sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

E a vida segue... Analizemos os jogadores de 2008...

Que tão bem nos representaram em 2008. Quando faltou qualidade, sobrou vontade e determinação. O nosso elenco é limitado? Sim, é claro que é. Carece de reforços? Sim, e muitos. Mas temos uma base para 2009, é claro. Por isso começo essa análise pelos que mais marcam pontos e conseguem jardas: Quarterback e Running Backs.

Quarterbacks
  • 9 John Beck - Exp: 2 Seasons - Adquirido: 2007 draft, 2° RP - Começo pelo terceiro QB no Depth: o que seria "melhor que Brady Quinn", John Beck. Ele não entrou em campo em 2008 e provavelmente não o faça em 2009, devendo ser trocado com algum time que seja louco o suficiente para gastar algo com ele. Bem que a anta que o draftou poderia fazer o Baltimore dar-nos uma quarta escolha por ele. Detalhe: ele custou uma escolha de segundo round.
  • 7 Chad Henne - Exp: Rookie - Adquirido: 2008 Draft 2° RP - Uma esperança para a próxima década, o "Joke" Henne fez sua estreia - e única partida - contra o Cardinals na semana 2, entrando no fim da partida, após estarmos claramente derrotados. Conduziu bem um drive, chegou na Red Zone e saiu o nosso único TD naquele dia, corrido por Ronnie Brown ( o primeiro deste após a contusão de 2007 ). Tem, como profissional, números ( 7/12 - 58,3% - 67 jardas e 74 de rating ) melhores do que Beck ( 60/107 - 56,1% - 559 jardas, 1 TD e 3 Ints e 62 de rating ), o que não é uma grande vantagem, mas é um dado a seu favor. Deverá ser trabalhado por Sparano para assumir, em dois ou três anos, a posição de Starter e ser, quem sabe, o nosso FQB. Que assim seja...
  • 10 Chad Pennington - Exp: 9 Seasons ( 8 NY Jets ) - Adquirido: Via FA - Sabe qual tinha sido a última vez que um QB do Miami passara das 3500 jardas?? Uma dica: ele usava a camisa 13 e hoje é HOF. Por isso, e por tantos outros aspectos, Chad-P foi a contratação do ano. Comandou com inteligência o ataque que menos cometeu erros na história da Liga, pena que contra o Ravens ele próprio tenha cometido 4. Isso deve ser levado em consideração, já que seus números na Post-Season são realmente ruins, mas isso é um papo para outro dia. O que interessa é que ele conseguiu: 19 Tds, 7 Ints, 3.653 jardas e um rating de 97,4. Nada mal. Deverá ser o Starter em 2009, e que ele consiga ficar inteiro como em 2008.
Running Backs
  • 23 Ronnie Brown - Exp: 4 Season ( Miami ) - Adquirido: 2005 Draft, 1° RP - Após a séria contusão de 2007 poucos acreditavam que Ronnie Brown, pudesse voltar a jogar em alto nível, parecido com o de 2005 ( 907 jardas, 207 carridas e 4 Tds ) e de 2006 ( 1.008 jardas, 241 corridas e 5 Tds ). Pois bem, em jardas ( 916 ) ele ficou a frente de 2005 e abaixo de 2006, mas em Tds ele conseguiu a sua melhor temporada, com 10 Tds corridos. Além disso foi o pilar da "revolução tática" de 2008: a Wild Cat Formation. Como dados complementares: passou para um TD ( para Fasano ) e correu para 4 Tds contra o NE na casa deles na semana 3. Falando em passes, ele recebeu 33 deles para um total de 254 jardas. Será novamente o Starter em 2009. E com uma OL ainda melhor, que é o que esperamos, deverá passar novamente da 1000 jardas. E tomara que com mais Tds. Em tempo, ao lado de Joey Porter, estará no Pro-Bowl;
  • 34 Ricky Williams - Exp: 9 Seasons ( 99-01 NO Saints ) - Adquirido: Via Trade - Assim como Ronnie Brown voltava de contusão. Além disso, só tinha jogado 13 vezes em três temporadas, por causa de suspensão por dopping. E assim como Brown, deu uma volta por cima, não apenas na carreira, mas na vida também. Teve lampejos do velho Ricky de 2002 e 2003 ( quando correu para quase 3300 jardas e 25 Tds no geral ), mas teve um ano decente: 659 jardas em 160 corridas, marcando 4 Tds. E ajudou demais Brown e o Miami. Além disso, foi uma válvula de escape e um dos destaques na Wild Cat Formation. Em 2009, quando terá 32, deverá continuar a ser um ótimo back-up para Brown. Ainda recebeu 29 passes, conseguindo 219 jardas e marcou 1 Td;
  • 38 Patrick Cobbs - Exp: 3 Seasons ( 2006 - Steelers ) - Adquirido:  FA 2006 - Uma grande surpresa. Não foi brilhante correndo se olharmos apenas os números correndo ( 12 corridas, 88 jardas e 1 Td correndo ), mas ele funcionou como alternativas para Ronnie Brown e Ricky Williams. E se olharmos seu dados recebendo ( 19 passes para 275 jardas e 2 Tds ) veremos o quão importante ele acabou sendo. Deverá ficar no Depth, a menos que o time consiga alguém mais forte no FA ou no Draft. Eu o manteria, apesar do fumble contra o Ravens, mas isso é outra coisa;
  • 36 Lousaka Polite - Exp: 5 Seasons ( 2004-06 Cowboys, 2007-08 Bears ) Adquirido: FA 2008 ( cortado pelo Bears durante a temporada ). Os números não dizem o que foi a temporada de Polite em Miami: ele converteu nada menos do que 6 quartas descidas, e algumas terceiras descidas também. Ficará em 2009, no Miami? Não sei. Mas que ele pode ser útil, disso eu não tenho dúvida...
No domingo eu avalio os WRs, TEs e a OL.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Uma votação sem graça...

Elegeu Mile Smith, o COY ( Técnico do Ano ) em detrimento do Trabalho de Tony Sparano a frente do Miami em 2008, e do título da divisão. Nem o fato de ter igualado o maior comeback de uma equipe na história ( o outro fora o Colts de 99 - de 3/13 para 13/3 ) e ter reerguido o time após a danosa passagem da anta Cam Cameron, foi o suficiente para fazer dele o COY. Como eu disse com à ausência de transmissão do jogo, pior para a Liga...

Tony Sparano quando ninguém, nem mesmo o mais louco dos phináticos, poderia esperar que venceríamos a divisão. A Liga resolveu ignorar isso... Azar o dela...

Link, onde Sparanoatravessa a Rua em frente ao Centro de Treinamento de Davie para falar com torcedores: http://www.typepad.com/t/trackback/1016365/38012966

domingo, 4 de janeiro de 2009

O Sonho acabou?? Não, não acabou...

Perdemos. Estamos fora da corrida pelo Super Bowl XLIII. Chad Pennington lançou 4 interceptações ( e um TD que ao fim, serviu para pouca coisa ), o jogo corrido não saiu do lugar, e cometemos 5 erros ( um fumble do TGJ, além das Ints do Pennington ). A defesa do Ravens ganhou o jogo, como era mais ou menos previsto, e ataque deles até que sofreu com a nossa defesa. Mas perdemos. Agora é pensar para 2009. Por isso a frase, o sonho não acabou. Ele apenas foi postergado em um ano. Que a off-season traga-nos os jogadores que precisamos ( CB/S e um WR pra decidir ) e outros complementos ( um ou dois OLs, mais depth no Front-Seven ) e quem sabe poderemos dar um passo a frente no ano que vem... O Super Bowl era distante, e eu sempre disse isso, mas é que estávamos na briga. Mas 5 erros, matam o melhor dos times, quanto mais um sem grandes opções ofensivas. 

Parabéns aos jogadores que deram o sangue em campo. Perdemos por que o adversário foi melhor, ao menos em forçar erros e parar o jogo corrido, mas perdemos lutando. Pra quem tinha feito 1-15 chegar pra jogar em Janeiro é uma revolução. Mas que ficou o gostinho de quero mais, isso ficou...

Intervalo: Ravens 13 x 3 Dolphins

Duas interceptações, uma delas retornadas para TD por Ed Reed, de nosso QB Chad Pennington fizeram toda a diferença no primeiro tempo. O ataque do Ravens conseguiu 6 pontos o que é bom, não fosse a pontuação defensiva. Nosso ataque terreste, como esperado, não está funcionando e isso força o nosso QB a tentar os passes. O problema é que ele fez escolhas horríveis e as duas Ints passaram longe de nossos Wrs, sumidos na partida.
Ofensivamente o nosso destaque é Patrick Cobbs e defensivamente a dupla Roth/Porter que forçaram/recuperaram um Fumble. Os erros até aqui estão sendo decisivos, sendo que o Miami cometeu 2 e o Ravens só um.
Ou melhoramos no segundo tempo, ou iremos parar na Wild Card Week, igual a 2001...

Uma vez phinático...

Sempre phinático. Ok, esta é a introdução do Hino do Flamengo, time que detesto. Mas vem ao caso para descrever duas histórias de jogadores que estavam totalmente ligadas à nossa até o fim de 2007: Jason Taylor e Zach Thomas.
O primeiro foi trocado com o Washington Redskins buscando algo que lhe parecia impossível em Miami: lutar por um anel de campeão. O segundo ao ser cortado, parecia ter como destino a aposentadoria, mas acabou assinando com o Dallas Cowboys, para muitos, um dos maiores favoritos ao SB XLIII. Eis que ambos não obtiveram êxitos e nós sim. Agora o Miami, time que eles defenderam juntos por quase uma década é que pode chegar lá, e eles coincidentemente não poderão nem sonhar com isso. Chega a ser cruel isso, o fato de conseguirmos sem os dois maiores jogadores da nossa franquia pós-Marino, mas assim é a vida, e isso acontece.
No entanto Jason Taylor, assim que soube que o Miami tinha vencido o Jets e vencido a AFC East pela primeira vez desde 2000, disse: "não existe maneira melhor para conseguir isso do vencendo o podre do Jets", mostrando que ainda tem um coração phinático. Além disso mandou mensagens aos jogadores Vonnie Holliday, Channing Crowder, Ronnie Brown e Joey Porter, congratulando-os pela conquista e desenjando-lhe sorte contra o Ravens.
Zach Thomas foi procurado, mas por meio de seu agente disse que não queria emitir opinião. Faz sentido, pois ao contrário de Taylor ele foi cortado, o que sempre deixa alguma marca. Mas Jason Taylor garante que ele do fundo de seu coração quer que o Dolphins chegue ao SB. Taylor disse: "nenhum de nós somos amargos. Nosso tempo em Miami passou, mas ainda temos grandes raízes por lá".
Que a torcida de ambos nos ajudem na batalha de logo mais... Para ler a reportagem completa:

Agora um quado com os jogadores do elenco do Miami que já jogaram partidas de Pós-Temporada e quantas foram:

Como podemos observar apenas Ricky Williams estava em campo na derrota para o Ravens por 20x3 em Janeiro de 2001. Nenhum outro atleta do elenco jogou partidas de Post-Season com a camisa do Miami. Contamos com a experiência destes para batermos o Ravens. Que assim seja...