sexta-feira, 4 de abril de 2008

Capisci?

( torcedor exibe insatisfção: é bom se controlar não se sabe o que Soprano vai fazer com ele)

Outro ( belo ) texto do Thiago do Blog NFLUndergroung - Link na Seção "Eu Recomendo"


Tenho que escrever sobre o Dolphins mas estou confuso. Por qual ironia eu iria começar mesmo? Tudo bem, não faz difrença. O fato é que eu gosto de torcer pro Dolphins, é uma nova forma de torcer, uma forma em que o torcedor não tem mais esperanças, logo nem se preocupa mais se o time está ganhando ou perdendo, além disso que outro time ou diretoria faz e me permite fazer tantas brincadeiras e piadinhas? Nenhum.É simples se o Dolphins for bem, esse blog acaba. E estou começando a acreditar que isso pode acontecer, não esse ano mas em algum lugar no futuro, eu sei é uma definição vaga mas pros torcedores do Dolphins que não tem nada, metade é o dobro.

Como já havia discutido aqui antes, a melhor noticia dessa temporada pros torcedores do Dolphins é a venda de cinquenta por cento do time do Dolphins a segunda é a contratação de Bill Parcells. Sobre Parcells a primeira coisa que devemos lembrar é que ele não é o Head Coach ele agora é o primeiro na linha depois do dono do time, ou seja ele pode trazer jogadores e manda-los embora mas fazer esses jogadores funcionar é trabalho do nosso mafioso Toni Soprano que para escapar da lei também é conhecido como Toni Sparano.Não importa ele que terá de fazer ese time funcionar, não Parcells que além de não ser o Head Coach vale lembrar também foi criticado por jogadores ao sair do Cowboys, e segundo Julius Jones tem métodos de treinamentos "ultrapassados" e "obsoletos".

O que dizer então das contratações de Bill Parcells? Sinto que as pessoas não tem um argumento formado. Elas tem razão; a maioria dos jogadores nem o Google conhece. A maioria das pessoas que os conhecem e argumentam a favor dizem que os jogadores são jovens, e confiam em Parcells. Como pra mim ser jovem e indicado por Parcells não garante talento desconfiei. Se fosse a fosse a antiga equipe técnica em Miami não me surpreenderia, mas Bill Parcells pode ser ultrapassado e obsoleto mas não é burro. Tem que existir uma razão para essas conratações. E há. E dessa vez não é sacanear os torcedores. Ao invés de olhar o que eles podem fazer em nosso time estive olhando o que muitos deles fizeram em seus próprios times ou ouvindo o que os seus antigos torcedores disseram que eles fizeram, o que normalmente se ouve é que eles não são nada de mais, que é a parte que eu já sabia, mas a maioria reconhece que jogavam muito bem no special team e por isso as vezes jogavam no ataque ou na defesa. Alguns dias atras também vi alguem falar a mesma coisa, é verdade infelizmente não posso criticar essa estratégia, aliado ao talento de Ted Ginn Junior para os retornos acho que o Dolphins terá algo ao redor de quatro Touchdowns de retorno.

Pelo menos os Free Agents vão servir para melhorar alguma area do time, pois não restam mais muitos bons nomes na mesa. Miami vai investir no draft. Não o sei que é pior; não contratar free agents de peso ou confiar no Draft. Me perguntam se Miami deveria escolher Chris Long, não sei tanto assim sobre ele mas acho que não, parto do principio que se Miami escolhe alguém no primeiro round ele é ruim. De qualquer jeito se não vier nenhuma bizarrisse extra terrestre como tem acontecido já estamos no lucro, Jake Long, Chris Long ou Matt Ryan tanto faz. Tenho uma pequena preferencia por Jake Long porque com ele como Left Tackle Vernon Carey pode voltar daonde nunca deveria ter saido e não é da faculdade mais do lado direito da linha onde sua falta de mobilidade não cria muitos problemas já que seus oponentes também não são muito rápidos, ou seja a linha ofensiva irá melhorar numa proporção maior que as outra areas com as outras escolhas. Além disso a escolha de um quarterback pode ser feita no primeiro pick do segundo round, e mesmo assim não estou tão convencido que ele é péssimo pra mim ele ainda é apenas ruim. E no segundo pick do segundo round podemos utilizar a vantagem de termos um time horroroso, ou seja, escolher qualquer um que tenha um pouquinho de talento e que só tenha caido tanto porque os times não precisam de alguem para aquela posição, e nós precisaremos de alguem para aquela posição, em outras palavras, se Goster Cherillus estiver disponivel, pegamos ele, se DMR estiver disponivel, também podemos pegar ele, se Dan Connor ainda estiver lá pegamos ele também se tiver uma Cheerleader disponivél podemos pegar ela também que vai ser util.

E se o ataque tem alguma possibilidade de melhora através da evolução dos próprios jogadores a defesa pode melhorar através das contratações e dos jogadores que devem passar um período deslesionados para depois vltar a se lesionar. Sim ela foi péssima ano passado mas com Torbor, Fergurson e os deslesionados como disse ela deve segurar alguém pelo menos durante algum tempo, ou seja no final seremos ruins no ataque, ruins na defesa e bons nos Special Teams. Mas ser ruim não é ser péssimo e isso já é um avanço, cinco vitórias é um numero possível de vitórias, sete eu nomeio meu filho de Toni Soprano e nove eu já vou vomeçar a acreditar que nosso técnico está fazendo algumas ligações para outros italianos e realizando alguns serviços para o bem do time, capisci?

quinta-feira, 3 de abril de 2008

E o tempo passa...

O tempo é mesmo algo interessante. E aqui neste espaço ele passou rapidamente, e infelizmente também dolorosamente. Este post que eu escrevo agora é o de número 101. Pois, sem perceber já passei da mensagem centenária. E agora vamos rumo às 200. Ou como diria o Buzz Ligthwear: "Ao infinito e além".

segunda-feira, 31 de março de 2008

Eu tenho o direito de ser entretido

Excelente texto do Blog NFL Underground - Editado pelo Tiago, torcedor do Miami...
Outro dia passando por um fórum na internet vi um torcedor do Miami Dolphins feliz pela a vitória do Dolphins e triste pela a noticia de uma possivel venda do clube. Uma coisa é ser burro e falar besteira e outra coisa é ser burro e falar duas besteiras.
Primeiramente vale explicar que a vitória e Miami vai fazer com que Cam Cameron fique mais um ano no comando do time o que é, bom deixa pra lá. Eu já até tinha prometido parar de falar sobre isso, e sobre a venda vale lembrar que o Dolphins não será vendido a um grupo de torcedores do Jets que venderão todos os jogadores e farão péssimas escolhas no daft, até porque isso já acontece.
Mas como essa é a melhor noticia que um torcedor do Dolphins pode receber esse ano.Como em todos os esportes profissionais americanos o objetivo das franquias é majoritareamente dar lucros ao seu dono. Ao contrario do futebol ou de outos esportes onde o maior objetivo é vencer titulos com esse time. Esses dois caminhos (lucros e titulos) normalmente andam juntos, mas não necessariamente. É possivel ter um time que apesar de não ganhar nada gera lucro, basta gastar pouco e seu retorno mesmo que também seja pouco será maior, não é preciso ser um genio da economia para entender. Mas ainda pode ser pior (ou melhor), você pode não investir. É o caso do atual Miami Dolphins.
E o que me garante que os novos donos investirão? Não acho que ninguém compra um time de futebol americano pra ficar se exibindo para os amigos, quem tem dinheiro para comprar uma franquia tem dinheiro para investir. Isso aconteceu com o Patriots, que era uma das franquias de menos valor da NFL no inicio dos anos noventa sem nunca ter ganhado um Superbowl em 30 anos de existência, foi comprada em 1994 por Robert Kraft que em menos de dez anos já ganhou três.
Outro caso foi o do Buccaneers, se você acha o Dolphins de hoje ruim é porque não conhecia o Buccaneers de Hugh Culverhouse, ele conseguiram o que Miami não conseguiu esse ano, a temporada imperfeita, além disso em 28 anos só tinham chegado aos playoffs três vezes. Isso acontecia pois Culverhouse geralmente pegava os lucros do time investia em outros empreendimentos seus. Logo mantinha a folha de pagamento do Bucs como a menor da NFL e não aceitava aumenta-la, como exemplo permitiu a troca de Steve Young após apenas duas temporadas depois que este pediu um salário maior. Ainda sim o Bucs era uma franquia com lucros ligeiramente acima da média da NFL. Mas em 1994 Culverhouse morreu e a franquia foi vendida, apenas meses depois iniciou-se a construção de um novo estádio, trocou-se o grupo de Técnicos e Tampa Bay até venceu um Superbowl em 2002.
Esse é o problema de algumas franquias, o objetivo do esporte é entreter os fãs, adeptos e simpatizantes do mesmo, e não gerar lucros aos seus donos, esse é uma conseqüência não um objetivo. O Dolphins precisa ser vendido,eu tenho o direito de ser entretido.