segunda-feira, 15 de maio de 2017

Jay Ajayi aparece como número 69 da lista dos 100 melhores

"the train" está entre os 70 melhores...
Todo ano a NFL divulga uma lista com os 100 melhores jogadores da Liga. Via de Regra nosso time, quando muito tinha 2 ou 3. Desde 2011 que Cameron Wake é nome certo na lista, desde que chegou Ndamukong Suh também o é e vez por outra Mike Pouncey também aparece. Segundo alguns Ryan Tannehill faz parte desta turma ( eu claramente discordo ), mas Reshad Jones é um nome digno da lista, assim como Jarvis Landry. 

A surpresa até aqui é Jay Ajayi. Não pelo o que fez em 2016 com suas partidas seguidas acima das 200 jardas, mas a surpresa é a posição. Ele figurou - como mostra - entre os 70 melhores jogadores da Liga. Um feito e tanto, é claro. Ele merece? Claro que merece. E tem tudo para crescer ainda mais.

domingo, 14 de maio de 2017

Damien Williams assina a extensão contratual

Williams assina extensão com RFA
Damien Willians testou o mercado, mas não achou ninguém que topasse pagar por ele. Assim os direitos dele ficou exclusivo para nós e ai ou ele assinava por um ano ou entrava em greve buscando um contrato maior. Como as negociações não evoluíram ele assinou por 1,8 milhões.

Assim ele terá uma temporada para se provar e o time não enche o Cap com um contrato grande para um reserva. Ele tem sido o escape para Ajayi quando ele precisa descansar. Não é um jogador para ser Starter, mas que cumpre um bom papel como backup. 

Que tal darmos uma olhada na Classe do Draft de 2015?

Parker é quem tem rendido bem até aqui...
Falamos muito no Draft nestes últimos dias. Algo natural, temos novos rookies com os quais contamos para salvar a franquia. Claro e evidente que todos também sabemos que é errado apostar tudo em uma Classe, porque é um processo que envolve escolher bem durante um bom período. É assim que, talvez, uma franquia chegue ao paraíso. Talvez porque não é uma ciência exata, pois envolve desenvolvimento dos jogadores e controle absurdamente rigoroso do Salary Cap. Dar 120 milhões para um DT e outros 100 milhões para um QB meia boca não vai neste sentido, é preciso dizer. Se escolher e bem torrar bilhões sem critério você acabará perdendo bons jogadores ( Lamar Miller e Olivier Vernon por exemplo ) por falta de espaço. E ai...

Bom, de tempos em tempos é bom olhar para trás e ver como saiu-se determinada classe. De 2010 para baixo não temos mais nenhum atleta no elenco. De 2013 também não. De 2012 só Tannhehill. A de 2014 é uma das mais produtivas atualmente e a de 2016 ainda está tentando se provar. Sobra, portanto, a de 2015. E sobre ela que irei falar um pouco hoje.

A Classe foi essa:
  • 1º Round - DeVante Parker, WR - Louisville;
  • 2º Round - Jordan Phillips, DR - Oklahoma;
  • 4º Round - Jamil Douglas, OG - Arizona State;
  • 5º Round - Bobby McCain, CB - Memphins;
  • 5º Round - Jay Ajayi, RB - Boise State;
  • 5º Round - Cedric Thompson, S - Minnesota;
  • 5º Round - Tony Lippett, CB - Michigan State.
Antes uma explicação: o Miami trocara Darnell Ellerbe e sua escolha de 3º round por Kenny Stills, bem como as escolhas de 6º e 7º nas trocas de Mike Wallace ( para o Vikings ) e por um OT que catamos dos Ravens ainda na temporada anterior. Adiante...

A classe teve 7 jogadores. Vamos primeiro aos que não deram, nada, certo: Jamil Douglas e Cedric Thompson. O primeiro foi cortado no começo de 2016 sem deixar qualquer surpresa com isso. Ele assinou com o Patriots e está lá até hoje. Já Thompson foi cortado, ainda passou pelo Vikings e hoje está fora da NFL.

Temos 2 Starters na lista: Parker e Ajayi. O primeiro foi a aposta "segura" do time. escolhendo alguém com capacidade comprovada para ser Starter enquanto que Ajayi foi realmente uma aposta, nada segura segundo alguns. E ela se provou - até aqui - melhor que Parker, Ajayi já está na lista de grandes feitos da Liga e mesmo que nunca mais faça nada será lembrado positivamente por nós. Claro que por depender de um QB - e nós não temos um - atrapalha demais a vida de Parker, mas ele também não fez por merecer muito mais. Está se desenvolvendo e ao lado de Landry forma uma boa dupla, mas está atrás do produto de LSU quando era para ser o contrário. Ajayi tem tudo para superar a marca das 1,5 jardas com certa facilidade este ano. 

E temos os que são mais ou menos porque não viraram Starters e nem são nulidades. Jordan Phillips tem ajudado muito na rotação e agora deve virar titular, isso se não for engolido por Godchoux. McCain e Lippett tem sido usados na rotação e em alguns casos até como titulares, por conta de contusões. O time poderia ter conseguido mais nos anos seguintes, mas é isso que temos.

A Classe não é espetacular, algo raríssimo quando escolhemos em Draft, mas está longe de ser a pior. Bem longe por sinal...