sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Contusões podem atrapalhar bom começo do Dolphins

Starks pode não jogar no domingo...
Randy Starks nunca perdeu uma partida desde que chegou no Miami. E isso faz tempo, pois ele está no elenco desde 2008. Mas domingo poderá ficar de fora, por causa de um dedo quebrado. Será uma baixa muito sentida. 

Starks é dominante na DL e com isso filtra muitos problemas para os LBs. E, caso não tenha ficado sabendo, Dannell Ellerbe está fora da temporada. A boa atuação dos LB reservas deveu-se ao trabalho deles, mas sobretudo porque a DL não permitiu que o Pats atuasse como gostaria. Sem Starks e tendo que contar com Mitchell de starter a rotação sai perdendo e isso deve ter respingos nos LBs. Que sem o seu melhor nome...

Pois é. Segundo Armando Salguero Phillip Wheeler vai jogar, mas ele não é exatamente um reforço. Mas nestas circunstâncias até que pode ser considerado. Sem Ellerbe perdemos muito, mas a ausência de Starks seria mais danosa. Espero que ele possa jogar, mas é claro que entre ficar de fora e jogar agravando a contusão, nem preciso dizer o que prefiro...

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Pilulas do dia seguinte: Vencer os Pats é bom demais!!!

A besta e a sua vítima preferida...
Tom Brady: esse é Chris McCain...
Antes ir soltando as "pílulas do dia seguinte", como sugere o título deste post, uma informação: no dia do jogo é simplesmente impossível não escrever com emoção. É impossível, eu garanto. Mesmo que eu tenha feito o post muitas horas depois do fim da partida, a emoção transborda. Sendo assim, será padrão isso no Blog para 2014. Emoção no domingo ( ou após a partida, é claro, quando for em outro dia ) e no day after eu tentaria passar a razão. E a ideia do "pílulas". Espero que gostem...

Vencer um rival é diferente. Eu não considero o nosso maior rival o Patriots, mas entendo quem o faça. Para mim o nosso maior rival é o Jets. É coisa histórica. O time do Pats foi insignificante durante os anos 70, 80 ( embora tenham ido ao SB em 85, derrotando-nos na final da AFC ) e nos 90 ( com outra ida ao Super Bowl ). Só de 2000 para cá é que virou um rival forte. E sim, mais forte do que do os Jest jamais foram ou serão, mas ainda assim eu odeio mais os Jest. Deixando isso de lado, vencer o time que venceu em 12 dos últimos 13 anos a Divisão, é algo especial. Mas quanto é a dimensão desse algo "especial"?

Comecemos pelo básico: qual Dolphins teremos nas outras 15 partidas da temporada? O do primeiro tempo, apático, sem sal e sendo facilmente dominado pelo adversário ou do segundo tempo, vibrante, esmagando o adversário e sem erros? Dessa resposta depende o quão longe conseguiremos ir na temporada. Outra questão pertinente: Tom Brady era dúvida para a partida. Ele claramente estava desconfortável e errou passes que não costuma errar. Some-se a isso que Rob Gronkowski também está muito longe das condições ideais e mesmo assim causou certo estrago. A dupla em condições ideais - e nós não temos nada a ver com isso - o resultado seria o mesmo?

Outra nuance a ser observada é a situação dos nossos LBs. Perdemos 2 Starters durante a partida ( Ellerbe e Misi ) e outro nem entrou em campo ( Wheeler ). O que parecia a senha para o caos teve efeito contrário. O trio formado por Jason Trusnik, Jelani Jenkins e, sobretudo, Chris McCain ( destaque na imagem que ilustra este post ) deu um show. Excelente, claro. Mas porque isso é uma questão pertinente Flávio? Simples: foi algo pontual ou vai se repetir durante as próximas semanas? A conferir.

Cameron Wake e Olivier Vernon. Que dupla, que atuação ótima. Ambos, bem auxiliados por outros ótimos jogadors, tiveram uma tarde de destaque. Vernon se aproveita bem da atenção que as defesas tem que dar a Wake e apressou diversas Brady, conseguindo sack. Já Wake... é igual ao vinho: vai ficando melhor com o passar dos anos. Animadora a atuação dos dois. Já nossa secundária foi mais ou menos... o lance do Grimes marcando o Gronk sem cobertura foi de fazer rir, se não fossemos torcedores. Piada. Além disso gente que, teoricamente, teria vindo para resolver, andou falhando. Um Brady em dia inspirada e teria sido um desastre. A destacar a boa atuação - sem contusão - de Louis Delmas.

Como destaquei ontem, algo que foi bem diferente de 2013 foi o fato do time ir "derrotado" para o intervalo e voltar outra equipe no segundo tempo. Contra este mesmo Pats no Gillete Stadium, aconteceu a mesma coisa, só que ao contrário. Quem fez mudar eu não sei, mas tudo aponta para Bill Lazor, pois ele era a o único que não estava ano passado por aqui. Por falar em Lazor, reitero que fiquei decepcionado com o que vi. Eu estava entre os que esperavam mais, outros com quem conversei se disseram satisfeitos. Eu não, afinal iremos enfrentar defesas mais fortes do que o do Pats e vamos precisar de mais do ataque.

A Linha Ofensiva superou as expectativas, sem dúvida. Deu tempo para o nosso QB e abriu espaços para o jogo corrido. Precisamos aguardar, mas se mantiver o ritmo Moreno pode ter uma excelente temporada, pois ele aproveitou muito bem os espaços abertos. Já o nosso QB...

Pois é, Ryan Tannehill começou a sua terceira temporada na NFL de maneira ruim. Sobretudo para quem tinha a OL como desculpa ano passado. Ontem ele só foi sacado uma vez, embora tenha tomado alguns Hits é verdade. Mas ele foi muito inconstante e só terminou com 1 interceptação por causa de um dia bem meia-boca de Darrele Revis, que deixou duas interceptações escaparem, uma delas que terminou em TD de Wallace. Este, é preciso dizer, outro que começa mal a temporada, apesar do TD. Deixou de marcar um por não se ater ao fato de colocar os pés dentro de campo, mesmo que eu insista que o passe poderia ser melhor. Mas ele errou. E ele é ( ou deveria ser ) a maior ameaça do ataque, mas ontem esteve bem longe disso. Tannehill precisará melhorar muito. Alguns podem dizer que isso é pegar no pé, mas não é: se ele fosse melhor do que é, o time teria passado o carro em cima do Pats. Daria para, caso ele fosse um Top Ten, ter vencido marcando 50 pontos. Tivemos chances para isso. Ele vai melhorar? Quem pode responder, não é mesmo? Mas na semana que vem vamos encarar o time contra o qual ele teve suas duas piores atuações: Buffalo Bills. 

Vencer é ótimo. E estamos esperando por mais. Vencer o Bills e abrir 2-0 seria excelente. E claro, todos queremos isso. E podemos conseguir, mas é cedo para euforias exageradas...

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Week 1: Patriots 20 x 33 Dolphins

Habemus vitória!!!
Vencer sempre é bom. Quando se tinham tantas dúvidas como no nosso caso, então é uma epopeia. Se o derrotado for o New England Patriots, tudo ganha outra dimensão... e o Miami ainda fez isso virando a partida, marcando 23 pontos seguidos, surrando Brady, deixando o Coach mais sem carater da história com cara de ..... ai é pra ficar sem palavras.

Não tenho um Notebook exclusivo, por isso o post sai tão tarde assim. Mas o importante é que temos mais coisas a comemorar do que para lamentar. Algumas que durante a partida pareciam merecedoras de lamentações, viraram agradáveis surpresas, como no caso dos LBs reservas. O fato é um só: o time foi derrotado pro vestiário e algo aconteceu lá pois o time simplesmente passou por cima do Pats no segundo tempo. Deu pena... deu nada, eu tô brincando. 

Agora vamos a um apanhado do que deu ( ou não ) certo hoje:
  • Linha Ofensiva jogou muito bem. Inegável, não tem como dizer outra coisa. Ryan Tannehill sofreu um sack apenas. Os RBs, sobretudo Moreno, encontraram espaços. Animador, sem dúvida. Mas precisamos encarar que já em algum tempo que a defesa do Pats não se destaca pelo número de sacks e sim por uma consistência em todos os níveis. A destacar também um Holding cometido por Ja'Wuan James que anulou o TD de Miller. Poderia ter feito falta. Mas o bom é que não fez;
  • Linha Defensiva. Sempre disse que era o melhor setor do time e eles provaram seu valor em campo. Cameron Wake é o melhor jogador do time e foi a chave para a vitória, ao sacar duas vezes Tom Brady e em ambas forçar fumbles. Mas os seus colegaas ( Vernon, Mitchell, Odrick e Starks ) levaram caos a Brady e cia. Uma atuação para não se esquecer tão cedo;
  • Corpo de Linebackers. Parece sonho falar que eles jogaram bem, não é mesmo? Pois caso não tenhas assistido a partida eu lhes digo que os três starters nem jogaram direito: Wheeler foi vetado, Ellerbe saiu nos primeiros snaps e Misi saiu antes do fim do primeiro tempo. O que seria problema, virou solução: Chris McCain, Jelani Jenkins e Jason Trusnik pareciam veteranos e que jogavam juntos a tempos. McCain inclusive ainda conseguiu um Sack e Bloqueou um punt no começo da partida. Eu falei dele aqui antes;
  • Jogo Corrido. Knowshom Moreno teve uma partida espetacular, com média de 5,58 jardas por corrida, o que é excelente. Mas Lamar Miller também correu bem, com média de 5,11 jardas por corrida. Eles correram, no total, 193 jardas. Um feito e tanto;
  • Ryan Tannehill e Mike Wallace. Alguns podem pensar o contrário, mas se a dupla fosse melhor entrosada, teríamos dado um passeio no Pats. Wallace deixou escapar um TD por erro de posicionamento dos pés e dropou alguns passes que poderiam ter facilitado demais a nossa vida na partida. Já o nosso QB... sinceramente, não sei o que ele pensa ao dar passes terríveis como os que fez hoje. A sua interceptação é daquelas que nem os QBs brasileiros lançam. E o pior no lance é que se o passe fosse na mão, seria TD. Depois teve outros passes errados, péssimas escolhas e coisas e tals. Passou para dois TDs, mas esteve longe de uma atuação boa. E dessa vez não pode reclamar de proteção, pois só sofreu um sack na partida inteira.
  • Preparo Físico. Nos anos 80 jogo a tarde no velho Orange Bowl era vitória certa pro Dolphins, mesmo que o time fosse melhor. Motivo? O calor e a estrutura de metal do estádio. Os adversários simplesmente pregavam em campo. Acontece que no Sun Life ( mais moderno ) onde o time joga desde 1987 esse fator sumiu. Mas o próprio passou, às vezes, a sentir a partida mais física. Hoje não foi assim. Que permaneça e que os adversário derretam no sol da Flórida;
  • Joe Philbin e a Comissão Técnica. Ano passado o time tomou 3 viradas dolorosas após ir para o intervalo vencendo, uma delas para o Pats em Foxborough. Agora aconteceu o contrário: perdendo por 20x10, o time deu um show no segundo tempo ao fazer 23x0. Sim, a ZERO. Se foi dedo de Bill Lazor ou não eu ainda não consegui saber, mas que algo de diferente aconteceu no vestiário, isso é certeza. Por falar em Lazor, eu fiquei decepcionado com o ataque. Como assim Flávio, o time fez 33 pontos e você diz isso? É possível sim dizer isso. O Playbook foi básico, simples nada de anormal. Existia uma expectativa de um ritmo frenético e de jogadas inovadoras ( com relação aos anos anteriores, é claro ) ficou, hoje ao menos, apenas nas promessas;
Vencer é excelente. Sempre é. E hoje comemoremos. Domingo tem o Buffalo Bills, outro time que tem nos castigado duramente na Era Philbin. Assim como o Patriots, que hoje apanhou. Quem sabe não seja a hora de ensinar, também, aos Bills quem é que manda na divisão? Sabem como é, vencer é bom, mas seguir vencendo é melhor ainda...


Wake vai para a galera!!!

domingo, 7 de setembro de 2014

Week 1: Dolphins vs Patriots - Será a hora?

O melhor momento de 2013 foi contra o Pats... mas de nada adiantou, infelizmente.
10. Esse é o total de derrotas do Patriots para o Dolphins desde que Dan Marino se aposentou.
20. Esse é o total de derrotas que sofremos pro Pats no mesmo período. E mesmo assim, nós ainda somos o rival de divisão contra quem Bill Belichik e Tom Brady - a dupla HC-QB com mais vitórias na história - menos venceram. Mas é uma surra, temos que admitir. Para cada vitória que suadamente conseguimos, eles vencem duas. Não os varremos a mais de uma década e fomos varridos em 7 desde 2000. Triste.

O rival é mais forte, tem um dos melhores QBs de todos os tempos no comando do ataque, com um TE que fatalmente será HOF ( Rob Gronkowski ). Daí vem a pergunta: é possível vencer? Em tese é, mas na prática... as respostas podem vir do dia da imagem acima: 15 de Dezembro de 2013. Contra todos os prognósticos, com CBs reserva de reservas em campo, com o Pats na Red Zone e... vencemos!!! Parecia, infelizmente a realidade foi outra - que iriamos para a post-season após 4 fracassos consecutivos. Afinal, o time estava apenas pela segunda vez em 10 anos com duas vitórias a mais do que derrotas ( 8-6 ) e faltando duas partidas, era vencer ambas, contra as frágeis equipes do Bills e do Jets - e jogar outra partida de post-season. Parecia o céu... pois é, apenas parecia.

Michael Thomas - que ninguém nem sabia que estava no elenco - interceptou Tom Brady e fez uma epopeia em um quase vazio Sun Life. Vitória, diante do rival que tomou nosso lugar na divisão... foi uma tarde inesquecível, mas o Pats tinha problemas em cima de problemas, com tantos desfalques que eu nem vou listar, mas Gronk estava baleado. Não foi o terror de sempre, mas fez estragos ainda assim. Como pode ser amanhã...

Gronkowski estará em campo amanhã, mas não em condições ideais. Quem vai marcá-lo? Sem Wheeler ( ufa!!! ), eu destacaria McCain. Mas ele é rookie, então o mais provável é destacar Dannell Ellerbe. Pois é, as opções são ruins, até porque Dion Jordan fez um bom trabalho naquele dia. Mas ele está suspenso. Assim como Reshad Jones. Que vai fazer falta demais, tenham certeza...

As nossas chances de vitória passam por duas receitas bem básicas: pressionar Brady e não entregar a bola pra Brady. A melhor maneira de manter um HOF sem marcar pontos é deixá-lo do lado de fora, impedindo ele de pensar adequadamente e mantendo o seu ataque em campo. Para a primeira tarefa tenho 100% de certeza de termos as peças adequadas, pois nossa DL é da hora, uma das 10 melhores, com certeza. Já o ataque...

Não adianta: eu não confio em Tannehill. E muito menos nessa nova OL. Sem falar que o nosso Coordenador Ofensivo NUNCA fez nada na NFL. Mas eu posso estar errado ( só com relação às duas últimas condições, é claro ). Por isso, se o ataque conseguir não perder a bola, já estará fazendo algo. Knowshom Moreno e Lamar Miller podem, quem sabe, combinar para mais de 100 jardas. Sempre existe esta possibilidade...

No mais, é torcer para que Brady não esteja num dia super inspirado. Porque se estiver as chances beiram o zero... eu adoraria dizer o mesmo de Tannehill, mas eu - ainda - não estou louco...