quinta-feira, 19 de junho de 2014

Ja'Wuan James assina

Enfim assina o seu contrato. Muito maior do que deveria ser, não fosse o péssimo reach dado por nós...
Ja'Wuan James assinou seu contrato com o Miami Dolphins. Acho que o seu agente deve ser a pessoa mais feliz de todos estes profissionais da Liga. Acredito que nem em sonhos ele imagina ganhar comissão de seu cliente em cima cima de quase 13 milhões de dólares. Mas como o Miami Dolphins essas coisas viram realidade... Mesmo pensamento viveu o agente de TGJ em 2008...

Enfim ele agora é um Dolphins Player. E a menos que ele vire o melhor RT da NFL receberá muito mais do que deveria. O contrato de 4 anos e 12,9 milhões ( 4,5 milhões garantidos ) já o torna uma jogador muito bem de vida. Se tivesse sido escolhido no segundo round, receberia menos da metade. Só como efeito de comparação.

Agora é esperar ver se ele consegue render em altíssimo nível. Sim, tem que render em altíssimo nível. Porque se for apenas um Starter Sólido, não terá valido a pena draftá-lo. E todos que por aqui andam, sabe que eu duvido que isso aconteça... mas não custa sonhar. O do agente dele, já virou realidade...

terça-feira, 17 de junho de 2014

Brandon Gibson enfim treina e pode incendiar a briga pelo WR Slot

Brandon Gibson marca TD contra o Patriots. Na mesma partida saiu seriamente machucado...
Poucos entenderam qualquer lógica em gastar pick em um WR no segundo round do Draft, no começo de maio. Para ser sincero, não era o que eu faria. O time, ainda, tem outros buracos que poderiam ser preenchidos. Mas isso agora é passado. Jarvis Landry está ai e já até assinou contrato.

Quem buscou uma explicação para a escolha de Landry se ancorou que Brandon Gibson, que era o WR que alinhava como Slot durante a temporada de 2013, é um injure prone e nem foi tão bem assim. Ele de fato teve uma contusão séria, uma ACL - ruptura de ligamentos - o que sempre é ruim. Estava tendo sua melhor partida quando se machucou. Aliás, aquele foi o melhor primeiro tempo do time em toda a temporada. Melhor dizer que foi o melhor em várias temporadas... enfim, ele estava fazendo seu papel, como é bem pago para fazer. Mas sua contusão foi sentida. Escolher uma alternativa para isso faria sentido. Sim, faria desde que o time não tivesse outras preocupações mais importantes ( LBs por exemplo ). Só o tempo dirá se eu tenho razão na crítica, mas eu não retiro o que disse no dia posterior à escolha.

Voltemos a Gibson: hoje ele finalmente treinou. Não se se vocês sabem, mas nem todas as atividades são obrigatórias. As OTA's mesmo não são. As Minicamps sim. A rigor, qualquer jogador pode boicotar uma OTA. Poucos o fazem e quando fazem é porque normalmente querem um novo contrato ou serem trocados. Por isso Brandon Gibson trienou ontem. De forma limitada ainda, entrou só em simulações de 7x7. Mas já é um alento. E ele foi bem no treinamento, frise-se.

Ele, saudável, é uma ótima alternativa. 

segunda-feira, 16 de junho de 2014

A relação Draft e Sucesso na NFL

Pois é... passados 2 anos desta imagem o time ainda está bem longe daquilo que queremos...
Não existe uma fórmula 100% pronta para o sucesso na NFL. Se existisse uma, os times terminariam todos com 8-8 e seria feito sorteio para definir os classificados para a post-season. Isso é óbvio demais. Adiante...

Mas há uma certeza: times vencedores nascem no Draft. Mesmo que eventualmente possamos listar um ou outro caso de times que venceram usando a Free Agency ( recentemente ninguém pode ser apontado assim ), os grandes times dos últimos 10 anos foram forjadas em escolhas sólidas, que viraram grandes times. Não fosse assim, os times com mais vitórias recentemente na NFL não seriam Bears, Broncos, Pats, Packers, Ravens, Steelers e Colts. Todos times que, majoritariamente, tiraram seus maiores talentos do Draft. Exceção pode ser apontada como o Broncos na lista acima, mas o time já vinha vencendo partidas antes mesmo da chegada de Manning.

E isso nos remete a ver o que os times fizeram nos últimos 5 Drafts. E nos leva a olhar quem teve mais picks neste período. E, que surpresa, o time que mais teve escolhas foi o Green Bay Packers com 42 picks. O time que já tinha Aaron Rodgers melhorou o time e segue sendo uma equipe forte, candidata ao Super Bowl, o que já era 5 anos atras. Segue abaixo a ordem e a quantidade de picks:
  • Packers - 42;
  • Falcons - 40;
  • Ravens - 39; 
  • Bengals - 39;
  • Niners - 39;
  • Redskins - 38;
  • Patriots - 37; 
  • Vikings - 36;
  • Texans - 35;
  • Steelers - 35;
  • Seahawks - 34;
  • Rams - 33;
  • Dolphins - 32;
  • Jets - 32;
  • Cowboys - 31; 
  • Lions - 31;
  • Chargers - 31;
  • Bills - 29;
  • Chiefs - 29;
  • Giants - 29;
  • Cardinals - 28;
  • Broncos - 28;
  • Raiders - 28;
  • Titans - 27;
  • Jaguars - 26;
  • Panthers - 25;
  • Bears - 23;
  • Browns - 23;
  • Colts - 23;
  • Saints - 23;
  • Eagles - 23;
  • Buccs - 21.
Um olhar mais atendo vamos encontrar alguma curiosidades:
  • O Miami é o 13º time com mais picks. Mas tivemos mais picks que Giants, Broncos, Panthers, Bears, Colts e Saints. Times que venceram bem mais partidas do que nós. Aliás, tem 2 campeões do SB na nesta lista;
  • Porque alguns times tem mais escolhas do que nós? Diversos são os fatores, mas eu destaco: são time que repõem as saídas dos jogadores na Free Agency com jogadores escolhidos no Draft. Sendo assim, sempre são credores na conta de entrada/saída de Free Agents. Não por outro motivo, estes times dominaram a lista de picks compensatórias;
  • O Seattle é o time que melhor escolheu nos últimos 3 Drafts. E eles só tiveram duas escolhas a mais que nós. E tem um time, umas 2 vezes melhor do que o nosso;
  • Por outro lado o Steelers tem se enfraquecido justamente porque passou a escolher, digamos assim, com menos qualidade no draft. Mas só tiveram, também, duas escolhas a mais que nós.
Isso apenas prova, poderia dizer alguém, o que já sabemos: não temos faro pro draft. É, isso é verdade. E apenas mostra que se a incompetência não fosse a marca na franquia, daria para estar melhor do que o time estava no final de 2011. E hoje não estamos melhor, em praticamente quase nada. E isso é o que mais dói.