quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Kevin Coyle demitido e algumas reações exageradas sobre Dan Campbell

Coyle é mais desempregado. Em 4 anos a Defesa dele nunca foi Top...
O Miami Dolphins é um time engraçado, acreditem. Talvez seja por causa do nosso mascote, que faz a alegria de crianças e adultos, vai saber. Só mesmo isso possa explicar porque raios o time esperou 3 dias para demitir Kevin Coyle após mandar embora Joe Philbin. O episódio de sábado que veio a tona não deixava dúvidas que a dupla não mais tinha o controle do time/setor que comandavam. Por mim Bill Lazor também rodaria, pois se a OL é péssima a culpa também é dele e se Tannehill é o que é idem... mas enfim, não existe imediatismo para demitir Lazor agora, isso pode esperar pelo fim de ano e o próximo Head Coach. Quer dizer...

As reações acerca do interino Dan Campbell, para variar sao exageradas. Eu vi torcedores do Dolphins apontando que todos os jogadores entrevistados elogiando o novo Treinador. Como se algum jogador fosse fazer o contrário não é mesmo? Que jogador seria idiota o suficiente para criticar um Treinador que eles mesmo teriam pedido? E por outra: quem iria dizer coisas como "temos que esperar" ou "vejamos como flui o trabalho". É óbvio que todos irão no mesmo sentido neste momento. Esperam, alguns, manterem seus postos enquanto outros buscam agradar ao novo comandante e, quem sabe, ganhar uma extensão contratual.

Sobre Coyle, o que eu posso dizer que todos já nao saibam? Bom só consigo pensar numa coisa: Ele se mostrou sempre um bom Coach de DBs, que é o que ele era no Bengals. Os outros setores jamais tiveram rendimento adequado, mostrando que ele náo foi capaz de fazer o passo a mais. Ele bancou Grimes, talvez seu único acerto. Mas foram vários os erros, como as saídas de Vontae Davis e Sean Smith.

Existe, contudo, uma ironia em quem vai ficar no lugar dele: Lou Anarumo. Ele é o Coach dos... DBs!!! Coisas da vida...

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

E o que pensar sobre Ryan Tannehill?

Ele é ou não um problema?
Ryan Tannehill. Tá ai um nome que jamais esqueceremos. Mesmo que ele seja cortado um dia e que jamais jogue nada em outra equipe, ele jamais será esquecido. Antes de prosseguir eu vou listar alguns dados:
  • O Miami teve, durante praticamente 30 anos, uma estabilidade na posição de Quarterback com Bob Griese e Dan Marino ( ambos membros do Hall da Fama eleitos na primeira temporada de elegibilidade ), com o segundo praticamente atuando na sequencia do primeiro. Antes de Griese, tivemos apenas 3 Quarterbacks Starters e após Marino... bom, ai a lista é imensa;
  • Sendo assim, Ryan Tannehill detêm diversas marcas que talvez sejam suas por tempo: será, em breve, o terceiro com mais vitórias, com mais passes completos, com mais Touchdowns, etc, etc... tudo porque ele é o terceiro QB de nossa História a ser Starter por 4 temporadas seguidas. Contudo, ele ser dono dessas marcas não o tornam um ídolo. Ele tem esses números porque depois de Marino viramos uma espécie de Série B da NFL;
  • Os antecessores de Tannehill também tiveram seus problemas, é claro: falta de qualidade, recebedores, jogo corrido, péssimos treinadores e etc. Tannehill tem, a meu ver, certa mais uma temporada como Starter, pois eu duvido que o próximo Head Coach vá deixar-lhe no banco ou trocá-lo. Contudo, eu espero, o próximo comandante deve trazer alguém para - de fato - competir pelo posto, seja na Free Agency ou no Draft. Isso é certeza;
Eu jamais neguei que odiei a escolha. Estou acertando até aqui e isso, sempre vou dizer isso, não me deixa nem um pouco alegre ( como poderia né? ). É preciso entender que tudo o que Philbin fez, após assumir o time em 2012 foi por causa do fato de ter decidido escolher Tannehill no Draft. Fazia, acreditem, sentido ele querer um QB para montar o time no entorno dele, mas o que foi feito vai além disso e é isso que nos comprometeu. Primeiro escolhemos um OC ( Mike Sherman ) não pensando no time, mas no desenvolvimento de Tannehill. Era de conhecimento de todos que ele precisaria de desenvolvimento adequado para tornar-se um bom QB na NFL, haja vista, que ele tinha menos de 20 jogos como QBs na NCAA. Depois foi feita uma limpa no vestiário, de onde saíram jogadores com personalidade forte: Brandon Marshall ( doado para o Bears ), Karlos Dansby e Vontae Davis. Resultado? Sem líderes tivemos o Bullying Gate. 

Depois, por causa da temporada de 2012, o time inflou seu Salarý Cap com Mike Wallace e Brandon Gibson, porque Tannehill precisaria de alvos, mas deixamos Jake Long sair ( ok, o salário seria alto e ele rendeu muito mal depois disso ) sem repor - a altura - a sua saída. Resultado? Uma OL horrorosa em 2013 e o Bullying Gate. Ai veio 2014 e o time draftou no primeiro round um jogador de Segundo ( Ja'Wuan James ) e desperdiçou uma penca de picks em jogadores de OL que não rendem nada. Em 2015 trocamos os recebedores porque os outros não serviram e trouxemos um DL por 114 milhões, quando o problema claramente eram os LBs e a OL. Deu no que estamos vendo ai...

Isso é culpa direta de Tannehill? Claro que não, mas a escolha dele foi o ponto de partida disso tudo. Podemos, em último caso, dizer que o time estaria na mesma caso tivesse escolhido outro jogador naquela posição do Draft. É bem possível porque o nosso problema vai além de jogadores, mas eu acho que seria diferente. E se lembrarmos que recusamos dois alertas sobre um tal de Russell Wilson...

Mas Tannehill é ou não um problema? Hoje, pra mim, é um problema o Salário - insano - dado a ele. O time já o tinha sob contrato para 2016 e não existia pressa para assinar um extensão contratual. Ele vai receber 96 milhões até 2020 e só poderemos cortá-lo em 2017 ( um Cap Hit monstruoso se o cortarmos no ano que vem ). 

Sobre o desempenho dele em campo, ele é excelente numa coisa: conseguir números no Garbage Time ( quando a partida está decidida pro adversário ) e vencer partidas quando o time está eliminado ( sua melhor atuação da carreira foi contra o Vikings ano passado, quando o time já estava fora da post-season ). Tannehill teve algumas partidas boas, mas as desastrosas são em maior número. Ele também consegue atuar bem num quarto e ser desastroso no outro. Como não lembrar as duas interceptações ( bisonhas ) pro Bills no primeiro tempo e depois conseguir dois TDs e ver todos culpando Dan Carpenter pela derrota? Ou ainda do primeiro tempo bom contra o Pats ano passado em Foxborough e depois errar tudo no segundo? Sinceramente é uma oscilação grande demais para alguém que se pretende ser um All-Star QB.

Isso sem falar no que rolou no treino do sábado. Isso sem falar na sua incapacidade de mudar o ritmo do jogo, alterando as jogadas. Sempre é o mesmo modo, sempre chamando jogadas que carecem de tempo, que todos sabem que ele não vai ter. Chamar Sholder e Screen passes seria a saída, mas o time segue tentando passes mais longos e ai... bom, todos sabem.

Ele vai ficar mais tempo em Miami. E será dono de marcas que o colocarão com o terceiro melhor QB de nossa história. Mas não porque ele é bom e sim porque os outros foram desastrosos. E em certa medida, ele também o é. Só que um pouquinho menos que os seus antecessores.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Uma segunda que foi além da demissão de Joe Philbin

Joe Philbin já era, mas os males de sua gestão permanecerão em Miami...
Como todos já sabem, o Miami Dolphins demitiu Joe Philbin. Ele que deveria ter perdido o cargo no final de 2013, quando permitiu que o Bullying Gate prosperasse dentro do vestiário do time. Quando foi o pai da escolha de Dion Jordan, ele também deveria ter perdido o cargo. Quando ele escolheu um Coordenador Ofensivo não pelas qualidades dele e sim por ser seu amigo e por ter sido o Coach do Quarterback que ele tinha escolhido draftar. Pela escolha dele merecia ser demitido. E ao ser o fiador da insana extensão contratual dada a este mesmo QB, ele merecia ser demitido. Agora ele foi. Mas os efeitos nefastos de sua passagem seguirão nos perseguindo pelos próximos anos. E eu falarei disso ainda, mas...

Teve algo mais grave do que isso. O nosso Quarterback Ryan Tannehill, que alguns acham que é bom, fez um papel digno de um babaca no treino do sábado. Antes de chegar ao ponto lamentável, tenho que dizer que, sabe-se lá porque, descobrimos hoje que Joe Philbin pedia para os jogadores da Defesa não forçarem demais as jogadas nos treinos, deixando assim com que o ataque conseguisse executar melhor as jogadas. Ou em outras palavras: a defesa seria apenas figurativa no treino e assim o ataque poderia parecer melhor nos treinos. Parece algo normal para você? Saiba que não é, porque dessa maneira o time treina de forma errada. Ora, se OL é fraca, a melhor maneira de se treinar é fazendo seu Front Seven atuar no máximo, obrigando o QB a antever problemas que, com certeza, aparecerão na partida. Mas, sabemos agora, não é o que fazia o Miami. Isso já seria MUITO grave, mas tem mais afinal aqui é Miami Dolphins.

Ryan Tannehill foi interceptado pelo Safety Jonathan Dowling. Nunca ouviu falar? Nem deveria, ele é da Pratice Squad onde ficam 8 jogadores para completar os treinos. Sabem o que Tannehil fez quando Dowling comemorou ( com razão ) o seu feito? Disse que ele "desfrutasse do salário dele como membro do Pratice Squad". Isso é atitude de quem é o Quarterback de uma franquia da NFL? É comportamento aceitável de um jogador que se propõe ser líder? Menosprezo, asquerosidade e falta total de humildade. Ryan Tannehill deixa claro, bem claro, porque eu jamais fui com a cara dele.

Acho que estes fatos, lamentáveis, nao deixam dúvidas do porque estamos onde estamos. E para quem ainda defende Ryan Tannehill eu recomendo rever essa posiçao urgentemente.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Rumores indicam saída de Philbin

Philbin pode ter sido demitido. Até que enfim...
Rumores indicam que Joe Philbin não é mais Técnico do Miami Dolphins. O Site Oficial do time ainda não confirma, mas diversos insiders apontam que ele foi demitido. Ao que se apurou o Técnico de Tight Ends, Dan Campbell, será o Head Coach pelo restante da temporada. E lá vamos nós para mais uma reconstrução. Só que dessa vez com o Salary Cap super comprometido por contratações espúrias e extensões de contratos insanas ( sobretudo a de Ryan Tannehill ).

Que comecem as discussões sobre quem aceitará o Cargo de Head Coach da pior franquia da NFL. Sim, isso mesmo que você leu, pois é o que somos atualmente...

domingo, 4 de outubro de 2015

Week 4: Jets 27x14 Jets - Fotos direto de Londres

Como eu disse no post anterior, o meu amigo português Paulo Pereira foi ao jogo e tirou várias fotos do jogo, muitas até antes da partida. Ele me mandou estas pelo Facebook e eu com muito orgulho compartilho com voces torcedores do Dolphins. Um abraço ao Paulo, torcedor do Vikings por ceder-me estas ótimas fotos. Pena que o time nao respondeu em campo...




























Week 4: Jets 27x14 - Um olhar diferente sobre o que aconteceu em Londres...

Esse torcedor do Vikings é um amigo portuga meu do Face, Paulo Pereira...
Dizem tudo tem 2 lados. Que mesmo as piores situações sempre trazem algo de bom. É assim que eu irei tentar analisar o que aconteceu em campo. Buscando o que pode ser visto como bom, alentador ou de menos tenebroso aconteceu em Wembley. Por isso comecei com a foto que ilustra este post, nada de jogadores, treinadores ou fans irritados. E assim prosseguirá o post...

Como é bom este Jarvis Landry. Ele é bom, incrivelmente bom que eu custo acreditar que ele foi draftado em um segundo round. Ele deu ótimas posições de campo em seus retornos, correu mais que os RBs e ainda recebeu passes no ataque, com uma dedicação comovente. Ele honra a camisa que vesta, dando 110% em todos os momentos em que está em campo. Com um Coordenador Ofensivo de Alto Nível e com um Quarterback All-Star seria muito melhor. Mas... bom, acho que todos sabem o que eu pensei...

1-3 e adeus post-season. Eu, tenho que admitir, JAMAIS acreditei em Post-Season. Apenas evitei falar nisso para que os que acreditavam pudessem ter uma esperança até certo ponto. Mas sejamos francos: após a partida de hoje dá para acreditar em post-season? Mas isso, tem seu lado bom: podemos trocar jogadores agora, angariando picks para o ano que vem e ficar bem posicionado no Draft, podendo ser um Top Five Pick. Se bem feita a reconstrução com o Coach certo e sem errar nas picks poderemos pensar em post-season em 2017 com ou sem Ryan Tannehill ( para mim é mais fácil SEM ).

Perder assim, e pela segunda semana seguida, também serve para evitar esperanças tardias e perdidas no fim da temporada, como tem sido a regra desta franquia. Uma derrota assim deixa claro que o time é FRACO e não sofreremos esperando vitórias impossíveis nas últimas semanas. Isso também é um lado bom desta derrota. Até porque foram as "boas" atuações de Ryan Tannehill quando o time já tinha sido eliminado que levaram o Front Office a dar o insano contrato que ele agora tem. Sendo assim, é uma coisa boa saber desde já que teremos outro Comando em 2016 e deixar estes tomarem as decisões.

As Cheerleaders. Elas nunca decepcionam. Como são lindas, que graça, que entrosamento, nunca cometem um erro... enfim, é o que presta no Dolphins... E só. Uma foto delas em Londres:


E só. Agora é descansar uma semana das zueiras dos rivais e aguardar para perder mais uma vez e mais uma vez... e que 2016 venha logo.

Wee 4: Jets 20x07 Dolphins - Passeio em Londres...

É assim que eu me senti com este, mais um, patético primeiro tempo...
O Miami Dolphins não é um time de NFL, com 100% de certeza. Estamos jogando outro esporte ou estamos como um carro de "tipo B" numa categoria "A". Patética, desastrosa, absurda, bisonha, tenebrosa, humilhante... eu nem sei mais o que pensar sobre este time. Aliás, sobre este bando de jogadores que consegue tomar surra de Fitzpatrick de QB.

Nada, absolutamente nada funcionou neste primeiro tempo. Defesa, Ataque, Linha Ofensiva... nada. Sinceramente, perder todas até o fim do ano é a única coisa que pode me animar. Aliás, quem é o melhor talento do próximo Draft? Porque depois de hoje, é o que estaremos pensando...

Antes que eu terminasse esse post, o Jets fez outro TD e agora é 27x07... 

Week 4: Jets vs Dolphins - Um jogo com cara de...

Confronto de Divisao em Londres...
Nosso time vem de duas derrotas doloridas ( sobretudo a última pelo massacre ) e vai encarar o grande rival de divisão, numa partida fora de casa mesmo sendo mandante. Atuar em Londres é algo que força os times e quando a semana foi tensa e complicada ter um dia a menos de trenos com certeza não ajuda em nada.

O Jets tem uma DL monstruosa, melhor do que a do Bills para se ter uma ideia. Teremos uma longa tarde ( em Londres, é claro ) pelo visto. O time já entra derrotado Flávio? Eu acho que não é bem assim, mas com certeza entra perdendo por um Touchdown pois tem sido assim em todas as partidas até agora. Se, ao contrário das duas últimas, conseguirá encontrar forças para reverter ai é outro papo...

Palpite? Outro massacre, mas se a defesa for o que pode ser, talvez tenhamos alguma chance. Porque contar com o ataque não dá...