sábado, 24 de março de 2012

Mas o que ( de fato ) quer Stephen Ross?

Este post provavelmente não será atraente para a maioria, mas ele faz -se necessário. É preciso pontuar alguma coisas no momento em que elas acontecem. Será um post, como direi, mais introspectivo, com foco no que ( não ) tem acontecido recentemente, não necessariamente nesta temporada. Para os que entenderam a sua gênese, deverá ser muito explicativo. Para os que não entenderam deverá ser apenas mais um post. Mas creio que este post poderia seja necessário. Vamos a ele.


Excelente vista do Parque abaixo, não acham? Sabem qual parque é? Creio que seja o Central Park de NY. De onde Ross veio...
Ok, todos odiamos a gestão do Miami, mas não foi Ross que contratou Jeff Ireland. Mas é ele quem o tem bancado desde 2009.
Gente com saco na cabeça, não é exatamente novidade...
A turma ai já usava esse modelito em 2007.

Todos sabemos que Empresários são, na sua imensa maioria, excêntricos. Ao que me constra Stephen Ross ( 19º da Lista da Forbes dos EUA ) não foge a regra. Magnata do ramo imobiliário, fez fortuna ao revitalizar prédios antigos e decadentes de NY, após comprá-los a preço de banana. Herdou uma Imobiliária pequena do pai e a transformou na 2ª maior dos EUA. Nada mal, não acham?

Esse senho resolveu comprar uma franquia da NFL em 2006. Bateu na porta de alguns times, mas viu que os melhores estavam todos em mãos que jamais as venderiam ( dizem ter batido na porta do Ravens, Broncos e até, que coisa, do Jets ). Foi quando voltou seus olhos para o melhor mercado com time da NFL fora da área de norte da Costa Leste ( NY, Boston, Washington, Baltimore ): Flórida. Bateu na porta dos Jaguars, talvez por ser um time sem qualquer atrativo na Liga e que poderia acabar movendo-a para Los Angeles. Recebeu um não, mas o antigo dono disse para ele que Wayne Huizenga talvez aceitasse um sócio.

Foi aqui que o caminho do Dolphins e de Ross se cruzaram. Huizenga é nativo da Flórida e um homem rico, mas que não estava afim de fazer investimentos pesados, por isso o time ficava com duas ou três estrelas e um bando de zé manes em campo. Em outras palavras estava usando o Miami para ficar ainda mais rico. Não é exatamente o que a torcida esperava. Nas primeiras conversas, ainda em 2006, Huizenga firmou um preço: 1 bilhão de dólares pela franquia. Ross ficou de pensar. Isso foi durante a temporada de 2006, que todos sabem foi ( mais ) um fiasco, fizemos espantasos 6-10. Veio 2007, trocas absurdas ( Welker e Chambers ), draft horroroso ( TGJ e Beck ) e a pior temporada nossa, o famoso ( e infâme ) 1-15. Ai, claro o preço teve que cair. Huizenga vendeu 50% das ações por 400mi em 2007 e outros 400mi em 2008 por mais 45%, ficando - como até hoje - Huizenga com os 5% restantes. Mas ainda manteria o poder decisório, mas Ross exigiu mudanças sérias para poder investir. Foi ai quando chegaram Bill Parcells, Tony Sparano e Jeff Ireland.

A compra por parte de Ross foi feita em duas partes para facilitar a aprovação da mesma pelos outros Owners. Vencida a formalidade, Ross em 2009 era dono da maior parte do Miami e era o manda-chuva. Ele havia conseguido o seu intento. Mas e agora, José? Ele manteve Ireland, mas logou fez com que o Big Tuna saísse, segundo fontes pelo fato deste ter sido o fiador da escolha de Pat White. Nessa eu fecho com Ross. Mas a saída de Big Tuna enfraqueceu Tony Sparano, que após o milagre em 2008, tinha feito uma 2009 ruim e repeteria o feito em 2010, com um viés pior do que em 2009. Ai chegamos em 2011, quando Ross percebeu que teria que mexer. Ai começaram os graves problemas que vivemos hoje. Como Presidente ele virou torcedor. E logo temos o quadro atual.

Mas como sair dessa enrascada? Imagino eu que antes de mais nada deveria-se contratar um GM com experiência comprovada na NFL. É fácil fazer isso? Não, mas é o que correto. Permanecer com Ireland será um erro e nem tanto pelo próprio, mas sim pelo o que está representando. Talvez o time possa dar certo com Ireland? Praticamente sem chances, mas elas existem.

Pra finalizar, existe uma máxima na NFL: times vencedores são montados via draft, não na Free Agency. O caminho é o draft e é nele que deveremos focar de agora em diante. Quem iremos draftar agora? Não sei e tenho dúvidas que alguém no Front Office saiba.

quarta-feira, 21 de março de 2012

A que ponto chegamos...

Ontem um grupo de ( poucos ) torcedores fizeram um protesto em frente a sede do Miami Dolphins em Davie ( cidade próxima a Miami ). Não posso recriminá-los ( acho que nenhum de nós o faria ), mas o que isso pode mudar? Não acredito que o problema maior seja Jeff Ireland e sim o proprietários Stephen Ross. Ele pode demitir a Ireland, mas quem o demitirá?

terça-feira, 20 de março de 2012

David Garrard é um Dolphins. E obrigado Bell

Bem que eu queria me sentir assim com essa notícia. Mas simplesmente, não consigo.

 Todos sentiremos saudades do nosso Capitão, mas que de fato iria custar muito caro nesta temporada.

Dias estranhos esses para torcedores do Dolphins. Primeiro conseguimos ser esnobados por todos os bons/ótimos jogadores do FA. Depois, como se fosse pouco sermos ridicularizados pela Liga inteira, ainda perdemos nosso melhor atleta de ataque. E agora ficamos sem um de nossos melhores, senão o melhor, DBs. Estou com a clara percepção de dias tenebrosos. Nada está caminhando na direção certa e se Philbin é tão ruim negociador a ponto de Flynn preferir os treinadores do Hawks é porque a coisa está muito parecida com 2007. Aliás, sempre é bom lembrar, Cam Cameron também trocou o melhor WR ( Chambers ) e era o papa dos ataques antes de vir pro Dolphins. Só falta o Philbin escolher o seu TGJ no Draft...

Quanto a Garrard não é nada melhor do que já tivemos. O Garrard de 2007 seria idolatrado em Miami, mas o de 2012... ele foi, pra quem não saiba ainda, cortado do Jaguars ( e isso dá uma dimensão do quão bem ele estava ) na Pré-Temporada de 2011 e ficou sem time até agora. Tudo bem que ele, nesse período fez uma cirurgia, mas basta dizer que só nós conversamos com ele. Entre ter ele no elenco e ficar com Henne, acho que nem preciso dizer o que eu teria feito... Pode dar certo? Pode e se der só teremos a agradecer. Mas, infelizmente, o mais provável é que ele acabe sendo cortado ou apenas sendo banco do Moore. Aguardar para ver...

Quanto ao nosso Capitão, o que dizer? Assim é o esporte e após ver o Colts cortar Manning, não seria o Dolphins a ter gratidão por alguém, concordam? Bell está velho e eu já dissera recentemente que o contrato dele para essa temporada era alto e só o manteria se ele reduzisse tal valor. Mas eis que ele não aceitou ( não é obrigado a isso, ressalte-se ) e agora ficaremos sem ele. Ou talvez ele re-assine por um valor menor após testar o mercado. Sempre existe esta esperança. Fará falta? Tenho plena certeza, mas assim é a vida. 

segunda-feira, 19 de março de 2012

Dolphins sendo Dolphins. E de uma forma cada vez mais competente...

Eu já esgotei os meus adjetivos para tentar explicar a nossa péssima Free Agency...

Matt Flynn assinou com o Seahawks e usou como argumento principal o fato de Coachs do time. Mas pera ai o Head Coach do Dolphins não é o cara que era o OC dele em Green Bay? Pois é. Já tínhamos perdido Peyton Manning, Brandon Marshall por dois M&M e assinamos com jogadores pouco conhecidos. Sinceramente oferecer 8mi por Alex Smith? Mesmo que eu o ache uma opção ( talvez ) melhor do que Matt Moore, mas isso é grana demais para alguém que ano passado conseguiu 17 TDs(!!!), mesmo que tenha sofrido apenas 5 interceptações. Outra coisa é que o Denver deve anunciar o acordo com Peyton Manning e com isso Tim Tebow está no Trade Block. Preço? Uma escolha de segundo e outra e de quinto round. Será que rola? Com o nosso front office, eu duvido.

domingo, 18 de março de 2012

Agora vai ( 2.0 )

O Free Agent ( ex-Jaguars ) David Garrard ira visitar o Miami Dolphins amanhã e irá fazer treinos com a equipe de observadores do time. Cada dia que passa eu fico com mais ódio deste Front Office do Dolphins...

Alex Smith está em Miami...

Como previsto a reunião com Matt Flynn deu em nada ( alguém realmente consegue ficar surpreso com isso? ). E seguimos sem QB - porque Matt Moore pode ser tudo menos um QB!!! - e agora chega-me esta notícia, como direi, surpreendente: Alex Smith, ex-Niners, está em visita ao Dolphins nessa manhã.

Smith ao lado de Jim Harbaugh, outro que nos recusou ano passado...

O que penso sobre uma possível chegada de A-Smith? Bom jogador ele é, vem de sua melhor temporada, tem boa mecânica de passe e parece ser um Fit ideal para a West Coast Ofense, sistema que iremos usar agora. Sendo assim, seria uma boa. Mas ele tem problemas sérios quando muda de OC e até agora em 6 temporadas na NFL ele teve 6 OCs diferentes. E se vier para cá, será Mike Sherman será o Sétimo. Nada animador, correto? Além do mais se ele vier, poderá se espelhar em uma história de sucesso recente, quando assinamos com um refugo de um time tradicional que contratara ( Niners parece ser o favorito para ter Peyton Manning ) um All-Star:

Chad Pennington no nosso único momento de Glória nos últimos 10 anos.

Se assinar conosco, Alex Smith teria sua chance dar a volta por cima e teremos Dolphins at Niners na temporada que vem. Portanto...