segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Week 17: Patriots 10x20 Dolphins - Só o Miami para vencer quando deveria perder...

A boa notícia de ontem foi que Parker poderá ser um grande recebedor...
Eu estava realmente sentindo o cheiro no ar. O Miami Dolphins sempre consegue se complicar quando deve simplificar. O Miami conseguiu vencer o Ravens quando perder era o correto, assim como venceu o Eagles quando já não importava mais. E ontem o Patriots, já classificado, só tinha a perder se entrasse num jogo "a vera". Anos atrás em um extra point Rob Gronkowski quebrou o braço e o time ficou de fora do Super Bowl. Acho que Bill Bellichik resolveu que não valia a pena correr o risco outra vez. Tom Brady deu apenas 5 passes no primeiro tempo. Sinal de que o time do Patriots estava com o freio de mão puxado.

Bom, o fato é que no primeiro tempo o time do Miami parecia outro até chegar perto da Red Zone, como sempre falhando.  Passes errados, OL falhando e até dropes. Além de um FG errado, deu saudades de Dan Canpenter. Isso até eu ver o que ele fez contra os Jets, é claro.


Miami agora será o oitavo a escolher ( poderia ter sido o quinto se perdesse ) mas assim é o Dolphins: perde quando é necessário vencer e vencer quando deveria perder... se querem saber chega a ser irônico que passados 4 anos com Ryan Tannehill de Quarterback o time volte a escolher na oitava posição, a mesma que desperdiçamos quando o escolhemos. E nem sequer fomos uma vez na post-season. O Redskins vendeu a alma para ter RGIII mas resolveu buscar um seguro com Kirk Cousins e foram a post-season duas vezes. O Lions foi, o Cardinals quase ficou em primeiro na NFC... e nós, nada.

Alguns, é claro, verão pontos de evolução no time. Esse tipo de pessoas procuram chifre em cabeça de cavalo e portanto eles dirão ( na verdade já disseram ) que Tannehill jogou bem e tals e que isso é um alento para 2016. Que nada, essas mesmas pessoas viram isso em 2014 e disseram que em 2015 seria diferente. Apenas incautos ( o nome é outro, mas eu não vou usá-lo em respeito a quem não é ) podem ainda acreditar que Ryan Tannehill seja solução para este time. Ele é o problema, já expliquei demais o motivo.

Vencer é bom e eu gosto, mas quando o time luta para conseguir vaga na post-season. Lembram de 2013? Quando uma vitória em duas partidas teria nos dado a post-season? Pois é, perdemos. Mas agora que não serviu para nada, vencemos.

A única coisa boa de ontem foi ver que DeVante Parker é grande. Um recebedor capaz de, com o QB certo, fazer estragos nas defesas adversárias. Ele salvou Tannehill de duas Interceptações certas e em uma delas transformou isso em uma recepção fantástica. Parker, ao lado de Landry, dá-nos um lastro para as próximas temporadas. E isso é - acreditem a única boa notícia de 2015. A única.

Durante a semana falo mais sobre a temporada, até com uma revisão partida a partida e notas para os setores, os destaques e bolas foras do ano. Mais um. E perdido, é claro.

2 comentários:

Igor S. disse...

A questão agora é? O que trazer na 1st pick no Draft? LB (Myles Jack ou Jaylon Smith), OT (Laremy Tunsil ou Ronnie Stanley) ou um CB (TreDavius White ou Vernon Hargreaves III)?

Confesso que o CB de Florida é o meu jogador favorito destes ai, embora os que fariam uma diferença já de cara devem sair antes (Caso dos OT's).

E agora José? Ou, e agora Chris Grier?

Flávio Vieira disse...

eu prefiro o Hargreaves, bom atleta e de qualidade. OT em primeiro round eu não iria, acho forçado. Tem os LBs, mas precisamos entender que reconstrução é um processo e o Draft tem 7 rounds.