segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Week 1 - Dolphins 10 x 12 Seattle: Temporada nova mas os problemas seguem os mesmos

A defesa pressionou e conseguiu turnovers, mas ainda está aquém do que precisamos...
Nosso jogo corrido segue inexistindo, com meras 65 jardas...
A proteção segue ruim, apesar de tudo que foi feito... foram 5 sacks ontem.
E na hora de decidir sempre alguém erra, como na recepção acima que decidiu a partida
A partida, todos já sabíamos disso, era complicadíssima: fora de casa no estádio mais inóspito para o visitante de toda a NFL. Nosso time está muito longe de ser uma equipe decente e o Seahawks é um Super Bowl contender. Mas o Miami consegue sempre arrumar uma maneira de nos decepcionar mesmo em partidas assim. Foi o caso de ontem. Antes de falar dos lances, em si, quero falar dos dados que mostram como nosso ataque não melhorou NADA em relação a 2015:


Nenhum time consegue vencer na NFL completando menos de 25% das suas tentativas de terceiras descidas. E menos ainda com apenas 11 first downs em toda a partida ( sendo que até perto do final do terceiro quarto eram apenas 4 ). E o que dizer de mal conseguir passar das 200 jardas? O que eu quero dizer com isso? Que o ataque não melhorou NADA em relação a 2015. Eu já disse isso? Pois é, vou repetir pela terceira vez: o ataque não melhorou NADA em relação a 2015.

Voltando ao que rolou na partida, vou começar pelo que foi o pior ontem: Kenny Stills dropou um passe perfeito de Ryan Tannehill. Você não leu errado, eu disse que Tannehill deu um passe perfeito e que o WR perdeu um TD certo. Tão certo que ele, possivelmente, já estava pensando era na comemoração antes de realizá-la. Erro grosseiro que mostra mais uma vez como escolhemos e contratamos mal. Chances assim contra uma das melhores ( se não a melhor ) secundária da NFL às vezes nem aparecem na partida, mas quando aparecem devem ser finalizadas. O drive terminou em ZERO pontos, portanto, a vitória foi perdida ali, mesmo que não saísse o TD - por algum outro motivo sobrenatural - ao menos um FG seria marcado. Quer dizer, se o nosso Kicker acertasse... mas isso é outra história.

Nosso Front Seven fez o que pode, pressionou muito a OL adversária e mesmo que os 3 sacks não sejam um número espetacular, segurou um ataque que costuma marcar 20 pontos ficar limitado 12. Russell Wilson teve que se virar, correndo e tentando passes fora do que está acostumado, tanto que foi interceptado. Faltou foi ajuda dos LBs e, sobretudo, da Secundária que abriu o bico na hora de decidir ao deixar livre um WR numa quarta para 4 jardas quando o time vencia por 10x6. E o que é pior: num lance claro de passe. Depois comeram mosca no lance que decidiu a partida. Enfim, tudo dentro do esperado: os três grupos da defesa estão em claro desnivelamento e isso cobrará seu preço na temporada. Ontem já cobrou.

O ataque... bom, o ataque é como eu nunca me canso de falar o problema do time. Numa liga de poderosos ataques aéreos, se seu time tiver um meia boca ele não irá a lugar algum. Uma solução seria ter um efetivo jogo corrido, vide o Vikings com AP2K, mas isso está cada vez mais raro. 65 jardas terrestres é algo vergonhoso, patético, bizarro... mas eu estava ciente disso. Alguns ai achavam que seria diferente, mas eu jamais fiz parte destes. E outra: se tirarmos as 17 jardas de Tannehill... acho que isso encerra o assunto. No passe... bom, sem QB de elite não dá para esperar muito mesmo. Tannehill tentou espalhar seus alvos e - crítica de alguns aos outros Coordenadores - realizou os "audibles", mudando jogadas de acordo com o que percebia da defesa. Acontece que para fazer isso necessita-se de uma capacidade impar de leitura das defesas. E isso é algo que nem todos QBs possuem, ficando restrito a pouquíssimos. E Ryan Tannehill não faz parte deste limitado grupo. Ele foi mal na partida? Acredito que não, mas também não fez o diferente, o algo a mais. Sobretudo quando o time recuperou a bola com fumble ele falhou bisonhamente em conseguir o TD que daria a liderança - e quem sabe a vitória - deixando com o Kicker conseguir 3 pontos para empatar o jogo. E ai... bom, o chute foi bloqueado. 

E aqui vem o segundo problema: o Miami marcou ZERO pontos nos Turnovers que forçou do Seattle. E não se vence partidas assim. Perdemos e era o esperado. Mas eu imaginava que o time mostrasse alguma evolução. Ao que parece - apenas um milagre evitará isso - iremos vencer partidas contra times fracos ou que atuem mal no dia e perderemos para todos os mais fortes que não bobearem. Em suma, pela primeira impressão iremos ter outra temporada entre 4 e 7 vitórias. Nem vai pra post-season e nem fica com uma pick Top Five. 

E pelo o que o Patriots fez ontem em Glendale é bom ficarmos preocupados... bem preocupados com a visita a Nova Inglaterra, pois a Era Gase começou com os mesmos problemas que a tempos vivenciamos e sem respostas para eles. E, para variar, começamos mais uma temporada com derrota. E uma outra se avizinha...

Nenhum comentário: