sábado, 15 de setembro de 2018

Week 2: Dolphins at Jets - Boas lembranças para o confronto de amanhã

Jogo em NY só me traz isso na memória
Faz muito tempo. As imagens ficam cada dia mais velhas, se as tivéssemos tirado no antigo Giants Stadium, elas estariam desbotadas e amareladas. Mas eu jamais esquecerei-me do Fake Spike, o primeiro da história da NFL. O lance é eterno e se você não o viu, assista-o aqui:


Bom, é um lance eterno. Em 2016 teve outro... lembrou?? Não... olha ele aqui:


Coitado do Petty. Amanhã no Metlife teremos uma ideia mais clara do que este Miami Dolphins pode fazer. E se teremos esperanças quanto a post-season. E por fim, se teremos mais imagens imortais como estas para nos alegrar quando formos encarar os Jest em NY.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Pilulas do dia seguinte

Com 2 interceptações, Reshad Jones foi o jogador da partida...
Linha ofensiva não foi tão mal, mas esteve longe de ser excelente. E Tannehill foi apenas mais ou menos...
2 TDs, um deles para 75 jardas. Uma atuação bem acima da média de Kenny Stills
Mike Gesicki quase não apareceu em campo. Aqui no lance da 1ª interceptação de Tannehill
Miami venceu. Isso normalmente basta. Mas vocês leem o Blog porque sabem que eu busco encontrar algo escondido nas vitórias e projetar isso para as próximas partidas. Aliás, antes de prosseguir, um dado: no momento em que eu escrevo os Jets massacraram os Lions por 48x17. É prudente ter cuidado com o que pensarem sobre o que será nossa segunda partida.

Falar do que deu errado é apontar para o óbvio: Ryan Tannehill e o ataque. Existia uma expectativa, sem base alguma, de que nosso setor ofensivo iria deslanchar. Não foi o que se viu. Além de Tannehill sem comandar o setor com desenvoltura, os problemas foram além dele. A OL cometeu faltas toscas, não abriu grandes espaços para o jogo corrido e os TEs, tão decantados, praticamente não foram usados. De bom mesmo, só o desempenho de Kenny Stills que fez os 2 TDs do ataque, um deles conseguindo dobrar a esquina e se jogando para marcar. Ponto para ele. Além de ter recebido um dos TDs mais longos dos últimos anos em Miami. E o jogo corrido? Discreto. Somados, Gore e Drake mal passaram as 100 jardas, sem TDs. Muito pouco para quem é considerado, pelos mais apaixonados, um dos melhores backfields da NFL.

Outro ponto positivo é o setor de especialistas, com o TD de Jakeem Grant sendo o mais longo da história dos Dolphins como mandante. Aliás, por falar em recorde não custa lembrar que ontem foi o jogo com maior duração na NFL, com 07 horas e 10 minutos. O mais longo, só para constar, também teve os Dolphins envolvido: em 1971 no Divisional Playoffs contra os Chiefs, que teve 3 prorrogações. Foram duas interrupções por conta do clima, por causa de uma tempestade na área de Miami. Coisas que só acontece com os Dolphins...

A defesa foi o ponto alto. Se não teve sack, sobraram tackles para perda, pressões nos QBs dos Titans e, sobretudo, interceptações. Foram 3, duas delas de Reshad Jones, que realmente está mais solto o que é uma péssima notícia para os outros QBs. Com a chegada de Minkah Fitzpatrick era óbvio que ele ganharia liberdade para caçar as bolas e os QBs adversários, uma vez que ele quase conseguia um sack ontem. É nítida a diferença que o rookie Fitzpatrick fez em campo, conseguindo negar uma quarta descida, em conjunto com Jones. Mas nem tudo são flores e a ausência de LBs foi sentida. Não adianta: o grupo é fraco. E não suportará grandes QBs, porque Mariota e Gabbert acharam os buracos. Linebacker ou é muito bom ou não serve. E não temos estas peças em Miami.

De resto, lamentar que nossos jogadores ( e os dos Titans também ) ficaram ocupados em um período superior a 2 partidas, o que pode ter certo reflexo na preparação para a próxima partida. Estamos 1-0 e para pensar em post-season é preciso derrotar os Jets no domingo. É possível? Claro que é... mas precisaremos jogar mais, sobretudo o ataque.

domingo, 9 de setembro de 2018

Week 1: Titans 20 x 27 Dolphins - Vencemos o jogo mais longo da história...

Jakeem Grant deu tranquilidade à partida com seu retorno de 101 jardas...
Miami Dolphins venceu a primeira partida da temporada por 27 x 20 contra os Titans, no jogo mais longo da história. A partida começou às 14:00hs e terminou depois das 21:00, devido a tempestade que estava rondando o Hard Rock Stadium. O jogo foi interrompido perto do fim do segundo quarto e perto do final do terceiro quarto. Somados, a interrupção chegou perto das 4 horas. Algo surreal, sem dúvida. Lembrando que a partida com tempo de jogo mais longo também tem os Dolphin envolvidos: o Divisional Playoffs de 1971 contra os Chiefs, que teve 3 - isso mesmo - prorrogações. Foi também a primeira vitória nossa em post-sesason.

No jogo de hoje o time começou lento, saiu de campo sem pontuar na primeira posse, mas os Titans não: marcaram um FG. Depois de várias alternâncias de posses no primeiro quarto, um drive seguro levou o time até a end zone e Tannehill achou Kenny Stills para fazer 7x3. Seria o placar até o fim do primeiro tempo, que só terminaria perto das 18:00hs. Mas Tannehill conseguiu lançar uma Interceptação dando um passe perfeito nas mãos do defensor e que estragou a primeira interceptação de Reshad Jones, que esteve em dia de graça.

Depois de um FG acertado no terceiro quarto, veio o insano quarto final: TD dos Titans, TD de retorno dos Dolphins no lance seguinte ( Jakeem Grant de 101 jardas ), depois TD de Tannehill para Kenny Stills e retorno de TD para os Titans. Estava 14x14 e tudo poderia acontecer. Até que Reshad Jones consegue outra interceptação e um FG coloca tudo na rota da vitória. Ah, n, quarto final Tannehill ainda lançou outra interceptação. 

Destaques Positivos: 
  • Reshad Jones - Como eu dissera quando Minkah Fitzpatrick foi draftado, ele ficaria mais solto. E foi o que se viu em campo hoje. Com o novato em campo, ele não precisa ser o salvador da pátria lá atrás. Conseguiu pressionais mais a linha ofensiva adversária, algumas vezes parecendo até um DE;
  • Jakeem Grant - Não foi apenas no retorno que ele foi bem. Ainda recebeu passes. Agora detém o recorde de maior retorno de kickoff em jogos como mandante da franquia.
  • Kenny Stills - Recebeu 2 passes para TD, um deles de 75 jardas ( totalizou 106 em 4 recepções ). Parece mais solto em campo;
  • Frank Gore - O veterano RB foi bem demais. Mostrando que pode ser bastante útil.
Foram mal:
  • Mike Gesicki - Muito se espera dele e... ele recebeu só um passe. Não foi muito acionado, o que é um problema;
  • Kenyan Drake - Quem esperava ele detonando nas corridas, com certeza ficou bem preocupado. 14 corridas e 48 jardas estão bem longe de uma grande atuação.  Mesmo dando um desconto de que ele correu 3 vezes no final da partida, ainda assim ele ficou devendo.
  • Ryan Tannehill - Não exatamente mal, mas não foi bem. Olk, ele está vindo de um ACL duplo, mas o que se viu em campo hoje não é o signal caller seguro que o time precisa. Ele errou 2 passes terríveis ( ambos resultaram em interceptações ), perdendo uma posse na red zone. A seu favor poderia-se contar os 20 passes certos em 28, mas tem um porém: os passes seguem sendo na maioria screen pass. Acertou a bomba para Stills, que é excelente, mas na posse seguinte errou por muito numa tentativa igual.