quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Jorvorskie Lane mudou seu estilo de vida e virou starter no Miami Dolphins.

 Lane marcando o TD diante do Cardinals, em uma quarta para uma jarda.

Update: texto feito por Juba Rivas, escritor do Blog
Lane dirigindo um caminhão, transportando móveis pela monótona região central do Texas, só tinha um pensamento: "Não é isto que eu quero fazer da vida. Eu quero ser jogador da NFL. Eu quero punir pessoas num campo de futebol americano"

Um ano depois e 22kg mais leve, Lane se tornou uma das boas histórias do Miami Dolphins nessa temporada. O sonho de ser jogador da NFL se tornou realidade 4 anos depois de deixar a universidade de Texas A&M. "Para qualquer pessoa que tenha cometido erros na vida, olhe a minha situação. Eu cometi o erro de ficar muito pesado, fora de forma. Se você quer fazer algo de verdade na vida, lute e faça. Sinto-me abençoado".

Ele pensou durante meses em fazer uma mudança fundamental na própria vida. Mas ele só se comprometeu mesmo em fevereiro, uma semana antes de seu aniversário, quando estava pesando 138kg. Ele estava desanimado porque o St. Louis Rams o chamou em janeiro, mas nunca deu uma chance de verdade, uma continuidade, uma progressão para sua evolução. "Eles disseram que iriam me trabalhar, mas não passou disso. Esse tipo de coisa me deixou pra baixo. Então resolvi colocar em minha mente que era isso que eu queria fazer (entrar em forma). Eu só comecei a fazer a coisa certa, do jeito correto."

Isso significava duas coisas: mudar seu estilo de vida e a sua dieta. Isso significava que não iria mais sair e comer demasiadamente, nada de lanches no fim da noite e nada de doces. Ele se comprometeu a um programa de peixe, frango, legumes, frutas, toneladas de água e poucos carboidratos. E Lane correu. E correu um pouco mais, com um pouco de treino de MMA e Boxe para "temperar a salada". "Eu corri o tempo todo. Eu estava correndo 6km a 8km por dia. Foi uma loucura. Mas, antes que eu percebesse eu já estava com 122kg."

E o momento foi extramente fortuito para ele. Mike Sherman, novo OC do Miami e que tinha treinado ele na universidade, o chamou para saber se ele estava em forma e Lane prontamente respondeu que sim. Ele disse pra mim: "Você está pronto? Eu vou pegar esses caras para trabalhar com você. Eu sei que você pode jogar".

Sherman conseguiu convencer Jeff Ireland a dar uma chance a Lane e realizar um tryout. Porém, o GM disse que aceitava com uma condição: "Ele me disse que eu só faria o tryout se estivesse pesando menos que 121kg. Que se estivesse acima disso, não poderia treinar. Felizmente, eu estava pesando 118kg."

Depois do treino, os Dolphins assinaram com ele e em seguida, Lane derrotou Jerrome Messam e Ryan Mahafee por uma vaga no elenco. "Mike disse que ele estava em excelente forma e, quando o treinava, ele era um jogador talentoso", disse o treinador Joe Philbin. "Quando o trouxemos, você podia ver o equilíbrio natural, habilidades motoras, a capacidade de pegar a bola." Lane agora pesa 116kg, o seu menor peso em anos. Que mudanças de hábitos ele recorreu para atingir seus objetivos? "Deixa de comer tarde da noite. Você tem que mudar todos os seus hábitos. Quando eu saia com meus amigos, a primeira coisa que pensávamos era onde iriamos comer, sair pra comer com eles. Tive que mudar isso tudo".

Ele correu para 780 jardas (4.9 de média por corrida) na sua temporada júnior. Porém, Sherman o mudou para fullback quando substituiu o então Head Coach Dennis Franchione. Na sua temporada sênior, ele bloqueou para Mike Goodson, atualmente jogador do Oakland Raiders. Lane terminou sua carreira na universidade com 49 TDs em 49 jogos. Porém deixou que seu peso atingisse 133kg. Então, foi "undraftado" e permaneceu um ano na liga indoor. Para sustentar sua esposa e 3 filhos pequenos ele começou a trabalhar na empresa de móveis, transportando coisas das casas das pessoas, na estação colegial. Em meados de outubro ele disse que iria parar, buscaria seu sonho, talvez prevendo que o mesmo poderia se materializar.

Ele aprecia a influência e a motivação que seu meio-irmão exerceu, o TE dos Packers, Jermichael Finley, com o qual fala duas vezes na semana. Joe Philbin tem uma forma curiosa de chamar Lane: "Butterball" (ou, numa tradução livre, Bola de Manteiga), porém, Lane não tem objeção nenhuma a fazer: "Ele pode me chamar do que ele quiser". Uma clara demonstração de gratidão ao seu primeiro treinador como profissional. Philbin ainda lembrou que o jogador está evoluindo e jogando muito bem, porém ainda tem um belo caminho de desenvolvimento pela frente. Lane, em 11 º lugar entre os FBs nesta temporada pela PFF, disse que aprecia o lobby de Sherman para ele. Sherman disse no início dos treinamentos que confiava e acreditava que Lane conseguiria entrar no time pois o jogador PRECISAVA DO EMPREGO.

E agora que ele está na liga, ele afirma: "Eu estou indo para punir as pessoas. Eu não vou fazer nada de diferente em campo. O que eu venho fazendo e sei fazer desde que comecei a jogar futebol americano é punir as pessoas".

domingo, 30 de setembro de 2012

Week 4 - Dolphins 21 x 24 Cardinals - Não basta perder, tem que ser com humilhação 2

Perder eu já nem esquento mais, é a rotina. Acontece que agora temos que perder sendo humilhados, passando vergonha mesmo. Pela segunda semana seguida conseguimos perder tendo dominado - em partes consideráveis da patida - o adversário, tendo conseguido mais jardas, mais First Downs, mas infelizmente tendo mais turnovers.

Ryan Tannehill fez sua melhor partida em termos de jardas passadas, mas cometeu 3 turnovers, sendo que os dois últimos nos mataram na partida. Brian Hartline fez uma partidaça, Davone Bess idem, Bush foi na média para quem estava com o joelho baleado, a defesa foi impressionante, tendo Sean Smith interceptado duas vezes a Kevin Kolb. Mas os erros, sobretudo um fumble de um camisa 19 ( número que deveria ser banido do time ) custaram-nos a vitória.

Já nem sei  o que pensar. Cheguei a pensar que a partida diante do Raiders seria a tábua de atuação para este time. Mas estava errado, o paramêtro é a atuação diante do Texans. Me desculpem o tom forte e talvez até desagradável, mas perdeu dois jogos seguidos como estes diante de Jets e Cards é de deixar fulo qualquer um.

Week 4 - Dolphins 13x0 Cardinals - Half Time

Miami vai vencendo - passando o rodo talvez fosse mais apropriado - no Cardinals. Tannehill até aqui vai tendo uma atuação decente, errando alguns passes mas acertando outros. Boas atuações da defesa e de Reggie Bush que começou lento, mas pegou no tranco durante a partida. E claro, Sean Smith conseguiu uma interceptação, a primeira de Kevin Kolb na temporada.

Seguindo assim iremos voltar a ficar .500 na temporada.