sexta-feira, 17 de maio de 2013

Isso é Jason Taylor...

Sem mais...

Dion Sims assina contrato

Dion Sims é o quarto jogador ( de um total de 9 ) a assinar contrato...

Ontem a noita o Agente de Dion Sims ( Jacob Presser ) confirmou a assinatura do contrato de seu cliente, o TE de Michigan State Dion Sims. Assim o Miami já tem 4 dos seus 9 rookies sob contrato.

Sims foi escolhido no quarto round com a pick 106ª no geral, duas picks depois de Jelani Jenkins. Faltam assinar ainda com Dion Jordan, Jamar Taylor, Dallas Thomas, Will Davis e Mike Gillislee. 

Salary Cap pós-Draft - Parte III

Absorver o contrato dele em 2014 é uma preocupação atual para Jeff Ireland...

Terminando uma análise mais aprofundada sobre o nosso Salary CapMDraft e Free Agency, vamos aos 51 maiores salários após as assinaturas dos rookies:

Nome – Posição
Salário
Nome – Posição
Salário
Randy Starks DT
8.450
Paul Soliai
7.375
Richard Marshall CB
5.766
Richie Incognito OG
5.383
Brent Grimes CB
5.031
Cameron Wake DE
5.015
Dimitri Patterson CB
4.600
Dustin Keller
4.250
Dion Jordan DE/OLB
3.740
Tyson Clabo OT
3.500
Mike Wallace WR
3.250
Dan Carpenter K
3.012
Ryan Tannehill QB
2.879
Chris Clemons FS
2.750
Mike Pouncey C
2.525
Matt Moore QB
2.500
Dannell Ellerbe ILB
2.450
Philip Wheeler OLB
2.400
Brian Hartline WR
2.115
Jared Odrick DE
1.939
Brandon Gibson WR
1.785
Vaughn Martin DT
1.675
Brandon Fields P
1.645
Lance Loius OG
1.603
John Jerry OG
1.537
Reshad Jones SS
1.363
Austin Spitler ILB
1.323
Nate Garner OT/OG
1.266
Koa Misi OLB
1.118
Jonathan Martin OT
1.087
John Denney LS
1.013
Jason Trusnik OLB
931
Daniel Thomas RB
882
Nolan Carroll CB
677
Olivier Vernon DE
669
Jamar Taylor CB
659
Michael Egnew TE
652
RJ Stanford CB
630
Lamar Miller RB
601
Charles Clay TE
583
Jimmy Wilson CB
566
Dallas Thomas OT/OG
556
Will Yeatman OT
555
Will Davis - CB
535
Jelani Jenkins OLB
523
Dion Sims TE
521
Kheeston Randall DT
495
Lee Robinson DE
495
Rishard Matthews WR
493
Derrick Shelby DE
483
Marcus Thigpen RB
482
Total dos 51 Maiores Salários:       106.391
Total Dead Money
8.587
Total Top 51 + Dead Money
114.979
Salário Cap 2013
128.727
Cap Room ( com os contratos dos rookies )
13.747






Observe que três rookies de late rounds não aparecem entre os 51 ,maiores salários ( Mike Gillislee, Caleb Sturgis e Don Jones ). Quando eles finalmente fizerem parte da equipe, eles vão simplesmente ter deslocando alguém para fora do Top 51, deixando assim ainda mais espaço no Cap do que agora temos.

Subtraindo os dois totais do Cap com e sem os contratos dos rookies ( 17,4 mi – 13,7 mi ), os contratos dos rookies só irão contar US$ 3.7 mi contra o Cap ou US$ 3.656.672 dólares se você quiser ser bem preciso.

Poderia então o Miami gastar esta grana disponível? Sim, poderia. Mas deixando este espaço sobrando, salvaremos uma parte dela ( não sei como funciona a regra, mas depende dos anos anteriores ). E no ano que vem, poderemos absorver o impacto enorme do contrato de Wallace, que irá receber nada menos do que 17,5mi. 

E assim Jeff Ireland segue fazendo das suas. Claro que daria para ter mantido algum dos que saíram, mas agora isso é passado. Reforçamos e repomos as peças perdidas. Resta saber se com a mesma ( ou melhor ) qualidade, mas o certo é que problemas com o Cap seguem, felizmente, distantes de Miami...
 

Miami assina com o primeiros rookies da turma

Jenkins, Jones e Sturgis. Os três primeiros a assinarem contratos...

O Miami anunciou a assinatura de três jogadores rookies. O OLB Jelani Jenkins, Kicker Caleb Sturgis e o Cornerback Don Jones chegaram ao acordo, que tem valores máximos e mínimos definidos pela CBA e já postados aqui anteriormente.
Jenkins foi o primeiro dos três Gators  escolhido no Draft . Ele começou 31 jogos para Florida conseguindo 182 tackles, 6 sacks, 17 tackles for loss e 3 interceptações durante a sua carreira em Gainesville. Com base na escala salarial e o round onde saiu ( 4º - 104ª geral ), o contrato de Jenkins deve ser de quatro anos num valor total de US$ 2,7 milhões.

Sturgis foi o terceiro dos três gators jacarés adicionados à lista do Dolphins, chegando a Miami pela 166ª pick do Draft ( 5º Round ). Durante sua carreira universitária, ele converteu 70 dos seus 88 field goals, totalizando 340 pontos. Seu contrato deve ser US$ 2.3 milhões, com uma duração ( provável ) de quatro anos.

Finalmente temos  Jones, que veio parar em Miami vindo da Universidade de Arkansas State, como um pick de 7º Round (250ª escolha geral ). Um ano como starter para os lobos vermelhos, ele jogou em 26 jogos e registrou 128 tackles, 2 interceptações, 1 sack e 1 chute bloqueado. O contrato deverá ser de quatro anos e o valor total ( baseado na posição e no round ) deve ser de cerca de US$ 2,2 milhões.

Faltam assinar: Dion Jordan DE, Oregon (1º  Round, 3 ª geral ),  Jamar Taylor CB, Boise State ( 2ª Round, 54ª geral ),Dallas Thomas OT/OG, Tennessee (3 º round, 77ª geral), Will Davis CB, Utah State ( 3º Round, 93ª geral ), Dion Sims TE, Michigan State ( 4º Round, 106ª geral ) e Mike Gillislee RB, Florida ( 5º Round, 164ª geral ). O Miami têm o mais alto valor para ser gasto com rookies este ano dentre todas as franquias da NFL, com mais de US$ 7.6 milhões.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Lamar Miller pode se tornar um RB de elite e atingir 1.500 jardas?

 MILLER EM AÇÃO DURANTE A TEMPORADA DE 2012



A probabilidade do Running Back do Miami Dolphins, Lamar Miller, atingir a sua ambiciosa meta de correr para 1.500 jardas em 2013, pode esbarrar na recente história da liga. É só dar uma rápida olhada nos livros que contam os fatos da NFL. Ok. O garoto está trabalhando pesado para atingir isso, veja o que ele falou:


"Estou tentando ficar maior e mais rápido. Melhorando a minha velocidade e a minha explosão para poder quebrar mais tackles e deixar os caras pra trás. Tentando me tornar um grande RB nesta liga", disse o jogador que tem 1,78m e 99kg.

Ah... e ele, nesta offseason, está trabalhando com Frank Gore. Ex-estrela da Universidade de Miami e atual do San Francisco 49'Ers. Só que recentemente, para um RB atingir 1.500 jardas, na NFL, não é nenhum passeio no parque.



Desde 2006, apenas 14 RBs correram para 1.500 ou mais jardas em uma temporada. Adrian Peterson, do Minnesota Vikings fez isso duas vezes, em 2008 e em 2012. Isso deixa uma média de pouco mais de dois RBs de 1.500 jardas por temporada nos últimos sete anos, o que demonstra o quão difícil é atingir essa meta atualmente (mesmo que quatro jogadores tenham conseguido fazer isso em 2012).



Encontrar a quantidade certa de carregadas pode ser difícil para Miller também. Entre as 15 temporadas em que a marca de 1.500 jardas foi quebrada, os RBs tiveram uma média de 388 carregadas na temporada toda. Miller vai chegar perto desse número em 2013? Vendo o ataque do último ano, em Miami, fica praticamente impossível acreditar que sim.



Em 2012, o Miami correu com a bola 383 vezes com seus running backs (total 440 se você contar quarterbacks e outros "não-running backs"). Reggie Bush, um titular de 16 jogos, recebeu apenas 227. O que corresponde a apenas 60% do total. Mesmo que o time corra mais de 400 vezes com a bola, Miller terá que dividir isso com os outros RBs do elenco, Daniel Thomas e Mike Gillislee. Digamos que com 70% do total, Lamar Miller, no máximo só correrá com a bola apenas 280 vezes. Bem distante das 388 de média que falamos acima.



Veja que com este cenário de 280 "carries" por temporada, ele teria que ter uma média de 5.4 jardas por tentativa. Apenas CJ. Spiller e Adrian Peterson atingiram tal marca em 2012. Na verdade, apenas dois RBs, desde 2006, correram para 1.500 jardas sem 300 ou mais carregadas: DeAngelo Williams em 2008 (273 para 1.515 jardas) e Jamaal Charles em 2012 (285 para 1.505 jardas). Para Miller quebrar 1.500 jardas como um sophomore em 2013 na NFL, ele provavelmente vai ter que produzir uma temporada especial, como Williams ou Charles.



Além disso, ele vai ter que ficar saudável, pois todos os RBs nesses últimos anos, que atingiram a marca de 1.500 jardas, foram titulares e jogaram 16 partidas regulares. Lembre-se que ele chegou na NFL com apenas um ano de experiência como titular na Universidade e carregou a bola apenas 51 vezes na sua temporada de calouro na NFL. Será que ele pode aguentar uma temporada inteira de alto nível? 



Definir metas, e grandes metas diga-se de passagem, nunca é ruim, ou preocupante. Mas, os números parecem não jogar a favor de Lamar Miller, porém isso não quer dizer que ele não possa ter um ano, uma temporada, espetacular. É treinar, ficar cada vez melhor e tentar. É um cara jovem e com um grande futuro pela frente.