sábado, 12 de agosto de 2017

Miami de olho no mercado, mas por enquanto Mike Hull é o MLB

Hull é quem ficou com a vaga de McMillan...
Não escondo de ninguém que o time do Miami ainda tem buracos terríveis, que nem passaram perto de serem cobertos nessta off-season. E não estou falando da posição de QB, mas sim a de LB. Neste ano trouxemos apenas 2 jogadores para reforçar um setor que era um dos piores de toda a NFL. Um calouro ( McMillan ) e um veterano ( Timmons ) estão bem distante do que eu achava necessário. E agora que McMillan está fora da temporada, temos apenas um Veterano como reforço...

Com a saída de McMillan, bem como a anterior de Koa Misi, o time está teoricamente mais fraco do que estava quando fomos massacrados pelos Steelers. Ter passados bons LBs no primeiro round - mesmo que Charles Harris pareça mesmo promissor - deverá cobrar um alto preço ao setor. Eu avisei, é claro.

Agora temos que Mike Hull - na foto conseguindo uma interceptação na partida contra os Cards - é quem ficará com a vaga. Que, é preciso dizer, McMillan nem tinha conseguido ainda em campo, mas todos sabiam que ele seria o Starter. Sem ele no time, Hull vira automaticamente o titular, mas e o time não vai contratar não? Bom, parece que sim... mas quem?

Ai começam os problemas. As opções de mercado agora passam longe de animar alguém e uma trade como a do ano passado que nos trouxe Kiko Alonso não aparecem todo dia. Sendo assim, o time deve esperar pelo dia dos cortes e observar com bastante cuidado os nomes dos LBs que foram dispensados. É aquela coisa: o lixo de alguém pode ser a refeição de outros.

Em todo caso não teremos o setor em desenvolvimento que seria o adequado, porque apenas teremos algo remendado. Tudo porque o front office simplesmente parece que não percebeu o buraco do time. E agora terá que tampá-lo com fita crepe. E isso é um problema grande... tomara que Hull tenha mais dias como os da foto e que os futuros contratados possam ajudar muito.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Agora é Oficial: Tannehill fará cirurgia e só volta em 2018

Terá sido esse o lance final de Tannehill em Miami?
Ryan Tannehill foi colocado oficialmente da IR ( Lista de Machucados ) e agora - de fato  está fora da temporada. Ele fará uma cirurgia - o que inexplicavelmente não foi feito no fim de 2016 - e talvez só volte em 2018. Talvez porque poucos jogadores conseguiram voltar em alto nível de uma cirurgia dessa complexidade... e isso se considerarmos que um dia ele tenha jogado em alto nível.

A imagem acima é forte e foi num jogo que naquele momento estava sob controle e nem resultou em falta. Essa tem uma chance nada desprezível de ter sido a última dele como QB. Em Miami as chances são imensas, mas como QB também pode ficar sendo a última jogada.

Quanto à situação dele em Miami, convém citar que no ano que vem ele receberia 22 milhões e seu corte custaria "apenas" 5 milhões. Parece uma escolha fácil, mas não é: e se ele for cortado e virar ( não imagino que estou escrevendo isso ) um Drew Brees da vida? 

Em todo caso, agora é com Moore e Cutler. E isso é, acreditem, terrível.

Contratem uma benzedeira: McMillan fora da temporada...

McMillan está fora da temporada. E isso é um desastre de verdade...
Miami Dolphins era, para alguns, um time capaz de vencer 12 partidas este anos. Quem assim pensava ia na linha de que Adam Gase refizera um time com pouco e agora com mais peças e uma temporada vitoriosa, as coisas só melhorariam, Faltou combinar com a sorte: depois de perder Ryan Tannehill e Koa Misi, ontem o time perdeu o calouro que seria a melhora do setor dos LBs: Raekwon McMillan. 

Sem termos um setor sequer mediano, agora perdemos 2 titulares antes da semana 2 da pré-temporada. As chances de post-season caem a cada dia. Se com a contusão de Tannehill deixou muitos tristes, a de McMillan me deixou estarrecido. Sem LBs de qualidade, time algum chega em lugar algum.

De nada vai adiantar Jay Ajayi correr 3mil jardas se não tiver ninguém marcando na defesa. E por mais que a DL seja forte, são os LBs quem seguram o ritmo da defesa, deixando os DLs no 4-3 livres para perseguirem o QB adversário. Se não existir essa segurança, os DEs ficam na dúvida entre pressionar ou marcar TEs, RB e WRs e o QB adversário vai deitar e rolar contra a secundária.

Esperar para ver o que o front office vai fazer. Mas eu já não acredito mais em, sequer, 9 vitórias este ano.

domingo, 6 de agosto de 2017

Afinal de contas, o que podemos esperar dessa temporada 2017?

Adam Gase terá que se provar para seguir vencendo...
As manchetes e o desespero dos torcedores são ou não muito exageradas quanto à contusão de Ryan Tannehill?? Eu acredito que sim porque não estamos de um time Super Bowl Contender e, muito menos, de um QB Top Five. No primeiro caso o time não tem OL, LB e Secundária para ser Contender ao Super Bowl e o QB nunca foi - e nunca será - sequer um Top 10. Por isso eu acho que as análises são fora do contexto, porque fica parecendo que com a saída de Tannehill o time sai da categoria de excelente para porcaria. E isso não é verdade...

Tannehill não é sequer o melhor jogador do ataque do Miami. Na frente dele existem, fora de ordem: Mike Pouncey, Jarvis Landry e Jay Ajayi. Ele no máximo seria colocado no mesmo patamar do RB, mas com certeza absoluta está atrás dos outros 2. E isso é fato, não questão de gosto. Se ampliarmos para o elenco inteiro, ainda teríamos Ndamukong Suh, Cameron Wake e Reshad Jones, novamente sem qualquer ordem. Sendo assim, Tannehill seria no máximo o sexto ou sétimo melhor jogador do elenco. Como pode, então, a saída de alguém assim gerar tantas notícias exasperadas?

Claro que chegamos ao ponto que na NFL atual, a posição de QB é a mais importante. A liga é hoje uma liga de passes, onde o jogo aéreo é o que faz times campeões. Tempos como os que Trent Dilfer foi campeão de Super Bowl estão cada vez mais distantes. Ter um excelente jogo corrido com um QB meia-boca não tem dado em nada mais do que presenças na post-season, mas com vida curta. Super Bowl é quase sem chance. Tannehill chama a atenção por jogar onde joga ( uma franquia de passado vitorioso e com 2 QBs HOF ) e por ser o menos ruim de uma lista de 18 QBs desde que Dan Marino se aposentou.

Mas sem Tannehill ( e com Cutler ) pode ir até onde nesta temporada? A rigor, onde poderia ir com Tannehill. Ou não. Tudo depende dos outros setores, o que já seria o caso com Tannehill. Poucos tem observado que a OL está com problemas ( Ted Larsen rompeu biceps e Asiata está decepcionando ) e que os LBs seguem como o pior setor coletivo do time ( McMillan tem jogado na segunda equipe ). Sem boas atuações destes setores, o Miami não vai longe na temporada. A segunda metade é bem dura e acumular vitórias na primeira metade ( algo com 6-2 ) para ficar com 4-4 na segunda metade ( teremos duas derrotas praticamente certas contra o Pats ).

Matt Morre deve ser o Starter na primeira semana, mas se vai ficar como Starter é outro papo. Cutler será uma sombra e vai sempre pressionar toda vez que o Moore errar. É o correto fazer isso? Sim e não. Sim porque se Moore não for bem, teremos alguém com "qualidade" para colocar no lugar. Não porque ele ficará inseguro e, convenhamos, segurança já não é o ponto forte dele. 

O time pode conseguir 10 vitórias tanto com Moore ou com Cutler, desde que Jay Ajayi possa superar a marca das 1,6 mil jardas ( e para isso precisaremos que a OL seja Top Five ), que a Secundária consiga grandes atuações e os LBs fiquem entre os 10 melhores setores da NFL. Alguém ai acredita nisso? Porque eu não acredito... Adam Gase precisa superar todas as expectativas quanto à sua capacidade de "mago dos QBs". Se vai conseguir ou não, é 

Mas se, e apenas se, tudo der certo poderemos jogar em Janeiro. Mas que não me perguntem o que acontecerá caso cheguemos lá, porque ai é querer demais. 

Jay Cutler assina por uma temporada...

Cutler e Gase tiveram um bom ano em Chicago...
Existem várias maneiras de enxergar a contratação de Jay Cutler ( um ano e 10 milhões, podendo chegar em 13 milhões com incentivos ) mas nenhuma delas é boa ou - no máximo - alvissareira. O que mais ouviremos durante as transmissões da ESPN e nos Blogs é que Adam Gase é o mago dos QBs e que teve extraiu de Cutler o melhor ano dele em 2015. Muito por causa disso, ele foi contratado por nós em 2016. E é por isso que o Front Office está virando às costas para Colin Kaepernick, que seria uma opção bem melhor do que Cutler.

Tem também a versão de que ele teria uma adaptação mais fácil do que qualquer outro e a de que ele na verdade seria a melhor opção dentre as disponíveis, fora de uma troca, é claro. Eu não me animo nem um pouco com essa contratação, porque ela não traz nada de diferente ao que já temos com Moore. Acredito que Kaep seria melhor, por trazer algo que o elenco não tem hoje. Mas isso agora não adianta mais, até porque estivemos perto ( ou fomos ) de ser rejeitados por um QB aposentado!!!

Agora é esperar para ver o que isso causará no elenco e como essa contratação impactará Matt Moore, uma vez que o contrato dele é menos da metade do que receberá Cutler. E se Cutler realmente terá desempenho adequado ou será apenas um cara que vai ganhar uma montanha de dinheiro.

Sobre Ryan Tannehill não existem informações oficiais, mas pagar tanto para Cutler deve indicar que ele passará por cirurgia. E que, talvez, nunca mais volta a atuar em alto nível. Poucos QBs conseguiram isso na carreira. Isso sem lembrar que Ryan Tannehill jamais atuou em alto nível...