sábado, 4 de janeiro de 2014

Pra quê pressa, né Stephen Ross?

Mas o que o pateta está fazendo no Undefeat Team?
Não sei se todos sabem, mas eu acho o Stephen Ross a cara do pateta. Ou ao menos bem parecido. Ele é alto, tem um rosto esquisito e, bom, parece nas ações destrambelhadas. Portanto é uma justa, digamos assim, homenagem.

Os times que planejam fazer alterações em seu Staff normalmente demitem aqueles - digamos assim, indesejados na Black Monday, para não ficarem embaçando. Demitem e pronto, sem mais delongas. Isso deve-se basicamente a dois motivos: dar uma "satisfação aos treinadores" e para poderem ir logo atrás de substitutos. Pois bem, isso é o de praxe na NFL. Mas como sabemos parece que o Miami Dolphins não é da NFL, afinal... tem um pateta como proprietário!!!

Ok, Jerry Jones e o falecido Al Davis tem feito mais "merdas" recentemente do que nós, mas isso não me consola. O Browns ´é bem pior do que nós, mas alguém estufa o peito e diz isso? Jaguars, Lions e Rams vivem na rabeira da classificação, mas eu nem ligo. Eu quero me comparar com Broncos, Pats, Packers, Niners... ou seja, com os melhores. Mas nós, nem de longe, podemos nos comparar a eles...

Três temporadas atrás Stephen Ross saiu de Miami para contratar um novo Coach... sem demitir o atual ocupante do cargo ( Sparano ). Voltou de mãos vazias e ainda disse que tinha 100% de confiança em Tony. Bom, ele foi demitido na Semana 11 daquela temporada. Pois bem, agora o Pateta, quer dizer Ross, não foi atrás de ninguém. Mas isso está longe de ser algo bom. O time precisa de mudanças em setores cruciais e uma das principais é arrumar um Coordenador Ofensivo que nos faça marcar mais pontos do que os rivais! Mas Ross, ao contrário dos outros Owners deixou isso para 2014, mais precisamente quinta passada. E após uma reunião interminável, nada mudou...

Sabe-se agora que Philbin tem poder de veto sobre demissão dos Coordenadores. Isso, sendo bem franco, seria algo inaceitável em qualquer franquia da NFL, mas quem disse que nós somos uma franquia qualquer? Pois bem, o que emperra tudo agora é: para se tirar Sherman ( e talvez até Kevin Coyle ) tenha-se que demitir Philbin. O que eu faria? Demitiria todos, contrataria outro General Manager e apostaria tudo no Draft... eita, Draft né? Eu postei que fomos o time que menos usou os novatos em 2013. 

Realmente, não somos uma franquia qualquer. Afinal, qual outra tem o Pateta como Owner?

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Black Thursday?

A imagem da chegada de Stephen Ross em Davis, Flórida.
Stephen Ross é um dos donos de time mais abnegados a fazer de sua franquia vencedora. Ele tem tentado, sejamos justos. Mas terá sido da maneira correta? Ai, para igualmente sermos justos, a resposta é não. Mas uma coisa é inegável: ele quer ver este time vencendo.

Ir atrás de Jim Harbaugh antes de demitir Tony Sparano foi apenas o maior dos seus erros, mas ele tentou. Fez algo, deu passos no sentido de tentar acertar. Dois anos atrás tentou contratar Jeff Fisher, recém demitido do Titans, mas não deu certo e ele assinou com o Rams. Ai foi atrás da segunda opção: o Coordenador Ofensivo dos Packers, um tal de Joseph Philbin. O contratou. Aconteceu que fez um contrato que eu jamais assinaria com alguém: Philbin, e somente ele, tem o poder de demitir os Coordenadores.

Esta clausula, sinceramente, é um erro grave. justamente porque agora Philbin agarra-se a ela para manter o seu Staff. E nem vou entrar no mérito se ele fizeram ou não um bom trabalho, se poderão ou não melhorarem pra 2014. Eu quero demonstrar como é o Miami Dolphins hoje em dia: uma piada. Nenhum outro Coach da NFL deve ter isso no seu contrato, imagino eu. Talvez nem Bill Belichik. Mas o Coach do Dolphins tem, sem nunca ter sido nada na vida, pois nem chamar as jogadas do Packers ele fazia. Quem fazia isso era Mike McCarthy, o Head Coach. Mas ele é quem decide quando, e se, os Coordenadores vão ser ou não demitidos.

Isso é surreal. Eu acho isso um absurdo. Pois bem, Stepehen Ross está reunido agora com Philbin, Ireland e assessores. Tudo pode acontecer, inclusive nada. E isso, em se tratando de Miami, não quer dizer nada...

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Esperar pelo Draft vale a pena?

E ele foi o rookie do primeiro round inteiro a ter menos Snaps. Bem menos por sinal...
O pessoal do Palm Beach Post que edita o Blog "The Daily Dolphins" ( o Diário do Golfinho ), fez uma comparação entre todos os rookies escolhidos por todos os times nesta classe de 2013, buscando conseguir saber quantos Snaps cada rookie tomou parte durante a temporada e quantos a classe inteira tomou parte. Sabe o que eles descobriram?

Bom se você é um torcedor fanático já deve saber a resposta. Mas vamos, inicialmente, ao nosso próprio umbigo e listar, em ordem de round onde foram draftados, os rookies escolhidos pelo Dolphins em 2013:
  • Dion Jordan, DE - Primeiro Round ( 3ª geral ): 338 snaps;
  • Jamar Taylor, CB - Segund Round ( 54ª geral ): 45 snaps;
  • Dallas Thomas, OL - Terceiro Round ( 77ª Geral ): 2 snaps!!!;
  • Will Davis, CB - Terceiro Round ( 93ª Geral ): 65 snaps;
  • Jelani Jenkins, OLB - Quarto Round ( 104ª Geral ): 127 snaps;
  • Dion Sims, TE - Quarto Round ( 106ª Geral ): 280 snaps;
  • Mike Gillislee, RB - Quinto Round ( 164ª Geral ): 9 snaps ( alguém viu sequer um destes? );
  • Caleb Sturgis, K - Quinto Round ( 166ª Geral ): 0 snaps ( Kickers não tomam parte de snaps );
  • Don Jone, CB - Sétimo Round ( 250ª Geral ): 0 snas.
Olhando assim parecem dados ruins, não é mesmo? Pois bem, acreditem, pode ficar pior. Afinal isso é o Miami Dolphins. Vamos dar uma olhada em alguns rookies de outras equipes e os seus snaps:

Não me surpreende em nada que times como Buffalo, Jacksonville e Tennessee tenham rookies com mais snaps. Mas ver um jogador de quarto round escolhido por Green Bay ser o terceiro na lista é assustador!!! Vejam que este é o Top Ten dos rookies com mais Snaps. O nosso que mais jogou tem 338!!!

Por ai vocês já podem imaginar em qual posição ficamos dentre as 32 equipes da liga, não é mesmo? Caso você queira ver a lista completa e ratificar o seu pensamento de qual nossa posição é só clicar na imagem abaixo:

Depois disso tudo, você amigo consegue ficar esperançado pro Draft de 2014?

Dá para acreditar neste time melhor em 2014?

Na Black Monday ele ainda não foi demitido. É mole?
A menos que você tenha viajado neste fim de semana e tenha ficado sem internet, já deve saber que o Miami Dolphins conseguiu a proeza de perder a vaga pra Post-Season. É o tipo de resultado que revolta, que angustia, que deixa feridas eternas. Não existe adjetivos para qualificar o que o Miami fez ontem no Sun Life Stadium. Eu mesmo ainda estou "injuriado" com a forma como o time(??) jogou - eles sequer entraram em campo? - ontem.

Dito isto ( e é muito pouco perto do que este time merece ) volto pra pergunta feita na descrição deste post: é possível acreditar que este time vai melhorar na próxima temporada? Alguns podem apontar que existe a Free Agency e o Draft. Mas a quantos anos esperamos pela próxima, pelo próximo draft? Esperando o salvador, aquele jogador que possa ser o condutor da volta aos dias gloriosos? Pois é... faz tempo.

Na Comunidade do Facebook eu tentei encontrar os jogadores All-Stars deste time escolhidos no Draft. Sabem quantos eu consegui encontrar? 3. A saber: Brandon Fields, Mike Pouncey e Paul Soliai. E com vontade no caso de Soliai. Já advindos do FA podemos citar 3 também: Brent Grimes, Cameron Wake e Mike Wallace. Forçando a barra no terceiro nome, ou seja, a rigor, temos 2 All-Star no elenco escolhidos no Draft e dois em Free Agency. É mole ou querem mais?

Fala-se agora da demissão do Mike Sherman, algo que deveria ter sido demitido ao fim de 2012. Ou melhor ainda, nem ter sido contratado. Mas isso também não me anima. Não sei quantos Coordenadores Ofensivos passaram pelo Dolphins desde 1996, mas eu sei quantos coachs: 6. Portanto, infelizmente, trocar nomes na Comissão Técnica não vai resolver nada.

Cobra-se a demissão de Jeff Ireland. Isso iria resolver algo? Talvez não, mas isso é o mínimo que pode ser feito. Por mais que isso não seja garantia de nada, pois Ireland já ficara no lugar de alguém péssimo.

Enfim, voltando ao tema, esta organização merece crédito? Depois de tanta decepção, sinceramente, eu acho que não. A derrota foi dolorosa demais, humilhante sobretudo. Eu irei ficar com os dois pés atrás... e você amigo leitor?

domingo, 29 de dezembro de 2013

Resumo da partida: errar, errar, errar...

O WR mais bem pago da NFL e um QB segundo anista escolhido no Top Ten do Draft e o resultado é esse...
Não vou escrever texto sobre a partida hoje. Talvez nem faça isso durante a semana. Sinto raiva, ódio... sentimentos terríveis neste momento. Portanto, pulemos essa parte...

O Miami colocou seu futuro nas costas de um QB questionável. Trouxe um WR a peso de ouro, Mike Wallace. E o resultado é o da foto: uma total falta de sintonia. Quando o QB manda o passe a frente, o WR corre curto. Ou o contrário. Ou os dois... Enfim, tristeza total.

Eu tenho vergonha de ser Miami Dolphins...

sem mais. precisa?

É pra vencer!!!

O time vem de ser massacrado e pega um adversário que nos massacramos...
É o dia. O dia de vencer. Só isso e mais nada pode acontecer no Sun Life Stadium, que deverá estar lotado ( se não lotar agora, vai lotar quando? ). O Kansas City Chiefs vão com time reserva para encarar o Chargers. Basta uma vitória deles somada a nossa que iremos atuar em Janeiro pela primeira vez desde a temporada 2008.

O rival tem melhorado, feito partidas interessantes, tem um ataque corrido forte mas é mais fraco. Mas o Bills também o era... portanto é entrar como se fosse o Super Bowl. É vencer e vencer. Não existe outro alternativa. Caso o time não vá pros Playoffs, é da vida. Mas que termine com 9-7 é obrigação básica...