terça-feira, 6 de março de 2018

Um olhar sobre o Salary Cap...

Estes dois juntos tem direito a receber quase 50 milhões...
Com dito em um post anterior, estamos numa situação terrível, a pior de todas: não termos um time bom/excelente e não termos espaço no Cap para renovar nossas parcas estrelas e obter reforços. Com o Cap negativo de hoje ( -8,2 milhões ), não podemos nem assinar com rookies para se ter uma ideia. Iremos, provavelmente, cortar figuras como Ja'wuan James ( primeira escolha de 2014 que nunca jogou em alto nível ), Lawrence Timmons e Julius Thomas para obter espaço no Cap. Além é claro de fazer a merda de trocar Jarvis Landry.

Antes de falar dos altíssimos Salários, a dupla da foto é a que mais ganha em Miami: Suh ( 26,1 ) e Tannehill ( 19,8 ), somam 45,9 milhões. É assustador que quase 25% do Cap fique em apenas 2 jogadores, sendo que um dele não faz nada demais na Liga e o segundo não merece ser o defensor mais bem pago da NFL, o primeiro não QB. Vamos olhar a lista dos 12 maiores contratos do time ( contando a Tag aplicada em Jarvis Landry ), irei analisar jogador a jogador:


  • Ndamukong Suh, 26,1 milhões. Bom, ele rende. Bom, mas ele ganha demais. Ele, sozinho ocupa quase 15% do Cap e não é um QB. Ele não é a chave para deixarmos de ser uma piada. Cortá-lo com data pós 01/06 liberariam 17mi, mas o time deve ir pelo caminho mais perigoso que é re-estruturar o contrato dele. Trará algum alívio para esta temporada, mas no ano que vem os Dolphins terão um peso ainda maior.
  • Ryan Tannehill, 19,8 milhões. A situação do nosso QB é, digamos assim, um jogador que nunca passa desapercebido pelos torcedores. Ele, todos sabem, foi draftado em 2012 e desde então jamais foi até  o Pro Bowl, embora muitos torcedores gostem dele. Seja como for, ele com certeza não merece receber 19,8 milhões. Não ter jogado uma única partida ano passado, fez com ele perdesse bônus de 3,2 milhões. É outro que deverá receber re-estruturação de contrato. Um corte pós Junho salvariam 17,5 milhões.
  • Jarvis Landry, 16,2 milhões. Não preciso mesmo falar sobre ele, ok?
  • Reshad Jones, 11,57 milhões. O único pro-bowler do time é um dos melhores Safeties da Liga. Está ficando velho - é claro - mas vale quanto joga. Seguramente é um grande atleta e não é por causa ele nossos problemas de Cap. Tem atuado em alto nível, mas cortá-lo não é uma opção. Tal situação não salvaria NADA de Cap.
  • Andre Branch, 10 milhões. Que time pagaria 10 milhões para um DE reserva? Os Dolphins pagaram. Absurdo dos absurdos o time simplesmente não pode cortá-lo agora, porque deixou TODOS os Bônus do contrato para esta temporada. Idiotice pouca é bobagem.
  • Kenny Stills e Kiko Alonso 9,7 milhões. O porque de terem renovado o contrato com Stills e não com Landry´e daquelas coisas das quais jamais saberemos a resposta. Cortar e/ou trocar eles está fora de questão. Alonso é um LB comum, esforçado mas não é um All-Star. E Stills é apenas um WR veloz, só isso. Não é uma ameaça na End Zone, não rende nas rotas mais curtas... bom, ele não é um Landry.
  • Ja'wuan James, 9,34 milhões. Primeira escolha de 2014 num mais insanos reachs feitos pelos Dolphins em sua história jamais rendeu como tal. Será cortado e não deixará saudades alguma.
  • Mike Pouncey, 9 milhões. Uma decisão complicada entre cortar ou não um All-Star que tem ficado mais no estaleiro do que em campo. Cortar Pouncey livrariam valiosíssimos 7 milhões, mas e se ele conseguir jogar a temporada inteira? Aqui eu faria uma re-estruturação.
  • Cameron Wake, 8,6 milhões. Wakezilla não merece contestações certo?
  • Lawrence Timmons, 8,2 milhões. Será cortado. Sem chance de ficar com um salário destes.
  • Julius Thomas, 6,6 milhões. Outro que será cortado. Foi adquirido numa trade porque Adam Gase quer recriar o ataque dos Broncos, com o qual ficou famoso. Mas só tem um problema: ele não tem um Peyton Manning.

Nenhum comentário: