quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Roteiro para ( tentar ) entender o que pode rolar no Draft

Foto do último atleta All-Star que draftamos... isso foi em 2011!!!
Esqueça o que quer pro time. Esqueça que você odeie determinado atleta e adoraria ter um novo jogador vindo via Draft. Vou colocar em linhas gerais o que devemos analisar antes buscar por um JJ Watt, um Darrele Revis ou um Dan Marino no Draft deste ano. Vamos lá:
  • A organização Dolphins acredita em Ryan Tannehil - Goste-se dele ou não, essa é uma coisa que ainda não mudou, se é que vá mudar tão cedo. Sendo assim, mesmo que pairem dúvidas quanto a capacidade dele pós-cirurgia ( no que todos concordam ), a Franquia garante a ele o posto de QB Starter. Sendo assim, reitero ( gostando ou não ), o time não vai escolher um QB no primeiro round. Esqueçam isso;
  • Kenyan Drake é o cara de Adam Gase - Não foi por outro motivo que Adam Gase doou Jay Ajayi: Drake é o RB no entorno do qual Gase deseja montar o ataque. Sendo assim, esqueçam também que não iremos escolher um RB no primeiro round. Nem que seja o novo Emmit Smith ou Rick Williams somados. Nem que seja o melhor RB recebendo passes da história. 
  • Com Xavien Horward e Cordrea Tankersly o time acredita ter uma boa secundária - Aqui eu posso até concordar. Sim, Howard fez boas partidas - embora não me encha os olhos - e Tankersley mostrou potencial. As chances de pintar um CB no Draft são pequenas por causa disso, mas pode aparecer.
  • A situação de Jarvis Landry pode levar o time a Draftar um WR? - Sim, pode. Primeiro porque parece claro a todos que ele só ficará se o time aplicar a TAG. E isso traz 2 problemas: em 2019 ele só ficaria com um grande contrato ( porque não poderemos usar TAG outra vez nele ) e DeVante Parker também fica sem contrato. Por isso não descarto o time trocando Parker na off-season e draftando um WR para o seu lugar. Fiquem de olho nisso...
  • Seria um LB a maior carência do time? - Sim, é. Um LB All-Star pode elevar o patamar de um time mas um OL não. Mike Pouncey foi por 6 temporadas um All-Star nato e o time venceu alguma coisa?? Não, é claro. Por isso eu identifico um LB como necessidade maior do que um OL. Até mesmo por isso, por ser óbvio demais, é que eu não recomendo a ninguém cravar isso em Mocks Drafts. Miami NUNCA faz o óbvio... a não ser de modo invertido, é claro. Lembrando que em 2017 já era uma carência urgente do time e foram de DE.
  • Mas não draftar um OL não manteria o discurso sobre a qualidade de Ryan Tannehill? Sim e não. Sim para os que gostam dele, que sempre apontam outros como os culpados. Mas quando eu vejo o que fez um tal de Russell Wilson este ano, que praticamente sozinho carregou um decadente Seattle Seahawks, esse discurso perde totalmente o sentido. E não, porque na Off-season é possível preencher os espaços da OL e usar os atletas atuais. Me parece mais problema de Coaching do que de material humano. Ademais, existe um outro problema: apenas um atleta tem cara de All-Star entre os mais cotados ( OG Qnenton Nelson - Notre Dame ) e ai amigos eu me lembro do reach insano que foi Ja'Wuan James em 2014. E já que falei nele, ele vai ser cortado...
  • Pode pintar um Safety? - Deveria, mas... a Classe não é das melhores. E ai pode pintar outro reach ( quando pega-se um atleta muito antes do que ele realmente deveria ser escolhido ). Jones e McDonald são veteranos e ter revezamento serve também para alongar ao máximo a qualidade deles. 
  • E a DL, precisa de reforços? - Em tese, não. Com Suh negociando uma alteração no contrato para liberação de espaço no CAP, com Wake mostrando que tem valor e com Harris dando a entender que pode virar algo na NFL, não vejo porque o time gastaria uma pick no setor. Os outros atletas até que foram, sobretudo os DTs novatos. Mas é Miami e neste ano já não era esperado um jogador de DL no Draft...
O Draft acontece entre 26 e 28 de Abril e antes temos a Free Agency, onde contrataremos jogadores e perderemos outros. Tudo isso tem impacto no que o time vai fazer no recrutamento. Mas por hora, é isso...

Nenhum comentário: