sábado, 19 de novembro de 2011

Dan Carpenter fora do jogo de amanhã...

Desde que foi contratado em 2008 como UDFA ( Rookie não draftado ), Dan Carpenter é o nosso Kicker, tendo conseguido até mesmo uma nomeação para o Pro-Bowl. Mas amanhã ele não estará em campo...

Dolphins kicker Dan Carpenter is out Sunday vs. Bills and Miami is signing former Bengals kicker Shayne Graham to fill in.

Assim chega ao fim uma sequência que já durava 45 jogos como Starter. A quinta maior de nossa história. Mas agora é Elvis... Shayne Graham não é lá uma brastemp, mas enfim não existia nada melhor mesmo no FA.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Miami evita pela 4ª vez o Blackout...

Vista aérea do Sun Life Stadium, a casa do Dolphins. Está ficando cada dia mais difícil de conseguir a lotação mínima...

A NFL é uma Liga com regras bem rígidas e que tentam abarcar tudo e todos os setores que envolvem o jogo em si. Entre elas existe uma: jogo em que a capacidade do estádio esteja abaixo de 75%, o jogo em questão não será transmitido para a "praça" onde se realiza. Seria melhor que não se transmitisse, alguns podem pensar, pois assim os que fica em casa e assistem a partida pela TV iriam ao Sun Life. Não é bem assim, pois estamos falando de uma região ( no entorno de Miami ) que temos mais de 7 milhões de habitantes e o nosso estádio tem capacidade para pouco mais de 66mil. Sendo assim, qual seria o problema? Sem poder transmitir o jogo, a TV que paga ( e caro ) para ter os direitos não irá pagar pelo jogo, certo? Pois é, e se um jogo não é transmitido, outros patrocinadores ( o banco que dá nome atualmente ao estádio ) irão também pagar menos. Portanto viraria uma bola de neve.

E como chegou-se a essa situação? Três fatores são determinantes:
  1. O Lockout que a Liga viveu este ano, impediu que fossem vendidos, da forma antecipada que era feita todos os anos, os Tickets Season, ou os carnês da temporada. Os mesmos só puderam ser negociados quando a "greve" terminou". Isso fez com que as vendas ficassem bem comprometidas.
  2. A menos que você tenha chegado agora do espaço ou acordado de um estado de Coma deve saber que os EUA vivem uma pesada crise econômica, desde 2007, mas que - talvez - viva seu ápice agora. Sendo assim, os salários ( para quem tem a honra de tê-lo ) cairam e entre pagar uma quantida nada desprezível com os jogos do time de coração e pagar contas essenciais, nem preciso dizer o que a maioria está preferindo fazer. Acertadamente, diga-se.
  3. E por fim tem o problema técnico. Todos nós, no fundo, sabiamos que a temporada seria - no máximo - no mesmo nível das duas anteriores. Nada - nada mesmo - apontava que iríamos ter caminho fácil pra Post-Season. E isso é diferente de acreditar que pudesse acontecer. Era saber que seria complicado. Com isso vem a desconfiança e entre pagar caro para ir ver um time sem futuro e ir ver NBA ( que também está em greve ), Baseball ou Hockei, o torcedor preferiu não comprar os tickets season.
Então como, com tudo isso, ainda não tivemos um Blackout? Simples, a Direção está comprando os ingressos que faltam para os 75% obrigatórios e distribuindo entre, primeiramente, os torcedores que compraram os Tickets Season ( como forma de incentivá-los a continuarem a comprar nos anos seguintes ) e depois fazendo sorteios em rádios e sites de Miami e cercanias. Dessa maneira iremos manter a marca de 106 jogos seguidos com transmissão Televisiva. Mesmo que isso esteja custando caro aos cofres agora, é fundamental para o futuro.

First Down: Contratar um OC para Head Coach é uma boa?

O cara da foto é o Coordenador Ofensivo do New Orleans Saints. Contratá-lo seria uma boa?

Pete Carmichael Jr é o cara por trás do sucesso do ataque dos Saints, campeão do Super Bowl de  quase dois anos atrás. Ele está no cargo há 3 anos e teria uma vantagem e uma desvantagem:
  • Sabe como fazer um ataque ser letal ( afinal o do Saints o é );
  • Não soube tirar proveito de Reggie Bush.
Se a primeira é uma clara vantagem, a segunda é uma grandes desvantagem. O ataque do Saints é quase happy pass ( se eu tivesse Drew Brees - e tivemos duas chances para isso meu DEUS!! ) eu também montaria o ataque pra passar e passar. Mas nós não temos e ai me surge uma questão: ele conseguiria montar um bom ataque sem ter um HOF de QB? E se tivesse que usar - apenas como uma hipotése ) Matt Moore para isso? Ou Chad Henne?
Outra coisa importante a se pensar é: quanto do sucesso do ataque do Saints é mérito dele ou de Drew Brees? E não custa nada lembrar que em 2007 apostamos em um OC renomado da Liga ao escolhermos o ex-Chargers Cam Cameron, que assim como Carmichael, nunca teve experiência como Head Coach. Enfim perguntas interessantes.

Minha opinião? Erramos com Cam Cameron, mas não podemos tornar isso um empecilho, uma norma e nunca mais contrarmos outro OC para ser Head Coach. Se escolhermos Carmichael estaremos indo atrás de alguém que está fazendo um ótimo trabalho. É só não permitirmos que ele draft os seus TGJ e John Beck...

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Quem é o melhor jogador do Miami nesta temporada?

Se formos analisar apenas o rankeamento no Site da NFL, o homem eleito é Brandon Marshall. Entenda porque na matéria.

Brandon Marshall é o quinto melhor Wide Receiver da Liga em jardas recebedidas ( 742, com 14,2 de média por recepção ). Surpreendente não? Pois é, eu também achei, ainda mais porque os nossos QBs somados até aqui 2027 ( 868 de Henne e 1159 de Moore ). Sendo assim ele tem mais de 30% de todas as jardas e já projeta manter-se na meta das 1000 jardas ( faltam 258 ), pois até agora em 5 temporada completas na NFL em quatro delas ele ficou nesta marca. E nada aponta no contrário.

Reggie Bush poderia ser outro, certo? Mas ele é apenas o 25º RB da Liga e nem tem 500 jardas. Mas ele vem evoluindo e nas últimas 3 ele passou das 200, quase metade do total. Sendo assim essa briga(?) só tende a melhorar.
E você o que pensa respeito? A caixa de comentários é toda sua...

Week 10 - Redskins 09 x 20 Dolphins

Vencer é bom e se for em casa - onde estavamos sem vencer a quase um ano - então é excelente. Vencer é o objetivo ( sempre ) de uma franquia. Mesmo que isso custe-nos um QB como Andrew Luck, mas existe um alento: existem outros bem cotados no Draft. Vamos ao tradicional post com imagens ( os criticos dirão que faço isso quando o time vence com mais ênfase. E daí? O Blog é meu e nele eu mando... ):

 O ataque do Miami foi mais balanceado no dia de ontem, mesmo que Matt Moore não tenha passado para TD ( e sofrido Interceptação ), ele teve uma atuação - como diria - até que razoável, pois fez o time andar ( e como andou ). O ataque parece não ser tão inoperante como deu a entender e me deixa até esperançoso para o ano que vem...

 Reggie Bush anda impossível nestas últimas 3 partidas: sempre com mais de 140 jardas conjugadas ( passe + corridas ) e marcando TDs. Ontem foram 2, um deles com uma jogada a tempos não vista por aqui ( onde nosso RB, perto da linha de TD, consegue entrar sem marcação alguma ) e outro fintando meio-mundo e contando com diversos tackles da Offensive Line, além da linha de Scrimmage, coisa rara também. Enfim, ele mostra que poderá ser extremamente útil no ano que vem. Ficando a ressalva que ainda insistem demais em usá-lo pelo meio, ainda mais quando Daniel Thomas ( saudável como agora ) disponível para isso...

 Por conta dos percalços desta temporada, nosso Light Tackle não irá ao Pro-Bowl. Mas se tivesse jogado a temporada inteira como tem atuado nestas 3 últimas, iria com certeza... Moore agradece, mesmo que ele tenha cometido uma Interceptação tosca até. Mas enfim, ele está apenas cobrindo buraco. E ele também merece certos ( comedidos ) elogios pela duas últimas atuações...
 A Cheers do Dolphins são famosas, nem tanto quanto às do Cowboys, mas estão entre os 5 melhores grupos com certeza. E como vencer é lindo, nada melhor do que embelezar ainda mais este post com esta bela ruiva. Mas tem de tudo: negras, morenas, loiras, asiáticas...

 Motivos para termos conseguido vencer duas partidas depois do começo da temporada passada? Bom, alguns claros e outros nem tanto, mas o mais vísivel está na foto acima: pressão no QB adversário. Começamos a pressionar e por consequência o rival erra, comete turnovers e não sai do lugar. Na foto, Sex Rex recebe sack de Cameron Wake. E a subida de produção dele é proporcional a nossa "tímida" melhorar...

 Alguém se lembra qual tinha sido a última vez em que Vontae Davis tinha feito uma interceptação? Tanto tempo que eu mesmo não me lembro. E nem fui buscar. Mas só de ele ter conseguido já é um feito e tanto. Méritos para ele e para Mike Nolan, que está pondo seu emprego a prova neste fim de temporada...

 Karlons Dansby, até aqui, vale cada centavo do seu altissimo salário. Interceptações de ILB no Miami só não são mais raras ( antes da chegada dele ) do que nossas idas a Super Bowls no últimos 30 anos. E Dansby já dobrou a marca dos últimos 6 anos em apenas um ano e meio. Feito notável é claro. E quem comemora como garoto ao lado de Dansby? Um senhor de 36 anos. Esse é o grande Jason Taylor...

 Aqui o lance de Dansby visto de outro lado, ele cercado por Kendall Langford (70), Sean Smith (24) e Vontae Davis (21). O lance decidiu a partida, porque o jogo estava 13 x 09 e no drive seguinte, Reggie Bush matou o jogo com o TD "fintado"...

 Ao final o cumprimento. Talvez um dos últimos que Sparano faça na condição de vitorioso como Coach do Dolphins. Porque último? Durante a semana explico, mas é que o calendário agora ficará - acreditem - pior do que foi até agora.

domingo, 13 de novembro de 2011

Semana 10 - Redskins (3-5) x Dolphins (1-7)

Este confronto já decidiu Super Bowl duas vezes ( outra primazia do Dolphins ), mas hoje não vale nada. E eu nem me importaria em perder...

Para começar um dado: teremos blackout nesta partida, ou seja, pela primeira vez desde 1999 que isso acontecerá com o Dolphins ( Chargers também já sofreu uma essa temporada, e contra o Packers ). Enfim, tenho um sentimento estranho, mas no fundo sempre quero vencer. Mesmo que isso seja meio que uma derrota.