sábado, 19 de dezembro de 2015

Analisando o elenco: Recebedores

Landry já é uma estrela de primeira grandeza....
enquanto que Parker poderá ser um em breve
Miami nunca foi, digamos assim, terra de grandes Wide Receivers. Dupla de grande nível, talvez, só os Marks ( Duper e Clayton ), a dupla dos primeiros anos de Dan Marino em Miami. Tivemos alguns bons recebedores, mas por pouco tempo ou perdidos por falta de Quarterbacks. Dentre estes estao OJ McDuffie e Chris Chambers. Também sempre buscamos os nossos no draft, nunca na Free Agency. 

A primeira grande troca veio em 2010 quando adquirimos Brandon Marshall junto ao Denver Broncos. Eram tempos de Chad Henne e Matt Moore e mesmo assim ele superou a marca das 1000 jardas, porque muitas vezes era jogar a bola para cima e ele conseguir agarrá-la. Depois, em 2012, o doamos para o Chicago Bears por duas escolhas de terceiro round, pelas quais conseguimos Dallas Thomas ( ainda no elenco ) e um tal de Michael Egnew ( fora da NFL desde 2014 ). Grande troca né? Ai em 2013 trouxemos via Free Agency, a peso de ouro, Brandon Gibson e Mile Wallace, porque Tannehill só se tornaria um QB de alto nível com grandes recebedores... pois é, os dois foram cortados/trocados após dois anos e ficamos com Cap Hit monstruoso. Mas 2014 trouxe também uma boa surpresa: um acerto em draft.

Jarvis Landry é o que podemos considerar jogador espetacular que o Miami faz questão de ignorar no draft. Mas sabe-se lá porque o draftamos. E até agora ele tem surpreendido a todos com uma evolução incrível e está atuando em altíssimo nível, apesar do QB ser uma porcaria. Ele tem mitado nos retornos, nas corridas e tem feito recepções monstruosas. Até mesmo interceptação certa ele já conseguiu salvar. Tem feito um excelente papel e mostra-se capaz de comandar o ataque quando tivermos um Quarterback. 

E, mais incrível ainda, este ano fomos atrás de outro WR no draft: DeVante Parker. Ele, ao lado de Landry, tem condições de formar uma grande dupla. Parker está passando pelas dificuldades naturais da temporada de novato e ainda teve uma cirurgia para complicar, mas ele já deu alguns sinais - sobretudo nas partidas mais recentes - e ele já parece mais aclimatado com a NFL. Ele e Landry podem ser o esteio pelas próximas 3 temporadas... até que Landry vire Free Agent e talvez saia... ou não. Mas se ficar vai custar caro, bem caro.

O setor, a meu ver, não necessita de reforços para 2016. Temos o velocista ( Kenny Stills ) e um bom reserva ( Rishard Matthews - que é Free Agent ). Temos outras peças no elenco, mas nenhum até agora reluziu... o problema está entre os Tight Ends: Jordan Cameron não se mostrou tao forte como se esperava e Dion Sims... bom, Sims é uma decepção. Precisamos de um TE para ser o Gronkwoski. Gastar pick com um jogador para tentar resolver este problema é vital, mas qual round é o certo? Bom, se tiver um BPA fora-de-série nao podemos deixá-lo passar. Mas isso só a partir do segundo round, no primeiro precisamos de outras posições.

Se tem um setor sem grandes buracos são os nossos WRs, o que já é meio caminha andado para um ataque forte. Acho que não preciso dizer quem é responsável pela outra metade, não é mesmo?

Nenhum comentário: