sábado, 12 de dezembro de 2015

Um olhar sobre o elenco, por setores, e a necessidade de reforço via Draft/Free Agency

Temos muito o que melhorar, mas saber onde e como é o fundamental...
Times, em todos os esportes, nunca estão 100% prontos. Sempre falta alguma coisa. Ok, o Dream Team de 1992 não tinha buracos, mas é a exceção que confirma a regra. Nos esportes dos EUA, com Draft e limites salariais, os GMs sempre terão que fazer escolhas complexas: manter aquela estrela ou voltar-se para o draft? Manter um time coeso ou ter 3 ou 4 super salários? Existem exemplos aos montes e o meu Lakers parece ser um caso a ser estudado ( e sobretudo não ser seguido ) pelas outras franquias.

Na NFL, dada a magnitude dos elencos, sempre saem e entram jogadores. Em franquias vencedoras porque falta Cap e em times perdedores porque falta projeção para carreira dos atletas draftados. Algumas, por ficarem no meio do caminho e nao conseguirem vencer, sempre dao contratos insanos a Free Agents que saíram para encherem o bolso de grana ( alguém ai pensou em Mike Wallace e Ndamukong Suh? ). Enfim, sempre vai ter um Miami achando que vai tornar-se vencedor pela Free Agency. Para cada equipe que venceu usando a Free Agency tem 10 que venceram via draft. Essa é a realidade.

Quem é o All-Star desta equipe que veio pelo Draft? Nosso Center Mike Pouncey? O irregular Reshad Jones? Jarvis Landry já merece essa pecha? Talvez mereça, talvez seja forçar a barra. Pode ser que DeVante Parker vire... pode ser. Alguém mais? Olivier Vernon não é, com certeza. Nem Lamar Miller. Enfim, eu poderia ficar aqui citando todos os Starters que vieram do Draft e talvez só achemos 2 que podem ser considerados - forçando a barra para isso - All-Star. O Bills tem 2, o Jets tem ao menos 4. o Browns tem 2 ( e eles sao ruins pacas )...

Por isso irei olhar setor por setor numa análise crítica e densa, olhando quem está hoje, as perspectivas de evolução dos atuais jogadores do setor, a necessidade de reforço e se o faria no Draft. Acho que no ano que vem deveremos esquecer a Free Agency por um motivo bem claro: os contratos de Branden Albert, Ryan Tannehill e Ndamukong Suh - somados - vão ocupar 50 milhões no Cap, um terço do total que teremos para gastar. E isso tendo que assinar com vários jogadores Starters, tais como Lamar Miller, Olivier Vernon, Cameron Wake e cia...

Um setor por dia. Começando neste sábado com os... Quarterbacks, é claro. Poderia ser outro o setor? Acho que não...

Nenhum comentário: