sábado, 7 de janeiro de 2012

Rapidinha Head Coach e vem problema por ai...

Conhece o cara do foto? Não o QB é claro, mas o senhor com barba por fazer? Não? Pois acreditem que o Miami o quer como Head Coach. E ai é que está o problema...

Matt Mularkey. Já ouviu falar nesse nome? Não? Pois acreditem, ele já fez parte do Staff do Dolphins. E querem saber o quem mais, no pior ano de nossa "gloriosa" história. Sim, ele esteve conosco em 2007, como Treinador de Tight Ends. E em 2006 fora nosso Coordenador Ofensivo de um time que não saiu do lugar. É mole ou quer mais?

Eu se fosse ele jamais iria aceitar. E se eu fosse do Corpo Diretivo do Dolphins jamais iria atrás dele. Tudo bem que o ataque do Falcons é um ataque que consegue impor respeito, mas o cara fracassou como Head Coach quando esteve com o Bills e não deixou saudade de qualquer espécie em Miami. Em todo caso, se vier que consiga fazer o melhor trabalho.

Para não ficarmos apenas nas más noticias, na base da surdina, o Miami entrevistou hoje o Coordenador Ofensivo do Packers, Joe Philbin. Isso foi surpreendente em todos os sentidos, mas ele deixou uma boa impressão. E segundo fontes da Flórida, ele só não foi anunciado imediamente porque o Packers ainda está em atividade. Tão logo o Packers saia da temporada, ele seria oficializado. Aguardar para ver e com certeza eu prefiro Philbin a Mularkey.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Rapidinhas: Head Coach e Draft.

A saga em busca de um Head Coach e de um Quarterback tiveram algumas movimentações que podem mudar muita coisa ( ou não ) as nossas pretensões. Vamos a elas:

Recebemos autorização do Green Bay Packers para conversarmos com Joe Philbin ( já falei dele aqui na segunda parte do "é uma boa contratar um OC para HC? ). Pelas ( rígidas ) regras da NFL, uma franquia só pode entrevistar um profissional de outra com a autorização expressa dela. Contundo existe um problema a ser contornado: Philbin só que realizar tal entrevista depois do Super Bowl. O que acho acertado da parte dele ( mostra que está 100% focado em conseguir outro Vince Lombardi para a casa do Vince Lombardi ), mas que pode emperrar nosso planejamento em quase um mês. Se conseguirmos fazer a entrevista antes seria melhor, mas ai é com ele.

Landry Jones tomou uma decisão: voltará para o seu ano de Sênior. Para quem não sabe, os jogadores da NCCA são divididos em: Freshman ( primeiro ano ), Sophomores ( segundo ), Junior ( terceiro ) e Sênior ( quarto e último ). Pelas regras atuais somente atletas Junior podem se declarar pro Draft, mas cada vez mais jogadores estão fazendo a termporada de Sênior. No caso de Jones eu sinto que o motivo seja bem claro: sair melhor classificado em 2013, talvez até como o primeiro QB a ser escolhido, o que lhe garantiria mais grana no primeiro contrato. Em todo caso, é uma opção a menos. Não que eu achasse que ele tenha valor para ser escolhido em nossa pick, mas é um alvo a menos.

Quem será o nosso Coach? Talvez nem Stephen Ross saiba...

Depois da traumática permanência de Tony Sparano como Coach do Dolphins no início da Off-Season de 2011, agora temos outra "novela". Desta vez, contudo, Coach Sparano já foi demitido. E temos novas celeumas: Carl Pettersen - ex-vice do Chiefs e integrante do Hall of Famme - está falando em nome do Dolphins sem nem ter sido ainda nomeado como membro do nosso Front Office e estamos perdidos quanto a quem será nosso HC. Ano passado ao menos sabíamos quem era o alvo: Jim Harbaugh. Mas agora em 2012 os alvos são os mais diversos.

Jeff Fisher esteve ontem em Miami e conversou por mais de 4 horas com Stephen Ross e Jeff Ireland. Agora vai conversar com o Rams. Acho que já esteve mais próximo de ser nosso Head Coach. Mas ainda é o meu preferido para o cargo.

Dave Toub é o atual Coach de Special Teams do Chicago Bears, considerado o melhor da NFL. E segundo analistas, se o time demitisse o Head Coach atual, Lovie Smith, ele seria a primeira opção. Esteve hoje em Miami, visitou as dependências e conversou com Ross e Ireland. Petersen não esteve presente.

Quem vai ser o Coach? Acho que nem Stephen Ross saiba. Acho que, no fim, não será nenhum dos dois e sim o OC do Packers. Mas este só saberemos quando o Packers entrar na Off-Season. O que acho só será depois do Super Bowl...

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Rapidinha - Draft 2012


O Recente promovido a General Manager Rick Spielman deu uma entrevista falando que Christian Ponder continuara como quarterback starter do Vikings em 2012 e que no draft vai atrás de outra posição, isso significa que temos um time a menos brigando por Luck e Griffin III no draft.

Parabéns Coach Shula

Hoje o Senhor da foto completa 82 anos. E ele é antes de tudo, um vencedor. O maior da NFL em todos os tempos...

Se o Miami Dolphins fosse a França do Rei Luis XIV, Don Shula com certeza seria o Cardeal Richelieu. Não entendeu? Ele seria a iminência parda, a pessoa mais graduada. Falando de NFL, Don Shula é o recordista - e disparado - em número de vitórias com a impressionante marca de 347. Nenhum outro Coach está na casa das 300 e entre os Coachs em atividade quem mais possui é Bill Belichik, que nem chegou na casa das 200.

Don Shula - descendente de Hungaros - nasceu no Estado de Ohio, em 04 de Janeiro de 1930. Jogou futebol na Universidade John Carrell e na NFL atuou no Baltimore Colts imortal dos anos 50. Sofreu uma grave contusão e se aposentou. Em 1963 assumiu o comando da equipe, e com ela perdeu o Super para o NY Jets. Quando saiu em 1970, para ser nosso Coach, seus números eram: 71-23-4, ou de uma forma melhor 3 vitórias para cada derrota.

Joe Robbie ( fundador da Franquia ) queria ter uma time vencedor e decidiu na off-season de 1970: iria contratar Don Shula. E o fez, o que assustou a todos, pois Shula era o mais vencedor da Liga, depois de Vince Lombardia - que morreria logo depois - e porque o Miami era o saco de pancadas da ( então ) AFL Leste. Pois bem, ao chegar ele reformulou tudo, trouxe outros bons coordenadores e em sua primeira temporada já fazia o time, pela primeira, terminar o ano com mais vitórias do que derrotas ( 8-6 ). Na segunda já nos levou ao Super Bowl ( onde fomos surrados pelo Cowboys ) e na terceira... bom, daqui em diante todos sabem bem o que aconteceu.

Durante os anos 70 ele se tornou o primeiro Coach a conseguir 100 vitórias na mesma década, algo impressioante. Com o Dolphins foram impressioantes 276 vitórias em 26 temporadas ( portanto, média superior a 10 por temporada ), o que bastariam para colocá-lo como o recordista geral. Com o Dolphins foi a 5 Super Bowl e venceu 2, além de ter ido a 10 finais de AFC. E um adendo: só teve duas temporadas sem conseguir mais vitórias do que derrotas, e uma dessas foi um 8-8 em 1986. Se retirou em 1995, quando a sua saúde já não mais o permitia treinar o time e por achar - palavras dele próprio - que estava ultrapassado. Em todo caso, em 1995 vencemos 10 jogos. Em 1996 ficamos com 8-8. Foi nomeado para o Hall da Fama na sua primeira tentativa e por unanimidade, o que não foi nenhuma novidade.

Por tudo isso, longa vida a Coach Shula.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Primeira impressão das ordem de picks do Draft

Todo ano, desde 2002 ( exceto 2008 ) é a mesma coisa: termina a temporada regular num domingo e na segunda já estamos pensando em arrumar o time e como faremos as escolhas no fim de Abril...

Esta é a ordem do Draft 2012, sendo que no Combine ( evento pré-Draft, em Março ) será feito o sorteio que define a nossa real posição. Eu, por precaução, farei até lá as análises como se nossa pick fosse a 9ª ( mesmo que isso me traga arrepios na alma ). Sendo assim, os times na ordem nal qual irão escolher, com a campanha deste ano e com a dificuldade da campanha, que é critério de desempate:

1 - Indianapolis Colts ( 2-14 0,539 ). Não se sabe ainda com 100% de certeza o que fará o Colts. Existem rumores demais quanto ao pensamento do Dono da equipe, que ja´demitiu o Vice-Presidente e o General Managers ( que são irmãos ), o que aponta para uma reformulação total, o que poderia implicar tanto em ficar com Luck ( para o mesmo aprender vendo Manning jogar ) ou negociar a pick e conseguir outras escolhas para reforçar ainda mais o elenco. Por hora o que sabe que tudo pode acontecer.
2 - Saint Louis Rams ( 2-14 0,590 ). O time tem um QB consolidado e em tese, não deve fazer loucuras e tentar trocar com o Colts ( para tentar obter Andrew Luck ) ou avançar para cima de Robert Griffin III. Em tese deverão avançar para reforçar a defesa.
3 - Minnesota Vikings ( 3-13 0,559 ). Aqui reside a primeira ameaça para perdermos RGIII. O time dos Vikings pode draftá-lo, mesmo que Christian Ponder tenha feito um trabalho até interessante, mas não creio que o time deixe passar o talento de Griffin.
4 - Cleveland Brown ( 4-12 0,531 ). Se RGIII passar pela escolha do Vikings, deverá sobreviver a do Browns. que deverá apostar em uma outra temporada Colt McCoy.
5 - Tampa Bay Buccaneers ( 4-12 0,551 ). Ao que parece a era Josh Freeman terá mais uma oportunidade. É o que dizem as fontes da outra franquia do Estado a possuir um Super Bowl ( para que não entendeu: Tampa fica na Flórida, assim como Jacksonville, mas esta última não viu seu time vencer um Super Bowl )
6 - Washington Redskins ( 5-11 0,477 ). Eis um time que se tiver chance irá Draftar o melhor QB disponível. Afinal que tem como opções Sex Rexy e John Beck precisa mesmo de arranjar um via draft. Portanto se RGIII estiver disponível na escolha do Tampa, teremos que negociar com eles, porque o Redskins não aceitará negócio.
7 - Jacksonvilee Jaguars ( 5-11 0,500 ). Acredito que o Jaguars, sob nova direção ( de todas as formas possíveis ), deverá tentar fazer um Draft arrojado. Portanto é um concorrente nas Trades Up, caso desejamos fazer uma.
8/9 Miami Dolphins e Carolina Panthers ( 6-10 0,504 ). A nossa posição de escolha depende de um sorteio a ser realizado durante o Combine, em Março. Com base nisso, não posso fazer uma análise mas profunda de nossa pick, mas temos duas situações diferentes:
  1. SE FICARMOS COM A 8ª PICK: Teremos mais força para realizar um Trade Up em busca de Luck ou, de forma mais realista, de RGIII. Afinal estar em 8º é melhor do que em 9º, e isso representa melhor posicionamento nos outros rounds, o que é importante caso você realize uma trade - e neste tocante - que envolva outras picks.
  2. SE FICARMOS COM A 9ª PICK: Complica um pouco o que disse no item 1, mas nem tanto assim a ponto de termos que sacrificar mais picks. Mas se o Redskins oferecer Trade sendo e nós oferecermos sendo os 9º teremos maiores dificuldades. Em todo caso, desde que não venha o TGJ 2.0 eu já ficarei satisfeito.
 Durante a semana ( lembram das férias? Pois é, furaram... ) começo a postar quem pode pintar em nossa pick, se não fizermos é claro Trade Up.
























































































































domingo, 1 de janeiro de 2012

Week 17: Jets 17 x 19 Dolphins - A despedida ideal veio...

 E a vitória veio. Épica, digna de um mito. Com virada, com direito a Field Goal de 58 jardas nos segundos finais do segundo quarto, com direito a eliminação do rival mais odiado. Enfim uma despedida a altura do que foi Jason Taylor, que até recuperou um Fumble e o retornou até a End Zone. Seria perfeito, mas foi revisado. Uma pena é claro. Mas nada que estragasse a última partida de Jason Taylor. Me desculpem não falar dos outros, mas é que este jogo tinha uma estrela só. E está nunca mais voltará a NFL, o que é uma pena. Mas que na bela tarde de sol da Flórida, viveu o seu canto do cisne e da melhor maneira possível. Obriga por tudo Jason Taylor.

 Dan Carpenter foi a estrela do ataque: 12 dos nossos 19 pontos foram dele e ainda acertou um Field Goal de 58 jardas. O que é apenas o mais longo da temporada. Apenas isso...

Onde está a marra, grande Rex Ryan?
Grande Mark Sanchez. 3 Interceptações? Que beleza. Que cara de bundão...

 Jason Taylor em estado puro...
 Sentiremos saudades. Mas creio que ele logo dará um jeito de voltar. Seria um espetacular treinador de Linebackers...
 O pedido de todos...
 E no final, sendo carregado por seus companheiros...
 Sendo carregado, porque não, por todos os torcedores. Foi épico como deveria ser. Merecia ser em playoffs ou em um Super Bowl. Mas seria, provavelmente, do mesmo jeito ou da mesma intensidade.