terça-feira, 1 de julho de 2014

Dolphins, por enquanto, encaminha-se para outra temporada 8-8

Mike Wallace and Chris Perkins. Quem?
Chris Perkins é um jornalista que cobre o dia-a-dia do Miami Dolphins, pelo Sun Sentinel. Ele é companheiro de Omar Kelly, considerado o melhor insider do Dolphins. Isso, por si só, já deixa sua opinião como algo relevante. E eu a reproduzo aqui, porque combina demais com a minha ( caso alguém queria ler o artigo original, clique aqui ).

Depois das recentes alterações ocorrida no Dolphins ( novo coordenador ofensivo, novo ataque, novos tackles tanto na esquerda quanto na direita, novo running back, novo de free safety, uma nova disposição para os linebackers, etc ), o olhar para a temporada 2014 é quase o mesmo que em 2013. Em outras palavras, o time parece ser uma equipe de 8-8. 

No olhar mais otimista, podemos esperar um 10-6. No olhar mais realístico, com um viés pessimista,  de que não deve ser pior do que 7-9. É assim que as coisas parecem agora. Se isso lhe soa familiar, há uma boa razão. É a mesma coisa que eu pensei sobre o Dolphins antes da temporada de 2013 começar. 

Obviamente, minhas projeções 2014, posso mudar durante a Training Camps e/ou jogos de pré-temporada. A projeção 8-8 é amplamente baseado nas observações de OTAs e Minicamp, momentos em que os jogadores não estavam usando equipamento completo, portanto, não pode ser avaliado com muita confiabilidade. 

No entanto, nos últimos dois anos eu pensei que a chave para a classificação para playoffs era o crescimento e/ou aparecimento de mais playmakers. E esse é o caso mais uma vez este ano. O Miami têm um elenco cheio de bons jogadores, caras que são bastante confiáveis ​​e merecem o posto de Starters na NFL ou reservas importantes.  

O que o time sente (ainda) é a falta de jogadores decisivos em quantidade e posições nos moldes de CB Brent Grimes, C Mike Pouncey, DE Cameron Wake, DT Randy Starks, LT Brandon Albert, e sim, P Brandon Fields. O Miami precisa de mais caras que façam jogadas que decidam partidas. 

Talvez alguém surja como um craque confiável dentre QB Ryan Tannehill, WR's Brian Hartline e Mike Wallace, TE Charles Clay, LB Dannell Ellerbe, DE Olivier Vernon e o SS Reshad Jones. O ideal é que esse craque fosse Tannehill, mas poderia ser qualquer um deles. Talvez Hartline tem uma terceira temporada consecutiva 1.000 jardas e, digamos assim, uns 10 touchdowns. Talvez Vernon repete seu desempenho 11,5 sacks da última temporada. Talvez Jones volte à sua forma de 2012, quando ele parecia à beira de ser um dos melhores Safety da NFL. 

Talvez o playmaker que o time precisa venha de um grupo completamente diferente dos jogadores citados. Talvez seja K Caleb Sturgis ou o RT Ja'Wuan James formando uma parede de um homem só? Quem sabe seja o DE Dion Jordan ou o CB Cortland Finnegan preenchendo este papel de playmaker? O que se sabe é que o time têm uma abundância de candidatos para tomar chegar neste "próximo passo" e impulsionar esta equipe para os playoffs. O plantel tem bons talentos. Só que o tem há anos. 

Mas até o Dolphins mostrem que eles desenvolveram ou adquiriram mais playmakers, o Miami Dolphins estará seguindo para mais uma temporada 8-8.

Nenhum comentário: