sexta-feira, 11 de maio de 2012

Um olhar sobre o provável contrato de Ryan Tannehill

Ryan Tannehill no Rookie Mini Camp, onde arrancou elegios dos analistas, o que é - sem dúvida - uma excelente notícia.

O nosso ( sempre contestado ) Front Office, ao que parece, fechou o contrato com o "líder" da turma de rookies, o QB de Texas A&M Ryan Timothy Tannehill. O valor será o máximo permitido para um QB rookie, ou seja, ele vai receber o mesmo que Andrew Luck e RGIII, o que é um claro exagero pra ele, que é bem inferior a ambos. Mas como é QB e saiu no Top 10 e a regra não fala em qualidade e sim em posição na qual o jogador foi draftado. Sendo assim ele terá um contrato total de US$ 12,6mi ( todo garantido ), sendo US$ 7,6 de Bônus pela assinatura do Contrato de 4 anos ( com opção de um quinto ), com os outros 5mi sendo rateados ao longo dessas 4 temporadas.

Todo Rookie recebe uma base igual ( US$ 360mil ) e o que diferencia um Top 10 de um UDFA é o bônus, duração e valores extras do contrato. No caso de Tannehill a evolução dos valores de salário dele serão:
  • 2012 - US$ 390.000; 
  • 2013 - US$ 965.841;
  • 2014 - US$ 1.541.682;
  • 2015 - US$ 2.117.523;
 O Bônus dos contratos contam contra o Cap durante a duração do Contrato, ou seja, os US$ 7,6mi são diluídos durante os 4 anos de contrato, contando em cada um deles US$ 1.913mi.


Lauren, a Sra Tannehill aprova o contrato. Quem não aprovaria?

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Análise do Draft do Miami by Diário NFL

Todo ano sempre fico esperando a análise do Draft do Miami Dolphins feita pelo Diário NFL, do meu amigo Danilo Muller. E hoje ela veio. E é bem complicado discordar do que vai abaixo:

Rápida análise: Difícil a posição dos Dolphins com uma necessidade tão grande de reformulação no ataque. O time precisava de um QB e pagou “caro” em Tannehill. Mas mesmo assim faltam armas a sua volta. As maiores necessidades foram atendidas, mas ainda não será este ano que Miami se recupera. Enfim o “valor” deste draft sera o sucesso (ou não) do jovem QB.
  • Touchdown: J. Martin OT. se encaixa bem no time e vai aprender com Jake Long do outro lado.
  • Hail Mary (Arriscando): Tannehill QB – Vai ter concorrência de 2 veteranos rodados (Garrard e Moore) mas decadentes. Tem que tomar cuidado para nao ficar no limbo entre jogar ou aprender. E caso Miami tenha uma campanha horrivel vai ter que torcer contra a seleção de outro QB como aconteceu com Jimmy Clausen (Car) e Colt McCoy (Cle).
  • Chute para fora: O time não possui WR de elite e os dois selecionados vao ajudar no Special Team somente.
  • Nota: 2,5 joinhas.
Eu particularmente concordo com o fato de que o sucesso do nosso Draft depende basicamente do sucesso ( ou não ) de Ryan Tannehill. Só achei que merecia menção a escolha de Lamar Miller, que foi - pra mim - uma excelente escolha. Quanto a bola fora, acho que os WRs podem conseguir mais do que apenas "ajudar" no ST. Mas é uma opinião válida.

domingo, 6 de maio de 2012

Olhando o elenco pós-Draft: Wide Receivers

Com a saída de Brandon Marshall, voltamos a ter um grupo de WRs "normal", não existindo mais uma estrela entre os integrantes do setor. Claro que Marshall fará falta, mas ele se cansou de esperar um time competitivo e foi juntar seu ( inegável ) talento ao do melhor QB com o qual já jogara Jay Cutler. Que seja feliz por lá, como tentou sê-lo em Miami.

Agora isso é passado e o que temos é um grupo cheio de jovens com qualidade e possibilidade de crescimento dentro da carreira, treinados por uma nova dupla de Coachs ( Philbin e Zimmerman ) e em um novo esquema e com um QB, no mínimo, cru. Combinação ruim, não é? Nem tanto, pois eu acho que iremos ter uma boa combinação de qualidade, talento, velocidade, versatilidade e vontade de vencer no grupo. Hoje temos, sob contrato, os seguintes jogadores:

  • Brian Hartline, Davone Bess, Legedu Naanee, Clyde Gates, Marlon Moore, Roberto Wallace, Julius Pruitt, BJ Cunningham (R), Rishard Matthews (R), Chris Hogan, Jeff Fuller (R) e Derek Moye (R). 
Temos na lista dois jogadores que com certeza estão entre os 5 ou 6 escolhidos ( Bess e Hartline ). Temos outros dois jogadores que deverão ficar entre os escolhidos ( Naanee e Cunningham ). Portanto sobram 2 ou 1 vaga. E quem destes ficará com ela? Díficil dizer isso agora, mas eu tenho uma espécie de ordem de corte, que claro pode ser modificada com o decorrer dos treinos:
  • Clyde Gates: Jogador escolhido ano passado e que tem contribuido nos retornos. Está em vantagem contra os demais;
  • Marlon Moore e Roberto Wallace: Igual a Gates, ambos tem a seu favor o fato de estarem no elenco há uma temporada, mas isso pode curiosamente pesar contra eles, já que novos treinadores preferem ter os seus próprios jogadores e cortarem os chamados atletas do treinador anterior;
  • Rishard Matthews: Se Philbin e Sherman forem cortar os 3 acima, ele tem excelente chances de ficar. Conta a seu favor o fato de ser um playmaker nato e se demonstrar isso suas chances passarão a não depender de corte de ninguém.
  • Julius Pruitt: pode ser um zé ninguém para muitos, mas ele é um dos melhores special teamers que temos. Isso basta para ser escolhido? Acho que não, mas é isso que ele tem a oferecer.
  • Jeff Fuller: é o cara de Sherman. Foi "apenas" o melhor WR da passagem de Shermam em Texas A & M. Isso bastará? Não é claro, mas poderá sobreviver se mostrar potencial para a NFL.
  • Chris Hogan e Derek Moye: Chances próximas do zero de ficarem no elenco, devendo - ambos - terem problemas para conseguir vaga até mesmo no Pratice Squad.

Um problema a menos: Cameron Wake renova contrato

Cameron Wake e Miami Dolphins acertaram uma extensão contratual de 04 anos, no valor de 49 milhões, com 20mi garantidos. Assim ele ficará conosco até 2015. Em três temporadas ele acumulou 122 tackles e 28 sacks. Com isso elimina-se o risco dele fazer Hold-out. E temos um problema a menos para essa temporada.