quinta-feira, 24 de abril de 2014

Calendário 2014 saiu. E eu não gostei nada!!!

A distância, em milhas, que o Miami irá percorrer na temporada...
Saiu a ordem dos jogos da temporada. Antes de mais vamos a lista:
  • Week 1, 07/09 - vs Patriots. Começar em casa contra o melhor time da divisão? Não vejo vantagem alguma. Sem lesões no time de Tom Brady, é surra a vista;
  • Week 2, 14/09 - at Bills. O desempenho de Ryan Tannehill jogando contra o Bills na casa do rival é tenebroso. Ele terá que jogar ( o que ainda não fez diante do rival ) para que o time não fique 0-2 ). Chances reais de o time entrar em crise com um derrota. Se vencer, por outro lado, recupera o moral e pode ainda permanecer sonhando;
  • Week 3, 21/09 - vs Chiefs. O time de Kansas fez 11-5 ano passado. Mas é apontando como candidato a ir mal. Se isso se confirmar, o time poderá vencer e ficar 2-1, mas se viermos de 0-2, a temporada pode morrer aqui;
  • Week 4, 28/09 - at Raiders ( London ). É o Raiders, tanto faz se é em Miami ou na Califórnia, vencemos 9 dos últimos 10 jogos. Vencer é obrigação;
  • Week 5 - Bye Week.
  • Week 6, 12/10 - vs Packers. Em 2012 vencemos eles no Lambeau Field. No sol da Flórida pode ser que ele preguem no segundo tempo, dando-nos alguma vantagem. No geral, é inegável que o Packers é mais time;
  • Week 7, 19/10 - at Bears - Poderia ser pior. Poderia ser em Dezembro, com temperatura bem abaixo do zero. Sendo em Outubro o frio não deve atrapalhar. Mas eu tenho medo do que Brandon Marshall poderá fazer conosco. O time terá uma chance de vencer. Pequena, a meu ver;
  • Week 8, 26/10 - at Jaguars. É o Jaguars. Vencer é obrigação;
  • Week 9, 02/11 - vs Chagers. Bom, é aquela coisa... o time que nos colocamos na post-season. Não é um grande time... será em Miami... acho que podemos ser considerados favoritos... ou não;
  • Week 10, 09/11 - at Lions. Anos atrás seria vitória certa. Mas hoje em dia, tem tudo para ser um jogo bem complicado. E nós perdemos a última partida entre os times;
  • Week 11, 13/11 - vs Bills. Apesar de ser o rival mais fraco da divisão, o time está 1-3 na era Joe Philbin. Seria pedir demais ficar ao menos 1-1?
  • Week 12, 23/11 - at Broncos. Derrota. Peyton Manning sempre nos humilha. Simples assim;
  • Week  13, 01/12 - at Jets. Monday Night na casa do odiado rival. Vencemos as 6 das últimas 8 partidas por lá. Será uma chance de voltar a vencer em prime-time. A última vez foi o mesmo Jets. Em 2009!!!
  • Week  14, 07/12 - vs Ravens. O Ravens é mais time. Sempre nos vence. Não vejo porque esperar um desfecho diferente;
  • Week  15, 14/12 - at Patriots. Muito longe para prever, mas em condições normais é derrota. Até porque vai estar frio, bem frio;
  • Week 16, 21/12 - vs Vikings. Se o time chegar com chances de post-season vai encarar um time que tem tudo para ir bem na temporada. Se vencer, poderá se vingar do maior rival...
  • Week 17, 28/12 - vs Jets. Aqui pode virar um desfecho perfeito da temporada ou apenas uma partida melancólica. Só sei que quero que seja tudo menos o mesmo que a temporada passada.
Resumo: começar pegando Pats em casa não é uma boa. Em 2011 uma surra levada justamente contra o time de Tom Brady acabou com a temporada antes de começar. Mas pegar o Bears antes da neve no Soldier Field saiu de bom grado. Acredito, ainda assim, que o correto a esperar é um 7-9, frustrante. Por enquanto é isso.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Amanhã é o dia de saber a ordem do calendário...

Coisas boas e coisas ruins nesta ordem ai...
Amanhã é o dia em que sai o calendário da NFL. Dia no qual saberemos quando e em que ordem iremos ter os nossos 16 jogos, que podem ou não nos conduzir para a post-season ( eu sinto que será, que surpresa, mais uma vez não ).

O que já sabemos, como demonstra a imagem acima, e quais jogos serão em casa e quais serão fora. Eu gostei de pegar o Broncos fora, pois esse é um jogo certo para derrota. Pegar o Raiders em casa ou fora tanto faz. Lions e Bears fora de casa será duro, sobretudo pegar o Bears se for no fio de Dezembro. Encarar o Packers em casa pode ser uma grande vantagem, porque se for em Setembro, com sol a pino o time de A-Rod pode pregar no segundo tempo. No mais, sempre perdemos pro Ravens em qualquer lugar mesmo...

Meu pensamento mais real é que o time vá pensar para fazer 7-9. Pode mudar com o draft... mas eu não nutro grandes esperanças. Nem com o draft e nem com temporada.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Jamar Taylor parece confiante no seu desempenho neste ano. E você?

Um dos piores rookies, em termos de aproveitamento, no primeiro ano de nossa história...
Jamar Taylor foi escolhido para ser o novo Xerife de nossa Secundária, para ser o esteio do setor pelos próximos 10 anos. No mínimo. Bom, todos sabemos bem que as palavras Sucesso e Daft nunca andam juntas em Miami. Ele passou por uma complicada cirurgia nos rins logo depois do Draft e... bom, praticamente nem entrou em campo. Nada demais se o time tivesse ido a post-season e tivesse um ídolo veterano atuando em alto nível e próximo de se aposentar ( Grimes fica de fora, porque ele não era nem do Dolphins em 2012 ). Se, e apensas se, fosse este o nosso caso, poderíamos fazer como o Steeelers, onde os rookies raramente entram em campo. Mas...

Mas o nosso time foi a post-season 1 vez nas últimas 10 temporadas. E cá pra nós, nada - absolutamente nada - aponta que isso vá mudar agora em 2014. Mas Taylor acredita que poderá ter uma grande temporada. Talento para isso, eu até acredito que ele possua, mas pelo pouco em que esteve em campo e mostrou no ano passado, acho bem complexo.

Escolher mal é inerente ao Miami. Mas as vezes, cruelmente, nós nos superamos... 

Estrelas do Draft: Zack Martin, OT/OG - Notre Dame

Se formos escolher um OT no primeiro round, Martin deve ser a escolha...
Alguns podem, com razão, argumentar: mas Flávio, após gastar o caminhão de dinheiro com Brandon Albert, porque o Miami gastaria a sua pick de primeiro round em outros Ofensive Tackle? 

É, sim, uma boa questão. E tanto existem dados para avalizar como para que o time não faça isso. Primeiro: a OL não é feita apenas de um Starter. Segundo: quem garante que Albert vai render em alto nível? Terceiro: o time precisa, ainda, de um RT, posição onde Martin pode jogar. Mas e os pontos contra? Eu vejo um em destaque: o nome dele é MARTIN!!!

Piadas a parte, o time tem outras carências - e todos sabemos bem quais são ( alguns negam uma delas, mas deixemos isso de lado por enquanto ) - mas Martin é um talento de extrema qualidade e temos que ter em mente que Albert é um jogador de 30 anos. A tendência é ele decair durante o seu contrato de 4 anos em Miami. Ter um atleta de qualidade no elenco para ser desenvolvido, neste sentido, é vital.

Vamos a, tradicional, ficha do jogador:
  • Ponto Fortes: Super técnico, bom atleta, boa leitura de blitz e consegue realizar ajustes. Agilidade boa, bom caráter e se destaca nos grandes jogos. Disciplinado, excelente fit pro esquema de bloqueios de zona ( ZBS ), trabalhador sério e consegue ficar em pé quando atacado, mesmo por Defensores de qualidade;
  • Pontos Fracos: Sua estatura é apenas mediana para a posição ( 1,93m ) e por isso possui braços considerados pequenos para um OT de elite. Não foi testado de forma consistente no esquema mano-a-mano, que irá enfrentar na NFL. Poderá eventualmente atuar como Guard ( dado o seu peso e altura ) e não tem o quadril móvel como a NFL atual exige.
  • Notas: Se ele tivesse se declarado pro Draft ano passado, seria no máximo um prospect de segundo round, ganhou ficando para a temporada de sênior. Sua cotação subiu consideravelmente quando no Bowl anulou o líder em sacks da NCAA. A comparação mais indicada com alguém na NFL é com Sam Baker.
  • Porque Draftar: Faria sentido ter alguém que pudesse atuar como OT/OG, embora ele seja um LT nato. Dadaa péssima qualidade do setor em 2013, qualquer grande ajuda que se consiga é sempre bem vinda. Desenvolvê-lo durante as temporadas para ele assumir o posto de LT em 2 ou 3 anos. Pode servir como um seguro caso Albert se machuque ou não renda em alto nível;
  • Porque não Draftar: o time possui outras carências e não pode se dar ao luxo de ficar desenvolvendo jogadores, quando o time precisa vencer agora. 
  • O que o Flávio faria: eu draftaria. Com dois OTs de alto nível, Ryan Tannehill deixaria de ter qualquer desculpa para não jogar como um QB Top 8 de Draft. Se ele não render, o time teria uma OL de alto nível e poderia em 2015 trazer outro QB, perdendo apenas mais um ano ( Tannehill tem contrato até o fim da próxima temporada ).
É por ai... o que acharam?

domingo, 20 de abril de 2014

Draft vem ai... mas para quê mesmo?

Entra ano e sai ano, e nós esperando por um Draft redentor... que nunca chega!!!
Este espaço anda, digamos assim, parado. Até demais, diga-se. Criei um outro para comentar assuntos do dia-a-dia da minha cidade e o meu tempo que já era escasso... bom, ficou bem menor. Dada a eterna falta de ajuda, a cobertura de 2014 até aqui é inexistente. Claro que eu pretendo retomar os trabalhos, mas este Draft não me anima.

Primeiro porque não gostei da Free Agency. Na boa, daria para ter conseguido gente com mais, digamos assim, impacto. Foi Albert e só. Os outros são apostas. E só isso. Nada que possa mudar o ritmo das coisas.

Segundo porque a temporada de 2013 foi desanimadora ao extremo. Tudo o que poderia acontecer de ruim, aconteceu. E duvido que não aconteça novamente.

Por fim, tem o Draft. A última escolha de grande qualidade deste time foi a de Mike Pouncey, em 2011. Antes dele, a de Jake Long. E antes dele... deixe-me ver aqui... rapaz, deve ter sido Dan Marino.

Esperar pelo Draft não me anima mais. Tivemos chances de draftar grandes jogadores, mas... entre Tannehills e Davis da vida, o time tem poucos jogadores escolhidos nos 3 primeiros rounds que sejam jogadores impactantes. Do ano passado, ninguém é. De 2012, também não. No de 2011, fora Pouncey... ninguém. Do Draft de 2007 agora só tem Brandon Fields. Um dos únicos 2 jogadores all-stars do elenco escolhidos no Draft. O outro já foi citado neste parágrafo ( alguém pode pensar em Starks, Grimes e Wake, mas é que eles vieram na Free Agency ).

Pois é. Sem falar que em 2012 doamos BM19 para os Bears e o que conseguimos com as duas mariolas recebidas? Nada!!! E ainda draftamos uma AMEBA.

Portanto, esperar por um draft perfeito é UTOPIA. No máximo dois ou três jogadores esforçados no quarto e/ou quinto round... onde quase sempre acertamos a mão. Quase sempre...