sábado, 4 de abril de 2015

Estrelas do Draft: DeVante Parter, WR - Louisville

Ele com um QB All-Star tem tudo para virar um dos 10 melhores da NFL...

Existe uma certeza em quase todos os Mocks sendo feitos: Miami vai de WR e o escolhido, em praticamente todos eles é DeVante Parker. E existem motivos de sobra para isso, que vão desde termos mandado todos nossos melhores alvos embora ao fato dele ser, possivelmente, o único que valha a pick que temos ( existem outros, mas que eu duvido que sobrem para nós ).

Parker é um primeiro talento rodada, sem sombra de dúvida. Ele provavelmente deve ser um a escolha Top 15 no dia 30. Seus números como sênior foram 43 capturas, 855 jardas e cinco touchdowns. Ótimo, pode pensar o amigo leitor. E se eu lhe disser que ele conseguiu isso ficando fora de 7 jogos da temporada? Duvido que você não tenho ficado impressionado.

Contudo, se ele perdeu partidas é porque se machucou. E sim, a durabilidade dele é, de fato, uma questão a ser pensada. Mas para isso existem exames médicos que podem prever ou minimizar eventuais erros. 

Ficha Técnica:

Altura: 1,91 cm - Peso: 96 kg - Idade: 22 anos ( 20/01/1993 )

Combine: 

40 jardas: 4,45 - Bench: 17 repetições

Números da Carreira:


Pontos Positivos: 
  • Produção. Ele teve um impacto imediato em seu primeiro ano. E o manteve durante a carreira, sendo constante e até melhorando seu desempenho;
  • Concentração: Sempre acompanha a bola e mantém seus olhos na recepção, ou seja, primeiro recebe para depois pensar no que fazer. Isso significa menos drops na NFL;
  • Mãos: Ele teve creditados apenas 3 drops em 3 anos. Precisa dizer mais alguma coisa?;
  • Tamanho: Faz ótimo uso de sua altura e aproveita a envergadura para pegar bolas complicadas que vem próximas. Para quem vai receber passes de Tannehill é uma qualidade super importante, mais que qualquer outra;
  • Red Zone: É uma ameaça no fim do campo, ao contrário de outros que somem na hora de marcar Touchdown
  • Compreensão do Jogo: Ele não tem velocidade de elite, mas ele tem uma grande sensação para a posição. Ele volta quando ele precisa, ele desvia da cobertura quando precisa, e ele utiliza uma série de movimentos bem treinados para conseguir livrar-se da marcação.
Pontos Negativos:
  • Lesão em 2014 o manteve fora por 7 jogos, vale a pena manter um olho;
  • Não tem velocidade de elite, mas isso não o impediu de fazer grandes jogadas;
  • Não é um refinado corredor de rota e precisa melhorar os seus cortes mais bruscos;
  • Ele não é muito físico ( muito magro ), pode sentir o jogo mais duro na NFL;
  • Não irá ajudar nos bloqueios com certeza. Seria uma temeridade usá-lo nisso;
  • Sua baixa aceleração com certeza é algo contra si, mas como Tannehill é um dos 5 piores QBs da NFL na bola longa, isso não deve ser um grave problema.
Conclusão:

Eu realmente gosto do que vejo em Parker e acho, realmente, que ele poderia ser um receptor de elite na NFL. Seu raio de captura e de produção é apenas assustador. Ele vai ter um impacto tipo Kelvin Benjamin na Red Zone. Eu gosto, sobretudo, do fato de que ele não dropa passes e ainda consegue pegar os que vão fora da sua zona de ação. Eu sigo achando que o correto seria pegar um CB ou um OLB, mas se escolhermos Parker faremos algo menos arriscado do que nas temporadas anteriores.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Acreditem: Miami assinou com Josh Freeman

Essa contratação não é coisa de primeiro de abril. Por mais que pareça...
Eu não ia comentar isso, mas um embate com um outro torcedor do Miami motivou-me a escrever algo sobre essa mega contratação: com buracos em diversos lugares ( e na posição de QB ), o Miami assinou um contrato de um ano com Josh Freeman. Sim, o QB que foi draftado em 2009 pelo Buccs e que nunca foi nada por lá... Estava recentemente no Vikings. Não tem nada de nada na carreira. Mas o Miami Dolphins resolveu gastar dólares com ele.

Ai eu pergunto ao amigo leitor: para quê? Ryan Tannehill será o Starter mesmo que entregue as 16 partidas da temporada. E se o time pensava em contratar outro QB para ser reserva, porque empacou grana com Matt Moore? Se é para ser RESERVA independentemente do que faça Tannehill, até um QB UDFA ( mais barato, diga-se ) serve. Mas aqui é Miami...

E ainda tenho que ver blog por ai postando: "Concorrencia para Tannehill"?. Ai é de lascar...

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Quem draftar?

Existe uma chance imensa de um dos dois serem nossos jogadores
Eu gosto de ler antes de fazer um post. Não é só porque gosto realmente de ler sobre os assuntos que me interessam, mas sobretudo porque não tem como fazer um post decente sem saber o que está rolando por ai. E nisso eu leio até o outro Blog que, se propõe, cobre o Miami Dolphins. Muitos do que lá estão já foram colaboradores por aqui. Hoje, mais do que torcedores do Miami Dolphins, eles são defensores de Ryan Tannehill. Mas eu leio sim o que se posta por lá, como leio o Phinsider e acompanho, via Twitter Omar Kelly e Armando Salgeiro, dois dos melhores insider do Dolphins.

Pois bem, quando terminou a temporada havia uma sensação no ar: precisamos de LBs e CBs ( eu sempre disse que antes disso tudo precisa de um QB, mas sei que sou voto vencido nessa ) já que a defesa foi uma decepção a partir da metade da temporada. Talvez um novo DT para melhorar a qualidade do setor vindo pelo draft e tals. Mas aqui é Miami Dolphins, nunca se esqueçam disso... alguns, é claro, esquecem. Eu não.

O time foi atrás de um verdadeiro talento, um All-Star para a sua posição: Ndamukong Suh. Não nego que ele esteja entre os 5 melhores DTs da Liga. É fato e eu não costumo ir contra os fatos, mas a questão é: era o que precisávamos agora? Não, com certeza. Tanto é que os dois DTs que o time tinha no elenco e deixou que fosse embora arrumaram empregos bem rápido: Randy Starks e Jared Odrick ( outra escolha de primeiro round perdida ). E mandou embora o quarteto de recebedores que seria o melhor da NFL segundo alguns em 2013: Mike Wallace ( trocado com o Vikings ), Brandon Gibson ( cortado ), Brian Hartline ( cortado ) e Charles Clay ( que o time não quis manter ). Esses 4 alvos eram os que permitiriam a Ryan Tannehill virar um estrela da NFL. Pois bem, todos sabemos o que deu né?

Antes destas movimentações ( que ainda teve corte de Wheeler e troca de Ellerbe ), se alguém apontasse o Miami indo de Wide Receiver no primeiro round seria taxado de louco. Pois bem, agora no mês do draft é quase uma certeza. Eu já falei da qualidade do setor no texto anterior, não vou voltar a ele. Mas o certo é que nem Jarvis Landry e tampouco Kenny Stills tem capacidade para serem o alvo principal do time. Sendo assim, o time teria que draftar alguém no primeiro round. Mas e os LBs e CBs?

Bom, o time trouxe um CB do Steelers que não me anima. Fosse bom o time o teria mantido. Talvez, e o argumento tem algum sentido, seja porque ele era o reserva e o time manteve o titular. Mas mesmo assim, a ausência de interessados diz muito sobre ele. Além do mais, ele é muito parecido - no modo de atuar - com Brent Grimes e o time precisava de outro tipo de jogador. Quanto aos LBs o time não trouxe ninguém na FA e só terá pick de segundo round para cobrir a posição, já que a de terceiro foi para o Saints. Isso também pode levar o time a tentar descer no primeiro e/ou no segundo round. Mas o time segue cheio de buracos. Na prática, estamos vivendo a terceira reconstrução da era Joe Philbin, ele mesmo um que já passou do tempo, diga-se.

Mas quem iremos draftar afinal? Hoje eu colocaria minhas fichas ( 70% delas ) em DeVante Parker, Receiver de  Louisville. Ele tem qualidades para tornar-se um alvo principal e, digamos assim, parecer com um OBJ da vida ( parecer que fique bem CLARO ). Ele seria o alvo principal, com Stills sendo o Slot e Landry o segundo receiver. Em todo caso, seriam 3 alvos novos ( com Jordan Cameron TE, ex-Browns ) e o nosso QB é... bom todos sabem bem  o que eu quis dizer.

Se não for ele, eu gostaria que fosse o Conerback de Michigan State Trae Waynes. Ele é forte, ágil e tem ótimo sendo de posicionamento e cobertura. Seria a peça certa para a nossa secundária. Mas eu não acredito que ele seja selecionado por nós. E tenho a sensação de que, mais uma vez, iremos nos arrepender disso.

E ai, o que acham?

domingo, 29 de março de 2015

Um pensamento sobre essa off-season

Mike Wallace, Charles Clay e Brian Hartline: o trio se foi. E agora?
Todos os que leem este espaço sabem que eu não tenho nenhuma fé em Ryan Tannehill. Existem motivos de sobras para isso em minha humilde opinião. Até aqui eu acertei que o time perderia 3 temporadas com a escolha dele. O time era nível 8-8 e passados três anos segue no mesmo patamar. Gostem dele ou não a verdade é que ele não mudou o nível da equipe. Quem gosta diz que isso não é culpa dele ( nada é na verdade para esses ), eu acho que é CULPA dele. Basta ver como mudaram de nível quem arrumou um QB decente, nem que seja só por uma temporada ( caso do Redskins ). Adiante.

Em 2012, ano em que ele foi drafatado, a desculpa foi que faltavam alvos decentes. O time manteve, para 2013, apenas Brian Hartline ( dispensando Davone Bess ), aproveitou Charles Clay ( o Tight End que melhor rendeu dos que estavam no elenco ) e trouxe Mike Wallace ( a peso de ouro ) e Brandon Gibson ( muito caro também ). Segundo os defensores de Tannehill , com essas aquisições Tannehill teria uma temporada dos sonhos em 2013. Não rolou. A culpa, mais uma vez, era dos outros e recaiu sobre Mike Sherman que foi demitido. Parte da culpa também recaiu sobre o "bulliyng gate", é preciso pontuar.

Bom, veio 2014 e um novo Coordenador Ofensivo e... nada!!! Outro frustante 8-8 e desta a eliminação antes da partida final, que por sinal foi outra derrota para o temível NY Jets!!! Wallace reclamou e por isso foi trocado com os Vikings. Gibson se machucou outra vez e por isso foi cortado. Hartline teve uma temporada abaixo da crítica e por isso foi cortado. E Charles Clay teve uma ótima temporada e... pera ai, ele saiu sem que o time quisessem mantê-lo. 

Os 4 alvos escolhidos em 2013 para tornar Ryan Tannehill um QB melhor saíram todos agora. TODOS ELES. O time tem agora apenas Jarvis Landry é Kenny Stills ( obtido na troca por Darnell Ellerbe ). Só que Stills tem números bons, pode alguém dizer com certa razão. Só que uma coisa é jogar com um All-Star Quarterback, no caso Drew Brees e outra bem diferente será atuar ao lado de Tannehill.

Parece claro, agora, que o time vá escolher um WR no primeiro round. Sendo assim, iremos apostar em um novato, num segundo anista e num terceiro anista para que o nosso "super" QB lance seu passes. Se não deu certo com veteranos, porque eu devo acreditar que vá dar certo agora?

A realidade é uma só: o ataque está pior do que era ano passado. E a defesa também está pior, com as saídas de Randy Starks e Jared Odrick. E eu não confio nem um pouco que a simples adição de Ndamukong Suh vá elevar o patamar do setor. Até porque jogadores que assinam mega contratos costumam render bem pouco no primeiro ano.

Isso sem falar que no ano que vem ele vai custar quase 30 milhões no Cap e ainda, provavelmente, iremos tornar Tannehill em um dos QBs com 100 milhões na conta. É só fazer os contas e perceber que não é o caminho certo. Mas isso, alguns simplesmente não querem ver. Eu não estou entre estes...