sexta-feira, 2 de março de 2012

Qual a maior necessidade no Draft: Cornerback ou Safety?

Do que mais precisamos neste Draft? Segundo analistas dos EUA, a necessidade por um Cornerback sobressai a de um Safety. Entenda porquê...

Jeff Ireland, como todos sabem, foi nomeado Gerente Geral do Miami quando da contratação de Bill Parcells, ainda durante a temporada ( de péssima lembrança ) de 2007. E ouviu de seu mentor que as 3 posições mais necessárias em um time são, nesta mesma ordem: QBs, Pass-Rushers e Cornerbacks. E quanto aos últimos você nunca tem demais no elenco.

Como todos também sabem, temos um pass-rush excelente em Cameron Wake e atletas com, digamos assim, qualidade satisfatória a complementá-lo. Claro e evidente que não temos QB ( me desculpes os fãs de Matt Moore, mas ele é tudo menos um QB ), mas Ireland tem tudo para conseguir resolver esse problema nesta off-season, seja via Free Agency ou via Draft. E quanto aos CBs? Bom, temos quantidade e uma considerável boa qualidade. Mas será que um up-grade não seria bem vindo ao setor? Creio eu que sim. Mas ai temos a questão que realmente vale a pena: Cornerback ou Safety seria a nossa maior necessidade entre os DBs?

Yeremiah Bell é o nosso melhor Safety, mas não é eterno e está em suas últimas temporadas. E ele completará 34 anos amanhã. Além dele temos sob contrato: Chris Clemons, Reshad Jones e Tyrone Culver. E não posso deixar de citar que Sean Smith ( starter de CB desde que foi draftado ) poderia reforçar o setor, caso necessário. Não vejo aqui a necessidade imediata de reforço, podendo esperar para 2013, tendo em vista também que esta turma de 2012 é bem escassa em talentos para a posição.

E com os CBs? Além de Smith, temos sob contrato: Vontae Davis. Nolan Carroll e Jimmy Wilson. Will Allen é FA e poderia re-assinar, mas ele terá 34 anos e fez 2 cirurgias recentes no joelho e não seria espanto algum se ele saisse. Sendo assim precisariamos de qualidade no setor, até porque Carroll e Wilson atuam mais no time de especialistas do que como CB puros, além da - clara - falta de qualidade do dois. Não digo que temos que trazer alguém no primeiro round, mas existe talento razoável no segundo round. E ai chegamos aos dois caras da foto, até aqui dois anônimos para vocês, creio eu.

O primeiro é Stephon Gilmore, Junior de South Carolina e um dos melhores CBs desta turma. Segundo alguns analistas ele é um dos 3 melhores. Dada a necessidade por Tackles, DLs, LBs, QBs, RBs e WRs ele poderia sobrar pro segundo round. Se sobrar perto de nossa pick e o time achar que alguém o pesque, devemos fazer trade-up para pegá-lo, até porque eu duvido que ele sobre pra nossa pick. Valeria o investimento e poderiamos mover, sem problemas, Sean Smith para Safety.

O segundo é Janoris Jenkins, Sênior que jogou em North Alabama, e é miuto provável que esteja disponível em nossa pick. Beleza, então draftaremos ele, certo? Nem tanto. Ele é o perfeito exemplo de bad boy: já agrediu uma pessoa com vários golpes na cabeça por achar que o mesmo iria lhe roubar um cordão de ouro, foi preso por porte de maconha e ainda brigou em um parque. É pouco ou quer mais? Assim fica fácil entender porque ele era um Gator ( sim, era do time de Tim Tebow, tendo sido eleito - como novato - para o melhor time da NCAA!!! ) e acabou indo parar em uma obscura Universidade. Sim obscura, não confundir North Alabama, com a Universidade vencedora da NCAA, Alabama State. Contudo, caso o draftemos, teremos talento importante com ele em campo e Sean Smith também poderia realizar a transição para Safety.

Faremos isso? Cedo para prever. Mas não duvidem se um dos dois aparecerem em Miami no fim de Abril.
 

quinta-feira, 1 de março de 2012

Negócio da China?

Ano passado, quando da abertura da Free Agency ( o que só ocorreu em Julho ),o Miami Dolphins trouxe o RB Reggie Bush, que estava desde quando fora draftado no New Orleans Saints, onde já cheirava a Bust. Não conseguia completar temporadas e sua produção em campo era, pra ser simpático, insuficiente. Na época o valor da Trade não foi informada, mas parecia claro que seria uma pick de late round, com algumas especulações apontando para uma de quinto podendo pender até mesmo para uma de quarto, caso o acordo estivesse atrelado a desempenho. 

Só que não estava atrelado ao que ele produzisse em campo e nem foi acertado que o Dolphins cederia uma pick aos Saints e sim apenas que os times trocariam suas picks de sexto ( isso mesmo, de sexto!!! ) round. Foi ou não um negócio da China? Bush jogou as 15 primeiras partidas do Miami na temporada e só ficou de fora da última por precaução da Comissão Técnica, já que a equipe estava fora ( e há tempos ) da Post-Season e se Bush jogasse poderia agravar uma leve contusão que estava sentindo. Decisão essa pra lá de acertada e nem fez falta na partida diante do Jets, a qual brilhantemente vencemos na despedida de Jason Taylor.

Abaixo a sequência do mais longo TD marcado por Bush em sua carreira diante do Bills, cuja também é a melhor partida de sua carreira:




quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Koa Misi poderá ser mudado para o Inside

O valente LB da Universidade de Utah poderá ser deslocado para o meio da defesa. Dará certo?

Eu, ao contrário de alguns, gosto do estilo de jogar de Koa Misi ( 2º Round, Pick 40 ). Ele demonstra estar sempre disposta a dar o algo a mais, mesmo que sua produção, de fato, até aqui não tenha sido grande. Mas existe algo mais para se analisar em um defensor do que seus números. Querem um exemplo: Wake é o líder de sacks, mas tomamos o dobro de jardas do lado dele em comparação a Misi.

Kevin Coyle, para não desestimular os seus novos comandados, está falando que não irá mudar o sistema de 3-4 para 4-3, mas sim introduzir variações pois tem ( e tem mesmo ) peças para tanto. Sendo assim ele deverá mesmo fazer mudanças nas posições e Misi tem o que parecer ideal para a posição de inside: visão de jogo.

Devemos aguardar para ver se isso realmente irá ocorrer, mas tenho plena certeza de que Misi seguirá dando 110% em campo, esteja onde estiver. E se ele for movido pro inside logicamente abrirá uma vaga no Weak Side. E ai novas especulações podem ser feitas a cerca disso, mas isso é papo para outro post.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Rams decide trocar a sua pick no Draft. Vale a pena?


Segundo fontes ( e quentes ) da ESPN o Saint Louis Rams está aberto a ouvir propostas de times que qieiram fazer Trade-Up. O preço para isso? Duas escolhas de primeiro round ( uma em 2013 ) e mais uma ou duas escolhas neste draft. Como o time tem o QB Sam Bradford náo faz sentido pegar o BPA que está disponível ( o cara das fotos acima ) e o time tenta assim acumular picks e montar o time via Draft. Além disso a equipe já teria conversas adiantadas com Cleveland Browns, Washington Redskins e ( ohh!!! ) Miami Dolphins.

Ai vem o que nos interessa e começo pelo mais importante: só o fato de nosso Front Office ter iniciado conversas já é um feito e tanto. Mas valeria a pena prejudicar nosso Draft ( além de ficarmos sem pick de terceiro ou quarto round este ano ) de 2013? A resposta dessa pergunta depende se conseguiremos ou não assinar com Peyton Manning. Se ele vier, não faria sentido, se não vier seria algo a se pensar. E que conste que eu não acho que RGIII seja tudo isso que pintam, afinal ele tem duas maldições básicas: nunca ( que eu saiba ao menos ) um QB vencedor de Heisman venceu um Super Bowl e apenas um QB negro  venceu o "grande jogo".

Poderia ele ser o primeiro a quebrar essas duas maldições? Sim, claro que pode. Mas o custo seria alto para tê-lo em Miami. E acho que podemos usar as picks de melhor maneira. 

domingo, 26 de fevereiro de 2012

5 razões para Peyton Manning virar um Dolphins Player

Este Outdoor é um dos assuntos mais comentados dos EUA. E ficou lindo, não acham?

Terça-feira é o dia. Afinal este é o prazo limite para que o Indianapólis Colts decida se pagará ou não o bônus de US$ 28mi a Peyton. Se o fizerem, manterão um dos melhores jogadores de sua história ( para mim o melhor da história da Franquia em Indy, descontando o tempo em Baltimore ). E se pagarem, ele se tornará Free Agent e poderá, então, assinar com qualquer equipe. Alguns podem perguntar porque o Front Office do Dolphins até agora não disse nada sobre o assunto. E a resposta é elementar: nos EUA o jogador é da Franquia até que a mesma o troque ou corte ou ainda diga que está disposta a receber propostas de Trade. Sendo assim os nosso Dirigentes e Técnicos estão proibidos de falar no nome de Peyton Manning. 

Abaixo os cinco melhores motivos para ele juntar os seus ( impressionantes ) talentos com o Miami Dolphins:
  • Miami Dolphins tem as peças ideiais no ataque para Manning: Se você é QB, precisará de peças, correto? Sim, é claro. Que tal ter um dos 5 melhores Receivers da Liga? Brandon Marshall o é. Precisará também de um RB que consiga desafogar o passe, deixando o QB ainda mais mortal. Temos Reggie Bush que passou das 1k jardas pela primeira vez e teve sua melhor temporada. Por fim, um QB como Manning precisará de um LT de elite. E para isso temos o melhor da Liga em Jake Long. Faltou algo? Nada que algumas adições pontuais na Free Agency não possam resolver. E ainda temos gente como Anthony ( quase 500 jardas em 2011 e 5 TDs ), D-Best e B-Hart ( uma boa dupla de co-adjuvantes ), temos outros talentos na OL ( Jerry e Pouncey ). Enfim só nos falta um Super QB para termos um ataque mortífero. E esse QB é Peyton Manning.
  •  Temos uma defesa de elite: A nossa defesa teve um começo ruim de temporada, onde cedeu muitas jardas, mas nas últimas 10 partidas esta defesa jogou em nível de Top 5. Fez QBs sofrerem e no geral sofremos menos de 20 pontos por partida. Problema foi o ataque que não conseguiu marcar pontos em quantidade superior. E justamente por não ter um QB que preste ( e desculpe-me quem gostar, mas Matt Moore não é um QB!! ). Com Peyton Manning em campo e com a nossa defesa em All-Star Mode poderemos ter uma combinação simplesmente espetacular. Manning não teria que marcar mais de 30 pontos por partida para vencer, como tinha que fazer em diversos jogos em Indy. E isso é um atrativo e tanto.
  •  Dono do Miami está disposta a pagar pelos serviços de um QB: Não é novidade para alguém que Stephen Ross é um Owner Midiático ( para o bem e para o mal ), mas ele quer um time vencedor e está disposto a fazer o que necessário for para conseguir isso. E ele tem lastro financeiro para tanto e não terá medo de inflar a folha ( algo que Huizenga jamais fez ). E Manning deverá ter um contrato de desempenho, ou seja, se render receber altos bônus, talvez até um altíssimo por uma vitória em Super Bowl. E isso poderá influenciar bastante a escolha de Manning.
  • A localização da cidade: Alguém acha mera coincidência que Manning esteja fazendo treinos em Miami? Ele tem uma propriedade na cidade, seus filhos passam férias na cidade e o clima é altamente agradável. Mas tem um problema ai: Manning sempre atuou em Domes ( estádio fechados ) e neste interim um time como o Cardinals ( que parece estar interessado também ) levaria vantagem, mas o Redskins não ( frio na capital é forte ). Por isso se ele desejar continuar a jogar em Domes, Miami ficaria fora dos planos, mas se ele quiser atuar em um campo aberto, a melhor opção seria Miami. Além do que a adaptação dos Manning nem seria necessária.
  • A chanhce de vencer Tom Brady: Digam o que quiser, mas este dois querem - e muito - vencerem os jogos um contra o outro. E Manning, até agora, está 5-8 contra Brady. Vindo atuar em Miami, Manning teria duas partidas por temporada, fora possíveis confrontos na Post-Season. Se ele atuasse mais três anos, seriam 6 partidas e a possibilidade real de virar esta disputa entre os dois melhores QBs dos anos 2000. Em seis jogos, se ele fizesse 4-2 não passaria, mas vencendo algum jogo na post-season já daria empate. E ele poderia até mesmo atuar 4 temporadas. Em todo caso seria uma atrativo a mais.

Primeira vitória da temporada...

Foi realizado na sexta-feira, durante o Combine, o sorteio de desempate para o Draft. E vencemos o sorteio, e ficamos assim com a 8ª pick no primeiro round ( e variando de ordem no rounds seguintes com Panthers e Bills ). É convem lembrar que nossa pick de sexto round vai para o Saints pelo Trade por Reggie Bush. O que vem a ser um negócio da China, não acham?