sábado, 30 de abril de 2016

Miami escolhe outro WR e um S no sexto round. E ainda trocou Jamar Taylor

Ele nunca rendeu, mas valia mais do que subir apenas 8 posições no sexto round...
Eu sempre digo: Miami em Drafts é sempre certeza de erros, erros e mais erros. Depois de fazer a pior troca de muitos drafts ( com o Vikings, relatada no post anterior ), após ter aberto mão de talentos nos próximos anos, após escolher um OT, um WR, um CB meia-boca e um RB mais ou menos, eis que o Miami fez o que mais sabe fazer: porcaria.

O time trocou Jamar Taylor com o o Cleveland Browns. Até ai, tudo bem ele jamais rendeu como esperado. Acontece que o saldo da Trade foi patético: invertemos a ordem das picks no fundamental sexto round!!! Sim, isso mesmo, o Miami abriu mão de um jogador que poderia render algo em uma Trade melhor pensada por uma subida de 8 escolhas no sexto round. Fosse no terceiro, seria - talvez - um valor adequado.

Mas não foi só isso, é claro: com a primeira escolha no sexto round o Dolphins escolheu um Wide Receiver!!! Gente, isso é deprimente, desastroso, horripilante, abominável... eu nem sei achar um adjetivo para isso. O cara ( Jakeem Grant. Texas Tech ) pode até virar um Randy Moss 2.0 que mesmo assim não faria sentido. Ao menos o time escolheu um Safety ( Jordan Lucas, Penn State ), que pode até ser cortado, mas faz algum sentido. E cade os LBs para reforçar o fraquíssimo setor que temos? Ah, quem sabe o Tunsil possa ajudar nisso, não é mesmo?

Este é o Miami Dolphins. Desde muito tempo a piada da NFL. Para nós, é claro, sem graça.

Update: a troca com o Browns foi por uma inversao no sétimo (??) round. E o time ainda usou uma das escolhas de sétimo a que tinha direito para subir e escolher o Wide Receiver. Ficou muito pior do que já estava. Nada que surpreenda quando se fala do Dolphins...

Miami realiza Trade com o Patriots e ganha 3 picks, saindo do quinto round

Até que é interessante essa trade, mas não pro lado do Miami...

O Miami acaba de fazer uma Trade com o NE Patriots, cedendo nossa pick de quinto round e recebendo duas de sexto e mais uma de sétimo. Em tese um bom negócio, certo? Errado: é muito mais complicado de se achar talentos verdadeiros no sexto e sétimo rounds do que no quinto. Além disso se Bill Bellichik achou por bem ceder 3 picks por 1 é porque o jogador vale a pena.

E por fim tem aquela coisa: para que muitas picks se o time não sabe escolher? Pois é né...

E o segundo dia foi no padrao Miami de draftar jogadores...

Xavien Howard, CB - Baylor
Kenyan Drake, RB - Alabama
Leonte Carroo, WR - Rutgers
O Miami não decepciona ninguém quando o assunto é Draft: sempre ficaremos chateados. O time entrou no segundo dia precisando de reforços, claros, em duas posições: LB e CB. O time tinha ainda 7 picks no draft e poderia, se tivesse inteligencia, conseguir os valores certos para preencher os buracos que o time tem, quem sabe até mesmo um QB. Mas aqui é Miami. Nunca podemos nos esquecer disso, infelizmente.

Tudo começou a ruir quando o time gastou uma valiosíssima escolha de quarto round para subir meros 4 posições. Antes de falar do escolhido, eu vou lembrar que o time tentou subir para a primeira posição do segundo round para garantir Myles Jack. Voltando ao draft o time subiu 4 posições para escolher um CB meia-boca ( alguém se surpreende com isso ) que estaria facilmente disponível no começo do segundo round. O nome dele? Xavien Howard, de Baylor. Ele é, digamos assim, um Jamar Taylor piorado, A melhor classificação que eu li foi uma C+. A melhor!!!. Piada né? Que nada, o pior ainda estava por vir...

Com a escolha normal do terceiro round o Miami escolheu um RB ( que sim, era uma necessidade ) Kenyan Drake de Alabama. Um jogador que poderá, sim, ajudar nesta temporada, dividindo as corridas com Jay Ajayi. Contudo, diante da carência clara de um LB, nem foi tao boa assim, e a maior nota que eu vi foi um B. Adiante...

Quanto todos esperavam que o time só voltasse ao Draft para o quinto round, eis que o time voltou para o terceiro round. Ousadia, que beleza podem ter pensado alguns, achando que o time iria escolher um LB... que nada, escolheu um WR!!! Temos, seguramente, uma Dupla de elite em Landry/Parker mas o time entendeu - sabe-se lá porque - que mais um WR seria melhor do que um LB. Mas quanto custou subir no Draft para pegar um jogador numa posição em que o time é forte? Pois é né... o time cedeu sua escolha de sexto round e ainda deu suas escolhas no draft de 2017 no terceiro e no quarto rounds!!! Isso mesmo, 3 picks para escolher um jogador que o time não precisava. É o Miami minha gente... A melhor avaliaçao que eu vi foi um A-.

Temos então que o time escolheu no segundo round um CB que poderia ter catado no terceiro, pegou um RB mais ou menos e um WR que nao precisava ao custo de duas escolhas do ano que vem. E LB que é bom, nada. Sinceramente o nosso novo DC acredita que o que ele tem é o suficiente para barrar os times que iremos enfrentar? E quando eu digo que a temporada de 2016 será terrível, tem gente que ainda ousa dizer que eu estou errado...

sexta-feira, 29 de abril de 2016

A arte de pensar fora da curva

Minha cara quando anunciaram Tunsil foi essa...
O Blog completará 9 anos ( nossa, nem eu acredito que nestes só fomos uma vez a post-season e eu ainda assim estou aqui ) no final de Julho. Os bravos leitores que acessam este espaço sabem bem o quanto gosto do Miami Dolphins. Mas, igualmente, sabem que eu nao sou o tipo de pessoa que pensa de acordo com o senso comum. Ou como está no título deste post eu me orgulho de, muitas vezes, "pensar fora da curva".

Um amigo perguntou-me dia desses se eu fazia isso de propósito, com o intuito de causar, provocar e assim conseguir acessos. Ledo engano dele, eu sou assim mesmo na minha vida extra-blog. Fiz amizades assim e claro muitas inimizades. Podem acusar-me de muitas coisas, mas jamais de não ter opinião. Quando o time escolheu Ryan Tannehill em 2012 eu fiquei praticamente sozinho ao apontar ( e acertar ) de que não daria certo e de que o time não melhoraria nada com ele. Passadas 4 temporadas, eis que nem mesmo vencer mais partidas do que perder o time ainda foi capaz de fazer. Mas a época uma penca ( muitos dos quais hoje meus desafetos ) de torcedores diziam que tinha-se que esperar 3 anos para enfim poder criticar. Pois bem, o pai desse teoria até agora não foi homem o suficiente para admitir que eu estava certo e ele errado. Acontece...

Eu não gostei da escolha de Ja'Wuan James e gostei da de Dion Jordan. Acertei na primeira e errei - admito - na segunda. Acontece que a primeira foi - obviamente - um erro grave sob todos os aspectos e o tempo provou quem tinha razão. A segunda mostrava um arrojo, uma tentativa de mudar o marasmo que marca o Miami em suas escolhas. Deu errado, claro, mas a ideia era boa. Acontece...

Eu sei que Laremy Tunsil é um talento nato. Eu sei que ele era um Top 3. Eu sei que ele, em tese, melhora o que o time tem como OT no elenco. Eu sei de tudo isso e sei mais: o time não muda uma virgula com ele no elenco. Continua sendo uma equipe 6-10 e ele não vai mudar isso. Além disso, para quem não souber, Maconha rende punição na NFL. E agora tem outra coisa: ele recebeu dinheiro de um treinador em sua vida de Ole Miss, e isso também rende punição. Aliás, ainda sobre a maconha e a foto postada em sua conta no Twitter, fizeram essa arte aqui:

Sensacional!!!

A minha crítica não é quanto a Tunsil, mas sim quanto ao plano. O time tem uma defesa que foi muito ruim em diversos pontos, mandou os medalhões embora e agora me aparece com um OT no Draft. Pode dar certo? Até pode, mas eu duvido. E eu nem ligo se isso vai contra o senso comum. Talvez até goste disso, mas eu nao faço isso - tenham certeza - por birra. Apenas gosto de pensar por mim mesmo.

Mais tarde eu classificarei a escolha. 

Draft 2016 - Round 1, Pick 13: Laremy Tunsil, OT - Ole Miss

Desperdício de pick ou uma escolha excelente?
Eu peço desculpas aos leitores, muitos, mas eu irei fazer um post bem curtinho, deixando apenas o Perfil do ( pessimamente ) escolhido, Laremy Tunsil, Ofensive Tackle de Ole Miss. Vou tentar digerir a escolha, que a meu ver era desnecessária. O time seguirá precisando de LB, CB e DE... mas agora escolheu - e pela segunda vez em 3 temporadas - um OT. Claro que ele poderá ser um pro bowler, mas... bom, o mas vai ficar para a sexta, ou sábado ou o domingo... ou nunca. Teve quem gostou, mas eu não gostei.

Nome: Laremy Tunsil - Idade: 21 anos ( 02/08/1994 )
Universidade: Ole Miss - Posição: Ofensive Tackle
Altura: 1,96m - Peso: 141kg

Visão Geral

A temporada de 2015 foi difícil para Tunsil. Primeiro, ele sofreu um tornozelo deslocado e perna quebrada na derrota de Ole Miss contra TCU em 2014 no Peach Bowl. Tunsil depois foi acusado de agressão doméstica contra seu padrasto em junho, supostamente para salvar sua mãe. Ele começou nove jogos como LT como um calouro. Tunsil perdeu dois jogos em 2014.

ANÁLISE

PONTOS FORTES - Tem a rapidez de elite com o uso dos pés e sua base permanece equilibrada ao longo dos movimentos de bloqueio. Excelente curva e flexibilidade geral em seus tornozelos, joelhos e quadris. Muito bom controle do corpo e equilíbrio. Faz subir ao segundo nível, com bom timing e reúne-se para fazer ataques precisos sobre linebackers. 

PONTOS FRACOS - Ele poderia conseguir mais massa muscular. Falha ao iniciar e jogar em todos os jogos em qualquer de suas três temporadas. Quando pass rushers chegam a dobrar a extremidade da Linha, eles podem gerar algum desconforto ao QB no Pocket pois ele não é eficiente nisso. Pés grandes não formam uma mecânica boa com suas pernas. Sua durabilidade é um problema a ser considerado.

NFL COMPARAÇÃO - Tyron Smith

ANÁLISE DA PICK - Tunsil é realmente um grande talento, jamais conseguiríamos escolher em condições normais. Chega para, supostamente, resolver um problema como OT, pois Ja'Wuan James jamais deveria ter sido escolhido. O time simplesmente ignorou os ótimos/bons LB-DE que estavam disponíveis para ficar com ele. Além do vídeo publicado no Instagram quando rackearam a conta dele antes do Draft, tem outras histórias pendentes sobre ele como um pagamento feito por um treinador dele ou questões sobre a saúde dele. Quando você olha, ou tenta olhar de modo isento, para a pick parece até excelente. Mas para mim, não foi. Por isso a nota é um B+, por tudo o que existe de nebuloso sobre o atleta no extra-campo.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Draft é amanha

Minha aposta...
Vernon Hargreaves. Se eu tivesse que apostar em quem o Miami Dolphins vai escolher amanhã, eu escolheria o CB dos Florida Gators Vernon Hargreaves III. Mas nunca me esquecerei de que o é o Dolphins e de que escolher errado é o caminho para o Miami...

Amanhã a noite teremos a primeira rodada, na sexta a segunda e a terceira e no sábado os rounds restantes. Podemos ter uma chance de mudar de patamar, caso o time faça boas escolhas, mas querem saber o quanto eu acredito nisso? Quase zero...

Mas o Blog fará vai fazer uma cobertura em tempo real das escolhas. Com direito a perfis dos escolhidos, análise e nota da escolha. Porque aqui, como todos sabem, tem café no bule. Porque na concorrência ( existe mesmo? )...