sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

4 anos depois o Miami está na mesma situaçao ou até pior...

Em 2011 o pensamento era arrumar um QB para lançar para Marshall... 
Invariavelmente começo de Dezembro estamos pensando no ano que vem, mesmo quando estamos ainda brigando sempre sabemos que não vai dar e que este time vai nos decepcionar. Em 2011 o time perdeu as 7 primeiras partidas da temporada, 3 delas com o nada lembrável Chad Henne de QB, as outras com o reserva ( e na foto acima ) Matt Moore. O time parecia fadado a conseguir pela segunda vez em 5 anos ter a First Overall Pick. O que até era uma boa pois existiam dois grandes prospects de Quarterbacks: Andrew Luck ( criaram até a hashtag #suckforluck ) e Robert Griffen III. Ficar em primeiro ou em segundo no Draft seria a certeza que poderíamos ter uma nova esperança.

Mas, de forma inútil, o time venceu 6 das últimas 9 partidas e saiu até mesmo do Top Five do Draft de 2012 e todos sabem muito bem o que aconteceu. Naquele ano o pensamento era: com um QB minimamente confiável o time vai decolar em 2012. A defesa era boa, a linha ofensiva ainda era ótima, tínhamos um dos 5 melhores WRs da Liga ( Brandon Marshall ) e com contratações pontuais o time poderia conseguir uma temporada com mais vitórias do que derrotas, coisa que não conseguia desde 2008. Claro que um Coach com experiencia no ataque e que pudesse comandar bem o elenco também era parte do pacote.

Olhando para aqueles dias podemos ver que, TUDO, o que poderia dar errado deu errado. Primeiro escolhemos um QB que não consegue ser sequer bom, doamos Marshall para o Bears, contratamos Joe Philbin que mostrou-se uma escolha desastrosa, vivemos o Bullying Gate, torramos dinheiro para montar duas vezes um grupo de recebedores para "melhorar" Tannehill, trouxemos Phillip Wheeler a peso de ouro e... bom, tantas sao as coisas que mereciam menção que se eu for listar todas eu passaria o dia inteiro falando... teve ainda, não pode deixar passar, a trade para catar Dion Jordan que agora está suspenso!!! E como não lembrar que nas picks obtidas na Trade com o Bears por Marshall obtivemos Michael Egnew ( fora da NFL desde que o cortamos ) e Dallas Thomas?

Em 4 anos de Draft o time só pode ser orgulhar das escolhas de Jarvis Landry ( 2014 ), Olivier Vernon ( 2012 ) e Jelani Jenkins ( 2013 ). As demais escolhas ( inclusa ai a deste ano em DeVante Parker ). O grande destaque na defesa vindo do Draft já estava no elenco em 2011 ( Jones ) e NENHUM jogador do ataque daquela temporada está no time agora. Aliás, poucos são os jogadores daquele ano que ainda estão em Miami.

Passados 4 anos o time segue na mesma. Aliás eu arrisco dizer que é pior do que em 2011, porque agora temos um QB meia-boca com contrato até 2020 e com um salário de 100 milhões de dólares. Só no ano que vem os contratos de Ndamukong Suh e Ryan Tannehill vai custar a singela bagatela de 40 milhões de dólares, de um Cap de 150 milhões. Para os outros 52 jogadores do elenco restam 110 milhões. É mole ou querem mais? Em 4 anos, até agora, o recorde do time é 27-32. Neste momento temos a Pick 6 do próximo Draft, mas espero que time caia ainda mais e fique, de preferencia, com a escolha 3, porque a primeira e a segunda é quase impossível ( ainda mais o que fez o Lions ontem ).

E sabem o que é pior do que perceber que eu estava certo quando cravei que a escolha de Tannehill faria-nos perder 3 anos? É saber que muito provavelmente iremos errar do mesmo jeito e em 2019 eu farei texto parecido com este. Tomara que, ao menos, Tanneshit nao esteja mais em Miami... já seria, ao menos, um alento.

Nenhum comentário: