? Treinador de TEs!!! Portanto, demitir Coyle pode trazer alguém pior. Tudo porque Philbin é quem deveria ser demitido e todos seus Coordenadores caírem com ele. Simples assim;
  • Calendário. Iremos encarar a AFC Sul, com Colts e Texans ( a quem nunca vencemos ) como forças que merecem respeito, contudo teremos Titans e, sobretudo, Jaguars. Mas não teremos Raiders pois o time da AFC West será o Chargers. E em San Diego. E teremos o Ravens, em casa. Dada como foi a partida deste ano, acho que fica claro que está longe de ser uma partida em que devemos ser considerados favoritos. Além disso, iremos encarar a NFC East, com Cowboys e Eagles obtiveram boas temporadas, mesmo que o último não tenha conseguido ir a post-season. O NY Giants não deverá estar tão fraco assim e o Redskins... bom, os Redskins devem ser o deste ano mesmo. Sem falar que o time não consegue mais vitórias do que derrotas dentro da divisão faz tempo. Tudo isso somado, fica claro que conseguir 10 vitórias deve continuar sendo algo bem distante;
  • Draft. Ano após ano o time segue cometendo erros graves no recrutamento. Por mais que alguns possam ver avanços nesta temporada, me digam um jogador fora os dois primeiros que chamou a atenção? Ninguém... Por isso, mesmo quando aparentemente acerta, o time acaba errando: poderia ter ficado com James ( o jogador que a franquia queria ) e ficar com escolhas. Mas, como nunca me canso de dizer: aqui é Miami...;
  • Tannehill. Sim, o QB é o problema deste ataque e o ataque é o problema do time. Eu não vou mudar de opinião e tenho fartos motivos para isso. O que mais me irrita nas pessoas que o defendem é que, quando as coisas não dão certo ele nunca tem culpa. Nunca!!! Sempre tem alguma coisa ou alguém que é o culpado: 2012 eram os WRs, 2013 foi a OL e o Coordenador e em 2014 foi a Defesa. Para 2015 já temos o culpado bem claro: Joe Philbin. Quando em 2015 nada der certo - como é facilmente prever - todos irão culpar o Treinador, dizendo que a demissão dele e a vinda de outro HC vai resolver o problema.
Tem mais, é claro. Mas eu prefiro ficar nestes. O fato é que o time não tem perspectiva de melhores para 2015. A menos que algo sobrenatural aconteça ( como Tom Brady perdendo a temporada em 2008 ), este time seguirá mais um ano sendo eliminado em Dezembro.

Claro que existe a chance de que eu esteja errado e que o time faça 11-5. Mas sinceramente, nem mesmo o mais fanático ( ou lunático ) pode acreditar nisto. E eu já passei da fase de acreditar em Papai Noel ou Coelhinho da Páscoa...