quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Afinal, quem é Jason Taylor?

 Creio que poucos que frequentam este espaço tenham visto Dan Marino jogar, afinal ele se aposentou ao fim da temporada de 1999. E lá se vão 12 anos desde que uma lenda da franquia se retirava do Esporte sendo atleta nosso. Zach Thomas se retirou sendo Free Agent, e mesmo que tenha assinado num dia e se aposentado no outro, ele não era mais um atleta do Dolphins, infelizmente. Agora, assim como Marino, vemos uma lenda se aposentar vestindo nossa gloriosa ( e também, infelizmente, sofrida camisa ). 

E pode até parecer estranho para alguns, mas o sentimento de perda agora é maior do que quando Marino parou. Pelo simples fato de que Jason Taylor cresceu teve sua carreira coincidindo com o advento da Internet, o que por demais facilitou obter informações sobre a NFL. Taylor chegou a NFL em 1997, ano que a Internet ainda não era, nem de longe, o que é hoje. Marino eu acompanhei a carreira com o que a Band, percussora da NFL em nosso país, passava no seu ( saudosíssimo ) Show do Esporte , que passava a NBA, mas que não detinha os direitos de transmisssão da NFL, mas que passava os melhores lances. Claro que eu sou Dolphins porque Luciano do Valle também o é. Assim como ambos somos torcedores do Lakers e do Yankees.

Mas como explicar o fato de que eu esteja mais triste hoje do que quando Marino parou? Simples , era esperada a sua aposentadoria e estava claro, desde 1995 ao menos, que ele não venceria um Super Bowl. A alguns anos ele confidenciou que pensara em parar em 1996, mas fora convencido por Jimmy Johnson, que seria seu Coach na última partida contra o Jaguars ( uma surra horrenda de 62x7!!! ). O mesmo Johnson draftaria Taylor, talvez o seu grande feito, em 3 temporadas como nosso Coach. Mas ainda assim fica a pergunta: porque eu estou tão triste enquanto escrevo esse texto? Talvez se eu tivesse escrevido um quando Marino parou eu ficasse tão ou mais do que agora, mas em 99 nem passava pela minha cabeça ter um Blog. Quanto mais um que falasse do Dolphins. 

Taylor é o jogador que atua com a mesma intensidade em todas as partidas e com qualquer placar. Ele nunca fez corpo mole ( vide Joey Porter ) ou diminuiu o ritmo quando o placar estava elástico, fosse a favor ou contra. Se os Bloqueadores o dominassem, ele ia com mais vontade ainda em busca dos sacks. Tom Brady deve estar mais descansado agora. Porque? Dos 139,5 sacks de Taylor, nada menos que 11.5 foram para o QB do Pats. Nenhum outro QB sofreu mais e nenhum outro defensor bateu mais em Brady.

Taylor sempre teve a mentalidade vencedora. Sempre. Sempre foi capitão do time, sempre deu 110% em campo, talvez até mais do que isso. Taylor foi o líder no meio de feras ( Marino, Thomas. Williams, Chambers, Surtain e Madison ) e entre os perebas ( não sujar este post citando os nomes, mas todos sabem bem quais foram ). Seguiu sendo destaque quando o time desgringolou a partir de 2004. Esteve ausente em duas temporada ( uma com o Redskins e outro - que coisa - com os Jets ). Como disse na coluna First Down: ele é tão diferente, que eu seria capaz de torcer por ele, mesmo vestindo a camisa dos Jatos. E todos sabem o quão isso seria sofrido e uma verdadeira tortura para mim, mas eu faria 10 vezes necessário fosse, porque o grande Taylor merece. Isso e muito mais. Todas as homenagens serão insuficientes. Nada para tanta dedicação que ele teve para com esta franquia.

Faltou o Super Bowl, dirão alguns. Sim, faltou, mas não podemos medir um jogador apenas pelas suas conquistas máximas. Em um esporte cada vez mais profissional e com tantas estrelas - a maioria no ataque - não é qualquer que se aposenta sendo defensor e tendo 10 em 10 analistas enaltecendo os seus feitos. E Jason Taylor será eleito para o Hall da Fama em Canton, Ohio, com 100% de certeza na sua primeira tentativa. E o será porque é um mito. Porque fez em campo o que muitos desejam e não consegue. E porque fora dos gramados sempre foi uma pessoa exemplar, sem qualquer mácula em sua honra.

Jason Taylor é o melhor defensor de sua geração e com certeza uma dos 10 melhores Deffensive Ends da História. Mas sobretudo é um dos melhores jogadores do Miami Dolphins. No mesmo patamar de monstros sagrados como Bob Griese, Dan Marino, Larry Csonka, Paul Warfield e todos os membros da Defesa Sem Nome do Super Bowl de 1972. É esta lenda viva que vai se aposentar, viver sua vida pós-NFL ao lado de sua ( belíssima ) esposa e seus três filhos. Que merece receber um cargo na Direção ou na Comissão Técnica ( ou quem sabe os dois ). Com a sua inteligência teria muito a ajudar-nos. E acho que se ele aplicar a mesma dedicação que teve em campo, poderá - caso deseje - tornar-se um excelente Coordenador Defensivo ou até mesmo um renomado Head Coach. Mas isso é, por enquanto, mero exercício de futurologia. O que é certo é que, este fã tem apenas uma frase a dizer: "obrigado por tudo Jason Taylor, nosso melhor jogador de defesa de todos os tempos".


Abaixo fotos de momentos marcantes de sua carreira:


2006 - Retorno de Interceptação para TD de 51 jardas, a maior marca de sua carreira.

o primeiro sack a gente nunca esquece. Quem é o Quarterback? Uma dica: quase virou nosso Técnico nessa temporada...

Alguém conhece outro jogador da foto? Procurem bem e verão um dos melhores DBs de nossa história ai. Mas neste momento, Taylor era figurante. Situação que logo mudaria...

A vítima predileta. 11,5 sacks dos seus quase 140. E que apesar de tudo, Taylor ainda venceu mais que perdeu contra o Pats.

3 comentários:

Dan Pereira disse...

empre fui fã do Jason Taylor, fiquei puto da vida quando ele foi para o Jets mais isso para mim foi mais um aviso de tipo se vc não me dão o valor que eu tenho então vou para o rival para vcs Phinaticos verem como é bom ver seu idolo jogando no seu rival.

comecei a ver NFL desde 1997 por causa do meu primo/tio que já via faz tempo e comecei a jogar Madden de nintendo com o Steelers mais depois que descobri que o nome do QB do Dolphins era Dan passei a gostar dos Golfinhos depois que fui saber quem era esse cara que tinha meu nome ou melhor eu tinha o nome dele rsrsrsrs, depois de Marino com certeza Taylor e Thomas são os meus idolos do Dolphins.

Marino
Taylor
Thomas
Long
Williams

Luiz Paulo disse...

Bem, eu hoje como Jogador da defesa (sim eu jogo FA no Brasil, sou CB em um time de Brasilia) me sinto emocionando em falar sobre um jogador como Taylor.

Exemplo de tudo, dedicação, força, raça, técnica e visão de jogo.
É mesmo uma pena ele se aposentar assim...

Offtopic: Estou vendo o Bowl de Texas A&M x NWestern.

E é claro e definitivo que o Ryan Tennehill NUNCA vai ser QB da NFL, vamos rezar pra não ir pro Dolphins!

Dan Pereira disse...

Tannehill é melhor que Henne e Moore pelo menos aparenta ser, pelo menos quando teve que reverter uma 3 para 8 com pressão de se errar a bola seria do outro time e poderia empatar o jogo ele se comportou bem e lançou um passe de 20 yards fazendo o first down e matando as chances de NWestern no jogo.

Tannehill sai no primeiro round nesse draft lá para 15 ou 17 escolha