sábado, 5 de dezembro de 2015

Week 13: Ravens at Dolphins - Ainda bem que não estamos em 2007...

Eu não sei como o amigo leitor fica quando lembra dos Ravens, mas eu tenho mais más lembranças do que boas, mas a boa é sensacional. Corria o ano de nossa pior campanha na NFL ( aliada à melhor da história do Pats ). Corremos seriamente o risco de fazermos 0-16 no mesmo em que o Pats fizeram 16-0 ( para nossa sorte, eles perderam o Super Bowl para o Giants de Ely Manning, Plaxico Burress e cia ). Até que na semana 14 o Miami recebeu o Baltimore Ravens - também já fora da post-season. Encurtando a história Cleo Lemon conectou um improvável passe para Greg Camarillo marcar um TD de 63 jardas ( simplesmente a jogada mais longa do ataque naquele ano ) na prorrogação, após o Kicker do Ravens ter errado um FG fácil para a vitória no estouro do cronometro. Abaixo o vídeo:


Ai é que vem o título deste post: ainda bem que não estamos em 2007. Naquela temporada qualquer partida era uma tormenta e o medo do 0-16 ficava real a cada partida. Por isso é bom que a situação agora seja diferente da de 8 temporadas atrás porque não precisamos vencer o Ravens. Sim, não precisamos. Vencer, agora, serve de alguma coisa? Sim, serve: tirar-nos de uma ótima posição no Draft. Fora isso, tem valor ZERO vencer amanha ou nas outras partidas até o fim da temporada.

Para a partida de amanha ( a primeira sem Bill Lazor de Coordenador Ofensivo ) teremos desfalques importantes: Rishard Matthews, Ja'Wuan James e Earl Mitchell estão fora. Todos fariam falta caso eu me importasse em vencer amanha, mas não é o caso. Mike Pouncey, Kenny Stills ( que é o cara deep ball que... não recebe passes na deep ball!!! ) e Branden Albert são listados como Questionáveis e tem, portanto, 75% de chances de jogar. Eu não os forçaria agora, mas não é assim que pensam as franquias. DeVante Parker - que decepção até agora essa escolha - também é questionável mas deve seguir com participação limitada nas partidas.

Assim sendo eu espero, ao menos, uma derrota honrosa. Tipo 20x14. Fora isso - ainda mais se vencermos - eu não terei muitos motivos para ficar alegre. Mas, enfim, vencendo eu não ficarei triste, pois para a ruindade atroz do Miami Dolphins pouco importa a posição no draft, a escolha quase sempre será errada.  Por falar nisso, eu irei fazer um apanhado - mais um infelizmente - sobre o que fizemos de errado nas temporadas nos últimos 10 anos. Resumo, porque se fosse colocar tudo ficaria terrível...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

4 anos depois o Miami está na mesma situaçao ou até pior...

Em 2011 o pensamento era arrumar um QB para lançar para Marshall... 
Invariavelmente começo de Dezembro estamos pensando no ano que vem, mesmo quando estamos ainda brigando sempre sabemos que não vai dar e que este time vai nos decepcionar. Em 2011 o time perdeu as 7 primeiras partidas da temporada, 3 delas com o nada lembrável Chad Henne de QB, as outras com o reserva ( e na foto acima ) Matt Moore. O time parecia fadado a conseguir pela segunda vez em 5 anos ter a First Overall Pick. O que até era uma boa pois existiam dois grandes prospects de Quarterbacks: Andrew Luck ( criaram até a hashtag #suckforluck ) e Robert Griffen III. Ficar em primeiro ou em segundo no Draft seria a certeza que poderíamos ter uma nova esperança.

Mas, de forma inútil, o time venceu 6 das últimas 9 partidas e saiu até mesmo do Top Five do Draft de 2012 e todos sabem muito bem o que aconteceu. Naquele ano o pensamento era: com um QB minimamente confiável o time vai decolar em 2012. A defesa era boa, a linha ofensiva ainda era ótima, tínhamos um dos 5 melhores WRs da Liga ( Brandon Marshall ) e com contratações pontuais o time poderia conseguir uma temporada com mais vitórias do que derrotas, coisa que não conseguia desde 2008. Claro que um Coach com experiencia no ataque e que pudesse comandar bem o elenco também era parte do pacote.

Olhando para aqueles dias podemos ver que, TUDO, o que poderia dar errado deu errado. Primeiro escolhemos um QB que não consegue ser sequer bom, doamos Marshall para o Bears, contratamos Joe Philbin que mostrou-se uma escolha desastrosa, vivemos o Bullying Gate, torramos dinheiro para montar duas vezes um grupo de recebedores para "melhorar" Tannehill, trouxemos Phillip Wheeler a peso de ouro e... bom, tantas sao as coisas que mereciam menção que se eu for listar todas eu passaria o dia inteiro falando... teve ainda, não pode deixar passar, a trade para catar Dion Jordan que agora está suspenso!!! E como não lembrar que nas picks obtidas na Trade com o Bears por Marshall obtivemos Michael Egnew ( fora da NFL desde que o cortamos ) e Dallas Thomas?

Em 4 anos de Draft o time só pode ser orgulhar das escolhas de Jarvis Landry ( 2014 ), Olivier Vernon ( 2012 ) e Jelani Jenkins ( 2013 ). As demais escolhas ( inclusa ai a deste ano em DeVante Parker ). O grande destaque na defesa vindo do Draft já estava no elenco em 2011 ( Jones ) e NENHUM jogador do ataque daquela temporada está no time agora. Aliás, poucos são os jogadores daquele ano que ainda estão em Miami.

Passados 4 anos o time segue na mesma. Aliás eu arrisco dizer que é pior do que em 2011, porque agora temos um QB meia-boca com contrato até 2020 e com um salário de 100 milhões de dólares. Só no ano que vem os contratos de Ndamukong Suh e Ryan Tannehill vai custar a singela bagatela de 40 milhões de dólares, de um Cap de 150 milhões. Para os outros 52 jogadores do elenco restam 110 milhões. É mole ou querem mais? Em 4 anos, até agora, o recorde do time é 27-32. Neste momento temos a Pick 6 do próximo Draft, mas espero que time caia ainda mais e fique, de preferencia, com a escolha 3, porque a primeira e a segunda é quase impossível ( ainda mais o que fez o Lions ontem ).

E sabem o que é pior do que perceber que eu estava certo quando cravei que a escolha de Tannehill faria-nos perder 3 anos? É saber que muito provavelmente iremos errar do mesmo jeito e em 2019 eu farei texto parecido com este. Tomara que, ao menos, Tanneshit nao esteja mais em Miami... já seria, ao menos, um alento.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Week 12: Dolphins 20x38 Dolphins - Nenhuma surpresa em NY...

Outra semana em que ele - e apenas ele, fez algo decente no ataque...
Eu não vi a partida ontem. Ainda bem, era capaz de ter infartado de tanta raiva que eu teria tido. Hoje, quase 24 hora após mais um fiasco contumaz do nosso time, eu ainda estou escrevendo fulo da vida, imagina se tivesse visto aquilo que aconteceu em campo ontem. Antes de prosseguir uma notícia da hora: Bill Lazor foi demitido. Motivo: o ataque pífio. Ai eu te pergunto: a culpa é realmente dele ou de quem colocou Ryan Tannehill para ser dono de um contrato de 100 milhões sem JAMAIS ter feito algo que sequer justificasse isso? É culpa de Lazor de ter que montar um ataque com uma AMEBA no lugar de QB? Acho que não... talvez só na Tannehillandia achem isso. Talvez nem lá mais achem isso...

O que dizer de um time que tomar 21-0? O que dizer de um QB que erra um passe fácil e perde uma posse na Red Zone? O que dizer de uma defesa que não tem um Cornerback alto de qualidade para marcar Brandon Marshall? O que dizer de uma franquia que mandou este mesmo Marshall embora a troca de nada ( e nada conseguiu com as picks obtidas na troca ) porque ele não servia para jogar ao lado de Tannehill? Acho que pouca coisa pode ser dita... ou muita. Mas esta franquia simplesmente não merece.

De um modo geral o Miami segue nos fazendo passar vergonha semana após semana. De ontem poucas pessoas podem ser salvas da mediocridade e eu vou citar algumas:
  • Jarvis Landry. Este cara, ouso dizer, é do mesmo nível de OBJ - colega seu em LSU. Mas como OBJ tem um QB lançando para ele... Landry com um Brady ou um Rodgers seria o melhor WR da Liga facilmente. Basta o que ele conseguiu com uma ameba no lugar do QB. Nunca vou me cansar de dizer que ele é tao bom que nem parece ter sido escolhido por nós;
  • Reshad Jones. Dá gosto de ver ele jogar ( e eu nem vi o jogo, mas já li 4 textos e TODOS eles destacaram  sua atuação ontem ). Vai ser pule de 10 para o Pro Bowl . Talvez o único jogador do elenco e ir para a festa da NFL;
  • Ndamunkong Suh. Nem tanto pelo o que vem jogando - bem menos do que o esperado é claro - mas por ter uma atitude vencedora, de não se acomodar com a ruindade que o cerca. Fontes informam que ele teria chutado o balde após a derrota e cobrado os companheiros ao afirmar "que ele estará aqui pelos próximos 5 anos e os outros talvez não". Só por isso já merece a menção;
  • Jay Ajayi. Alguns podem dizer que ele quase nada fez ontem ( e é verdade ), mas demonstra qualidades interessantes e poderá ser muito útil pelas próximas temporadas.
Enfim, como dito antes, essa é uma temporada perdida. A quarta em quatro anos da Era Ryan Tannehill. Culpa apenas dele? Talvez não, mas quando 2 Coordenadores Ofensivos não conseguem montar um ataque eficiente, creio que é preciso ver que a culpa possa estar no seu QB. E, sem motivos, estendemos o  contrato dele até 2020 por 100 milhões!!! Nem sei existe o premio de pior General Manager da NFL, mas se existir Dennis Hickey o merece com folgas.

E antes que você venha falar que a OL é o problema eu só deixo um dado: o Quarterback mais sackado da NFL até agora é um tal de Russell Wilson... que o time está 6-5 e ele vem jogando o fino da bola recentemente. Mesmo levando porrada... E quando eu lembro que passamos Wilson 3 vezes para ficar com Ryan Tannehill eu tenho vontade de... deixa para lá, melhor não estragar, ainda mais, o post.

domingo, 29 de novembro de 2015

Week 12: Dolphins vs Jets - Seremos varridos dentro da divisão?

Mais uma atuação patética de Tannehill?
Eu nem iria postar nada antes da partida, esperando o resultado para fazer isso. Mas sabem como é, o Miami é o meu time e sigo gostando dele apesar de todos os erros absurdos e insanos que são cometidos todos os anos.

Sobre a partida o que dizer? O adversário é de divisão ( Jets ) mas nas últimas 3 visitas a NY nós é quem saímos vitoriosos. Vai acontecer hoje? Acho bem complicado... mas ser varrido dentro da divisão é algo que não está nos planos de ninguém.  Se vencermos será porque a defesa conseguiu ganhar o jogo porque o ataque... bom o ataque jamais será sequer aceitável com um "mito" da qualidade de Ryan Tannehill no comando ( mesmo assim existe quem o defenda após 4 temporadas ). 

Placar? Eu acho que só venceremos se os Jets ficarem limitados a menos de 14 pontos, porque eu duvido que consigamos fazer mais de 17. Portanto...