segunda-feira, 13 de março de 2017

Uma Free Agency perfeita ou muito dinheiro desperdiçado?

Contratar um LB do Steelers não me traz grandes lembranças...
Existe uma máxima nos esportes dos EUA: times vencedores são formados pelo draft. Raramente times que invertam essa lógica conseguem sucesso. E o Miami sob o comando de Adam Gase tem feito justamente isso: investir forte na free agency e fazer um draft morno. Fomos a post-season depois de 7 anos é verdade, mas quem do Draft ajudou nisso? Ninguém, forçando a barra Laremy Tunsil. Olhando para os 3 últimos drafts, temos uma dupla de WRs como os únicos grandes candidatos a estrelas de Liga ( para mim Landry já o é ).

Pode dar certo outra vez? Claro que pode, mas eu sinceramente sempre fico com os dois pés atrás com o time, ainda mais com um calendário bem mais duro do que 2016. Além disso, ainda temos um QB que não rende em alto nível e o ataque pode ficar outra vez dependendo de Jay Ajayi, o que não é o melhor caminho. 

Mas vejamos o que temos até aqui:
  • Reshad Jones, SS - Contrato estendido para 5 anos por 60 milhões, 35 garantidos. Achei alto, mas ele é um pro-bowler e estes atletas custam caro mesmo. Garante terminar a carreira por aqui, a menos que caia demais de rendimento;
  • Kenny Stills, WR - Contrato renovado para 4 anos por 32 milhões, 19,95 garantidos. Até que saiu bem, mas... se pagamos isso pelo terceiro WR do elenco, quanto vai custar renovar com Jarvis Landry? Stills é um bom WR, mas iguais a ele existem no Draft. Forçada de barra a meu ver, mas que ao menos mostra que a ideia é manter uma estrutura no ataque;
  • Andre Branch, DE - Contrato renovado por 24 milhões, com assustadores 16,8 milhões garantidos. O pior negócio desde muito tempo. Primeiro é um jogador comum ( Hayes é bem melhor, por exemplo ) e segundo que no draft conseguiríamos alguém melhor. Mas o Miami resolveu torrar essa grana em alguém comum. Erro grosseiro;
  • Julius Thomas, TE - Trocado com os Jaguar por uma escolha de sétima rodada. Não existe como não gostar desta escolha. Alguém de qualidade, vem para ser Starter da posição e ser o alvo de confiança. Vai faltar QB para lançar, mas ele é de confiança de Adam Gase. Para mim, ótima aquisição;
  • William Hayes, DE - Trocado com o Rams por uma sexta rodada, mas recebendo uma de sétimo. Ninguém entendeu essa, porque o Rams arrebentou os cofres na quinta para contratar um DE e nos "doar" outro na sexta. Melhor para nós que por quase nada conseguimos um jogador mais do que decente para a posição;
  • Nate Allen, FS - Assinou contrato de 1 ano por 3,4 milhões. Era uma necessidade do time e por mais que existam dúvidas quanto a ele, não posso negar que foi um bom negócio. Carência do time, apenas um ano, valor decente. O que pode dar errado? Ele não render? Já jogamos uma temporada inteira sem Free Safety mesmo...
  • Anthony Fasano, TE - Assinou por 1 temporada por 3 milhões ( mais incentivos ). A volta de um dos meus jogadores favoritos. Ficou 5 anos fora e agora volta. Será reserva, mas é um ótimo bloqueador, além de segurar passes. O que já é mais do que todos os TEs que passaram pelo Miami durante sua ausência;
  • Lawrence Timmons, LB - Assinou por 2 anos por 12 milhões, 11 deles garantidos. Era uma necessidade e ele é um jogador. Vai, caso queira, ajudar muito a defesa. Como assim caso queira? Porque o último LB que contratamos dos Steelers foi Joey Porter que era de uma preguiça infernal. Daquelas de matar de raiva. Tinha dias em que ele detonava, mas também quando não queria jogar... será assim com Timmons? Eu não sei, mas ele tem qualidades para formar um bom corpo de LBs;
  • Ted Larsen, OG - Assinou para 3 temporadas por 5,65 milhões ( 1,5 garantidos ). Jogador versátil que chega para atuar no meio da OL em qualquer uma das posições. Experiente, será útil para o time,
Alguns negócios forçados, outras grandes sacadas. De um modo geral, eu gostei. Mas a questão é: o Salary Cap se sustenta pelas próximas temporadas?